Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Gêneros digitais na sala de aula: Uma proposta com os multiletramentos

No description
by

Débora Vieira

on 19 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gêneros digitais na sala de aula: Uma proposta com os multiletramentos

A
oficina
abordou temas sobre conflitos sociais articulados à pedagogia dos multiletramentos.
Gêneros digitais na sala de aula
SOUZA, 2012, p.15

Foco individual ;
Foco nas capacidades e competências (cognitivas e linguísticas) escolares valorizadas de leitura e escrita (letramento escolar e acadêmico) ;
Perspectiva psicológica;
Última etapa
a. As últimas aula foram utilizadas para explicar o trabalho final e auxiliar os alunos na produção e edição de um documentário;

b. Exposição de um tutorial de utilização do Windows Movie Maker e o vídeo exibido na 'Mostra Audiovisual Meu Lugar' e produzido por alunos de escola pública de Vitória-ES;

c. Apresentação do gênero documentário;

d. Na sala de tecnologia os alunos buscaram imagens, fotos, textos e outros vídeos para inserir no documentário. Os alunos puderam buscar outras informações, gravar vídeos externos a escola e etc.




Aula 2
1. Tema: Regimes totalitários e ditaduras contemporâneas
2. Atividade: Crônica ou diário digital

Aula 1
1. Apresentar a oficina aos alunos; Entregar o plano de ensino;
2. Exibir e divulgar a página da oficina no Facebook para que os alunos possam postar as atividades propostas;
3. Instruí-los sobre o modo como os espaços digitais, mais especificamente a rede social “Facebook”, os auxiliarão nas práticas de letramento;
4. Expor os variados conceitos que permeiam a cibercultura (ex.: mashups; fanclips; web 2.0 e etc.)
5. Atividade: Dissertação para avaliar o desempenho textual dos alunos.

Aula 2
Regimes totalitários e Ditaduras contemporânas
Reflexões
Uma proposta com os multiletramentos
Referências
Multiplicidade
cultural
MULTISSEMIOSE
O conceito de multiletramento digital pressupõe a concepção de ensino da leitura e escrita englobando aspectos que considerem as estratégias de leitura e produção de hipertextos, cujas marcas constitutivas são a incompletude, a fragmentação, a (co)laboração. (MARCUSCHI, 2000, p. 89 apud PACHECO, 2012).
Expor
e
refletir
sobre grandes episódios da história mundial que reaparecem nas
mazelas
da
contemporaneidade
.

Investigar
como a
internet
pode se transformar em um espaço de
mudança social
.

Propiciar, por meio do trabalho com textos multimodais, a
percepção
acerca dos
sentidos
que um texto pode depreender.

Produção de um documentário,
permitindo que os alunos ao realizar essa atividade se apropriem das práticas sociais e discursivas que circulam nas diferentes esferas da sociedade, para que possam produzir seus próprios discursos de modo ético, crítico e dinâmico.
Objetivos
12 alunos
Ensino Médio
Contraturno - Perídodo Vespertino
Escola Estadual 26 de Agosto
Campo Grande | MS


Oficina de Texto e Tecnologia
Sequência didática

Criação de um espaço digital no qual os alunos puderam publicar as atividades, “Olhares Sociais” para cada tema proposto.

Exposição de diferentes temas, sendo que a cada duas aulas trabalhamos um tema, assim na 1ª foi a exposição e na 2ª a criação das atividades.

A terceira etapa ocorreu nas últimas aulas, as quais foram utilizadas para explicar o trabalho final e auxiliar os alunos na produção e edição de um documentário.
Aula 3
1. Tema: Desigualdade social
2. Atividade: Artigo de opinião

Aula 4
1. Tema: Violência urbana
2. Atividade: Elaboração de jornal digital


Aula 5
1. Tema: Preconceito
2. Atividade: Banner (campanha de cunho social)

Aula 6
1. Tema: trabalho escravo ontem e hoje
2. Atividade: Memes, charge e tirinha.

Aula 7
1. Tema: Refletindo sobre a pós-modernidade
2. ATIVIDADE FINAL: Documentário

Aulas 8, 9 e 10: Conlusão da oficina, exibição dos documentários aos alunos e autoridades da escola.
À medida que o analfabetismo vai sendo superado, que um número maior de pessoas aprende a ler e a escrever, e à medida que, concomitantemente, a sociedade vai se tornando cada vez mais centrada na escrita, um novo fenômeno se evidencia: não basta aprender a ler e a escrever. As pessoas se alfabetizam [...] mas não necessariamente adquirem competência para usar a leitura e a escrita, para envolver-se com práticas sociais de escrita. (SOARES, 1998, p.45-46)



Alfabetização

Ação de alfabetizar, de ensinar a ler e a escrever;
Conhecer o alfabeto, a mecânica da escrita/leitura;
Tornar(-se) alfabetizado

Alfabetismo

Estado ou função que assume aquele que sabe ler e escrever. Capacidades de (desenvolvimento de) de leitura e escrita.

(SOARES, 2003)

Débora Ferreira Vieira
(PIBID Letras/UFMS)

Tamires Dantas Pereira Cândido
(PIBID Letras/UFMS)

Alfabetização e Alfabetismo
Multiletramentos
O conceito de multiletramentos aponta para [...] a multiplicidade cultural das populações e a multiplicidade semiótica de constituição dos textos por meio dos quais ela se informa e se comunica (ROJO, 2012, p.13) .


1) Análise de fotografias

2) Assistir reportagem "Ditaduras no mundo" - Tv cultura

3) Assistir reportagem "Mapa das ditaduras"

4) Ler fragmentos da obra "O diário de Anne Frank"

5) Assistir trechos do filme "O diário de Anne Frank"

6) Conhecer as caracteríticas do gênero crônica digital

7) Assistir a crônica digital "O tempo"

8) Seguir as dicas, escrever uma crônica utilizando o programa power point e transformar o arquivo em vídeo.


LÉVY, Pierre. Cyberculture. 2.ed. São Paulo, 1999.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital. In: ______; XAVIER, Antônio Carlos (Orgs.). Hipertexto e gêneros digitais. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005.

PACHECO, Denise Gomes. Multiletramento Digital: Práticas de Leitura e Escrita no Século XXI. 2012. Disponível em: <http://www.letras.ufrj.br/poslinguistica/revistalinguistica/wp-content/uploads/2012/09/artigo-32.pdf> Acesso em: 2 dez 2013.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola editorial, 2012.

ROJO, Roxane. Multiletramentos. 2013. Disponível em: <http://prezi.com/pvdzfth_z_og/multiletramentos/> Acesso em: 2 dez 2013.

SOARES, M. B. Letramento – um tema em três gêneros. Belo Horizonte, MG: CEALE/Autêntica, 1998.

SOUZA, Ana Lúcia Silva. Letramentos no ensino médio. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

VILAÇA, M. L. C; ARAÚJO, E. V. F de. Questões de comunicação na era digital: Tecnologia, cibercultura e linguagem. E-scrita/UNIABEU: Nilópolis, v.3, n.2, mai/ago. 2012.

XAVIER, Antônio Carlos dos Santos. Letramento digital e ensino. Disponível em: <http://www.ufpe.br/nehte/artigos/Letramento%20digital%20e%20ensino.pdf>. Acesso: 31/11/2013 às 11:45hs.



www.facebook.com/textoetecnologia.26agosto
Acesse:
www.facebook.com/ticsnaescola
Letramento
Foco em usos e práticas sociais de linguagem que envolvem a escrita de uma ou de outra maneira valorizados ou não valorizados, locais universais ou globais.
Contextos sociais diversos;
Perspectiva sociológica, antropológica e/ou social.

Alfabetismo
Letramento
Multiletramento Digital
(PACHECO, 2012)

4) Levantamento inicial de dados
Tabela 1: Questionário realizado com 36 alunos da Escola Estadual 26 de Agosto sobre as práticas e usos da internet e outras tecnologias.

O crescente aumento na utilização das novas ferramentas tecnológicas (computador, Internet, etc.) na vida social tem exigido dos cidadãos a aprendizagem de comportamentos e raciocínios específicos. [...] Os indivíduos, agora, necessitam dominar um conjunto de informações e habilidades mentais que devem ser trabalhados com urgência pelas instituições de ensino, a fim de capacitar o mais rápido possível os alunos a viverem como verdadeiros cidadãos neste novo milênio cada vez mais cercado por máquinas eletrônicas e digitais. (XAVIER, 2010, p.01).


OS GÊNEROS DIGITAIS E O MULTILETRAMENTO
Gêneros Textuais
Como projeto da pós-modernidade, que parte da perspectiva de pluralidade, ou seja, do princípio de problematizar o homogêneo e o aparentemente simples e uno, a fragmentação de tudo e de todos, o multiletramento digital postula a revisão do conceito de textualidade dada a nova materialidade com que os textos são constituídos; (PACHECO, 2005, p.27)
Gêneros emergentes na mídia virtual
Contínuo dos Gêneros
de Comunicação Digital
Saímos de um modelo de estruturação monomodal (escrita ou fala; veiculação através da voz ou do papel) para o modelo multimodal (hipertexto e utilização simultânea síncrona a assíncrona de cores, sons, formas e imagens em movimento). Dentro desse contexto, todos [...] estão se deparando com a multimodalidade, que passa a ser traço constitutivo do discurso oral e escrito. (PACHECO, 2009, p.)
NOVAS CONCEPÇÕES DE LEITURA
Ao utilizar a Internet para ter acesso a
textos
, é interessante ressaltar que este
texto eletrônico
pode apresentar diferenças em relação ao texto impresso, pois o texto no ambiente
virtual
, além de palavras, também pode utilizar ao mesmo tempo imagens e sons. Desta forma, este conjunto
multissemiótico
de fatores atua para a construção de sentidos. Estes textos que utilizam a tela do computador como espaço de leitura também são chamados de
hipertextos
. (SOARES, 2002; XAVIER, 2010).
O hipertexto permite o leitor “transitar” por meio de diversos textos. Desta forma, o leitor é que irá fazer a seleção dos textos que irá ler. Também neste sentido, o caminho de um leitor dentro de um hipertexto não necessariamente será o mesmo caminho de outro leitor. Esta é a principal diferença entre o hipertexto e os textos impressos. Porém, esta falta de linearidade presente no hipertexto exige do leitor uma maior coerência e consciência ao realizar pesquisas, pois, será o leitor que definirá a estratégia que utilizará para dar sentido e entender o hipertexto. (VILAÇA; ARAÚJO, 2012, p.67).
Por meio dos gêneros textuais, é possível articular uma série de competências que levam à compreensão de um texto, como o conhecimento prévio, a organização textual, os elementos linguísticos e os não-linguísticos. Desta forma, ao se discutir a competência comunicativa no contexto digital, é importante levar em consideração não apenas a utilização da linguagem adequada para o ambiente, mas também as características e elementos que este texto deve possuir, assim como sua navegabilidade e formatação. (VILAÇA; ARAÚJO, 2012, p.68)
O letramento é necessário na realização de práticas sociais para que o indivíduo seja capaz de compreender o que lê e para que possa se expressar em diferentes contextos por meio de linguagem adequada, inclusive no contexto digital. As práticas nesse contexto são de grande importância social, passando a ser uma espécie de sobrevivência do indivíduo em uma sociedade letrada;

O uso de TIC´s não pode se restringir à educação à distância e deve ser incorporado à educação básica regular, assim como se sucedeu na
Oficina de Texto e Tecnologia
;



(MARCUSCHI,
apud
PACHECO, 2012, p.20)
Neste trabalho utilizou-se
textos multimodais
, a partir dos quais os alunos foram convidados a
(re)pensar
a noção
tradicional de

leitura
e a perceber que estamos cercados por diversas
modalidades de textos
. Sendo assim, a sequência dividiu-se em três etapas:

(MARCUSCHI,
apud
PACHECO, 2012, p.20)
Animações
Stop Motion
Animes
Remixes
Mashups


Videoclipes
Fanclips
Fanfics
Etc.

MULTILETRAMENTOS NO ENSINO
1) Exige preparo do professor;

2) Demanda apoio da escola/governo com a disponibilização de materiais, recursos para possibilitar a incorporação de tic´s ao planejamento das aulas.
1) Enriquece metodologicamente as aulas, pode resgatar e valorizar conhecimentos e habilidades que os alunos já possuem servindo, então, de ponte para a aquisição de novos conteúdos;

2) Requer um trabalho pedagógico voltado para a reflexão acerca de tais tecnologias e de suas práticas discursivas.
Full transcript