Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Valores humanos

No description
by

Valeschka Guerra

on 15 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Valores humanos

Valores Humanos
Definição
Características
Tipos
Funções
Teorias

Geert Hofstede
Ronald Inglehart
Shalom H. Schwartz
Definição
1) Um valor é uma crença...

2) socialmente desejável, associada a formas de comportamento...

3) que transcende situações específicas,

4) que guia a seleção ou avaliação de comportamentos, pessoas e acontecimentos,

5) e que se organiza de acordo com sua importância relativa a outros valores, formando um sistema hierárquico.
Características
1) o número de valores de uma pessoa é relativamente pequeno;

2) indivíduos têm os mesmos valores, independente da cultura, mas estes são priorizados em níveis diferentes;

3) são organizados em sistemas;

4) podem ser determinados pela cultura, contexto social, instituições e personalidade;

5) manifestam-se em comportamentos sociais.
Tipos de valores
Os valores podem ser:

1) Instrumentais - indicam modos de comportamentos adequados (valores de competência, valores morais)

2) Terminais - indicam tudo aquilo que é desejável, um estado final de existência.
Para que servem os valores?
1) Defesa do ego - sentimentos ou ações pouco aceitas podem ser transformadas em valores socialmente justificáveis;
2) Autoconhecimento - promove busca por significado e compreensão;
3) Orientação - posiciona o indivíduo em termos pessoais e ideológicos;
4) Motivação - expressa necessidades humanas;
5) Adaptação - indica para o indivíduo quais os comportamentos mais úteis.
Principais teorias
1) Geert Hofstede
2) Ronald Inglehart
3) Shalom H. Schwartz

No Brasil:
4) Leoncio Camino
5) Valdiney V. Gouveia
Geert Hofstede
Para Hofstede (1984), os valores são representações das necessidades, construídas socialmente e estabelecidas de acordo com as normas sociais.
Analisa os valores a partir de sua cultura de inserção. Este autor define a cultura como "softwares mentais".

Enquanto um fenômeno coletivo, a cultura "programa" as pessoas, ensinando padrões de pensamento, sentimento e ação que determinam parcialmente o comportamento das pessoas.

Em seu estudo, investigou respostas de cerca de 100.000 empregados da IBM, sugerindo 4 dimensões dos valores:
Geert Hofstede
1) Distância de poder
- procura avaliar o quanto os subordinados respondem ao poder e à autoridade. Refere-se à distância do status individual frente à uma hierarquia, com a consequente aceitação da desigualdade na distribuição do poder;
2) Masculinidade vs. Feminilidade
- países considerados 'femininos' tendem a dar maior importância às interações sociais e buscar segurança para si e seus familiares;
- países considerados 'masculinos' enfatizam o reconhecimento e ganhos pessoais.
Geert Hofstede
3) Evitação da incerteza
- extensão do nível de ansiedade e inquietação das pessoas frente à situações inesperadas ou incertas.
- em países com alto nível de evitação, as pessoas sentem-se muito desconfortáveis com a ambiguidade. Em países com baixa evitação, as pessoas sentem-se menos ameaçadas por situações desconhecidas, sendo mais abertas aos riscos e mudanças.
4) Individualismo vs. coletivismo
- indica o quanto os membros de uma sociedade são responsáveis uns pelos outros e o grau de independência em relação aos seus grupos sociais.
- países individualistas esperam que as pessoas busquem seus desejos e objetivos pessoais (EUA, Canadá, França);
- países coletivistas esperam que os objetivos do grupo estejam acima dos individuais (Japão, México, Espanha).
Ronald Inglehart
Enfatiza aspectos sociais e culturais dos valores

Hipótese da escassez - os indivíduos valorizam mais as coisas de que necessitam;

Hipótese da socialização - os valores considerados mais importantes para o indivíduo (prioridades) refletem as condições prevalentes durante os anos de socialização do indivíduo, ou seja, o período pré-adulto.

A combinação das hipóteses produz um modelo geral: as prioridades valorativas são formadas cedo na vida, em reação às condições socioeconômicas desse período; e, uma vez formados, tendem a permanecer constantes, mesmo que as condições mudem.
Ronald Inglehart
Os valores apresentam-se em duas dimensões:

1) Materialistas: enfatiza necessidades físicas, através da predominância de valores tradicionais, da conformidade e do respeito às autoridades. Observados em sociedades menos industrializadas.

2) Pós-materialistas: enfatiza necessidades sociais e de atualização, através da predominância de valores de autorrealização, expressividade e bem-estar. Observados em sociedades industrializadas e mais desenvolvidas, nas quais as necessidades de subsistência já foram supridas.
Shalom H. Schwartz
Principal referência contemporânea dos valores.

Enfatiza dois aspectos principais que diferenciam os valores de outros construtos:

1) Conteúdo - valores específicos (ex.: obediência, polidez) se reúnem em regiões que expressam tipos motivacionais (ex.: tradição).

2) Estrutura - os tipos motivacionais se organizam de modo a formar uma estrutura circular, onde aqueles considerados compatíveis estarão próximos e aqueles que são incompatíveis estarão afastados.
Shalom H. Schwartz
Necessidades humanas
Teorias brasileiras
Duas teorias principais foram desenvolvidas por pesquisadores no Brasil:

1) Teoria psicossociológica dos valores
- definidos como estruturas de conhecimento socialmente construídas

2) Teoria funcionalista dos valores
- pressupõe que os valores representam cognitivamente as necessidades e as demandas sociais
(Rokeach, 1973)
(Rokeach, 1973)
(Rokeach, 1973)
(Rokeach, 1973)
(Maslow, 1954)
(Hofstede, 1984)
(Hofstede, 1984)
(Inglehart, 1991)
(Inglehart, 1991)
(Schwartz, 1994)
(Schwartz, 1994)
Valdiney V. Gouveia
Leoncio Camino
TEORIA PSICOSSOCIOLÓGICA DOS VALORES
Valores:
a) agrupam elementos simbólicos compartilhados;
b) expressam conteúdos ideológicos;
c) orientam o comportamento; e
d) refletem o contexto e as identidades sociais.

- Propõe sistemas de valores religiosos, pós-materialistas, hedonistas e materialistas.
(Pereira, Lima & Camino, 2001)
Teoria funcionalista dos valores
(Gouveia, 2003; 2013)
Valdiney V. Gouveia
A teoria funcionalista dos valores identifica duas funções que estruturam os valores:

1) Valores como guias das ações individuais (tipo de orientação): sociais, centrais e pessoais;

2) Valores como expressão das necessidades humanas (tipo de motivador): valores humanitários e materialistas.
Valdiney V. Gouveia
(Gouveia, 2003; 2013)
Referências
Gouveia, V. V. (2003). A natureza motivacional dos valores humanos: Evidências acerca de uma nova tipologia. Estudos de Psicologia, 8, 431-443.
Gouveia, V. V. (2013). Teoria funcionalista dos valores humanos: Fundamentos, aplicações e perspectivas. São Paulo: Casa do Psicólogo.
Hofstede, G. (1984). Culture's consequences: International differences in work-related values. Beverly Hills, CA: Sage Publications.
Inglehart, R. (1991). El cambio cultural en las sociedades industriales avanzadas. Madri: Centro de Investigaciones Sociológicas Siglo XXI.
Maslow, A. H. (1954). Motivation and personality. New York: Harper and Row.
Pereira, C., Lima, M. & Camino, L. (2001). Sistema de valores e atitudes democráticas de estudantes universitários de João Pessoa. Psicologia: Reflexão e Crítica, 14, 177-190.
Rokeach, M. (1973). The nature of human values. New York: Free Press.
Schwartz, S. H. (1994). Are there universal aspects in the structure and contents of human values? Journal of Social Issues, 50, 19-45.
Full transcript