Loading presentation...
Prezi is an interactive zooming presentation

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Suicídio

No description
by

Clara Karlyanny

on 15 July 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Suicídio

O Suicídio
Aspectos Históricos
Grécia
Cirenaicos, os cínicos, os epicuristas e os estóicos -> A favor


Platão e Aristóteles -> Contra

Roma
Os soldados e os escravos
Homens livres
O Direito na Roma Imperial

Idade Média
Tentação diabólica e atitude de loucura
Punições sobre o cadáver e o confisco dos bens do morto
Os motivos do suicídio: a miséria, amor, doença, fome, motivos considerados de covardia
Era reconhecida a legitimidade honrosa e corajosa para a aristocracia, os cavaleiros e o clero que suicidassem por motivo de escapar de humilhações.

Cristianismo
Contexto sociopolítico
Renascimento
Aumento dos índices de suicídio
Evidências
obras literárias e teatro
expressão da elite intelectual
Aumento do individualismo burgês
Século XVII
Os teólogos, católicos e protestantes

Moralistas admitiam algumas exceções

Pecado mortal: matar-se por cólera, impaciência, por pobreza, por desgosto da vida, até mesmo desejar a própria morte
não deixam abertura para o suicídio
Europa Iluminista
Inglaterra tratados a favor ou hostis ao suicídio “mal inglês”

George Cheyne tendências inglesas suicidas avanço do ateísmo, espirito filosófico e temperamento melancólico devido às condições geográficas e climáticas.

França capitalismo aumento do isolamento, os sistemas de corporações desaparecem e as falências aumentaram

O debate do suicídio auge e polarização

O suicídio, a genética e os dados estatísticos.

Na Europa a penalização do ato suicida desaparece de modo progressivo. Contudo, ainda se colocava em prática a moral que exprimia total hostilidade ao suicídio.

O suicídio como ato condenável

O suicídio como ato de loucura e falta
de dicernimento
Revolução Francesa
Durkheim publica O Suicídio

As três categorias causais do suicídio: o suicídio egoísta, o suicídio altruísta, e o suicídio anômico.

1897
1905
Freud suicídio como uma consequência da agressividade contra o próprio eu.

em cada pessoa, há o instinto da morte que se contrasta com o instinto de vida.
1975
Jean Baecher Les Suicides explicação individualista, biológica e psicológica do suicídio

o suicídio deve ser estudado em cada caso particular, e não a partir de estatísticas.
Comportamento do suicida
• O suicídio é a perda da vida humana resultante de um ato voluntário.
• Mudanças da visão sobre o suicídio
- Idade Média: Visto como pecado
- Atualidade: Comportamento humano
complexo, relacionado com doenças psíquicas.

• Preconceitos em torno do suicídio
-Suicídio relacionado ao "self-killing’’, ou seja, auto-homicídio, prática condenável.
- Acepções da palavra como ‘"desgraça e ruina de si’’, tratado como um tabu.

• Definição do suicídio através da etimologia da palavra
-Diminuição da complexidade do tema

• Surgimento do termo‘’suicidium’’ como uma morte voluntária, diferenciando-se assim, do self-killing
• O fato de por fim a própria vida não caracteriza uma mente suicida.
• Segundo o psiquiatra Menninger (1970), ‘’ o suicídio deve ser considerado como espécie peculiar de morte que envolve três elementos internos: o elemento de morrer, o elemento de matar, o elemento de ser morto’’.
• O suicídio envolve peculiaridades em relação presença ou não do desejo de viver.

• Foi acrescentado por Deshaies (1947) o quesito intencionalidade à definição de suicídio.
1) a possibilidade ou impossibilidade de reversão do método empregado pra morrer;
2) As providências que tornam possíveis a ação de terceiros;
3) Quando esta intervenção ocorre, pode-se inferir que a intencionalidade seja mínima.
• Voluntarismo do ato como um fator essencial (para a literatura).

• O humano é dotado de características psicológicas, algumas inatas e essenciais, e outras não essenciais e afetadas pelos padrões da vida em sociedade, são elas: necessidade, impulso, instinto, motivação e vontade.
• Características voltadas para a sobrevivência no ambiente natural.
• Os aspectos psicopatológicos suicidas se apresentam quando o ser humano rompe, através dos seus desejos pessoais e suas características psicológicas, a pulsão instintiva de viver.

Aspectos Psicopatológicos do suicídio:

• Ideias de morte: morte como um alívio dos pesares, mas sem cogitar por o fim por si a própria vida.
• Ideias suicidas: ideias que surgem de maneira dispersa, mas que podem evoluir, até que o indivíduo não consegue evitar tê-las.
• Desejo de suicídio: Suicídio como uma solução para a falta de perspectiva e desesperança.
• Intenção de suicídio e Plano de suicídio: Ameaça clara de por fim a vida. Possuem forte relação, pois podem acontecer concomitantemente, visto que é a tomada de decisão.
• Por fim, vêm as tentativas, seguidas de suicídio presumido, com utilização de métodos planejados e altamente letais.

Os graus de intensidade da psicopatologia

• Culpa
• Desesperança
• Falta de sentido à vida
• Crises existências
• Ambivalência, ou seja, a vontade de aliviar a dor e o desejo de viver em constante conflito.
• A impulsividade, que consiste nas crises suicidas, que duram alguns minutos;
• A rigidez com que as pessoas suicidas tratam o ato de tirar a própria vida como solução única.

Sentimentos comuns nas mentes suicidas:

• O suicídio está relacionado com uma dor psíquica, não necessariamente com uma doença mental.
• Não conseguir lidar com certas situações, por achar estas intermináveis, ou por se achar incapaz de encarar e suportar.
• A forma com que as pessoas são condicionadas a lidar com o sofrimento.
• Estes pensamentos podem se fazer presentes por um largo ou curto período de tempo, dependo da capacidade de recuperação diante das diversidades da vida de cada um.


Aspectos da crise suicida
O ritual do suicídio na cultura japonesa: Harakiri
• O Harakiri é um dos aspectos do código de honra do samurai. Consiste no dever em que este possui de suicidar-se diante de situações que julgam desonrosas. Em sua literalidade, ele significa ‘’corte estomacal’’.
• O suicídio tem um grande significado para os japoneses, sendo um ser diferenciado aqueles que vencem o medo da morte. Esse mesmo sentimento é o que levou os Kamikazes (pilotos suicidas) a explodirem junto com os seus aviões durante a Segunda Guerra Mundial.

Harakiri
Aspectos psicológicos
Métodos clinico-qualitativos nos estudos de suicídio
Autopsia psicológica: uma investigação sobre a intenção de morrer
Bilhetes de adeus, a testemunha final
A compressão intrapsíquica do suicídio: contribuições psicanalíticas

Teoria psicanalítica tradicional
Aspectos interpessoais do comportamento suicida: os vínculos
Aspectos existenciais do suicídio: a busca de significados
Estreitamento, o suicídio de essencialidade
Ampliação, o suicídio de virtualidade
Contradição, o suicídio de absurdidade
Caracterização psicológica do suicida
Suicídio assistido
Eutanásia
Cuidados Paliativos

Características das pessoas que tendem a suicidar-se
Mais frequente nos homens que nas mulheres (2:1).
Presença de problema psiquiátrico/psicológico em pelo menos, 93% dos casos.
Perturbação do humor (depressão, bipolaridade) ou alcoolismo em 57-86 % dos casos.
Doença terminal em 4-6% dos casos.
Cerca de 66% comunicaram a intenção suicida (40% de forma clara).
Cerca de 33% tiveram tentativas anteriores de suicídio.
90% tinham contactado serviços de saúde.
Transtornos de personalidade em 8 a 20% dos suicídios.
 

Fatores de influencia para o suicídio
O suicídio pode ser compreendido como resultando da interação de 3 fatores:
Pressão/estresse social.
Vulnerabilidade individual.
Disponibilidade de meios.

Sociologia e Suicídio
Durkheim estudou as conexões entre os indivíduos e a sociedade.
Tenta provar o quanto um ato individual é o resultado do meio social que o cerca.
Durkheim desenvolveu o conceito de anomia
taxas de suicídio são maiores entre os solteiros, viúvos e divorciados do que entre os casados;
são maiores entre pessoas que não tem filhos;
são maiores entre protestantes do que entre católicos e judeus.
Influem no suicídio interpretação da morte e integração da comunidade
Taxas do suicídio de Durkheim
Motivos
 Vínculo social.
-->Baixo vínculo social
-->Alto vínculo social

Durkheim acreditava que o vínculo social era composto de dois fatores:
--> a integração social
--> a regulação social

Curiosidades
Direito e suicídio
Há três possibilidades de prisão relacionadas ao suicídio.
No ato de tentar matar-se, às vezes a pessoa acaba não só fracassando em sua tentativa, mas acaba matando ou ferindo outra pessoa, ou danificando propriedade alheia
Causar congestionamentos ao ficar ameaçando se matar: essa pessoa pode vir a responder pelo tumulto ou comoção que provocar. Por exemplo, Lei das Contravenções Penais pune quem “praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto” (art. 41).
Tipos de suicídio
Egoísta
Altruístico
--> suicídio altruísta obrigatório
--> suicídio altruísta facultativo
--> suicídio altruísta agudo
Anômico

Instigar, auxiliar ou induzir alguém a cometer suicídio é crime. É o caso das pessoas que fornecem a arma para que o suicida se mate ou das pessoas que se gritam para que o suicide se atire do alto do prédio.
OBS: Instigar, auxiliar ou induzir alguém ao suicídio é um crime contra a vida, e é julgado pelo tribunal do júri.

Induzimento, instigação ou auxílio a suicídio
Art. 122 - Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça:
Pena - reclusão, de dois a seis anos, se o suicídio se consuma; ou reclusão, de um a três anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.
Parágrafo único - A pena é duplicada:
Aumento de pena
I - se o crime é praticado por motivo egoístico;
II - se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência.


Clara Daniele
Clara Karlyanny
Francisco Moreira
Isamara S. Marinho

Reszo Seress
Full transcript