Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

controle do crescimento microbiano

No description
by

Vinicius Silva

on 14 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of controle do crescimento microbiano

Profª karoline Greice
Controle do crescimento
Microbiano

Esterilização: Destruição ou remoção de todas as formas de microorganismos para aceitável nível de segurança.


Desinfecção: Eliminação ou redução de microorganismos em superfícies inanimadas utilizando agentes físicos ou químicos.


Antissepsia: Semelhante à desinfecção, porém relacionada a teci- dos vivos.
Microorganismo vivo-não multiplica
morte lenta
Inibição do crescimento microbiano X Destruição do organismo



BacterioSTÁTICO BacteriCIDA
Destruição bacteriana
Morte rápida
Autoclave (121°C / 15 min)
Utilizado-instrumentos e materiais cirúrgicos, artigos de borracha, tecidos, metais e vidros
Destrói células vegetativas e esporos.

- Incineração: processo drástico de eliminação de microorganismos, que destrói o produto.
Ação: Morte por oxidação de constituintes químicos
- Flambagem: processo onde o material é submetido diretamente ao
fogo, seja seco ou embebido em álcool.
- Estufa : 160°C/2 h ou 180°C/1 h.
AR- filtrado filtros HEPA (High Efficiency Particulate Air)- Uso em salas cirúrgicas e ocupadas por pacientes queimados – redução de infecções.
Vacinas, antibióticos
-

A radiação UV
- Podem matar células, inclusive microorganismos, por ação sobre ácidos nucléicos
- Esterilização de materiais biológicos ( soro e vacina)
Radiação
Ionizante
- Radiação Gama e os Raios X.
- Danificam o DNA e as proteínas intracelulares, causando mutações e morte celular
- seringas descartáveis, agulhas, catéteres, luvas e kits cirúrgicos
Não- Ionizante
Aplicações
Industrial
Hospitalar
Laboratorial
Porque controlar microorganismos?
Prevenir a transmissão de infecções;
Prevenir a contaminação ou crescimento de microorganismos
nocivos à saude ;
Prevenir a deterioração e dano de materiais por microorganismos;
Para a segurança biológica do ambiente e do homem
Controle da população microbiana
Destruir ou inibir
microorganismos
agentes
físicos
agentes químicos
Condições que influenciam na
capacidade do antimicrobiano
Tamanho da população - quanto > /+ tempo p/ morrer

•Concentração do agente antimicrobiano - quanto < /+ tempo p/ morrer

•Tempo de exposição - quanto > /+ microorganismos mortos

•Características microbianas (endósporos) / + difíceis que células vegetativas
Modo de ação dos antimicrobianos
• Alteração da permeabilidade da membrana: – Lesão de lipídeos
causa vazamento do conteúdo celular

• Dano às proteínas: – Rompimento das ligações de hidrogênio ou das pontes de dissulfeto, causando desnaturação das proteínas (produtos químicos ou calor)

• Danos ao DNA: – Calor, radiação ou substâncias químicas resultando em falhas no processo de reprodução
Ação: desnaturação de proteínas
Fenol
Principais
- Usada por Lister (Século XIX) cirurgia asséptica
- Raramente usado como antisséptico por ser irritante de mu-
cosas e de odor desagradável
- Usados para desinfetar pús, saliva(escarro) e fezes porque per-
manecem ativos em presença de compostos orgânicos.


Ruptura da membrana plasmática
É bactericida contra Gram + e Gram -
Atóxico
baixa conct.-bacteriostático/ alta conct.- bactericida
Antissepsia da pele na preparação cirúrgica
Clorexidina
Halogênios
1- Iodo:
álcool iodado 0,1%
Não é tóxico para pele e mucosas.
Eficaz contra bactérias, vírus e alguns endosporos
Aplicação: Tratamento de feridas.

2- Cloro:
Desinfetante eficaz
Tem amplo espectro de ação, chegando a ter ação sobre esporos de B. subtillis
Desnaturação de proteínas e dissolução dos lipídeos.
Álcool
- Álcool etílico 70% (eficiência na presença de água)
- Atuam contra bactérias, alguns fungos e vírus com envelope
- Desinfetante(Termômetros, estetoscópio)
- Antissépticos ( pele)



- Ação: Desnaturação de enzimas
- Prata e o mercúrio

Mercurocromo - antisséptico (pele e de mucosas)
Sabões e detergentes
Agentes de superfície

- Ação: Remoção mecânica dos microorgaismos
Material hospitalar termo-sensível: material
médico e cirúrgico

- Ação: Desnaturação de proteínas e ácido nucleíco
- É usado para a esterilização de instrumentos hospitalares
- O glutaraldeído é menos irritante que o formaldeído
Aldeídos
- Ação: Desnaturação das proteínas
- Gás incolor

Usos- objetos que se danificam com calor (material plástico e têxtil)

Ação lenta e eficaz!!!!
Peroxigênios
Ação: Oxidação
- Ozônio e peróxido de hidrogênio
- Em superfícies contaminadas
Filtração
Não são eficientes na presença de matéria orgância
etanol
Proibido pelo Ministério da Saúde desde 2001
Higienização das mãos
1-Principal ferramenta de trabalho
2- Principal via de transmissão de microorganismos
3-Adesão da higienização
das mãos
1- higienização simples: lavagem das mãos com sabão
líquido e água

2- higienização antisséptica:com produtos a base de iodo ou digluconato de clorexidina 2-4%

3- fricção antisséptica: preparações alcoólicas (álcool gel ou
glicerinado a 70%)

4- antissepsia cirúrgica: clorexidina
Higienização das mãos
remover os microorganismos que colonizam as camadas superficiais da pele
remover o suor, a oleosidade e as células mortas
retirar a sujidade propícia à permanência e à proliferação de microorganismos
Higienização simples
Duração 40 a 60 segundos
Com preparações alcoólicas( 70%), sendo efetiva para redução da carga microbiana das mãos.
A sua utilização pode substituir a higienização com água e sabão, desde que não haja presença de sujidade aparente
Fricção das mãos
Retirada de anéis, pulseiras, relógio e outros adereços
deve preceder qualquer técnica de higienização das mãos
OMS preconiza
os 5 principais momentos da assistência ao paciente
Curativos impregnados com prata
Metais pesados

Timerosal (Merthiolate) (C9H9HgNaO2S)- contém 49% de mercúrio.

Hoje a nova fórmula - Digluconato de clorexidina.
Merthiolate
Fórmula antiga
Cada ml continha: Timerosal 100 mg, Álcool (95%), Acetona, Veículo aquoso


Nova fórmula
Cada ml contém: Digluconato de clorexidina 10 mg, Veículo aquoso
formaleído
glutaraldeído
óxido de etileno

Ferimentos profundos - efetivos contra bactérias anaeróbicas sensíveis ao oxigênio
Verificar o adequado armazenamento dos materiais estéreis;
Verificar o prazo de validade dos materiais antes do uso;
Verificar a integridade da embalagem do material estéril antes do uso;
Não utilizar material estéril que foi aberto, ou cair no chão, considerar como contaminados, encaminhá-los para reesterilização;
Evitar cruzamento do material estéril com material contaminado
Responsabilidades da Equipe de saúde no
Processamento de Artigos
Áreas Críticas: Centro Cirúrgico; Unidade de Tratamento Intensivo (UTI);
Unidade de Transplante; Berçário; Hemodiálise; Laboratórios; Banco de Sangue.
Classificação das Áreas Hospitalares
Áreas Semi-críticas:Enfermarias em geral; Isolamentos; Ambulatórios; Pronto Atendimento;Sala de Curativos; Sala de procedimentos e/ou exames; Banheiros
Áreas não Críticas:Almoxarifado; Diretoria; Coordenação de Ensino e Pesquisa; Departamento Pessoal; Recepções; Salas de aula; Setores Administrativos em geral
Controle microbiano iniciou há cerca de 100 anos.
Estudo de Pasteur- microorganismos no ar
Joseph Lister 1865- Lavagem das mãos, Técnicas de cirurgia asséptica (FENOL)
HISTÓRICO
1- Instituto Nacional de Saúde. Prevenção de infecções adquiridas no hospital: um guia prático. Fonte: Geneva; OMS; 2002. 93 p
2- Segurança do paciente- Higienização das mãos, ANVISA: http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/ manuais/paciente_hig_maos.pdf
3-TORTORA, G.R. Microbiologia. 6ª Ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.
4- WHO Guidelines on Hand Hygiene in Health Care: http://whqlibdoc.who.int/publications/2009/9789241597906_eng.pdf
Referências
duração de 20 a 30 segundos
Assepsia: é o conjunto de medidas adotadas para impedir a penetração de agentes patogênicos em local que não os contenha


Degermação: Remoção quimiomecânica dos microorganismos de uma área limitada em tecido vivo (lavagem das mãos).
Definições
Método Físico
1-Temperatura (Calor)
2-Radiação
3-Filtração
4-Dessecação
Dessecação
Perda da água, cessando a atividade metabólica das células
vegetativas, com declínio do número de células viáveis

1- Natural

exposição ao meio ambiente


2- Artificial

Liofilização: retirada da água em baixas temperaturas e
selagem a vácuo
ex.: vacinas, antibióticos


Filtro de ar
Membranas filtrantes
Calor úmido
Calor seco
Método Químico
Características de um agente químico antimicrobiano ideal:

 atividade antimicrobiana
 solubilidade
 estabilidade e homogeneidade
 ausência de toxicidade
 não ser corrosivo
 atividade à temperatura ambiente
 disponibilidade e baixo custo

Derivados do fenol

1- Cresol - Desinfetante
2- Lisol - solução detergente
3- Hexaclorofeno - Incorporado em produto de hi-
giene de cães
Ação: Ruptura da membrana plasmática, desnaturação de
proteínas e desativação de enzimas
Altamente oxidantes e destroem enzimas e proteínas
Tricolsan
1- Gram + e - / fungos
2- sabonetes, creme dental, detergente, enxaguante bucal

Proibido- Japão, Canadá, UE(cancerígeno)
Vantagens
Bactericida ação rápida
baixo custo
Não tóxico
Não deixa resíduos
Desvantagens
Não destroi esporos
Evapora rapidamente
Sabonetes
Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus
Full transcript