Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Música Gospel e a luta pelos direitos civis dos negros nos EUA

No description
by

Fagner Pereira dos Santos

on 1 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Música Gospel e a luta pelos direitos civis dos negros nos EUA

Música Gospel e a luta pelos direitos civis nos EUA
A Abolição da Escravidão
e os Black Codes
Em 18 de dezembro de 1865, os Estados Unidos abolem a escravidão por meio da 13ª Emenda à Constituição, acabando com um dos maiores sistemas de produção escravistas registrados pela História.

A decisão já havia sido tomada pelo presidente Abraham Lincoln em janeiro de 1863, na chamada Proclamação de Emancipação, que concedeu liberdade aos escravos.
Os "Black Codes" Códigos Pretos, porem, foram leis aprovadas pelos estados do Sul de 1865 à 1866, após a Guerra Civil . Essas leis tiveram a intenção e o efeito de restringir a liberdade Afro americana, obrigando os negros a trabalharem em uma economia de trabalho com base em salários baixos ou saldo de dívidas.
Oh liberdade, liberdade, oh, oh liberdade sobre mim
Antes de eu ser um escravo eu serei enterrado em meu túmulo, E irei para casa do meu Senhor ser livre
Não há mais pranto, não mais luto, nem mais luto me
E antes de eu ser um escravo eu serei enterrado em meu túmulo, E irei para casa do meu Senhor ser livre
Não há mais choro, mais choro, mais choro sobre mim
Antes de eu ser um escravo eu serei enterrado em meu túmulo, E irei para casa do meu Senhor ser livre

Oh liberdade, liberdade, oh, oh liberdade sobre mim
Antes de eu ser um escravo eu serei enterrado em meu túmulo, E irei para casa do meu Senhor ser livre
Haverá canções, haverá canções, haverá canções sobre mim
Antes de eu ser um escravo eu serei enterrado em meu túmulo, E irei para casa do meu Senhor ser livre
Oh liberdade, liberdade, oh, oh liberdade sobre mim
E antes de eu ser um escravo eu serei enterrado em meu túmulo, E irei para casa do meu Senhor ser livre
Esta musica foi gravada pela 1ª vez em 1931 por E. R. Nance Family e Clarence Dooley como "Sweet Freedom." É um exemplo do que eram as "Labor Songs" ou Canções de Trabalho.
Leis de JIM CROW (1876 à 1964)
As leis de Jim Crow foram leis estaduais e locais decretadas nos estados sulistas e limítrofes nos Estados Unidos, em vigor entre 1876 e 1964, e que afetavam afro-americanos, asiáticos e outros grupos. A "época de Jim Crow" ou a "era de Jim Crow" se refere ao tempo em que esta prática ocorreu. As leis mais importantes exigiam que as escolas públicas e a maioria dos locais públicos (incluindo trens e ônibus) tivessem instalações separadas para brancos e negros. Estas Leis de Jim Crow eram distintas dos Black Codes (1800-1866), que restringiam as liberdades e direitos civis dos afro-americanos. A segregação escolar patrocinada pelo estado foi declarada inconstitucional pela Suprema Corte em 1954 no caso Brown v. Board of Education. Todas as outras leis de Jim Crow foram revogadas pelo Civil Rights Act de 1964.1
Rosa Parks
Rosa Louise McCauley, mais conhecida por Rosa Parks (Tuskegee, 4 de fevereiro de 1913 - Detroit, 24 de outubro de 2005), foi uma costureira negra norte-americana, símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos.
Ficou famosa, em 1º de dezembro de 1955, por ter-se recusado frontalmente a ceder o seu lugar no autocarro a um branco, tornando-se o estopim do movimento que foi denominado Boicote aos ônibus de Montgomery e posteriormente viria a marcar o início da luta antissegregacionista.
WE SHALL NOT BE MOVED
Nós não sereremos abalados.

Bem, eu estou no meu caminho para o céu,
Nós não seremos abalados.
No meu caminho para o céu
Nós não seremos abalados.
Assim como uma árvore que está em pé ao lado da água,
Nós não seremos abalados.

Chorus:
Nós não seremos , Nós não sereremos abalados.
Nós não seremos , Nós não sereremos abalados.
Assim como uma árvore que está em pé ao lado da água
Nós não seremos abalados.

No caminho para a liberdade,
Nós não seremos abalados.
No caminho para a liberdade,
Nós não seremos abalados.
Assim como uma árvore que está em pé ao lado da água,
Nós não seremos abalados.


Nós irmãos juntos,
Nós não seremos abalados.
Nós irmãos juntos,
Nós não seremos abalados.
Assim como uma árvore que está em pé ao lado da água
Nós não seremos abalados.
Charley Patton " I Shall Not Be Moved" (1929)
Pete Seeger " We Shall Not Be Moved" (1965)
The Seekers - "We Shall Not Be Moved" (1966)
WE SHALL NOT BE MOVED
Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. - Salmos 1:3
Foi através dessa atitude que o então jovem pastor negro Martin Luther King Jr. , concordando com a atitude de Rosa Parks, incentivava em seus sermões os negros fiéis a fazerem o mesmo.
Este movimento teve grande repercussão nos Estados Unidos na década de 1950, pois o honroso pastor pregava pelos direitos civis dos negros americanos através da teoria "say at less… I'm black, I'm proud" (tradução livre: "ao menos diga... Eu sou negro, com muito orgulho"), que mudou completamente a história dos Direitos Civis para os negros americanos e influenciou gerações de negros no mundo inteiro.
O mais conhecido e famoso deles através da história foi o Movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, entre 1955 e 1968, que consistia em conseguir reformas nos Estados Unidos visando a abolir a discriminação e a segregação racial no país. Com o aparecimento de movimentos negros como o Black Power e os Panteras Negras no meio dos anos 60, o clamor da sociedade negra por igualdade racial acabou aumentando seu pleito para a dignidade racial, igualdade econômica, auto-suficiência política e libertação da autoridade branca do país, eclipsando a razão inicial do movimento.
No movimento também lutaram o Ex- Presidente norte americano John F. Kennedy, posteriormente seu irmão o senador Robert Kennedy, assim como o Rev. Martin Luther King Jr. líder do movimento, porem "coincidentemente" os 3 foram assassinados.
O movimento dos direitos cívis nos EUA
Rev. Martin Luther King, Jr
Martin Luther King, Jr. (Atlanta, 15 de janeiro de 1929 — Memphis, 4 de abril de 1968) foi um pastor protestante e ativista político estadunidense. Tornou-se um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, e no mundo, com uma campanha de não violência e de amor ao próximo.
Um ministro Batista, King tornou-se um ativista dos direitos civis no início de sua carreira. Ele liderou em 1955 o boicote aos ônibus de Montgomery e ajudou a fundar a Conferência da Liderança Cristã do Sul (SCLC), em 1957, servindo como seu primeiro presidente. Seus esforços levaram à Marcha sobre Washington em 28 de Agosto de 1963, onde ele fez seu discurso "I Have a Dream".
Um homem veio em nome do amor
Um homem veio e foi
Um homem veio para justificar
Um homem para subverter

Em nome do amor
O que mais em nome do amor?
Em nome do amor
O que mais em nome do amor?

Um homem foi pego numa cerca de arame farpado
Um homem que resiste
Um homem lavado numa praia vazia
Um homem traído com um beijo

Em nome do amor
O que mais em nome do amor?
Em nome do amor
O que mais em nome do amor?

Manhã cedo, 4 de abril
Tiros zumbem nos céus de memphis
Livre a final, eles pegaram a sua vida
Eles não poderiam pegar o seu orgulho

Em nome do amor
O que mais em nome do amor?
Em nome do amor
O que mais em nome do amor?

Em nome do amor
O que mais em nome do amor?
Em nome do amor
O que mais em nome do amor?
"say at less… I'm black, I'm proud"
- Martin Luther King Jr.
("ao menos diga... Eu sou negro, com muito orgulho")
Pride (In the name of Love) - U2
Orgulho (em nome do amor)
A Lei de Direitos Civis de 1964 e a Lei dos Direitos ao Voto de 1965, ambas promovidas pelo presidente Lyndon B. Johnson, do Partido Democrata, codificaram as conquistas dos negros.
Um dia, quando a glória chegar
Ela será nossa, ela será nossa
Um dia, quando a guerra estiver ganha
Nós teremos certeza, nós teremos certeza
Oh, glória

Mãos para os céus, sem homens, sem armas
Formados contra isso, a glória é predestinada
Todos os dias, homens e mulheres viram lendas
Pecados que vão contra nossa pele viram bençãos
O movimento é o ritmo para nós
Liberdade é uma religião para nós
A justiça está nos relocando

A justiça para todos não está muito clara
Um filho morreu, seu espírito está nos visitando
A vontade de viver está viva em nós, somos a resistência
É por isso que Rosa sentou no ônibus
Por isso atravessamos Ferguson com as mãos para o alto
Quando tudo desmorona, homens e mulheres, levantam
Eles dizem "para o chão", e nós nos erguemos
Tiros, estamos no chão, as câmeras estão prontas
O rei apontou para o topo da montanha, nós corremos

Um dia, quando a glória chegar
Ela será nossa, ela será nossa
Oh, glória

A guerra não acabou, ainda não temos a vitória
E nós lutaremos até o fim, e quando tudo acabar
Clamaremos glória, oh glória
Clamaremos glória, oh glória

Selma ainda existe para cada mulher, homem, criança
Até Jesus ganhou sua coroa em frente a uma multidão
Eles marcharam com a tocha, vamos correr com ela agora
Nunca olharemos para trás, já andamos milhas e milhas
De estradas escuras ele surgiu, para virar herói
Encarando a liga da justiça, seu poder era o povo
O inimigo é letal, o rei virou real
Viu o rosto de Jim Crow abaixo de uma águia careca
Ninguém vai ganhar esta guerra individualmente
Precisa da sabedoria dos mais velhos
E a energia dos mais jovens
Bem-vindo a história que chamamos de vitória
A vinda do meu Senhor, meus olhos viram a glória

Um dia, quando a glória chegar
Ela será nossa, ela será nossa
Oh, glória
Glory - John Legend (Feat. Common)
MAVIS STAPLES
We Never Turn Back (2007)
FREEDOM
SONGS

Fagner P. Santos
IBB Seminário
agradecimento a minha esposa Kelly
...agradecimento especial
a todos/as presentes!
We shall Overcome
É uma
canção de protesto, que se tornou um hino chave do Movimento dos Direitos Civis dos Negros nos Estados Unidos (1955-1968).

O título e a estrutura da canção são derivados de uma antiga canção gospel "I'll Overcome Someday", do compositor afro-americano Charles Albert Tindley.
A canção foi publicado em 1947, como "We Will Overcome"
A canção tornou-se associada com o movimento dos Direitos Civis, em 1959, quando Guy Carawan assumiu como líder de canção em Highlander, que foi então focado em ativismo não-violento pelos direitos civis.
Ela rapidamente se tornou hino não oficial do movimento. Seeger e outros famosos cantores popular na década de 1960
, como
Joan Baez, que cantou a música em comícios, festas folclóricas e shows no Norte e ajudou a torná-la amplamente conhecida.
Desde a sua ascensão para a proeminência, a música, e as canções com base nela, têm sido usados ​​em uma variedade de protestos em todo o mundo.
“Nós vamos vencer (We shall overcome) Nós vamos vencer. Nós vamos vencer algum dia. No fundo do meu coração eu acredito que nós vamos vencer um dia.” - Rev. Martin Luther King Jr.
Mahalia Jackson em 1960
cantando "We shall overcome"
Roger Waters (Pink Floyd) -
We Shall Overcome (Song for Gaza)
Mavis Staples - Down in Mississipi
(2007 ANTI Records)
WE SHALL OVERCOME
Venceremos,
Venceremos,
Venceremos, algum dia.

Oh, no fundo do meu coração,
Eu acredito
Venceremos, algum dia.

Nós vamos caminhar de mãos dadas,
Nós vamos caminhar de mãos dadas,
Nós vamos caminhar de mãos dadas, algum dia.

Oh, no fundo do meu coração,
Viveremos em paz,
Viveremos em paz,
Viveremos em paz, algum dia.

Oh, no fundo do meu coração,
Todos seremos livres,
Todos seremos livres,
Todos seremos livres, algum dia.

Oh, no fundo do meu coração,
Não temos medo,
Não temos medo,
Não temos medo, HOJE

Oh, no fundo do meu coração,
Venceremos,
Venceremos,
Venceremos, algum dia.

Oh, no fundo do meu coração,
Eu acredito
Venceremos, algum dia.
Oh Freedom!
Oh Liberdade!
Jump Jim Crow
O nome "Jim Crow" era o apelido dado frequentemente aos escravos negros norte-americanos e foi imortalizado por uma canção muito em voga no século XIX, pelo artista Thomas Rice, que retratava os negros de uma forma discriminatória, como idiotas inocentes, preguiçosos e infantis.
Fato Curioso sobre a Disney e Jim Crow
"Jim Crow" e seu bando eram personagens com esteriótipos racistas em Dumbo (1941)
Na Olimpíada da Cidade do México,(1968) Tommie Smith e John Carlos, dois atletas medalhistas dos EUA, fizeram a saudação "black power", braço estendido com o punho enluvado e fechado, durante a cerimônia de premiação da modalidade.
O Comitê Olímpico Internacional (COI) baniu-os dos jogos.
O punho erguido ("Raised Fist") foi usado como símbolo de propaganda do Black Panther Party.
Paulo e Silas trancados na sela
Não possuíam nenhum dinheiro para pagar a fiança
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

Paulo e Silas pensaram estar perdidos
Os alicerces da prisão sacudiram-se e as correntes se soltaram
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

O nome da liberdade é muito cativante
E um dia iremos conhecê-lo
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

Minhas mãos estão no arado do Evangelho
Não preciso de mais nada para a minha jornada
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

A espera é longa, e temos muito a percorrer
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

A única corrente que o homem pode manter
É a corrente feita entre mãos dadas
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

Nenhum homem na terra irá controlar
O peso da glória na alma humana
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

A espera é longa, e temos muito a percorrer
Não tire os seus olhos da recompensa, persevere

Quando você vê um homem caminhar liberto
Isso te faz sonhar com o jubileu

Quando você vê uma criança caminhar livre
Isso te faz sonhar com o jubileu

Quando você vê uma família liberta
Isso te faz sonhar com o jubileu

Não tire os seus olhos da recompensa, persevere
Eyes on the prize - Mavis Staples
(Olhos na recompensa - 1917)
Agradecimento ao
e toda minha família!
dirigido, produzido e apresentado por
2 Carta de Roger Waters a Caetano e Gil para que não toquem em Tel Aviv

"Ao Editor,
No mês passado eu escrevi para Caetano e Gil e não recebi nenhuma resposta, mas suponho que eles irão cruzar a linha do piquete e tocar em Tel Aviv. Que seja. Eles devem ter razões imperativas que estão guardando para si mesmos. Em minha carta a eles, eu falei sobre futebol, praias, direitos humanos e sonhos. Aqui vai uma história sobre sonhos e futebol.
Jawhar Nasser Jawhar, 19, e Adam Abd al-Raouf Halabiya, 17, dois jovens e promissores jogadores de futebol, sonhavam em um dia jogar profissionalmente, talvez até defendendo a camisa do país deles. Em 31 de janeiro, enquanto eles caminhavam para casa, saindo de uma sessão de treinamento no Estádio de Faisal al-Husseini em al-Ram, no centro da Cisjordânia, forças israelenses abriram fogo contra eles sem aviso.
Jawhar foi atingido sete vezes em seu pé esquerdo e três vezes no direito. Halabiya foi ferido uma vez em seu pé esquerdo e uma no direito. Médicos no hospital governamental de Ramallah dizem que os dois nunca chutarão uma bola de futebol de novo; na verdade, serão necessários seis meses de tratamento antes que os médicos possam avaliar se eles poderão andar novamente.
Estes dois jovens não foram acusados de nenhum delito, e nenhum inquérito foi aberto sobre as ações dos soldados responsáveis por suas lesões incapacitantes.
Assim, Caetano e Gil, Jawhar e Halabiya não estarão presentes no show de vocês em Tel Aviv. No entanto, os homens que os balearam estão livres para comparecer, se desejarem."

Roger Waters
7 de junho de 2015, Nova York"
...pelo convite
"I've Been to the Mountaintop" (em tradução livre: Eu Estive No Topo da Montanha) é o último discurso do ativista estadunidense Martin Luther King, Jr. O discurso foi proferido na noite de 3 de abril de 1968 na sede mundial da Igreja de Deus em Cristo, em Memphis, e nele King faz um apelo à união entre os ativistas negros e aos protestos não-violentos.
"I've Been to the Mountaintop"
Eu Estive No Topo da Montanha
"Bem, eu não sei o que acontecerá agora. Temos dias difíceis pela frente. Mas, para mim, isso não importa agora, porque eu estive no topo da montanha. E não me importo."
- Rev. Martin Luther King Jr.
Kelly Rubin
Direção audio visual
Full transcript