Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Plano de voo VOCOM

Será apresentada as regras e procedimentos estabelecidos às aeronaves militares brasileiras
by

Reginaldo Reis

on 13 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Plano de voo VOCOM

Noções de Circulação Operacional Militar
SUMÁRIO

Introdução
Objetivo
Definições e Abreviaturas
Regras Gerais
Conclusão
OBJETIVO
Identificar as regras específicas de tráfego aéreo para as aeronaves militares brasileiras na Circulação Operacional Militar.
Definições e Abreviaturas
AERONAVE DE ESTADO
Aquela utilizada em serviços militar, alfandegário e policial.
ASSISTÊNCIA EM VOO
É toda ajuda prestada a qualquer aeronave em dificuldade, quer a ajuda seja solicitada pelo piloto, quer seja prestada espontaneamente e com participação de meios técnicos.
CIRCULAÇÃO AÉREA GERAL (CAG)
Conjunto de movimentos aéreos civis e/ou militares, efetuados segundo as regras de tráfego aéreo estabelecidas para as aeronaves em geral, em tempo de paz, que se beneficiam dos serviços de tráfego aéreo prestados pelos órgãos ATS.
CIRCULAÇÃO OPERACIONAL MILITAR (COM)
Conjunto de movimentos aéreos militares que está sujeito a procedimentos especiais ou mesmo dispensado de cumprir certas regras de tráfego aéreo, quando no contexto de uma operação militar.
GRUPO DE COMUNICAÇÕES E CONTROLE (GCC)
Unidade encarregada de instalar, manter e operar meios de comunicações, controle e alarme aerotático em apoio à Força Aérea do Teatro de Operações.
1º Sgt Reis
Manobra
Exercício tático realizado no mar, no ar, em terra ou na carta geográfica, simulando uma situação de guerra, destinado ao adestramento, treinamento ou instrução de homens ou unidades
MISSÃO (Mis)
Tarefa, dever ou ação que deve ser executada por um indivíduo ou unidade a fim de alcançar um determinado propósito. No caso específico da força aérea, poderá ser real ou de treinamento para o cumprimento das operações de defesa aeroespacial, aeroestratégica ou aerotática.
OPERAÇÃO MILITAR (Op Mil)
Operação de aeronaves em missão de guerra, de segurança interna ou manobra militar, realizada sob responsabilidade direta da autoridade militar competente.
ÓRGÃO DE CONTROLE DE OPERAÇÕES AÉREAS MILITARES (OCOAM)
Órgãos qualificados para prestar os serviços de controle de tráfego aéreo, informação de voo e alerta às aeronaves engajadas em operações reais ou de treinamento, através da aplicação das regras da circulação operacional militar.
SOCORRO EM VOO
É toda ajuda prestada a uma aeronave em dificuldade, com a participação de meios aéreos.
VOO DA CIRCULAÇÃO OPERACIONAL MILITAR (VOCOM)
Voo de aeronave militar que se realiza segundo as regras específicas estabelecidas para a Circulação Operacional Militar.
VOCOM A
Voo ou fase de voo controlado que se efetua sob
vetoração
radar contínua de um OCOAM.
Voo realizado dentro de um espaço aéreo classe A, B e C. Assegurar o serviço de controle de tráfego aéreo e seja possível prover a separação em relação às demais aeronaves, independentemente do tipo de voo IFR ou VFR
VOCOM B
Voo ou fase de voo controlado que se efetua sob
vigilância
radar contínua de um OCOAM.
Voo realizado dentro de um espaço aéreo classe A, B e C onde seja assegurado o serviço de controle de tráfego aéreo e seja possível prover a separação em relação às demais aeronaves, independentemente do tipo de voo IFR ou VFR.
CORES METEOROLÓGICAS (C Met)
Cores representativas da situação meteorológica de um aeródromo. São usadas nos aeródromos militares e nos aeródromos compartilhados (civil e militar), sedes de unidade aérea.
COR DO CAMPO (CP)
É a condição obtida pelo somatório da C Met com a situação de operação dos auxílios à navegação e à aproximação disponíveis de um aeródromo, determinada a partir dos parâmetros estabelecidos em NOSDA.
REGRAS GERAIS
REGRAS ESPECÍFICAS
SITUAÇÕES ANORMAIS

PREENCHIMENTO DO PLN VOCOM

As aeronaves militares receberão, por parte dos órgãos dos serviços de tráfego, tratamento diferenciado em relação às aeronaves civis, quando executarem voos da Circulação Operacional Militar.
Operações que exigirem o estabelecimento de procedimentos especiais e/ou a dispensa do cumprimento de determinadas regras de tráfego aéreo serão objeto de planejamento específico, realizado, em época oportuna, antes da ação.
As missões de treinamento ou de instrução, que não exigirem o estabelecimento de procedimentos especiais, nem a dispensa do cumprimento de determinadas regras de tráfego aéreo serão enquadrados na Circulação Aérea Geral.
Poderão ser estabelecidos mínimos diferentes pela autoridade militar operacional competente.
Cores Meteorológicas de aeródromos e Cores de Campo.
Aeronaves militares aproximando-se para pouso, que informarem ter a pista de pouso à vista e condições de prosseguir para aterrissagem, serão autorizadas, independentemente das condições meteorológicas do aeródromo.
Caberá ao piloto em comando da aeronave cientificar o órgão ATC/OCOAM da sua intenção de conduzir uma operação abaixo dos mínimos estabelecidos pelo DECEA.
Nos deslocamentos em formação, a cada aeronave deverá ser alocado um código transponder.
Em formação cerrada, somente o líder deverá manter o seu transponder acionado, devendo as demais aeronaves da formação manter o seu transponder em “STANDBY”
Antes de iniciar um voo, o piloto em comando de uma aeronave deve ter ciência de todas as informações necessárias ao planejamento do voo
Condições meteorológicas dos aeródromos envolvidos e da rota a ser voada
do combustível previsto para o voo
planejamento alternativo para o caso de não ser possível completar o voo
condições pertinentes ao voo previstas na AIP-BRASIL e no ROTAER, bem como as divulgadas por meio de NOTAM
Que condições são essas?!
restrições operacionais
auxílios à navegação
Voo ou fase de voo controlado, realizado em espaço aéreo onde não seja possível a prestação do serviço radar, mas que seja assegurada a prestação do serviço de controle de tráfego aéreo, obedecendo certas condições.
Obrigatório o contato bilateral com o OCOAM
Quando realizado em espaço aéreo condicionado será protegido pela respectiva área
Quando realizado fora de espaço aéreo condicionado, ficará sujeito à aceitação por parte do OCOAM
VOCOM D
Voo ou fase de voo
não controlado
em que não há reserva de espaço aéreo ou itinerário.
Efetuados, compulsoriamente, sob regras visuais e em condições meteorológicas de voo visual.
Exceção: operação de guerra ou segurança interna

Comunicação bilateral: sempre que possível.
VOCOM I
Voo de interceptação
Efetuado sob vetoração radar contínua de um OCOAM
Cumprindo regras de separação especiais
Não é necessário preenchimento do VOCOM.
SOLICITAÇÃO DE VOCOM
Poderão utilizar as regras de COM as aeronaves militares engajadas em missões de:
Full transcript