Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Torniquete

No description
by

Eduardo Rothstein Alves

on 17 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Torniquete

TORNIQUETE
Comprovado sua eficiência em diversos casos, o Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões, coloca tal procedimento como uma das alternativas para contenção de graves hemorragias, no entanto, não descartou os riscos de sua utilização, quando utilizado sem supervisão. O torniquete agora poderá ser utilizado como uma das técnicas de contenção de hemorragias. O Manual do PHTLS – 7ª edição - cita diversas recomendações, para o seu uso, dentre as quais:
Já sobre o limite de tempo, os torniquetes arteriais podem ser usados com segurança por até 120 a 150 minutos na sala de cirurgia, sem lesões nervosas ou musculares significantes. Até mesmo em ambientes suburbanos ou rurais, muitas vezes o tempo de transporte do doente até o hospital é bem menor do que esse período. Em geral, um torniquete colocado no atendimento pré-hospitalar deve permanecer até que o doente chegue ao local do tratamento definitivo no hospital mais próximo. Estudos militares não mostraram a ocorrência de deterioração significativa associada ao uso prolongado.
Protocolo para Aplicação de Torniquete
Introdução
Os procedimentos operacionais do atendimento pré-hospitalar, permanentemente são atualizados por médicos especialistas em todas as áreas, como por exemplo a Associação Americana do Coração, que a cada dois anos atualiza seus protocolos. Portanto, a área de trauma não é diferente. A última edição do PHTLS (7ª Ed) – Prehospital Trauma Life Support, elaborado pela Nacional Associação of Emergency Medical Technicians (NAEMT) em cooperação como Comitê de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões, nos apresenta o resultado de uma pesquisa que já vinha ocorrendo desde a guerra do Iraque, sobre a utilização de torniquete nos ferimentos em MMII e MMSS, quando as técnicas de pressão direta, ponto de pressão e elevação, não forem suficientes para conter o sangramento.
Devem ser evitados torniquetes estreitos e em faixa. Torniquetes mais largos são mais eficazes no controle de hemorragias, uma vez que controlam a hemorragia numa pressão mais baixa. Há uma relação inversa entre a largura do torniquete e a pressão necessária para ocluir o fluxo arterial. Além disso, uma faixa muito estreita também tem maior probabilidade de causar danos às artérias e aos nervos superficiais. O manguito do esfigmomanômetro representa uma alternativa e pode ser usado como torniquete, embora o ar possa vazar do cuff, reduzindo sua eficácia.
Sobre o local de aplicação, o torniquete deve ser aplicado imediatamente proximal ao ferimento hemorrágico. Caso um torniquete não interrompa, completamente, a hemorragia, então, outro deve ser colocado, imediatamente proximal ao primeiro. A seguir, o local do torniquete não deve ser coberto, para que possa ser facilmente visualizado e monitorado quanto a recidivas da hemorragia. Quanto a força da aplicação do torniquete, as novas recomendações do PHTLS diz que ele deve ser apertado o suficiente para bloquear o fluxo arterial e ocluir o pulso distal. Um torniquete que oclua apenas a saída do fluxo venoso do membro ira, na verdade, aumentar a hemorragia causada pelo ferimento. Há uma relação direta entre a intensidade da pressão necessária para controlar a hemorragia e o tamanho do membro. Dessa maneira, na média, o torniquete terá de ser colocado mais apertado na perna para se controlar a hemorragia do que no braço.
1.Tentativas de controle da hemorragia por pressão direta ou com curativo compressivo não obtiveram sucesso.

2. O torniquete é ajustado até que a hemorragia cesse, e, então, é fixado no lugar.

3. A hora em que o torniquete foi aplicado é escrita em um pedaço de esparadrapo, que é colocado no torniquete.

4. O torniquete deve ficar descoberto para que o local possa ser monitorado quanto a uma recindiva da hemorragia. Caso a hemorragia continue após a colocação e ajuste do torniquete, um segundo torniquete pode ser aplicado, imediatamente acima do primeiro.

5. O ideal é que o paciente seja transportado para um hospital com instalações cirúrgicas.
Full transcript