Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Peixes

No description
by

Maria Júlia Isensee

on 27 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Peixes

Jenyffer Jully
Jéssica
Maria
Maria Júlia
Victória
2º ano - 2016
PEIXES
Funções Vitais
Os peixes são vertebrados ectotérmicos, não apresentam controle interno de temperatura e dependem de uma temperatura ideal do ambiente para a realização das suas funções metabólicas.
Os peixes ósseos possuem uma bexiga natatória que auxilia na flutuação e, com isso, permite ao animal economizar energia, já que ele pode permanecer mais ou menos estável numa determinada profundidade sem que para isso necessite de grande esforço muscular para a natação.
CARACTERISTICAS ANATÔMICAS
Corpo com formato hidrodinâmico: achatado lateralmente e alongado, o que favorece seu deslocamento na água; Presença de nadadeiras, estruturas de locomoção que, quanto à localização, podem ser peitorais, ventrais, dorsais, caudais e anais; Geralmente recoberto por escamas lisas, cuja organização diminui o atrito com a água enquanto o animal se desloca; além disso , a pele é dotada de glândulas produtoras de muco, o que também contribui para diminuir o atrito com a água;
Musculatura do tronco segmentada, o que permite a realização de movimentos ondulatórios.
Simetria bilateral;
Alimentação e Digestão
A respiração é branquial. As brânquias, que são órgãos em formato de lâmina e ricamente vascularizados, permitem a troca gasosa entre a água e o sangue do animal.
O sistema circulatório é fechado e o coração dos peixes tem duas cavidades: um átrio e um ventrículo - e por ele circula apenas sangue não-oxigenado.
Existem peixes que utilizam a bexiga natatória como uma espécie de pulmão primitivo. Ex.: a piramboia e o pirarucu.
Excreção
Sistema Nervoso
O Peixe do rio – necessita eliminar o excesso de água que é absorvido na osmose.
O meio interno do organismo é hipertônico em relação ao meio externo (água doce do rio);
A água doce desloca-se para o interior do corpo por osmose nas brânquias ou por ingestão;
Quando a água doce entra, as células vão absorvê-la por osmose, pois elas vão estar hipertônicas em relação a essa água que entrou;
A urina produzida é frequente e muito diluída para compensar o excesso de água absorvido pelas células;
OSMORREGULAÇÃO EM PEIXES
Gnatostomata: Condrictes e Osteíctes
Gnatostomata:
craniados com mandíbula
Craniados que apresentam mandíbula . Conseguem obter alimentos com maior eficiência que os ágnatos (craniados sem mandíbula).
Peixes:
É o mais numeroso e diversificado grupo dos craniados .Mais de 25 mil espécies catalogadas.
Surgiram há cerca de 45 milhões de anos atrás.
Divide-se em duas classes: Condrichthyes (peixes cartilaginosos) e Osteichthyes (peixes ósseos).
A maioria das espécies são marinhas mas também há os dulcícolas.
Nadadeiras
As nadadeiras variam em forma e tamanho de espécie para espécie. Principais funções: equilíbrio, ajuda na mudança de direção e profundidade e atua como propulsoras, como é o caso da nadadeira caudal.
A barbatana caudal dos peixes cartilaginosos é heterocerca  formada por lóbulos desiguais, diferentemente dos peixes ósseos, cujos lóbulos são idênticos.
Os peixes cartilaginosos machos tem o par de nadadeiras pélvicas transformado em órgão copulador, o clásper. Realizam a deposição dos espermatozoides no interior do corpo das fêmeas (fecundação interna).
Herbívoros, alimentando-se principalmente de algas; Carnívoros, alimentam-se de outros peixes e de animais diversos, como moluscos e crustáceos; ou Detritívoros, alimentando-se de restos orgânicos (é comum em peixes que vivem em zonas abissais)
Possuem um sistema digestório completo, com intestino terminado em cloaca nos peixes cartilaginosos e em ânus nos peixes ósseos.
Os peixes cartilaginosos possuem uma válvula espiral no intestino, que aumenta a superfície de absorção.

Sistema digestório constituído de boca, faringe, esôfago, estômago e intestino, além de glândulas anexas, como o fígado e o pâncreas.
Respiração e Circulação
O sistema excretor desses animais é formado por rins mesonefros, que estão localizados na região mediana do corpo e coletam excretas do celoma e do sangue. Nos peixes cartilaginosos, é excretado principalmente ureia, e nos peixes ósseos observa-se a eliminação de amônia.
Sistema nervoso central com pequeno encéfalo e medula espinhal; possuem dez pares de nervos craniados e da medula parte um par de nervos espinhais para cada segmento do corpo.
Bolsa olfatória - São formadas por células localizadas nas narinas e associadas à percepção de cheiros das substâncias dissolvidas na água. O sentido do olfato dos peixes é geralmente muito aguçado.
Olhos - Permitem formar imagens nítidas a curta distância. A distâncias maiores, percebem apenas objetos em movimento na superfície da água. Alguns peixes têm percepção das cores e outros não. Os olhos são geralmente grandes e não possuem pálpebras nem glândulas lacrimais.
Linha Lateral – conjunto de células mecanorreceptoras, que se estendem dos dois lados do corpo, da cabeça à cauda. Sua principal função é perceber as vibrações que ocorrem na água.
Ampolas de Lorenzini: são pequenas ampolas situadas na cabeça e ao redor da boca. Sua função é eletrorreceptora, ou seja, permitem a captação de correntes elétricas produzidas por outros animais. Essas ampolas são encontradas apenas em peixes cartilaginosos.
A maioria dos peixes ósseos apresenta fecundação externa: a fêmea e o macho liberam seus gametas na água. Após a fecundação do óvulo por um espermatozoide, forma-se o zigoto. Em muitas espécies de peixes ósseos, o desenvolvimento é indireto, com larvas chamadas alevinos.
Os peixes cartilaginosos têm reprodução sexuada. A fecundação usualmente é interna. Os machos têm órgãos especiais chamados clásperes (os órgãos copuladores), que lhes permitem introduzir o espermatozoide no corpo da fêmea. No caso especial das raias, seus ovos estão protegidos por um saco com prolongações nos extremos que servem para a fixação no fundo da água. O desenvolvimento é direto: os ovos dão origem a filhotes que já nascem com o aspecto geral de um adulto, apenas menores.
Peixes: Condrictes e Osteíctes
Osteichthyes (peixes ósseos) : É a grande parte dos peixes. Possuem ossos e sistema esquelético. Ex: sardinha, a garoupa, o bacalhau e o atum.
Condrichthyes (peixes cartilaginosos): É a minoria dos peixes. Não possuem ossos, apenas cartilagens que dão sustentação ao corpo. Ex.: tubarões e arraias.
Os peixes ósseos são os mais abundantes em número de espécies conhecidas, representando cerca de 95% do total dessas espécies.
Reprodução
O Peixe do mar –necessita ingerir água pra compensar o que é perdido na osmose
O meio interno dos peixes é hipotônico em relação ao meio externo (água salgada do mar);
Perdem água por osmose das brânquias para o meio externo e das células internas para a água salgada que foi ingerida;
Quando a água salgada entra, suas células perdem água por osmose, pois estão hipotônicas em relação à água que entrou;
Produzem uma quantidade reduzida de urina e esta é muito concentrada (pouca água);
Full transcript