Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

Priscila Garcia

on 2 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

Documentos de Identidade
Uma introdução às teorias do currículo.
Tomaz Tadeu da Silva

O currículo como política cultural: Henry Giroux
Fundamenta-se no currículo de resistência para desenvolver a TEORIA CRÍTICA alternativa sobre a pedagogia e o currículo.
Há mediações e ações no nível da escola e do currículo que podem fazer frente ao poder e ao controle.
Pedagogia do oprimido versus
pedagogia dos conteúdos

O que ensinar? O que significa conhecer?
Pedagogia do Oprimido
Conceito de educação bancária

O educador é o sujeito, conduz os educandos à memorização mecânica do conteúdo narrado.(p.PEDAGOGIA DO O PRIMIDO)

O saber é uma doação dos que julgam sábios aos que julgam nada saber.(p.58)

O currículo como construção social: a "nova sociologia da educação"
Livro: Knowledge and Control (1971) - Michael Young (Org.)
P. H. Hirst e R. S. Peters
Discentes:
Érika Patrícia
Filipe Antônio
Jessica Priscila

Currículo e Programas
Janssen Felipe

- Movimento histórico do estudioso: das análises educacionais para as culturais.

- Aqui, foco na sua primeira fase.

- A partir da Escola de Frankfurt, crítica a racionalidade técnica e utilitária e ao positivismo das perspectivas dominantes sobre o currículo.

- Currículo e reprodução das desigualdades e injustiças sociais

- Crítica às analises fenomenológicas de currículo, pela ausência de ênfase sobre as formas como as construções de significado se desenvolvem na escola e no currículo e sobre as relações sociais mais amplas de controle de poder.

É possível canalizar o potencial de resistência dos estudantes e educadores para desenvolver uma pedagogia e um currículo com conteúdo politico e crítico da sociedade dominante.
Conceitos- chave na concepção emancipadora do currículo:
esfera publica
intelectual
transformador,
voz.
Esfera pública ( ancoragem em harberman): escola e currículo como esfera política democrática
Professores como intelectuais transformadores ( ancoragem no conceito Gramsciano de intelectual orgânico): não como técnicos, mas como críticos e questionadores, agem em favor da emancipação e da libertação.
Voz ( conceito de fase intermediária da sua obra): construção de um espaço de escuta e consideração aos anseios dos estudantes.

Influência de Paulo freire

Currículo como política cultural, na medida em que envolve a construção de significados e valores culturais e sociais, os quais se articulam as relações sociais de poder e desigualdade.

Significado em disputa: a um só tempo impostos e contestados .

A crítica do currículo:
Estados Unidos
Inglaterra
referência nas perspectivas tradicionais
referência na "antiga" sociologia
"Antiga" sociologia
Empírica
Estatística
Chamada pelos críticos de "Sociologia Aritmética".
Variáveis de entrada: classe social, renda, situação familiar
Variáveis de saída: resultados dos teste escolares, sucesso ou fracasso escolar.
Reunia ensaios de Young, Bourdieu e Bernstein
Autores ligados ao Instituto de Educação da Universidade de Londres.
"Nos termos da NSE, a preocupação (do currículo) era com o processamento de pessoas e não com o processamento do conhecimento."
Tomaz Tadeu Silva, 2005, p. 65
Currículo centrado no desenvolvimento do pensamento conceitual.
Perspectiva num conhecimento universalista, conceptual e abstrato.
Desnaturalizar as categorias curriculares, pedagógicas e avaliativas
Para a NSE não interessa saber qual conhecimento é verdadeiro ou falso, e sim o que CONTA como conhecimento.
A NSE não se preocupa em elaborar propostas alternativas de currículo.
Young, Bourdieu e Bernstein
X
Geoffrey Esland e Nell Keddie
Estruturalismo
Fenomenologia sociológica e interacionismo simbólico.
As formas de organização do currículo.
Análise de quais os princípios de estratificação e de integração que governam a organização do currículo.
Visão objetivista do conhecimento pressuposta nas perspectivas tradicionais sobre o currículo.
Conhecimento organizado em "zonas"
O currículo não pode ser separado do ensino e da avaliação.
Conhecimento construído subjetivamente entre professor e alunos.
Referências bibliográficas:

Documentos e Identidades

Pedagogia do Oprimido

Tomaz Tadeu da Silva

Paulo Freire
Educaçao como prática de liberdade (1967)


Ideologia do ¨desenvolvimento¨
Análise da formação social brasileira
Revolução
teoria educacional
crítica
processo de dominação
crítica à escola tradicional
O educador é o que pensa; os educandos os pensados.( p.59)
O educador escolhe o conteúdo programático, os educandos jamais ouvidos nesta escolha, se acomodam a ele;
• Comunicação unilateral
• Cultura do silencio
• Currículo tradicional

Educação problematizadora
Conhecimento é sempre intencionado sempre dirigido a algo
Intercomunicação
Intersubjetividade
Todos os sujeitos estão ativamente envolvidos no ato do conhecimento.

¨Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo .¨(p.68)

Currículo

"conteúdos" "conteúdos programáticos"
Diálogo com a visão de mundo
participação
educandos
Comparar com Tyler
Temas Geradores
codificação descodificação
realidade do sujeito
Currículo tradicional humanista clássico:
Educação dos grupos dominantes.

Currículo pós-colonialista:
insistir que os dominados detinham o conhecimento de dominação que os grupos dominantes não podiam ter.
X
Pedagogia crítico-social dos conteúdos - Saviani
A tarefa de uma pedagogia crítica é transmitir os conhecimentos universais que são considerados como patrimônio da humanidade e não dos grupos sociais que deles se apropriam.
O conhecimento é um outro poder.
A perspectiva currícular inspirada pelo programa da NSE deveria buscar construir um currículo que refletisse as tradições culturais e espistemológicas dos grupos subordinados e não apenas dos grupos dominantes.
O prestígio e a influência da NSE, que tinham sido excepcionalmente grandes até o ínicio da década de oitenta, diminuiu bastante a partir daí.

A teorização crítica da educação dissolvida em várias perspectivas analíticas e teóricas: feminismo; estudos sobre gênero, raça e etnia; estudos culturais; pós-modernismo; pós-estruturalismo.
A ideia inicial da NSE, representada na noção de "construção social", continua, entretanto, atual e importante. Ela encontra continuidade, por exemplo, nas análises do currículo que hoje são feitas com inspiração nos Estudos Culturais e Pós-estruturalismo.
Em relação à concepção curricular crítica, em que consiste as principais ideias de Giroux e Freire?


Full transcript