Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Epistemologia

No description
by

ludmilla pereira da silva

on 9 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Epistemologia

Epistemologia
Augusto Comte ( 1798 - 1857)
Behaviorismo
Pavlov ( 1849 - 1936)

Racionalismo
Descartes (1566 - 1650)
Empirismo
Locke (1632 - 1704)
O que é o conhecimento? Como conhecemos?
Qual a origem do conhecimento?
Aulas ministradas por professores partem do senso comum.
Existe a necessidade de superar o senso comum buscando uma consciência crítica do fazer pedagógico!
Teoria do conhecimento:
investigar a relação entre o sujeito que conhece e o objeto conhecido.
Também chamada de epistemologia, do grego episteme, "ciência" e gnosiologia, do grego gnose, "conhecimento".
Começou a ser estudado na Antiguidade e na Idade Média, mas só na Idade Moderna (Séc. XVII) se constituiu em uma disciplina independente.
Idéias inatas, de onde vem as idéias? Busca da verdade primeira. Idéias que não partem de experiências, mas que já se encontra no espírito humano.
"Penso, logo existo".
Idealismo e subjetivismo: a realidade se encontra primenro no espírito, na razão, no sujeito e depois apresenta na forma de idéias. (Inatismo)
Do grego empería, "expêriencia". Criticou as idéias inatas de Descartes ao afirmar que a alma é como uma "tábua rasa", pois o conhecimento só começa após a experiência sensível.
Existem duas fontes das nossas idéias: a sensação e a refleção. A reflexão se reduz á expêriencia interna e resulta da expêriencia externa produzida pela sensação.
Comparando Racionalismo e Empirismo:
Locke destaca o papel do objeto e Descartes enfatiza o papel do sujeito! Não significa que o empirismo desprese a razão, mas a subordina ao trabalho anterior a expêriencia. Não significa também que o racionalismo exclua a expêriencia sensível, mas apenas a considera ocasião do conhecimento, sujeito a enganos.
Positivismo
Amplia o empirismo. O "estado positivo" é o ponto mais alto da maturidade do espírito humano. O conhecimento científico se sobrepõe a outras formas de conhecimento, tais como, a religião e a filosofia.
(Final do séc. XIX, começo do séc. XX)
Empirismo + Positivismo
Naturalismo
Durkheim ( 1858 - 1917)
Partindo do presuposto metodológico de que os fatos sociais devem ser observados como se fossem coisas.
John B. Watson ( 1878 - 1958)
Skinner ( 1904 - 1990)
O princípio do condicionamento baseia-se no "associacionismo", qua diz que a aprendizagem se faz quando associamos dois estímulos, em que um deles funciona como reforçador (positivo ou aversivo) de determinada resposta.
Skinner
aperfeiçoou os estudos do condicionamento clássico ou pavloviano e estabeleceu as leis do condicionamento instrumental ou skinneriano.

"Caixa de Skinner"
Skinner inventou a "instrução programada", na qual o texto é composto de níveis crescentes de dificuldade, com uma série de espaços em branco, que devem ser preenchidos pelos alinos. E também a "máquina de ensinar", que propunha subistituir o professor em várias etapas da aprendizagem.
Problemas
Se as idéias eram inatas, devem ser atemporaris, portanto, permatentes. Como explicar a mudança no tempo e espaço?
Se o conhecimento parte da expêriencia, como considerar as sensações individuais e portanto particulares e subjetivas? Elas podem levar a um senso comum?
Fenomenologia
Séc. XVIII com Leibniz (1646 - 1716) e Kant (1724 - 1804)
Séc. XIX com Heigel (1770 - 1931) e Marx (1918 - 1983)
Séc. XX com Husserl (1859 - 1938)
Influenciou a psicologia da forma (Gestalt) e a filosofia de Merleau - Ponty.
São concepções
direferentes, mas ambas tem em comum o fato de considerar insuficiente as posições unilaterais do empirismo e do inatismo. Estabelecem uma relação intrínseca entre sujeito e objeto.
Alguns aspectos da fenomenologia tem a noção básica de intencionalidade.

Ao contrário do que os inatistas dizem: a consciência é intencional, pois, não há consciência pura separada do mundo, toda consciência TENDE para o mundo, toda consciência é consciência de alguma coisa.
Ao contrário do que os empiristas dizem: não há objeto em si, já que o objeto só existe para um sujeito que lhe dá significado.
Ao contrário do que os positivistas dizem: reconhecem que não nos encontramos diante de fatos e coisas, nem percebemos o mundo como um dado bruto, desprovido de significado. O mundo é sempre um mundo para uma consciência, daí a importancia do sentido.
Gestalt ou
psicologia da forma
Köhler (1887 - 1967)
Critica as psicologias associacionistas, pois, inicialmente se percebe a totalidade e só se ocupam dos detalhes posteriormente.
Psicologia genética
Jean Piaget (1896 - 1980)
Também critica a psicologia associacionista, pois, as questões epistemológicas os levaram a concluir que o desenvolvimento da inteligência ocorre por estágios sucessivos caracterizado por um processo evolutivo e construtivista.
As teorias pedagógicas cujos pressupostos epistemológicos pretendem superar as tendências racionalistas e empiristas são conhecidas como
"interacionistas"
e
"construtivistas"
. Podemos citar as inspiradas em Piaget, Paulo Freire, Vigotsky, Gramsci, Wallon e outros.
Interacionista
O conhecimento é concebido como resultado da interação entre o sujeito e o objeto, portanto, o ato de conhecer é dinâmico.

Os polos sujeito-objeto, pessoa-mundo, professor-aluno encontram-se integrados e inter-relacionados, sem que se enfatize um lado.
Nova tendência, dentro da dialética, é a categoria de "totalidade", pela qual, o todo predomina sobre as partes que constituem.
Significa que as coisas estão em constante relação recíproca e que nenum fenômeno da natureza ou do pensamento pode ser compreendidos isoladamente, separados dos fenômenos que o rodeiam.
Full transcript