Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Freud e o inconsciente

No description
by

Cristina Amaral

on 14 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Freud e o inconsciente

Sigmund Freud
Freud considera que a compreensão do comportamento requer uma análise dos fenómenos psíquicos.




Pelo que faz duas interpretações de formas diferentes do psiquismo da mente humana: a primeira e a segunda tópica.
Fundou a psicanálise para tratar de distúrbios psíquicos a partir da investigação do inconsciente
Consiste na evidenciação do significado inconsciente das palavras, ações e produções imaginárias (sonhos, fantasias, etc.) de um indivíduo
Define-se como uma zona do psiquismo constituída por desejos, pulsões, tendências e recordações recalcadas, fundamentalmente de caracter sexual
A primeira tópica
consciente
Inconsciente
Raciocinios
Perceções
Pensamentos
Memória
Fantasias
Lembranças
Recalcamentos
Desejos
Pulsões agressivas
Pulsões inatas
Medos
Os materiais inconscientes, que não são acessíveis através da auto-análise, tendem a tornar-se conscientes. Contudo, há uma censura que impede este acesso ás pulsões e desejos inconscientes, recalcando-os.




O recalcamento é um mecanismo de defesa que devolve ao inconsciente os materiais que procuram tornar-se conscientes.
Segunda tópica
Id
Pulsões
Instintos
Desejos desconhecidos
«"O id desconhece o julgamento de valores, o bem e o mal, a moralidade"»
Ego
Rege-se pelo princípio do prazer
Reservatório de libido
Rege-se pelo princípio da realidade
Orienta-se por principios
lógicos
Superego
Corresponde à interiorização das normas, dos valores sociais e morais
Sexualidade
Erotismo
Estádios psicosexuais
Estádio oral: A zona erógena é a boca: o bebé obtém prazer ao mamar e outras estimulações.
Estádio anal: A zona erógena é a região anal, a criança obtêm prazer por estimulção do anús ao reter e expular as fezes.
Estádio fálico: A zona erógena é a região genital, os orgãos são estimulados de modo transmitir prazer.
complexo de Édipo
Estado de latência: Atenuação da atividade sexual.
amenésia infantil
Estadio genital: zona erógena é a região genital.
Através da hipnose
associações livres
Interpretação
dos sonhos
análise da trans-
ferência
análise dos atos
falhados
Críticas á psicanalise
A forma como reunia os seus dados era assistemática;
reinterpretação dos factos;
pansexualismo.
O modelo do desenvolvimento psicossocial proposto por Freud, considera que haja nos primeiros anos de vida uma progressão de experiências relacionadas com o desabrochar biológico-sexual do individuo e que ele seria. para sempre afetado por essas experiências sexuais infantis.
As três feridas narcísicas da humanidade.
Copérnico
Darwin
Freud
Trabalho realizado por:
Maria Viana
Mafalda Correia
Ana Fortuna
Cristina Amaral
Nasce em 1856 na República Checa;

Ingressou na Universidade de Viena para estudar direito mas, optou por estudar medicina;

Exerceu clínica privada como neurologista;

Estudou em Paris com o professor Jean Charcot;

Trabalhou com Breur;

Em 1886 casa-se com Martha Bernays;

Cria a psicanálise;

Morre em 1939 em Londres.
Full transcript