Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

RCNEI, volume 3: Conhecimento de mundo

No description
by

Carmen Júlia Ananias

on 25 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of RCNEI, volume 3: Conhecimento de mundo

Apresentação
"A organização do REFERENCIAL possui caráter instrumental e didático, devendo os professores ter consciência, em sua prática educativa, que a construção de conhecimentos se processa de maneira integrada e global e que há inter-relações entre os diferentes eixos a sugeridos trabalhados com as crianças. [...] O REFERENCIAL é um guia de orientação que deverá servir de base para discussões entre profissionais de um mesmo sistema de ensino [...], na elaboração de projetos educativos singulares e diversos" (BRASIL, 1997, p.7)
Música
Presença da música na Educação Infantil:

A música é uma importante forma de expressão humana. Por isso ela é importante para a educação de modo geral.
A música na Educação Infantil atende a vários objetivos, porém muitas vezes contrários ao que se deve realmente ser trabalhado na música.
Muitas instituições encontram dificuldades para integrar a linguagem musical no contexto musical.
Na escola a música é tratada como se fosse um produto pronto que se aprende apenas a reproduzir, e não uma linguagem cujo conhecimento se constitui.

Artes Visuais
"As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentido a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade [...]". (BRASIL, 1997, p. 85).
Presença da arte e ideias e práticas
Descompasso em relação as atividades da arte: práticas de arte entendidas como mero passatempo.
Datas comemorativas;
Folhas mimeografadas.

Movimento da Educação através da Arte:
Desenvolvimento X "Um deixar fazer"
Linguagem oral e escrita

Introdução

A Educação Infantil se constitui em um dos espaços de ampliação das capacidades de comunicação e expressão e de acesso ao mundo letrado pelas crianças. Essa ampliação está relacionada ao desenvolvimento gradativo das capacidades associadas às quatro competências lingüísticas básicas: falar, escutar, ler e escrever. Assim sendo a aprendizagem da linguagem oral e escrita é um dos elementos importantes para as crianças ampliarem suas possibilidades e de inserção e de participação nas diversas práticas sociais.

Movimento
INTRODUÇÃO

"O movimento é um importante dimensão do desenvolvimento e da cultura humana.” pag.15

“Ao movimentar-se, as crianças expressam sentimentos, emoções e pensamentos, ampliando possibilidades do uso significativo de gestos e posturas corporais.” pag. 15

“Ao brincar, jogar, imitar e criar ritmos e movimentos, as crianças também se apropriam do repertório da cultura corporal na qual estão inseridas.” RECNEI, pag 15.

RCNEI, volume 3: Conhecimento de mundo
Conteúdos
Fazer musical
Apreciação musical

Crianças de 0 a 3 anos
Exploração, expressão e produção de sons através da voz, do corpo e de materiais sonoros variados.
Interpretação de músicas e canções diversas.
Participação em brincadeiras e jogos cantados e rítmicos.

Orientações didáticas
A prática musical deverá ocorrer por meio de atividades lúdicas.
O professor deve cantar músicas para os bebês, pois isso contribui para o desenvolvimento da percepção e atenção.
Produzir sons vocais diversos por meio da imitação de vozes de animais e ruídos.
As canções de ninar tradicionais, as rodas e cirandas, os jogos com movimentos, as brincadeiras com palmas e gestos sonoros corporais. Podem favorecer a interação e a resposta dos bebês.

Objetivos
Objetivos de 0 a 3 anos

“Ouvir, perceber e discriminar eventos sonoros diversos, fontes sonoras e produções musicais; brincar com a música, imitar, inventar e reproduzir criações musicais”. (RCNEI, 1998, p.55).

Objetivos de 4 a 6 anos

“Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo; perceber e expressar sensações, sentimentos e pensamentos, por meio de improvisações, composições e interpretações musicais”. (RCNEI, 1998, p.55).

Objetivos
Crianças de zero a três anos:

Familiarizar-se com a imagem do próprio corpo;
Explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação;
Deslocar-se com destreza progressiva no espaço ao andar, correr, pular etc., desenvolvendo atitude de confiança nas próprias capacidades motoras;
Explorar e utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento etc., para o uso de objetos diversos.

Avaliação
A avaliação na área da música deve ser continua, levando em consideração processos vivenciados pelas crianças.
Deve ser uma forma que possibilite a reorganização dos objetivos, conteúdos, procedimentos, e como meio de acompanhar e conhecer cada criança e o grupo.
Deve-se basear na observação e registros.
A avaliação tem um caráter instrumental para o adulto e incide sobre os progressos apresentados pelas crianças.

Toda a produção artística da criança revela o local e a época histórica em que vive, pois suas expressões são influenciadas pelo meio em que vive.
Três aspectos da Arte
Fazer artístico;
Apreciação;
Reflexão.

O trabalho com as Artes visuais favorecem:
Imaginação;
Percepção;
Intuição;
Cognição.
Visando o desenvolvimento das capacidades criativas da criança.
Importância do desenho
Objetivos
Crianças de zero a três anos:
Ampliar o conhecimento de mundo;
Utilizar diversos materiais.
Crianças de quatro a seis anos:
Interessar-se pelas próprias produções;
Produzir trabalhos de arte, utilizando diversas linguagens.
Conteúdos
FAZER ARTÍSTICO:

Crianças de 0 a 3 anos

Crianças de 4 a 6 anos
Apreciação em Artes visuais
Crianças de 0 a 3 anos;

Crianças de 4 a 6 anos.
Orientações gerais para o professor
A ação educativa do professor terá maior qualidade ao garantir que:
a criança possa compreender e conhecer a diversidade da produção artística;
Possibilidade de uso de diferentes materiais;
Prazer lúdico seja o gerador das atividades;
Valorização da ação artística;
Arte compreendida como linguagem.
Organização do tempo
Atividades permanentes;

Sequências de atividades;

Projetos.
Observação, Registro e Avaliação Formativa
Presença do movimento na educação infantil: Ideias e praticas correntes.
“ A diversidade de praticas pedagógicas que caracterizam o universo da educação infantil reflete diferentes concepções ligadas ao movimento no cotidiano das creches, pré-escolas e instituições.” pag. 18
“ A impossibilidade de mover-se ou de gesticular pode dificultar o pensamento e manutenção da atenção.” pag. 18
“ Berçário exemplo de prática de estimulação individual de bebês, que ficam confinados longo período nos berços.” pag. 19
“ É importante que as práticas pedagógicas incorpore a expressividade e a mobilidade próprias da criança.” pag.19

A criança e o movimento: Primeiro ano de vida
“ Fase onde se predomina a autopercepção do movimento, pois são as emoções o canal privilegiado de interação do bebê com o adulto, com a expressões cada vez mais cheias de sentidos.” pag. 21

É grande o tempo que os bebês se dedicam a explorar o próprio corpo pegando os pés, por exemplo.
Criança de um a três anos
A criança fica encantada quando descobre sua nova capacidade que é o andar, poder-se deslocar do lugar, correr pular, saltar.”

Criança de quatro a seis anos
"Fase onde se exigem coordenação de vários segmentos motores.”
“ Gradativamente, o movimento começa a submeter-se ao voluntário, o que se reflete na capacidade de planejar e antecipar ações.”

Crianças de 4 a 6 anos
Crianças de quatro a seis anos:
• ampliar as possibilidades expressivas do próprio movimento;

• explorar diferentes qualidades e dinâmicas do movimento,

• controlar gradualmente o próprio movimento, aperfeiçoando seus recursos de deslocamento e ajustando suas habilidades motoras
• utilizar os movimentos de preensão, encaixe, lançamento etc. Para ampliar suas possibilidades de manuseio dos diferentes materiais e objetos;
. apropriar-se progressivamente da imagem global de seu corpo, conhecendo e identificando seus segmentos e elementos e desenvolvendo cada vez mais uma atitude de interesse e cuidado com o próprio corpo.

Conteúdos

Expressividade
- A organização dos conteúdos para o trabalho com movimento deverá respeitar as diferentes capacidades das crianças em cada faixa etária;
- Os conteúdos estão organizados em dois blocos. O primeiro refere-se às possibilidades expressivas do movimento e o segundo ao seu caráter instrumental;
-A dimensão subjetiva do movimento;
-A dimensão expressiva do movimento;

Crianças de 0 a 3 anos

-Reconhecimento progressivo de segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração, das brincadeiras, do uso do espelho e da interação com os outros;
- Expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e da linguagem oral;

Orientações didáticas

- Banho e massagem;
-Brincadeiras que envolvam o canto e o movimento;
-Gestos e música;
-Espelho;
-Mímicas faciais;
-Brincadeiras de roda e de danças circulares;
-O cuidado do professor com sua expressão e postura corporal;

Crianças de 4 a 6 anos

• Utilização expressiva intencional do movimento nas situações cotidianas e em suas brincadeiras.
• Percepção de estruturas rítmicas para expressar-se corporalmente por meio da dança, brincadeiras e de outros movimentos.
• Valorização e ampliação das possibilidades estéticas do movimento pelo conhecimento e utilização de diferentes modalidades de dança.
• Percepção das sensações, limites, potencialidades, sinais vitais e integridade do próprio corpo.

Orientações didáticas

-O espelho continua a se fazer necessário para a construção e afirmação da imagem corporal em brincadeiras nas quais meninos e meninas poderão se fantasiar, assumir papéis e se olharem.
-Jogos e brincadeiras;
-Observação mais sistemática do corpo;
-O reconhecimento dos sinais vitais e de suas alterações;
-Representar experiências observadas e vividas por meio do movimento;
-Brincadeiras de roda;

Equilíbrio e coordenação
Crianças de zero a três anos:
Exploração de diferentes posturas corporais, como sentar-se em diferentes inclinações, deitar-se em diferentes posições, ficar ereto apoiado na planta dos pés com e sem ajuda etc.
• Ampliação progressiva da destreza para deslocar-se no espaço por meio da possibilidade constante de arrastar-se, engatinhar, rolar, andar, correr, saltar etc.
• Aperfeiçoamento dos gestos relacionados com a preensão, encaixe, o traçado no desenho, o lançamento etc., por meio da experimentação e utilização de suas habilidades manuais em diversas situações cotidianas.

Orientações didáticas

-Quanto menor a criança, maior é a responsabilidade do adulto de lhe proporcionar experiências posturais e motoras variadas.
-A organização do ambiente com materiais que propiciem a descoberta e exploração do movimento;
-Organizar atividades que exijam o aperfeiçoamento da capacidade motora da criança;
-Realizar brincadeiras tradicionais;

Crianças de 4 a 6 anos
-Participação em brincadeiras e jogos que envolvam correr, subir, descer, escorregar, pendurar-se, movimentar-se, dançar etc., para ampliar gradualmente o conhecimento e controle sobre o corpo e o movimento.
- Utilização dos recursos de deslocamento e das habilidades de força, velocidade, resistência e flexibilidade nos jogos e brincadeiras dos quais participa.
- Valorização de suas conquistas corporais.
- Manipulação de materiais, objetos e brinquedos diversos para aperfeiçoamento de suas habilidades manuais.

Orientações didáticas
-Possibilitar diferentes movimentos;
-Pular corda;
-Os primeiros jogos de regras (competição);
-Organizar o ambiente adequado a garantir a postura mais adequada para cada atividade;
Orientações gerais para o professor
- É importante que o professor perceba os diversos significados que pode ter a atividade motora para a criança;
-Refletir sobre as solicitações corporais das crianças;
-Refletir sobre a lateralidade;
-A organização do ambiente do espaço e do tempo;

Organização do tempo
- Os conteúdos relacionados ao tempo deverão ser trabalhados inseridos na rotina;
-Podem ser realizados projetos que integrem vários conhecimentos ligados ao movimento tais como:
• pesquisar diferentes danças tradicionais brasileiras para selecionar aquela que mais interessar às crianças;
• informar-se sobre a origem e história da dança selecionada;
• desenvolver recursos expressivos e aprender os passos para a dança;
• confeccionar as roupas necessárias para a apresentação;
• planejar a apresentação, confeccionando cartazes, convites etc.

Avaliação formativa
- Para que se tenha condições reais de avaliar se uma criança está ou não desenvolvendo uma motricidade saudável, faz-se necessário refletir sobre o ambiente da instituição e o trabalho ali desenvolvido: ele é suficientemente desafiador? Será que as crianças não ficam muito tempo sentadas, sem oportunidades de exercitar outras posturas? As atividades oferecidas propiciam situações de interação?


-A avaliação do movimento deve ser contínua, levando em consideração os processos vivenciados pelas crianças;
-A observação cuidadosa sobre cada criança e sobre cada grupo;
-Para crianças de zero a três anos: são consideradas experiência prioritária realizadas por elas o uso de gestos e ritmos corporais diversos para expressar-se;
-Para crianças de quatro a seis anos: Espera-se que as crianças reconheçam e utilizem o movimento como linguagem expressiva e participem de jogos e brincadeiras envolvendo habilidades motoras diversas;

Objetivos de 0 a 3 anos
• Participar de variadas situações de comunicação oral;
• Interessar se pela leitura de histórias;
• Familiarizar se com a escrita por meios de livros, revistas, história em quadrinhos. Etc...

Objetivos de 4 a 6 anos
• Ampliar suas possibilidades de comunicação e expressão.
• Familiarizar-se com a escrita por meio de livros, revistas e outros textos.
• Escutar textos lidos, pelo professor.
• Interessar-se por escrever palavras e textos.
• Reconhecer seu nome escrito.
• Escolher os livros para ler e apreciar.

Conteúdos de 0 a 3 anos
Conteúdos de 0 a 3 anos

• Uso da linguagem oral para conversar, relatar suas vivência e expressar desejos, vontades, necessidades.
• Participação em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos.
Conteúdos de 4 a 6 anos
• Falar e Escutar;
• Práticas de Leitura;
• Práticas de Escrita.

Orientações didáticas 0 a 3 anos
• As diversas situações cotidianas que o adulto fala com/ou perto da criança, permitem que a criança conheça e apropria-se do universo discursivo.
• O professor tem de manter sempre um diálogo com o bebê e criança.
• O adulto tem de utilizar a fala de maneira clara sem infantilizar ou imitar o jeito da criança.
• A tarefa da educação infantil é ampliar e ser continente da fala das crianças para que ela se torne competente como falante.

Orientações didáticas de 4 a 6 anos
• Ambiente alfabetizador.

• Promover situações de usos reais de leitura e escrita nas quais as crianças tenham a oportunidade de participar.

• Participação das crianças nos eventos de letramento.

• Práticas de textos de literatura geral e infantil.
Escolha de um tema para trabalhar com projetos e objetivos.

Avaliações de 0 a 3 anos
• A avaliação deve ser continua.
• Deverá constituir-se em instrumento para a reorganização de objetos, conteúdos, procedimentos, atividades e como forma de acompanhar e conhecer cada criança e grupo.
• A observação cuidadosa sobre cada criança e sobre o grupo.
• A expressividade do movimento e sua dimensão instrumental.
• Experiências prioritárias para a aprendizagem do movimento realizada pelas crianças.

Avaliação de 4 a 6 anos
• Participação de conversas utiliza diferentes recursos necessários ao diálogo, interessando-se pela leitura e para ouvir histórias.
• Ampliaram seu vocabulário, incorporando novas expressões e utilizando expressões de cortesia.
• Na leitura, as crianças pedem para que o professor leia, fazem comentário sobre o que leram e escutaram, recomendam a leitura que os interessou aos companheiros.
• A Pratica de escrita e de produção de textos, se interessam por escrever seu nome e o nome das outras pessoas.

Natureza e sociedade
Introdução
O mundo onde as crianças vivem se constitui em um conjunto de fenômenos naturais e sociais indissociáveis diante do qual elas se mostram curiosas e investigativas.
A intenção é que o trabalho ocorra de forma integrada, ao mesmo tempo em que se respeita as especificidades das fontes, abordagens e enfoques.
Presença da natureza e sociedade na Educação Infantil: Ideias e práticas correntes
Determinados conteúdos pertinentes às áreas das Ciências Humanas e Naturais sempre estiveram presentes na composição dos currículos da Educação Infantil.
Proposta comum nas instituições são as atividades voltadas para o desenvolvimento da noção do tempo e espaço.
Propostas e práticas escolares que falam sobre diversidade cultural, social, geografia e história.
Objetivos de 0 a 3 anos e de 4 a 6 anos.
Orientações didáticas
Avaliação
Matemática
Do concreto ao abstrato
Jogos e aprendizagem
Objetivos
Orientações didáticas
Aline Costa
Carmen Júlia Ananias
Elisângela de Paula
Leide Lisboa
Nely Ribeiro
Rosana Azevedo
Trayce Alvim
BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, v. 3. Conhecimento de Mundo. MEC/SEF, 1998.
Full transcript