Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Manutenção preventiva de equipamentos e reposição de materia

No description
by

Patrícia Nogueira

on 8 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Manutenção preventiva de equipamentos e reposição de materia

Manutenção preventiva de equipamentos e reposição de materiais comuns às diferentes unidades e serviços da Rede Nacional de Cuidados de Saúde
Conceitos
Material
Conjunto dos objetos formados numa exploração, numa indústria…


Os materiais podem ser de uso único ou reutilizáveis
Materiais de Uso Único
Só pode ser utilizado uma vez.

Mas, muitas vezes, está sujeito a interpretação:
Pode ser usado uma vez num determinado procedimento e desperdiçado de seguida mesmo que o indivíduo seja o mesmo;
Pode ser de uso único no sentido do uso por utente / indivíduo.
Materiais Reutilizáveis
São utilizados mais que uma vez.

Suportam a desinfeção e esterilização mecânica para nova utilização.
Conteúdos
Os materiais: tipologia, logística e reposição
Conceito de material
Tipologia de material comum as diversos serviços da prestação de cuidados
- Os materiais de uso único
- Os materiais reutilizáveis
A reposição de material
- Materiais consumíveis e reutilizáveis
- Registo e controlo de gastos
Formas de tratamento, eliminação e acondicionamento dos materiais utilizados
Os equipamentos: tipologia, e atividades de manutenção
Tipologia de equipamentos
A manutenção preventiva de equipamentos
O manual do fabricante
A disposição dos equipamentos
O manuseamento correto dos equipamentos nas atividades de manutenção preventiva
O registo do controlo de avarias e de atividades de manutenção
Os riscos e procedimentos de segurança associados
Os procedimentos de emergência e protocolos associados
Identificação de um dispositivo médico de uso único
O fabricante deve fornecer todas as indicações necessárias para utilização de um dispositivo médico em completa segurança, devendo essas informações ser incluídas na rotulagem e no folheto de instruções, caso este exista.
Se o dispositivo médico for destinado, pelo fabricante, a uma única utilização (descartável), esta menção tem que constar na rotulagem e folheto de instruções, em conformidade com o disposto no ponto 13 do anexo 1 da Diretiva 93/42/CEE.
Dispositivo Médico de Uso Único
O reprocessamento e a reutilização de dispositivos médicos de uso único colocam para além de várias questões, relacionadas com a segurança, qualidade e correto desempenho funcional do produto, outras relativas a aspetos éticos e regulamentares.
Aspetos Técnicos
Os processos de limpeza, desinfeção e esterilização utilizados pelas Instituições de Saúde podem não garantir a inativação de todos os microrganismos existentes no dispositivo, sobretudo naqueles que, pelo seu desenho ou pela natureza dos seus materiais, apresentam áreas de difícil acesso ou de difícil penetração pelos agentes físico/químicos utilizados.
Na realidade, um processo adequado e validado para um dispositivo destinado a ser reutilizado, pode não ser o adequado para um similar de uso único. A garantia da adequação do processo de limpeza e/ou descontaminação necessita de ser suportada pela sua validação frente ao produto em causa. Isto implica a realização de estudos microbiológicos e estudos físico-químicos que permitam garantir a manutenção das suas características e estudos de toxicidade e resíduos.
Reposição de Material
Gestão de Stocks
Gestão de Stocks
É uma área da administração das empresas, pois o desempenho nesta área tem reflexos imediatos nos resultados comerciais e financeiros de qualquer entidade/empresa.
Objetivos da Gestão de Stocks
Envolve a determinação de três decisões principais:
quanto encomendar;
quando encomendar;
quantidade de stock de segurança que se deve manter para que cada artigo assegure um nível de serviço satisfatório para o cliente.
Esta decisão assume uma dinâmica repetitiva ao longo do tempo e torna-se complexa, uma vez que envolve vários fatores. Para facilitar este processo criaram-se vários procedimentos matemáticos e estatísticos.
- Classificação dos itens estocados, em destaque a classificação ABC (Análise de Pareto);
- Estimativas de demandas, classificadas em dependente e independente;
- Estimativas de parâmetros como Stock Máximo, Stock de Segurança, Ponto de Encomenda.
A dificuldade mais sentida nas organizações em geral é...
Como efetuar a manutenção e controlo do stock.
Este problema não reside apenas nas empresas mas também em instituições de caráter social e/ou de índole não lucrativo, visto os stocks existirem transversalmente na sociedade (explorações agrícolas, escolas, prisões..)
O que é a
Gestão de Stocks?
Fazer com que um produto em stock esteja constantemente pronto a dar resposta a uma necessidade ou encomenda de um cliente.
Em que consiste uma boa gestão de stock?
Satisfazer a exigência, satisfazendo também a componente económica.
Funções associadas ao controlo de stocks
"O quê" ter em stock;
"Quando" reabastecer o stock;
"Quanto" stock;
"Onde" e "Como" fazer o controlo do stock;
Controlo periódico da quantidade, estado e valor dos materiais em stock;
Dar baixa de itens danificados e fora do prazo;
Gerir custos.
Formas de Tratamento, Eliminação e Acondicionamento dos Materiais Utilizados
Materiais de Uso Único
São desperdiçados e entram na gestão de resíduos hospitalares que possui uma determinada classificação.
Materiais Reutilizáveis
Entram num ciclo específico com normas apertadas de esterilização e embalagem para uso posterior.
Classificação dos Resíduos Hospitalares
A classificação dos resíduos hospitalares é feita, tendo em conta quatro grupos:
Grupo I
Grupo II
Grupo III
Grupo IV
Resíduos equiparados a urbanos;
Aqueles que não apresentam exigências especiais no seu tratamento.
- Resíduos provenientes de serviços gerais (gabinetes, salas de reunião, salas de convívio, instalações sanitárias, etc);
- Resíduos provenientes de serviços de apoio (oficinas, jardins, armazéns, etc);
- Embalagens e invólucros comuns (papel, cartão e outros de natureza idêntica);
- Resíduos provenientes da hotelaria resultantes da confeção e restos de alimentos servidos a doentes não incluídos no grupo III.
Resíduos hospitalares não perigosos;
Aqueles que não estão sujeitos a tratamentos específicos, podendo ser equiparados a urbanos.
Material ortopédico: talas, gessos e ligaduras gessadas não contaminados e sem vestígios de sangue;
Fraldas e resguardos descartáveis não contaminados e sem vestígios de sangue;
Material de proteção individual utilizado nos serviços gerais e de apoio, com exceção do utilizado na recolha de resíduos;
Embalagens vazias de medicamentos e outros produtos de uso clínico, com exceção dos incluídos nos grupos III e IV;
Frascos de soro não contaminados.

Resíduos hospitalares de risco biológico;
Resíduos contaminados ou suspeitos de contaminação, suscetíveis de incineração ou de outro pré-tratamento eficaz, permitindo posterior eliminação como resíduo urbano.
Todos os resíduos provenientes de quartos ou enfermarias de doentes infeciosos ou suspeitos, de unidades de hemodiálise, de blocos operatórios, de salas de tratamento, de salas de autópsia e de anatomia patológica, de patologia clínica e de laboratórios de investigação, com exceção dos do grupo IV;
Todo o material utilizado em diálise;
Peças anatómicas não identificáveis;
Resíduos que resultam da administração de sangue e derivados;
Sistemas utilizados na administração de soros e medicamentos, com exceção dos do grupo IV;
Sacos coletores de fluídos orgânicos e respetivos sistemas;
Material ortopédico: talas, gessos e ligaduras gessadas contaminados ou com vestígios de sangue;
Fraldas e resguardos descartáveis contaminados ou com vestígios de sangue;
Material de proteção individual utilizado em cuidados de saúde e serviços de apoio geral em que haja contacto com produtos contaminados.
Resíduos hospitalares específicos;
Resíduos de vários tipos de incineração obrigatória.
Peças anatómicas identificáveis, fetos e placentas, até publicação de legislação específica;
Cadáveres de animais de experiência hospitalar;
Materiais cortantes e perfurantes: agulhas, cateteres e todo o material invasivo;
Produtos químicos e fármacos rejeitados, quando não sujeitos a legislação específica;
Citostáticos e todo o material utilizado na sua manipulação e administração
Exemplos de operações de eliminação e valorização de resíduos
Grupo I e II - Aterro, Incineração

Grupo III - Autoclavagem, Desinfeção Química, Incineração

Grupo IV - Incineração
Os Equipamentos
Há empresas especializadas para venda de todo o tipo de materiais e equipamentos hospitalares, existindo mesmo catálogos.
Exemplo de Catálogos
- Ambulatório
- Cirurgia, procedimentos e tratamentos
- Construção Hospitalar
- Educação, Associações e Publicações
- Enfermaria e Monitoramento
- Equipamentos Hospitalares Gerais
- Laboratórios
- Projetos Hospitalares
- Radiologia
- Serviços e Produtos de Apoio
Equipamentos hospitalares (ex. ambu)
Instrumentos hospitalares (Bisturis, cateteres)
Material de consumo hospitalar (adesivo, algodão)
Móveis hospitalares
Equipamentos hospitalares;
Instrumentos hospitalares;
Material de consumo hospitalar;
Móveis hospitalares.
Acabamento hospitalar;
Decoração para hospital;
Elétrica;
Ferramentas;
Hidráulica;
Materiais básicos para Hospital;
Materiais específicos.
Associações
Educação, Modelos Anatómicos
Publicações
Cadeiras de rodas;
Equipamentos hospitalares;
Instrumentos hospitalares;
Material de consumo hospitalar;
Móveis hospitalares.
Equipamentos Hospitalares Complementares;
Informática e Telefonia;
Mobiliário
Equipamentos Hospitalares;
Instrumentos hospitalares;
Material de Consumo Hospitalar;
Móveis Hospitalares;
Móveis Hospitalares e Hotelaria.
Ar Condicionado;
Gases Medicinais Hospitalares
Equipamentos Hospitalares
Instrumentos Hospitalares
Material de Consumo Hospitalar
Móveis Hospitalares
Anatomia patológica e necrotério
Assistência técnica e manutenção preventiva
Consultorias em saúde
Cozinha e nutrição hospitalar
Esterilização e higiene
Farmácia
Lavandaria e hotelaria
Logística e transporte
Oficina
Próteses e Bioengenharia
Softwares
Transporte e resgate
Manutenção
É a combinação de todas as ações técnicas e administrativas, incluindo supervisão, destas a manter ou recolocar um item em estado no qual possa desempenhar uma função requerida.
Manutenção
Informática
Equipamentos
Outros
Manutenção de computadores
Manutenção de software
Software de Manutenção
Manutenção em equipamentos industriais
Engenharia de manutenção
Manutenção preventiva
Manute corretiva
Materiais hospitalares
Equipamentos hospitalares
Móveis hospitalares
Full transcript