Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Movimento Pau Brasil

No description
by

on 27 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Movimento Pau Brasil

Movimento Pau Brasil
O modernismo no Brasil
A Semana de Arte Moderna (1922) é considerada o marco inicial do Modernismo brasileiro.

A Semana ocorreu entre 13 e 18 de fevereiro de 1922, no Teatro Municipal de São Paulo, com participação de artistas de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Os modernistas ridicularizavam o parnasianismo, movimento artístico em voga na época que cultivava uma poesia formal. Propunham uma renovação radical na linguagem e nos formatos, marcando a ruptura definitiva com a arte tradicional. Cansados da mesmice na arte brasileira e empolgados com inovações que conheceram em suas viagens à Europa, os artistas romperam as regras preestabelecidas na cultura.
A primeira fase do Modernismo
O movimento modernista no Brasil contou com duas fases: a primeira foi de 1922 a 1930 e a segunda de 1930 a 1945. A primeira fase caracterizou-se pelas tentativas de solidificação do movimento renovador e pela divulgação de obras e ideias modernistas.

Várias obras, grupos, movimentos, revistas e manifestos ganharam o cenário intelectual brasileiro, numa investigação profunda e por vezes radical de novos conteúdos e de novas formas de expressão.
Manifesto Pau-Brasil, de Oswald de Andrade
O Movimento Pau-Brasil foi um movimento artístico lançado no Brasil em 1924 por Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral que apresentava uma posição primitivista, buscando uma poesia ingênua, de redescoberta do mundo e do Brasil e que foi inspirada nos movimentos de vanguarda europeus, devido às viagens que Oswald fazia à Europa.
As preocupações principais do movimento
Expor ao ridículo as posturas solenes e as formas gastas;
Diminuir a escrita empolada;
Acabar com a sujeição aos modelos europeus (explorar assuntos nacionais);
Abolir a barreira tradicional entre a poesia e prosa;
Valorizar a invenção e a surpresa.
Quadro ícone do Manifesto e Movimento Pau-Brasil,
Entre os fatos mais importantes, destacam-se a publicação da revista Klaxon, lançada para dar continuidade ao processo de divulgação das ideias modernistas, e o lançamento de quatro movimentos culturais: o Pau-Brasil, o Verde-Amarelismo, a Antropofagia e a Anta.
Jogral - Manifesto Pau-Brasil – Oswald de Andrade – Publicado em 1924
Em suma o movimento
Este movimento elogiava o progresso e a época em que Oswald de Andrade vivia, ao mesmo tempo em que criticava os discursos vazios dos intelectuais que não possuíam significado para o povo.

Os trabalhadores - Tarsila do Amaral
ETEC Armando Bayeux da Silva
Beatriz Moraes
Ellen Alves
Heitor Simonetti
Larissa Messias
Nathalia Miranda
LITERATURA
3 º ano C - 2015
Professora Auriane
Questões - Gabarito
1 - A : O equívoco desta afirmação se dá porque apesar de o manifesto Verde-Amarelo ter surgido em seguida do movimento Pau-Brasil, o mesmo confrontava as ideias deste. Além disso, o objetivo não era dar continuidade ao Romantismo, já que foi um movimento modernista, decorrente da Semana de Arte Moderna, seu objetivo era, através de textos patrióticos e ufanistas, exaltar e idealizar o país. Nesta realidade, o homem português (europeu) jamais poderia ser idealizado como herói nacional, já que o movimento buscava uma identidade nacional brasileira.

2 - C: A imitação do discurso dos autores populares da literatura oral brasileira.

3- Diminuir a escrita empolada, acabar com a sujeição aos modelos europeus, abolir a barreira entre a poesia e a prosa e valorizar a invenção e a surpresa.

4 - A : Modernismo : criticava a sociedade como ela era.

5- Alternativas corretas: 1,8,16 = 25.

6- A: Modernismo.
O lado doutor. Fatalidade do primeiro branco aportado e dominando politicamente as selvas selvagens. O bacharel. Não podemos deixar de ser doutos. Doutores. País de dores anônimas, de doutores anônimos. O Império foi assim. Eruditamos tudo. Esquecemos o gavião de penacho.

A língua sem arcaísmos, sem erudição. Natural e neológica. A contribuição milionária de todos os erros. Como falamos. Como somos.
Não há luta na terra de vocações acadêmicas. Há só fardas. Os futuristas e os outros.
Uma única luta – a luta pelo caminho. Dividamos: Poesia de importação. E a Poesia Pau-Brasil, de exportação.

Houve um fenômeno de democratização estética nas cinco partes sábias do mundo. Instituíra-se o naturalismo. Copiar. Quadros de carneiros que não fosse lã mesmo, não prestava. A interpretação no dicionário oral das Escolas de Belas Artes queria dizer reproduzir igualzinho… Veio a pirogravura. As meninas de todos os lares ficaram artistas. Apareceu a máquina fotográfica. E com todas as prerrogativas do cabelo grande, da caspa e da misteriosa genialidade de olho virado – o artista fotógrafo.


Qualquer esforço natural nesse sentido será bom. Poesia Pau-Brasil
O trabalho contra o detalhe naturalista – pela síntese; contra a morbidez romântica – pelo equilíbrio geômetra e pelo acabamento técnico; contra a cópia, pela invenção e pela surpresa.
Uma nova perspectiva.

A Poesia Pau-Brasil é uma sala de jantar domingueira, com passarinhos cantando na mata resumida das gaiolas, um sujeito magro compondo uma valsa para flauta e a Maricota lendo o jornal. No jornal anda todo o presente.
...
Apenas brasileiros de nossa época. O necessário de química, de mecânica, de economia e de balística. Tudo digerido. Sem meeting cultural. Práticos. Experimentais. Poetas. Sem reminiscências livrescas. Sem comparações de apoio. Sem pesquisa etimológica. Sem ontologia.

OSWALD DE ANDRADE
(Correio da Manhã, 18 de março de 1924.)
O mundo e o Brasil durante o movimento
*O Brasil vivia os últimos anos da República Velha;

*Política Café com Leite;

*1ª Guerra Mundial;

*Crise Bolsa de Valores de Nova Iorque.

*Imigrantes vinham ao Brasil para substituir a mão-de-obra dos ex-escravos e também para ocupar os postos de trabalho nas indústrias;

*A eleição de 1922 ocorre em meio a grave crise econômica e, contrariando a norma da República do Café-com-leite, polariza-se entre as candidaturas de Artur Bernardes (representante das oligarquias de São Paulo e Minas Gerais) e Nilo Peçanha (representante das oligarquias de Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul).
* Revolta dos militares do Forte de Copacabana, em 5 de julho de 1922

*5 de julho de 1924, dois anos após os acontecimentos de Copacabana, estoura uma revolução em São Paulo;

*Alguns meses depois, no Rio Grande do Sul, o capitão Luís Carlos Prestes liderou gaúchos que enfrentaram alguns combates em prol dos ideais comunistas;

*O período de 1922 a 1930 é o mais radical do movimento modernista

*A situação política e social brasileira é de aparente calma com a eleição de Washington Luís para sucessor de Artur Bernardes. Mas, na realidade, o país caminhava para o fim desse período de convulsões sociais com a ocorrência da Revolução de 1930 e a ascensão de Getúlio Vargas ao poder, iniciando-se uma nova era da história brasileira.

Estrada de Ferro Central do Brasil - Tarsila do Amaral, 1924.
O quadro A realidade
X
Full transcript