Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A abordagem empirico-experimental ou da persuasão

No description
by

Andreia Cunha

on 15 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A abordagem empirico-experimental ou da persuasão

A Abordagem Empírico-Experimental ou da Persuasão
A Teoria Hipodérmica
Foi o primeiro modelo de comunicação.
Segundo esta teoria, os media controlam a mente das pessoas
Teoria Hipodérmica vs Teoria da Persuasão
A teoria da persuasão levou ao abandono da teoria hopodérmica, devido aos estudos psicológicos experimentais realizados. Contudo as bases das teorias são as mesmas por causa da sua contemporaneidade.
Teoria da persuasão
Esta teoria estuda os efeitos dos mass media numa situação de campanha.
Visa aumentar a eficácia da mensagem de acordo com os fatores pessoais ativados pelo recetor quando interpreta a própria mensagem.
Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa
Sociologia da Comunicação
Professor: Gueorgui Nenov Hristovsky

Andreia Cunha nº 50205
Madalena Formiga nº 50229

"Toda propaganda tem que ser popular e acomodar-se à compreensão do menos inteligente dentre aqueles que pretente atingir." (Adolf Hitler)
"
O que pode ser dito, pode jamais ser escrito"(Adolf Hitler)
Características do destinatário que intervêm na obtenção do efeito
Organização ótima das mensagens com finalidades persuasivas.
Características dos destinatários
“Pressupor uma correspondência perfeita entre a natureza e a quantidade do material apresentado numa campanha informativa e a sua absorção por parte do público, é uma perspetiva ingénua, porque a natureza real e o grau de exposição do público ao material informativo são, em grande parte, determinados por certas características psicológicas da própria audiência” (Hyman – Sheatsley, 1947,449)
Organização das mensagens
"As mensagens dos meios de comunicação contêm características particulares do estímulo que interagem de maneira diferente com os traços específicos da personalidade dos elementos que constituem o público. Desde o momento em que existem diferenças individuais nas características da personalidade dos elementos do público, é natural que se presuma a existência, nos efeitos, de variações correspondentes a essas diferenças individuais." (De Fleur, 1970, 122)
Interesse em obter informação
“Há, pois, qualquer coisa nos não informados que os torna difíceis de atingir, seja qual for o nível ou a natureza da informação” (Hyman – Sheatsley, 1947,45)
Exposição seletiva
“Se as pessoas tendem a expor-se, sobretudo, às comunicações de massa de acordo com as suas próprias atitudes e os seus interesses próprios, devem evitar-se outros conteúdos mal lhe aparecem à frente dos olhos e, finalmente, se tendem a adulterá-los mesmo que os recordem, então é evidente que, muito provavelmente, a comunicação de massa não modificará os seus pontos de vista. É muito mais provável que vá reforçar opiniões preexistentes” (Klapper, 1963,247)
Percepção seletiva
A interpretação que cada um de nós faz de uma mensagem transforma e adapta o significado da mesma, adaptando-a às atitudes e aos valores do destinatário. Muitas vezes pode acontecer, alterar o verdadeiro significado da mensagem.
Existe um efeito de assimilação quando o destinatário considera as opiniões expressas na mensagem como mais análogas às suas do que o são na realidade. Isto acontece se existirem outras condições como:

Uma diferenciação não excessiva entre as opiniões do individuo e as do emissor;
Um escasso envolvimento e uma fraca adesão do destinatário ao assunto da mensagem e às suas ideias a respeito desse assunto;
Uma atitude positiva para com o comunicador.
Memorização seletiva
Os conteúdos que estão de acordo com as nossas opiniões e os nossos gostos são memorizados de uma forma mais significativa do que os outros. Esta tendência é mais acentuada à medida que aumenta o tempo de exposição à mensagem.
Credibilidade do Comunicador
Se a mensagem for avaliada logo após a captação da mesma, causará uma maior mudança de opinião aquela que é atribuída a uma fonte credível.
Por outro lado, após um certo período de tempo, a fonte das mensagens torna-se menos relevante, permitindo uma maior assimilação das mensagens.
Ordem da argumentação
Neste fator relevante à organização da mensagem é relevante falar de dois conceitos distintos:
Efeito Primacy
Efeito Recency
Integralidade das argumentações
1. Para pessoas que possuam opinião contrária à mensagem é mais eficaz a apresentação de argumentos referentes a vários aspetos do tema.

2. Para quem já está convencido quanto à questão é mais eficaz apresentar apenas os argumentos a favor da posição exposta.

3. Os destinatários com maior grau de instrução são mais influenciados quando são expostos os dois lados da questão, enquanto que o contrário se passa com os indivíduos com baixo grau de instrução, uma vez que já estão convencidos da posição da mensagem.

4. A omissão de um argumento relevante é mais percetível e diminui a eficácia quando são apresentados os dois aspetos da mensagem.
Quanto maior o nível de interesse e conhecimento sobre o assunto menos necessário será expor as conclusões.

Quanto menor a familiarização com o tema maior será a eficácia de expor as conclusões.
Explicitação das conclusões
As lições do menino Tonecas, Lição de música
Full transcript