Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Seminário Priscila - AIP

No description
by

Maísa Hodecker

on 22 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Seminário Priscila - AIP

Teste de Avaliação dos Interesses Profissionais (AIP)
AIP
Este foi o ponto de partida para a construção do AIP.

Juntamente com a Dra. Denise Bandeira, foi possivel a sistematização do AIP.

Assim, começou a se observar interesses diferenciados por sexo, nova distribuição dos interesses por campo, diferentes graus de interesse (real ou relativo).
AIP - Teste de Avaliação dos Interesses Profissionais
1986 - Levenfus começa a trabalhar com o LIP (Teste de Interesse Profissionais.

LIP - Instrumento de fácil aplicação individual e coletiva, de rápido levantamento, que pudesse ser utilizado como mais um subsídio para o atendimento.

Levenfus observou que com características mais objetivas o LIP pode fornecer um bom panorama psicodinâmico.
Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE

Ana Paula Piva Hostins,
Jones Ivan Dias,
Maísa Hodecker,
Mauriane Lira Maestri,
Márcia C. Oliveira,
Maurício Hostins Junior.
Assim, surgiu a necessidade de criar um novo instrumento que atendesse a essas observações.


A AIP surgiu também da necessidade de oferecer aos psicólogos que trabalham com orientação vocacional um instrumento eficaz, confiável e atualizado na avaliação dos interesses profissionais.
2009 - Instrumento aprovado pelo Conselho Federal de Psicologia.

Uma proposta de interpretação psicodinâmica
CAPÍTULO 13
P. 173 - 182
ROSANE SCHOTGUES LEVENFUS
DULCE HELENA PENNA SOARES
Campos de Interesse
O AIP foi construído com base em 10 diferentes campos de interesse, cabendo ao orientador observar, no conjunto de interesses, quais profissões atendem às maiores demandas.
CFM - Campo Físico/Matemático
Investigação dos mundos físicos e matemático.

Diz respeito à aplicação de leis e de propriedades dos corpos, bem como a um tipo de pensamento lógico-dedutivo.


CFQ - Campo Físico/Químico
Também guarda relação com a investigação do mundo físico, mas a respeito de fenômenos naturais, da reação química (orgânica e inorgânica) e das práticas experimentais em laboratório.

Se a preferencia for predominante, o orientado pode se interessar por Engenharia Química ou Bacharelado em Química.
CCF - Campo Cálculos/Finanças
Cálculos do tipo estatístico e financeiro.

Aplicação de regras para determinar quantidades, circunstâncias por meio de cálculo, avaliação, investigação, previsão de riscos, bem como ao interesse por previdência, pecúlios e pensões.
COA - Campo Organizacional/ Administrativo
Adiministrar pode relacionar-se à Biblioteconomia, à Enfermagem, assim como engenheiro ou arquiteto que estiver genrenciando uma obra.


CJS - Campo Jurídico/Social
Campo de interesse - Humanas

Interesse pelo comportamento humano em nível grupal, religioso, cultural, racial, amplamente social.

Diferenças dos comportamentos humanos.
CCP - Campo Comunicação/Persuasão
Desperta o interesse de pessoas habilidosas em seu potencial verbal de argumentação.

Persuadir está fortemente relacionado ao convencimento de pessoas a cerca de um pensamento que o sujeito deseja transmitir.

Induzir, comandar, liderar, influenciar, formar juízo, vender ou convencer pessoas ou grupos.

Professores, políticos, vendedores, Relações Públicas.
CSL - Campo Simbólico/Linguístico
1. Enquanto estudo da linguagem e das línguas



2. Enquanto referência ao mundo simbólico e potencial interpretativo da linguagem.
1. Estudo de linguagem e das línguas
Traduz o potencial de comunicação de ideias e fatos por meio da escrita de livros e artigos e outros textos.


Letras, Jornalismo e Direito.
2. Mundo simbólico potencial interpretativo
A linguagem enquanto manifestação simbólica é o que atribui a esse campo a riqueza de informações .

O campo da interpretação aqui se manifesta como necessário à compreensão do conjunto de letras e palavras

Significado aos objetos.

Psicologia, Arquitetura, Design Industrial, Engenharia Mecânica
CMA - Campo Manual/Artístico
Fazer
artístico.

Gosto por trabalhos manuais diversos, pela observação da estética das artes ou pela expressão corporal.

Artes Plásticas, Artes Cênicas, Web Design, Design Visual, Desenvolvimento de Games.
CCE - Campo Comportamental/Educacional
Interesse pelo comportamento humano, no nível individual, grupal, familiar ou amplamente social.

Interesses em ordem emocional, educacional, ajuste social, entre outros.


Psicologia, Serviço Social, Pedagogia, CIências Sociais.
CBS - Ciências Biológicas e da Saúde
Dizem respeito ao corpo humano, reino animal, vegetal e aos microorganismos.

Interesse pela própria vida.

Com maior intensidade: Medicina, Ciências Biológicas, Enfermagem, Medicina Veterinária, Ciências Biomédicas.

Com menor intensidade: Psicologia, Educação Física, Nutrição, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Terapia Ocupacional.
MATERIAL E APLICAÇÃO
O AIP é constituido por:

1) Caderno de Aplicação reutilizável;
2) Folha de respostas;
3) Protocolo de levantamento para cada sexo;
4) Crivo de puração e um manual;


Além de instruções pertinentes, inclui um guia com 210 profissões de nível superior.
1) Caderno de Aplicação
Um caderno com 200 atividades as quais 20 atividades de cada campo de interesse e estão distribuidas de tal forma que cada campo seja confrontado com todos os outros e com ele mesmo duas vezes.
2) Folha de respostas e rapport
Para cada atividade numerada existe um espaço correspondente na folha de respostas.

Esse espaço é um quadrado dividido por um risco em diagonal.

É nesse espaço que o sujeito deverá responder acerca de seu interesse real ou relativo pela atividade.

Assim, o rapport cosiste em pedir ao orientando que escolha aquela lhe mais lhe desperta interesse, assinalando essa preferencia no espaço na folha de respostas.

É possível assinalar duas atividades, desde que se goste das duas do mesmo jeito.

Proibido deixar um par em branco.

3) Crivo de apuração
É uma folha vazada a ser colocada sobre a folha de respostas a fim de apurar o total de itens de interesses real e relativo em cada campo.
4) Protocolo de levantamento

Contém:


Dados de identificação do sujeito;

Uma tabela de registro dos interesses reais, relativos e totais por campo;

Gráficos para registro das respostas para cada sexo;

Por fim, há um espaço para registro de informações adicionais de interesse do Psicólogo.
Achados sobre interesses diferenciados por sexo
Homens e mulheres possuem interesses diferenciados.

Homens costumam pontuar mais alto que mulheres em
campos como CFM e CCF.

Mulheres pontuam mais alto que homens em CCE.

Sendo assim, é preciso verificar o interesse comparado à média de cada sexo.

Exemplo: Verifique a quantidade de homens em um curso do campo CCE como Pedagogia e Psicologia, e verifique a quantidade de mulheres em Engenharias, pelo CFM.
Achados sobre levantamento de áreas conjugadas
Nesse teste, deve-se interpretar os Campos de forma conjugada, ou seja, a partir de todos os campos de interesse do indivíduo avaliado que estiverem acima da média.

Para isso o orientador deverá ter um olhar dinâmico e sempre atualizado acerca das diversas profissões existentes no mercado de trabalho.


Figura 1 - Exemplo de um gráfico de um jovem do sexo masculino interessado em Administração de Empresas.
Figura 2 - Exemplo de um gráfico de uma jovem do sexo feminino interessada em Medicina.
Nesse caso, existe um predomínio de interesses conjuntos em CCF (Campo Cálculos e Finanças) e COA (Campo Organizacional/ Administrativo).
Neste caso, existe um predomínio de interesses conjuntos em CFQ (Campo Físico/Químico) e CBS (Campo Biológico/Saúde).
Figura 3 - Exemplo de um gráfico de um jovem do sexo masculino interessado em Arquitetura.
Neste caso, existe um predomínio de interesses conjuntos em CFM (Campo Físico/Matemático), CSL (Campo Simbólico/Linguístico) e CMA (Campo Manual/Artístico).
Figura 4 - Exemplo de um gráfico de uma jovem interessada em Psicologia.
Neste gráfico, representa uma jovem que se dizia muito interessada em Psicologia.

Embora sua pontuação fosse muito acima da média em CSL e CCE, ambas esperadas para a escolha de Psicologia, grande parte das escolhas foram relativas, marcadas por obrigação.
Figura 5 - Jovem interessada por Odontologia refere queixas características de fobia social.
Neste caso, a jovem interessada em cursar Odontologia apresenta interesses totalmente compatíveis com essa profissão.
Durante a entrevista clínica, queixou-se de timidez, medo de entrar na faculdade e fica muito vermelha ao conviver com colegas que não conhecia.
Referiu-se também ter dificuldades em apresentar trabalhos em sala de aula.
Os interesses relativos foram justamente marcados em grande quantidade nos campos relacionados à vida social, comportamental e comunicação.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A interpretação da pontuação, em um enfoque psicodinâmico, como diz Bonelli (1995), deve realizar-se não a partir da pontuação, mas do sujeito em questão.

Assim, o que nos interessa compreender é o que determinado interesse significa para determinado indivíduo.


CONSIDERAÇÕES FINAIS
Portanto, fica claro a importância de se realizar um processo de Orientação Profissional que busque o conhecimento das características pessoais do indivíduo e seus problemas, no que diz respeito às suas aptidões, interesses, personalidade, valores, atitudes, habilidades e capacidades, bem como ao conhecimento da realidade socioeconômica e do mercado de trabalho.
A questão da "escolha" da carreira é considerada uma das tarefas do desenvolvimento mais difíceis a ser enfrentada pelo adolescente, pois, além de acontecer em uma etapa composta por mudanças internas e externas, essa decisão tem repercussão em seu futuro e no de sua família.
Com isso, vê-se a importancia de realizar uma Avaliação dos Interesses Profissionais (AIP) que objtivam auxiliar pessoas a refletirem sobre seus projetos de vida e as decisões relacionadas à sua carreira profissional através de suas características pessoas.
REFERÊNCIA
LEVENFUS, Rosane Schotgues; SOARES, Dulce Helena Penna.
Orientação Vocacional Ocupacional.
2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
Full transcript