Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Simbolismo

Introdução, contexto histórico, análise de poemas, imagens e músicas relativas ao Simbolismo
by

Andre Gazola

on 1 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Simbolismo

Simbolismo Salomé dançando diante de herodes Gustave Moreau A AParição Gustave Moreau As obras evocam uma natureza mística e etérea. Que elementos de cada obra confirmam essa afirmação? Contexto Histórico Excesso de bens industrializados, como consequência da Rev. Industrial, produzidos por Inglaterra, Alemanha, França e Rússia. Disputa, por esses países, pelos espaços econômicos e políticos da África e da Ásia. Instauração de um clima de guerra que culminaria com a 1ª Guerra Mundial. Correspondências Como os ecos lentos que a distância se matizam
Numa vertiginosa e lúgubre unidade,
Tão vasta quanto a noite e quanto a claridade,
Os sons, as cores e os perfumes harmonizam-se. Charles Baudelaire Decadentismo Racionalismo científico entra em crise, refletindo a desilusão dos artistas diante do mundo em que vivem. A ideia de progresso é uma ilusão que leva o ser humano à constante infelicidade. Características do texto literário Nefelibata Sinestésico "Que vive nas nuvens", ou seja, idealista e subjetivo em excesso. Efeito subjetivo produzido pela percepção de sensações que envolvam mais de um sentido ao mesmo tempo. (parte 1) A Natureza é um templo vivo em que os pilares
Deixam filtrar não raro insólitos enredos;
O homem o cruza em meio a um bosque de segredos
Que ali o espreitam com seus olhos familiares.

Como ecos longos que à distância se matizam
Numa vertiginosa e lúgubre unidade,
Tão vasta quanto a noite e quanto a claridade,
Os sons, as cores e os perfumes se harmonizam.

Há aromas frescos como a carne dos infantes,
Doces como o oboé, verdes como a campina,
E outros, já dissolutos, ricos e triunfantes,

Com a fluidez daquilo que jamais termina,
Como o almíscar, o incenso e as resinas do Oriente,
Que a glória exaltam dos sentidos e da mente. Correspondências Charles Baudelaire Quais são as relações apresentadas entre perfume e sons, no poema? Pode-se afirmar que há sinestesia nesse poema? Por quê? Em que momento o estilo nefelibata fica evidente? Características do texto literário (parte 2) Musicalidade A ideia é transcender a realidade dos fatos, atingindo algo abstrato, intangível. A música impressionista de Debussy é influência marcante. Antes de tudo, a Música. Preza
Portanto o Ímpar. Só cabe usar
O que é mais vago e solúvel no ar,
Sem nada em si que pousa ou que pesa.

Pesar as palavras será preciso,
Mas com algum desdém pela pinça:
Nada melhor do que a canção cinza
Onde o Indeciso se une ao Preciso.

Uns belos olhos atrás do véu,
o lusco-fusco no meio-dia,
a turba azul de estrelas que estria
O outono agônico pelo céu!

Pois a nuance é que leva a palma,
Nada de Cor, somente a nuance!
Nuance, só, que nos afiance
O sonho ao sonho e a flauta na alma!

Foge do Chiste, a Farpa mesquinha,
Frase de espírito, Riso alvar,
Que o olho do Azul faz lacrimejar,
Alho plebeu de baixa cozinha!

A eloqüência? Torce-lhe o pescoço!
E convêm empregar de uma vez
A rima com certa sensatez
Ou vamos todos parar no fosso!

Quem nos dirá dos males da rima!
Que surdo absurdo ou que negro louco
Forjou em jóia este toco oco
Que soa falso e vil sob a lima?

Música ainda, e eternamente!
Que teu verso seja vôo alto
Que se desprende da alma no salto
para outros céus e para outra mente.

Que teu verso seja a aventura
Esparsa ao árdego ar da manhã
Que enchem de aroma o timo e a hortelã...
E todo o resto é literatura. Arte poética Paul Verlaine Por que o poema de Verlaine se chama "Arte poética"? Segundo o poema, que elemento deve ser privilegiado, ante os demais, no momento de compor um poema? Como é possível interpretar os versos: "Nada melhor do que a canção cinza/Onde o Indeciso se une ao Preciso."? Quando o eu-lírico do poema se coloca contra a eloquência e a rima artificiosa, está aludindo ao fazer poético de um grupo de artistas de seu tempo, do qual Verlaine não participa. Que grupo é esse? Por que ele faz tal crítica? Características do texto literário (parte 3) Vagueza Misticismo Negação da objetividade. Mistura de diversas imagens. O etéreo e o místico são alvos da poesia Simbolista. Nada é científico ou exato. Tenda de Estrelas níveas, refulgentes,
Que abris a doce luz de alampadários,
As harmonias dos Estradivarius
Erram da Lua nos clarões dormentes...

Pelos raios fluídicos, diluentes
Dos Astros, pelos trêmulos velários,
Cantam Sonhos de místicos templários,
De ermitões e de ascetas reverentes...

Cânticos vagos, infinitos, aéreos
Fluir parecem dos Azuis etéreos,
Dentre os nevoeiros do luar fluindo...

E vai, de Estrela a Estrela, a luz da Lua,
Na láctea claridade que flutua,
A surdina das lágrimas subindo... Música Misteriosa Cruz e Souza De que forma aparecem as ideias de etéreo e místico, nesse poema? Características do texto literário (parte 4) Sugestividade Ao invés de descrever diretamente, os poetas vão sugerindo lentamente as imagens, para o próprio leitor imaginá-las. Exercícios: Livro 3D, página 21 a 25 Apenas nº 2, 3, 5, 12, 16, 17, 18 Arthur Schopenhauer
Full transcript