Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

História da Psicologia UNIP

No description
by

Mário Martins

on 6 September 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of História da Psicologia UNIP

1600
1700
1950
1800
História da Psicologia
apontamentos filosóficos, epistemológicos e políticos

O Racionalismo
Século XVII - A ordem, o dilema da existência e a garantia do "eu".
O empirismo
O positivismo e as primeiras tendências ao objetivismo psicológico
O conhecimento positivo
Pensamento humano: teológico, metafísico e científico, ou positivista.
Para poder observar o nosso intelecto, deve fazer uma pausa em sua atividade e, no entanto, é essa mesma atividade que queremos observar; se a efetuarmos, nada haverá para observar
Deve-se determinar com precisão as condições orgânicas de que essas funções dependem e observar a sequência comportamental.

O iluminismo
Século XVIII - Kant e o sujeito transcedental. Para Kant, há um paradoxo no sujeito: ele legitima conhecimentos mas é limitado quanto ao conhecimento de si.
1500
2000
Prof. Dr. Mário Henrique da Mata Martins
Objetivos da disciplina
Estudo das condições históricas, sociais e culturais da construção da subjetividade ao longo da Modernidade.
A constituição da Psicologia como ciência ao final do século XIX.
Objetivos específicos

• Analisar os contextos históricos que possibilitaram a emergência de questões de cunho psicológico, em especial a subjetividade humana;
• Reflexão das pré-condições que permitiram e permitem a elaboração de diferentes teorizações em Psicologia, a partir da adesão a diferentes concepções de homem e mundo.
• Reconhecimento e contextualização do campo da ciência psicológica a partir da história da constituição da subjetividade ao longo da modernidade (séculos XV ao XIX).


Múltiplas histórias
Origens X Proveniências
Versões: parcialidade e multiplicidade
Uma versão da história da Psicologia


Renascimento
Século XIV - Dos santos aos corpos: o fim da Idade Média e a emergência do humanismo renascentista nas artes e na filosofia.
Século XVI - Da hegemonia à oposição: Reforma da Igreja Católica e o Protestantismo
Martin Lutero e Francis Bacon
Dos resultados
Sem o domínio da Igreja sobre seu corpo e sua liberdade moral e incumbido de exercer controle sobre as coisas da natureza, o ser humano passa a assumir um lugar de centralidade na cultura européia.
Século XVI - O homem deveria estabelecer um império sobre as coisas: o poder sobre a natureza
Século XVII - As idéias e o problema das paixões.
Século XVII - O conhecimento provém da experiência e as idéias se fazem na experiência.
Século XVII - A observação é o método. Assim o ser humano será capaz de obter e legitimar o conhecimento.
1850
O alinhamento à ciência natural
As leis da natureza
Quantitativismo
Leis expressas em linguagem matemática
Hipóteses explicativas
Postulado: a verdade do ser humano está exaurida em seu ser natural.
Projeto: O caminho de todo conhecimento deve ser de determinação quantitativa, pela construção de hipóteses e pelo método possível de verificação experimental
O PARADOXO
Novas relações
Educação, Medicina Mental e a Organização grupal
Uma emergência negativa e subserviente
A necessidade de positivação
Os modelos
naturalistas
O modelo físico-químico
O modelo orgânico
O modelo evolucionista
Passado
Futuro
Referências
ABIB, J. A. D. Epistemologia pluralizada e história da psicologia.
Scientiae
São Paulo. v. 7. n. 2. pp. 195-208, 2009.

FOUCAULT, M.. A Psicologia de 1850 a 1950. In Problematização do Sujeito: Psicologia, Psiquiatria, Psicanálise (Ditos e Escritos, vol. I). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999. Original de 1957.

JACÓ-VILELA, A. M.; FERREIRA, A. A. L.; PORTUGAL, F. T.
História da Psicologia: rumos e percursos.
Rio de Janeiro, NAU Ed, 2006.

MARX, M. H.; HILLIX, W. A.
Sistemas e teorias em Psicologia
. São Paulo, Editora Cultrix, 1973.

MOL, A. Ontological Politics. A Word and some questions In Law, John e Hassard, John (org.)
Actor Network Theory and After.
Blackwell/The Sociological Review, 1999


René Descartes
John Locke
Immanuel Kant
Auguste
Comte
A Subjetividade Moderna
A busca por ordem e a crença no método como meio de alcançar essa ordem;
O ordenamento metódico como forma de controle: dominar as coisas e dominar a razão humana;
Concepções conflitantes de verdade: Santo Ignácio de Loyola, a verdade em Deus e a meditação X Descartes e a verdade em si obtida pelos cálculos matemáticos
X
É possível confirmar uma verdade externa quando as opiniões são duvidosas e as leis e as normas são variáveis entre as culturas? E mesmo o mundo interno, seus sentimentos e suas certezas sobre suas emoções podem dar alguma segurança sobre algo?
O que fazer com a multiplicidade,
a diversidade e a diferença?
?
?
O pulo do gato de Descartes
Se duvidar é possível, a atividade de duvidar existe e, logo, existe alguém que está duvidando.
"Diante de toda a dúvida do mundo, o único ponto de segurança e referência que temos é o de um eu, não enquanto corpo, pois sua existência também foi colocada em dúvida, mas em um eu puramente pensante, uma alma racional capaz de produzir representações corretas do mundo". (Santi, 2009)
O-R-D-E-M
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
?
Quais as diferenças?
O ser humano, centro do mundo, tem como centro de si, sua própria consciência.
As paixões, ou aquilo que prejudica a razão plena
Pathos: paixões, patologias, passividade e sofrimento
Paixões enfocadas por Descartes: admiração, amor, ódio, desejo, tristeza e alegria
Por quê compreender as paixões?
As almas teriam um “império absoluto sobre todas as suas paixões, se empregassem bastante engenho em domá-las e conduzi-las”
A Psicologia vem para cumprir essa função?
A mais útil de todas as ciências...
Um interesse de todas as ciências: o controle das paixões e a verdade.
Século XVIII - As luzes da razão e a produção do conhecimento pelo sujeito
Século XVIII - O contexto sócio-histórico: dimensão público-privado após a centralidade da consciência
A síntese entre racionalismo e empirismo

Logo, sem o conteúdo da experiência, dados na intuição, os pensamentos são vazios de mundo (racionalismo); por outro lado, sem os conceitos, eles não têm nenhum sentido para nós (empirismo).
Século das luzes... ou dos artifícios?
A busca pelo prazer
A essência humana seria sua natureza pulsional, surgindo a ânsia pelo retorno ao mundo natural (Santi, 2009)

O mundo interno, onde habita o verdadeiro eu, é tortuoso, conflituoso e cheio de som e fúria. E a natureza reflete esses estados humanos.

O que escondemos é aquilo que temos de mais legítimo em nós.

O gênio e o individualismo

O Romantismo e a subjetividade humana
Antiguidade
Idade Média
Não há uma busca pela revelação de um eu na antiguidade pagã, mas uma construção de si a partir do ensinamento dos grandes mestres. O "eu" é um universal, que não diz respeito a interioridades específicas.
Conhecimento de si mesmo X a vida como uma obra de arte que deve ser apreciada.
"Conhece-te a ti mesmo": expressão que remete às limitações humanas, mas não à subjetividade humana. O ser humano nem é Deus e nem um animal.
Sócrates
O humanismo grego: a não submissão aos deuses e a possibilidade de questioná-los, a criação do direito e a prática da democracia contribuem para a produção de uma forma de humanismo, que se difere da versão atual em virtude de não colocar o ser humano como centro de todas as coisas.
O que é essa tal de subjetividade?
Um sentimento demasiado moderno de que temos um mundo interior (Santi, 2009)
Por subjetividade entende-se a constituição de um plano de interioridade reflexiva, em que cada vivência se encontra centrada e ancorada em uma experiência de primeira pessoa, de um "eu". A história de um plano de interioridade não visa à busca de uma experiência universal de homem, mas à compreensão da constituição dessa experiência considerada por nós, na atualidade, uma das mais fundamentais (Ferreira, 2013, p. 21).
Realidade psíquica, emocional e cognitiva do ser humano, passível de manifestar-se simultaneamente nos âmbitos individual e coletivo, e comprometida com a apropriação intelectual dos objetos externos (Houaiss, 2018).
Sistema Feudal
A estrutura social era rígida e os papéis e funções previamente estabelecidos, desde os camponeses, ao clero, chegando ao senhor.
Os feudos eram teocêntricos: Deus era o ponto de referência para o mundo, sua causa e explicação.
Feiras locais: os produtos vendidos eram produzidos dentro do feudo.
Os feudos eram separados geograficamente e socialmente.
Os efeitos da centralização de Deus na cultura medieval
Deus rege todas as coisas;
Logo, o ser humano não seria completamente livre para seguir sua vida
O homem não seria assim propriamente um sujeito, mas um espelho de Deus e, portanto, deveria corresponder aos seus mandos.
476-1453
O cristianismo
e a interioridade

"A invenção da interioridade individualizada e da hermenêutica como instrumento de verdade só será processada a partir de uma ética cristã, gestada a partir do século II d. C." (Ferreira, 2013, p. 22).
O que corrobora a criação dessa interioridade individualizada é a distinção entre aquilo que no interior do verdadeiro eu vem de Deus e portanto é bom e deve ser fomentado, e as armadilhas impostas pelo demônio (Ferreira, 2013).
Logo, essa interioridade era efeito da possibilidade das pessoas distinguirem os "pensamentos de origem divina dos difundidos pelo mal",(Ferreira, 2013, p. 22)
"A possibilidade de crença na liberdade humana é muito restrita, já que tudo faz parte de um plano maior, de um todo perfeito disposto por Deus. A noção de justiça na Idade Média, por exemplo, é a da colocação de cada ser no lugar que lhe é próprio. Tampouco haveria lugar para a privacidade. Na medida em que a onipresença e a onisciência são atributos de Deus, nada poderia ser mantido em segredo e nunca estaríamos sozinhos: pecar em pensamento já é pecar” (Santi, 2009, p. 16).

Deus rege tudo e promove a ordem sobre as coisas do mundo.
A liberdade
Agostinho de Hipona
(Santo Agostinho)
Passagem para uma noção de interioridade;
O mundo e suas contrapartes: interno/externo, eterno/temporal, espírito/matéria...
Aqui aparece um movimento inédito: com a desvalorização do corpo e de tudo o que é mundano, com a correspondente valorização da alma como algo interno, a busca por Deus passa a ser feita dentro de nós. Deus não deve ser procurado no que vemos, mas no próprio olhar” (Santi, 2009, p. 15).
A experiência de falar em primeira pessoa
EU
Na idade das "trevas" a emergência do eu.
Período: século V ao século XV
Marcador temporal: inicia com a deposição do último imperador romano (476) e termina com tomada de Constantinopla pelos Turcos Otomanos (1473)
Mudanças desde o período medieval
Diminuição do poderio da Igreja
Crise no sistema feudal;
Nascimento de cidades entre feudos em virtude dos comércios;
Rotas de comércio e expansão marítima: novos continentes, novas regiões, novas culturas.
Resgate da cultura grega ou helênica

HUMANISMO
"Já num mundo aberto, sem referências absolutas, surge a ideia de liberdade, mas ao mesmo tempo, a de solidão e responsabilidade. Se o homem não pode mais contar com uma resposta dada por uma autoridade absoluta, ele deverá buscar ou construir suas próprias respostas. Este é um dos principais elementos do humanismo” (Santi, 2009, p. 21).
Teocentrismo e Antropocentrismo
Deus no céu. Na terra, os homens;
O certo ou errado não está em Deus, mas na conduta dos homens: Deus criou e irá julgar. Apenas isso;
Das leis divinas às leis humanas: o controle do mundo.
O ser humano é o centro do mundo, mas em si, o ser humano não é nada especial. Ele deve buscar o que é.
Pecados e a contenção do eu
A vaidade humana e a crítica à aparência
O ser humano como pretensamente ideal aponta para uma eventual maldade e vaidade humanas
Figuras importantes:
Santo Inácio de Loyola
Montaigne
Erasmo de Roterdã
Shakeaspeare
Liberdade: é a causa da perdição
Salvação: exige a entrega da liberdade à autoridade religiosa em submissão absoluta
Herança militar: convertido na vida adulta, prega a disciplina e dedicação plena ao cumprimento da palavra de Deus
Acredita que um método de conhecer a si próprio é a introspecção e o eu é um fluxo contínuo, constituído processualmente.


Apelo por reformas e crítica à hipocrisia da Igreja;
Contra o ideal da bondade humana.
Críticas aos valores, costumes e moral vigentes.
Hamlet e o monólogo interno: a inação como narrativa e o fluxo de consciência como roteiro.


Vida
profissional
Formado pela Universidade de Heidelberg (1855);
Doutorado em Filosofia;
Começou a estudar medicina em Tubingen, mas não tinha inclinação para a área e especializou-se em fisiologia;
Em 1865 começa a lecionar em Leipzig.
A institucionalização da ciência psicológica
A criação do laboratório de Leipzig, em 1879
Mas qual o impacto da criação do laboratório?
"Durante todo o último quarto do século XIX, o Laboratório de Leipzig atraiu estudantes de várias partes do mundo (Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, entre outros) e tornou-se o primeiro e maior centro de formação de toda uma geração de psicólogos que posteriormente regressaram a seus locais de origem e fundaram novos laboratórios no modelo wundtiano" (Araújo, 2013, p. 115).
Centro de excelência na formação de psicólogos;
Reconhecimento do Instituto de Psicologia
Revista Estudos Filosóficos/Estudos psicológicos
Proliferação de laboratórios
Reconhecimento institucional da Psicologia
"Foi também o sucesso do Laboratório de Leipzig que impulsionou a institucionalização formal da psicologia, quando em 1883, o Instituto de Psicologia teve sua existência oficialmente reconhecida pela Universidade de Leipzig e passou a ser incluído no orçamento universitário. No entanto, essa institucionalização não deve ser entendida como uma autonomia e separação institucional da psicologia em relação à folosofia, uma vez que até a metade do século XX a psicologia continuou subordinada à Faculdade de Filosofia nas universidades alemãs" (Araújo, 2013, p. 115).
Uma revista de Psicologia
"Além de tudo isso, é digno de nota o fato de Wundt ter fundado e publicado, em 1883, um dos primeiros periódicos de psicologia, que inicialmente se chamava Philosophische Studien (Estudos Filosóficos) , e a partir de 1906, passou a se chamar Psychologische Studien (estudos psicológicos). Esse periodico era o veículo oficial de publicação dos trabalhos realizados no Instituto de Psicologia". (Araújo, 2013, p. 116).
A luta por um nome
Wundt lutou desde seus primeiros trabalhos psicológicos pela fixação do significado do termo "psicologia" como um campo que estuda a experiência possível.
PSICOLOGIA
As características do laboratório
"O laboratório de psicologia fundado em 1879 era bastante precário e consistia apenas em uma pequena sala, anteriormente utilizada como auditório, que foi doada a Wundt. Aos poucos ele foi adicionando novas salas ao Laboratório, o que levou o espaço a adquirir feições de um Instituto propriamente dito. Posteriormente, o Instituto mudou-se para um prédio próprio, construído segundo as especificações de Wundt, que se tornou modelo para os demais laboratórios de psicologia na época, até ser totalmente destruído durante a Segunda Guerra Mundial" (Araújo, 2013, p. 115).
Um fundador, uma obra desconhecida
Traduções
Modelo de escrita
Distorções na versão do autor
Esboços de Psicologia - Introdução
Objetivos aula
Compreender a concepção de Psicologia de Wundt;
Compreender os principais pressupostos de sua Psicologia
Conhecer os conceitos-chave, método e alguns esquemas gráficos sobre a obra do autor
Conhecer as críticas feitas ao trabalho de Wundt.
Conhecer a relação entre a obra de Wundt e Tietchener
"Os conteúdos imediatos da experiência que constituem o objeto de estudo da Psicologia são, sob quaisquer circunstâncias, processos de caráter composto. As sensopercepções de objetos externos, as memórias dessas sensopercepções, os sentimentos, as emoções e os atos volitivos são continuamente unidos nos mais variados modos, e cada um destes processos é em si um todo mais ou menos composto. A ideia de um corpo externo, por exemplo, é feita de ideias parciais de suas partes. Um som pode parecer muito simples, mas na medida em que o situamos em certa direção, isto resulta em uma conexão com a ideia de espaço externo, que, por sua vez, é altamente composta. Um sentimento ou uma volição estão ligados a alguma sensação que fez surgir este sentimento ou a um objeto desejado" (Wundt, 1896/2013, p. 371).
Tradução: Estevão de Carvalho Freixo

Os diversos caminhos para a Psicologia
Alguns modos de ser do eu podem ser derivados desse resgate histórico:
Eu moral;
Eu interiorizado;
Eu epistêmico;
Eu moral
"Da questão dos costumes, poderíamos derivar um eu moral, atento ao auto-controle em função de exigências sociais. Por este viés, a noção do eu é dada pelo reconhecimento externo, ele busca auto-afirmar-se e, para tal, investe na aparência e obediência a regras de conduta empregadas por aqueles que toma como autoridades, moldando-se aos ideiais que tem em torno de si: um eu social, digamos" (Santi, 2009, p. 107).
Eu interiorizado
"Tendo sua expressão máxima no romantismo, veríamos o eu interiorizado, que representaria em grande medida a questão do individualismo e da profundidade. Ele realizaria uma certa ruptura com os valores externos e um movimento de reflexão, no sentido da construção de si. Ele partiria de um desencanto com as aparências e descobriria (ou criaria?) níveis de profundidade no homem" (Santi, 2009, p.107- 108.
O eu epistêmico
"Finalmente, do iluminismo, ainda que crítica, derivaríamos o epistêmico. Trata-se do sujeito do conhecimento; o cientista enquanto sujeito dessubjetivado, ou seja, capaz de despir-se de todos os seus desejos e particularidades e ser objetivo em suas observações e experimentos com os fenômenos naturais. Ele acredita poder ser neutro, não interferir naquilo sobre o que se debruça. (Santi, 2009, p. 108).
Este eu retoma de forma atualizada a experiência da idade média, na qual cada um possui o seu lugar dentro de uma ordem maior sem lugar para terminação individual. A diferença é que este eu tem consciência de sua individualidade e mesmo assim se anula enquanto determinante de sua ação: vestir a camisa da empresa.
Consumação da crise da subjetividade
Marx- o homem é dominado por leis econômicas que desconhese
Darwin - o ser humano é uma espécie dentre várias outras espécies na cadeia evolutiva
Nietzsche - não há sentido nas coisas da vida.
Então quem
fundou
a Psicologia?
O eu não é uma substância, mas um órgão responsável por nossa adaptação ao mundo. Ele não possuiria qualquer transcendência e teria uma certa tendência a superestimar seu valor e independência. (Santi, 2009, p. 125)
Infância
Sua única diversão de infância era ficar sonhando em um dia se tornar um escritor famoso, mas seu rendimento escolar foi baixo.
A família vinha de uma forte tradição acadêmica. Seu pai era pastor mas Wundt não tinha boas recordações dele.
No início do segundo ano, a responsabilidade pela sua educação ficou a cargo de um assistente do pai, um vigário por quem wundt desenvolveu uma forte afeição
Mudou-se para viver com o assistente de seu pai até os 13 anos.
A institucionalização da Psicologia Científica
A segunda metade do século XIX foi caracterizada pela utilização de métodos das ciências naturais em pesquisas de fenômenos mentais. Técnicas foram elaboradas, livros foram escritos e aparelhagens, desenvolvidas. Alguns filósofos enfatizavam a importância dos sentidos, enquanto cientistas buscavam descrever seu funcionamento. Entretanto, faltava quem propusesse unir, sintetizar essas duas posições e, assim, constituir o marco do começo do reconhecimento da Psicologia como uma ciência, à luz do paradigma científico do período.
Gustav Fechner
Embora Fechner tenha contribuído para o reconhecimento da Psicologia como ciência ao desenvolver importantes estudos sobre as relações entre estímulos físicos do ambiente e sensações percebidas pelos sujeitos, ele não promoveu a efetiva formalização da Psicologia como ciência independente por não haver realizado uma síntese entre o reconhecimento da importância dos sentidos e a descrição de seu funcionamento.
A consolidação da ciência
PSICOLÓGICA
Menção honrosa:
Wilhelm Wundt
O que é Psicologia para Wundt?
A Psicologia é uma
ciência empírica
cujo objeto de estudo é a
experiência imediata
O que é uma ciência empírica?
O empirismo de John Locke
A experiência, o experimento e a observação
A intervenção na realidade
Mas o que é uma experiência?
Um conhecimento obtido por meio dos sentidos
O que seria, então uma experiência imediata?
"Toda experiência pode ser analisada pelo seu conteúdo objetivo (experiência mediata) ou subjetivo (experiência imediata). No primeiro caso, a ênfase recai sobre os objetos da experiência (mundo externo), pensados independentemente do sujeito da experiência, enquanto no segundo caso, investiga-se o próprio sujeito da experiência (mundo interno) em sua relação com os conteúdos da experiência" (Araújo, 2013, 108-109)
Essa definição ataca a proposta metafísica da época e a difícil ideia de mente, substituindo-a pela noção abrangente de experiência
Embora existam duas abordagens à experiência, Wundt afirma que não há uma diferença essencial de natureza entre ambas, elas se complementam porque expressam relatos diferentes da realidade: paralelismo psicofísico.
O que se passa quando temos dor de dente?
1. Infecção - Estímulo cerebral
2. Sensação no corpo
3. Representação da sensação como desconforto/dor
3. Desprazer/excitação/tensão
4. Raiva.
5. Vontade de retirar a parte dolorida.
conteúdo objetivo
conteúdo
subjetivo
Outro exemplo são sons agudos
Como chegar à experiência imediata?
Introspecção: a auto-análise da mente para se inpecionar e relatar os pensamentos ou sentimentos pessoais

AUTO-OBSERVAÇÃO
Narrativa sobre a experiência sem controle experimental
PERCEPÇÃO INTERNA
Controle experimental das
condições externas da experiência
O método wundtiano
Foco na percepção interna
O treinamento dos observadores:
Os observadores devem ser capazes de determinar quando o processo será introduzido.
Os observadores devem estar em estado de prontidão e alerta.
Devem haver condições adequadas para se repetir várias vezes a observação.
Devem hazer condições adequadas para se variar as situações experimentais em termos de manipulação controlada do estímulo
O objetivo de realizar a percepção interna sob rígidas condições experimentais consiste em produzir observações precisas passíveis de repetição, da mesma forma que a percepção externa produz para as ciências naturais observações que podem ser repetidas separadamente por outros pesquisadores.

A fim de atingir essa meta, Wundt insistia em treinar cuidadosa e rigorosamente os seus observadores para realizar corretamente as percepções internas. Exigia que eles completassem até 10.000 observações introspectivas individuais antes de considerá-los preparados para proporcionarem dados significativos para o seu laboratório de pesquisa.
Quais os conteúdos da consciência?
Experiência
imediata
conteúdo
objetivo
conteúdo
subjetivo
sensações
sentimentos simples
representações
sentimentos
complexos
afetos
processos
volitivos
conteúdos da
consciência
Sensações
: surgem sempre que um órgão do sentido é estimulado e os impulsos resultantes atingem o cérebro. Pode ser classificada pela intensidade, duração e modalidade do sentido.
Sentimentos
: Complemento subjetivo da sensação, embora não se origine diretamente de órgão do sentido.
prazer/desprazer
tensão/
relaxamento
excitação/
depressão
Fusão ou síntese criadora
Sua proposta para a psicologia é o
voluntarismo
Síntese criativa ou lei das resultantes psíquicas:
a combinação ativa de elementos simples produz compostos ou resultantes com propriedades não encontradas nos originais.
Apercepção
Exemplo 1.
A Psicologia Cultural
Existem fatos psíquicos que, embora não sejam objetos reais do mundo externo, possuem o caráter de objetos psíquicos, na medida em que sua natureza é relativamente estável e que independem do observador. Além disso, eles têm uma outra característica em comum que os tornam adequados à observação: eles são inacessíveis pelo método experimental (Araújo, 2013, p. 111).
Esse modelo pressupõe a existência de uma comunidade em que muitos indivíduos compartilham determinados modos de pensar, embora a fonte desses modos de pensar seja individual.

Psicologia dos Povos, Psicologia Cultural ou Völkerpsychologie
Características dos estudos em Psicologia dos Povos
Base em estudos e relatos etnológicos.
Exclusivamente observacional.
Grande investimento de trabalho por parte de Wundt: escreveu mais de 10 volumes sobre o assunto.
Concretizou seu desejo de infância: tornar=se um escritor famoso.
O destino da Psicologia de
Wundt
Ainda consistia em uma área da filosofia.
Poucos departamentos de psicologia independentes
Órgãos governamentais alemães não enxergavam utilidade prática em uma ciência psicológica.
Concorrência com o desenvolvimento da Psicologia nos Estados Unidos.
Críticas
Introspecção
Opiniões políticas de Wundt na primeira guerra contra a Inglaterra, o que fez sua obra sumir nos espaços de lingua inglesa.
Outros estudos concorrentes como a Gestalt e a Psicanálise.
Nomes de sucessores importantes:
Hermann Ebbinghaus
Franz Brentano
Carl Stumpf
Oswald Kulpe
E. B. Tietchener
Ex. 2
Tietchener e o estruturalismo
Wundt X Tietchener
Wundt havia identificado os elementos - ou o conteúdo - da consciência, No entanto a questão que mais chamava a sua atenção era a organização desses elementos, ou seja, a sua síntese em processos cognitivos superiores por meio da apercepção.

Tiechener também se concentrava nos elementos ou conteúdos mentais, entretanto descartava a doutrina da apercepção defendida por Wundt. O seu enfoque estava nos elementos propriamente ditos e, na sua opinião, a principal tarefa da psicologia consistia na descoberta da natureza das experiências conscientes elementares mediante a análise de suas partes.
+ ampla
+ restrita
Biografia
família tradicional, mas de poucos recursos;
obteve bolsas de estudo graças a seu intelecto;
foi aluno de Wundt e o principal responsável por difundir suas idéias nos estados Unidos.
foi o psicólogo da época que mais aceitou mulheres no doutorado, mas não permitia que elas participassem de uma reunião específica denominada "os experimentalistas de Tietchner".
considerava o ato de fumar uma obrigação para promover o desenvolvimento do intelecto.

A introspecção como auto-observação e o uso de materiais qualitativos;
Atomismo: busca pelos componentes mais simples dos processos conscientes.
Os elementos mentais tem características como a qualidade, intensidade, duração, nitidez e extensão.
Funcionalismo: as influências anteriores
O que interessava ao
funcionalismo?
O funcionamento da mente ou o uso que o organismo faz dela para adaptar-se ao ambiente.
Composição X Processos
1º sistema psicológico exclusivamente americano
Pergunta-chave: o que e como a mente produz?
Possível aplicação da psicologia a problemas cotidianos.
Precursores do funcionalismo
Charles Darwin: a origem das espécies;
Francis Galton: as diferenças individuais;
Psicologia do comportamento e da mente animal.
A revolução da evolução
As ideias pré-existentes
Erasmus Darwin
: "todo animal de sangue quente havía evoluído de um único filamento vivo e animado por Deus".
Jean-Baptiste Lamarck
: "modificações físicas durante a vida dos animais podiam ser herdadas por gerações sucessivas".
Charles Lyell:
"a terra passou por vários estágios de desenvolvimento até chegar à estrutura atual"
Américo Vespúcio
: "Noé não poderia ter colocado tantos animais na arca".
Como justificar o criacionismo frente a variabilidade das espécies e às diferentes ossadas e fósseis de animais que não existem mais?
A biografia de Darwin
Uma criança rude e maldosa que gostava de colecionar moedas, minérios e conchas;
O episódio da janela.
A falta de esperança do pai e seu últimato: academia ou clero.
Um jovem com a vida social agitada que colecionava besouros em Cambridge;
A indicação do botânico John Stevens Hanslow para fazer parte da excursão que mudaria sua vida: o HMS Beagle;
As preocupações de Darwin e a teoria da evolução
A mudança de atitude no retorno a Londres: nasce um cientista dedicado a desenvolver uma teoria da evolução.
O casamento, a mudança para Down e as perturbações de fundo neurótico.
As resistências a uma teoria da evolução: "se somos todos descendentes de animais, acabaríamos por nos comportar como eles!"
22 anos de espera para apoiar a teoria em dados irrefutáveis até a carta de Alfred Russe Wallace.
A morte do filho e a decisão por apresentar ambos os resultados, de Darwin e Wallace, no encontro da Sociedade Linneana em 1º de julho de 1858.
A explosão do livro no mundo.
A origem das espécies por meio da seleção natural
"A partir do fato evidente da variação entre os membros individuais de uma espécie, Darwin deduziu ser essa variabilidade espontânea transmitida de uma geração à outra. Na natureza, o processo de seleção natural resulta na sobrevivência dos organismos mais bem adaptados ao seu ambiente e na eliminação dos demais. A batalha pela sobrevivência é constante e as formas de vida sobreviventes são as que se adaptam ou se ajustam com êxito às circunstâncias ambientais a que foram expostas". (Shultz & Shultz, 2006)
Thomas Malthus
Thomas Henry Huxley: o propagador do evangelho da evolução
A querela com o bispo Samuel Wilberforce
"Se tivesse que escolher, preferiria ser descendente de um simples macaco do que de um homem que emprega seu conhecimento e sua eloquência para deturpar a imagem daqueles que dedicam a vida em busca da verdade."
Na associação britânica para o progresso da ciência
Após a morte de Wilbeforce após cair do cavalo e bater a cabeça no chão
"Coitado do querido Sammy! Pela primeira vez, seu intelecto entrou em contato com a realidade e o resultado foi fatal".
A evolução desafia a religião
Condenações por ensinar a teoria da evolução
Exigências de ensinar a teoria da evolução e o criacionismo
1999 e o Kansas tentando retirar a teoria da evolução do currículo das escolas públicas
A revolta dos
supremacistas brancos
"Se todas as raças tivessem a mesma origem como os brancos podiam ser superiores?"
Cartas cheias de ódio
A negação da pureza racial: desmascarando os impostores
Outras obras
The descent of man [A ascendência do homem] (1871)
Provas da evolução humana a partir das formas de vida mais simples enfatizando a semelhança entre processos mentais humanos e animais
The expression of the emotions in man and animals
[A expressão das emoções no homem e nos animais]
Expressões emocionais eram vestívios dos movimentos que em dado momento tiveram alguma função prática
A biographical sketch on infant [um esboço biográfico sobre uma criança] (1877):
Diário sobre seu filho, precursor da Psicologia do Desenvolvimento.
O bico dos tentilhões
Peter e Rosemary Grant
Retorno a galápagos: 1973 a 1993
Darwin subestimou a força da seleção natural
A seca e a proliferação de bicos grossos e resistentes.
As chuvas e a proliferação de ficos finos e adaptados a sementes pequenas.
A evolução das máquinas
Samuel Butler: Darwin among the machines (Darwin entre máquinas)
A evolução mecânica ocorria pelo mesmo processo da evolução humana
As máquinas obsoletas acabavam desaparecendo do mesmo modo que os dinossauros
As influências de Darwin na Psicologia
O enfoque na psicologia animal que formou a base da psicologia comparativa;
A ênfase nas funções e não na estrutura da consciência;
A aceitação da metodologia e dos dados de diversas áreas;
O enfoque na descriçaõ e mensuração das diferenças individuais;
"Enquanto os psicólogos estruturalistas continuavam a buscar as leis gerais que abrangessem toda a mente, os psicólogos influenciados pelas ideias de Darwin procuravam as diferenças mentais individuais e logo apresentaram técnicas para medir essas diferenças" (Shultz & Shultz, 2006, p. 134)
Diferenças individuais: Francis Galton
Incorporou a evolução na nova psicologia;
As diferenças individuais no passado: Juan Huarte e "The examination of talented individuals (o exame dos indivíduos talentosos) .
Weber, Fechner e Helmholtz: a falta de investigação sistemática.
Wundt e Titchener a consideravam ilegítima.
Biografia de Galton
Dotado de uma inteligência acima do comum;
Diferentes tópicos de pesquisa: impressões digitais, moda, distribuição geográfica da beleza, levantamento de peso e eficácia da oração religiosa;
O pai banqueiro e a pressão para exercer medicina;
O incidente com o Óleo de Cróton;
Morte do pai e os relatos das viagens;
Mapas meteorológicos
A influência do primo Darwin
A herança mental
"Hereditary Genius" (Gênio Hereditário): homens notáveis teriam filhos notáveis.
A Eugenia: "Se as pessoas de muito talento fossem selecionadas e acasaladas geração após geração, o resultado seria uma raça humana extremamente talentosa" p. 137.
Testes de inteligência e incentivo financeiro aos melhores indivíduos.
"A probabilidade de superioridade em algumas famílias não era alta o suficiente para Galton aceitar seriamente qualquer possibilidade de influência de um ambiente superior, como melhores oportunidades educacionais ou vantagens sociais".
Críticas à Eugenia.
Métodos estatísticos
A curva de Quetelet e o homem médio;
As medidas humanas médias: o valor médio da distribuição e a dispersão ou a faixa de variação;
Testes mentais
Para Galton a experiência podia ser medida por meio da capacidade sensorial.
Testes mentais: testes de habilidade motora e capacidade sensorial; os testes de inteligência usam medições mais complexas de habilidade mental;
Os instrumentos de Galton: a bengala com um apito, fotômetro, pêndulo calibrado e pesos ordenados.
O Laboratório Antropométrico e os registros das medidas humanas.
A associação de ideias
A diversidade de associações de ideias
O tempo de reação para a produção de associações de ideias.
Experimentos
: caminhadas e quantificação das associações; origens das associações a partir de palavras em folhas de papel; recordações de momentos esquecidos da infância.
Galton e Freud
"Galton também ficou bastante impressionado com a influência dos processos de pensamento do seu inconscienteque trouxeram para o nível consciente incidentes que acreditava haver esquecido muito tempo atrás. Disse que chegou a acreditar "que o meu melhor trabalho cerebral era totalmente independente da [consciência]". Escreveu sobre a importância do inconsciente em um artigo publicado na revista Brain (1879). Em Viena, Sigmund Freud, que tinha idéias príprias a respeito da importância do inconsciente, era assinante da revista e foi nitidate influenciado pelo trabalho de Galton"
(Shultz & Shultz, 2006, p. 142).
Imagens Mentais
Lembrem da mesa de café da manhã de vocês e relatem as imagens que vocês exergam: quais as cores, qual a nítidez, quais os detalhes?
Parentesco aumenta a chance de imagens semelhantes
Aritmética olfativa e outros tópicos
Variedade de pesquisas:
Sendo paranóico;
O poder da oração: não funciona com doenças, nem para os meteorologists mudarem o tempo e nem para os próprios religiosos aplicarem na vida cotidiana. A meta da sociedade devia ser aprimorar a raça humana e não buscar um lugar no céu.
A quantificação do bocejo em peças teatrais.
Contando pelo cheio: cada cheiro com um valor numérico.
A Psicologia Animal e a Evolução do Funcionalismo
Antes de Darwin, os animais não tinham qualquer semelhança com os humanos, proposta essa sustentada por Descartes.
Animais pensam?
Se fosse possível provar a existência da habilidade mental nos animais, além de comprovar a continuidade entre a mente animal e a mente humana, essas evidências colocariam por terra a dicotomia humano/animal defendida por Descartes. Desse modo, estava lançado o desafio para os cientistas buscarem as provas da existência da inteligência animal.
George John Romanes
Darwin deu a Romanes o seu caderno de anotações sobre o comportamento animal de modo a aplicá-lo à ideia de mente.
Publicou Animal intelligence (inteligência animal). "Não há diferença de modalidade entre os atos racionais executados pelo caranguejo e qualquer ato racional humano".
Escada mental: chimpanzés e cães tem moralidade indefinida, macacos e elefantes usam ferramentas, enquanto águas-vivas tem consciência de prazer e dor.
Métodos
Método anedótico
: utilização dos relatos de observação do comportamento animal.
Introspecção por analogia:
técnipara estudar o comportamento animal, partindo do princípio de que os processos mentais que ocorrem na mente do observador também se dão na mente do animal.
Críticas e avanços
O trabalho de Romanes empregava métodos muito aquém do rigor científico moderno e, muitas vezes, a divisão entre a interpretação factual e a subjetiva de seus dados não era clara. Todavia, embora os cientistas reconhecessem a deficiência dos seus dados e métodos, ele era respeitado pelos esforços pioneiros, incentivando o desenvolvimento na psicologia comparativa e abrindo caminho para o estudo do comportamento animal.
Conwy Lloyd Morgan
Sucessor de Romanes e crítico dos métodos anedótico e introspecção por analogia.
A lei da parcimônia ou Cânone de Lloyd Morgan
: a noção de que não se deve atribuir ao comportmaento animal um processo mental superior, quando for possível explicá-lo em termos de processo mental inferior.
Antropomorfismo X Ciência Objetiva: a
prioridade do experimentalismo em larga escala.
A psicologia comparativa surgiu da excitação e da polêmica provocadas pela sugestão de Darwin a respeito da continuidade entre as espécies humana e animal. As idéias básicas da teoria darwiniana são a noção de função e a afirmação de que as espécies evoluem e que as estruturas físicas são determinadas pela luta pela sobrevivência. Essa premissa levou os biólogos a considerarem cada estrutura anatômica um elemento utilitário ou funcional em um sistema total de vida e adaptação. Quando os psicólogos começaram a examinar os processos mentais da mesma maneira, estabeleceram o trabalho de base para um novo movimento: a psicologia funcional.
Qual a diferença entre o estruturalismo e o funcionalismo?

Como os dados e as idéias de Darwin alteraram o objeto de estudo e os métodos de psicologia?

Como Morgan limitou o uso da introspecção por analogia?
Funcionalismo: sua fundação e evolução
A evolução chega aos EUA
1900: a psicologia funcional migra da europa para os EUA.
Por qual razão o funcionalismo prosperou nos EUA e não na Europa?
Herbert Spencer
Filósofo inglês, autodidata de 62 anos;
Usava protetores de ouvido para proteger o pensamento de influências externas.
Principal contribuição: o darwinismo social.
Chegada triunfal aos EUA onde sua teoria proliferava, apoiada pelos ricos industriais.
O darwinismo social
Todas as espécies, inclusive os humanos e as instituições sociais, seguiam a lógica do evolucionismo;
"Se o princípio da sobrevivência do mais apto operasse com liberdade, apenas os melhores sobreviveriam. Portanto, a perfeição humana seria inevitável, caso nenhuma ação interferisse na ordem natural das coisas. O individualismo e o sistema econômico do laissez-faire eram vitais, ao passo que a interferência governamental na economia e no bem-estar da população (com subsídios à educação, moradia e pobreza) era uma força contrária". (Shultz & Shultz, 2006, p. 153).
Os inaptos deveriam ser extintos para o bem da sociedade.
"Se o Estado continuasse a sustentar empresas que não funcionassem bem, elas conseguiriam sobreviver, mas acabariam enfraquecendo a sociedade, violando a lei básica natural de que apenas o mais forte e mais apto sobrevivem" Shultz & Shultz, 2006, p. 153).
Laissez-faire
Simboliza o liberalismo econômico, na versão mais pura de capitalismo de que o mercado deve funcionar livremente, sem interferência, apenas com regulamentos suficientes para proteger os direitos de propriedade.
EUA, a nação perfeita
para o funcionalismo
Individualismo e autosuficiência;
Luta pela existência e livre iniciativa;
Consciência nacional;
A sobrevivência do mais apto na economia.
Independência do Estado
Os americanos eram voltados ao prático, útil e funcional. Os estágios iniciais da psicologia americana refletiram essas qualidades. Por essa razão, a teoria evolucionista foi mais bem aceita nos Estados Unidos do que em outras nações. A psicologia americana transformou-se em uma psicologia funcional porque a evolução e o espírito funcional am compativeis com esse temperamento básico, assim como a compatibilidade entre a visão de Spencer e o ethos americano permitiu que seu sistema folosófico incluenciasse todos os campos do conhecimento
(Shultz & Shultz, 2006, p. 154).
A filosofia sintética
O conhecimento e a experiência são explicados pelos princípios do evolucionismo.
Biologia, Psicologia, Sociologia e Moralidade
Quase 40 anos escrevendo 10 volumes.
A evolução contínua das máquinas
O censo populacional americano
O censo realizado dez anos antes foi tão complexo que levou sete anos para ser concluído. Cerca de 1.500 funcionários computaram a mão dados referentes a idade, sexo, etnia, residência e outras características (que esperavam obter) de cada cidadão americado. Os resultados foram compilados em um relatório de maais de 21 mil páginas. Nesse intervalo a população cresceu tão rapidamente que era óbvia a necessidade de uma mudança nos procedimentos ou, do contrário, o cendo de 1890 não seria concluído antes de 1900, já no início do censo seguinte. Havia a necessidade de uma nova e avançada máquina processadora de informações. (Shultz & Shultz, 2006, p. 155).
Herman Hollerith
e os cartões perfurados
William James
Uma figura controversa para os psicólogos experimentais;
Abandonou a psicologia depois de um tempo.
Não fundou o funcionalismo por assim dizer, mas apresentou as ideias do movimento.
A biografia de James
Família destacada e rica em Nova York;
Infância entre a Europa e os Estados Unidos;
Atenção e carinho apenas durante situações de adoecimento;
Incentivo paterno ao estudo das ciências.
Chegou a tentar ser um artista mas foi dissuadido.
Da arte para a química, da química para a medicina, da medicina para auxiliar de zoólogo na bacia do rio Amazonas (Brasil).
Aulas de psicologia em Berlim enquanto se tratava;
Após muitos tormentos, voltou e formou-se em medicina.
Neurastenia ou Americanite
Revista; "Anybody Who Was Anybody Was Neurastenic"
Descobrindo a Psicologia
A crença no livre-arbítrio como forma de se manter vivo.
As experiências com elementos químicos para alterar os estados mentais: óxido nitroso e nitrato de amila.
1º curso de psicologia: As relações entre fisiologia e psicologia.
O casamento com a esposa escolhida pelo pai, o nascimento dos filhos e a compulsão por viagens.
Os apaixonamentos por outras mulheres e a fúria da esposa.
A obra
12 anos de escrita e o alto impacto nas faculdades
Muitas críticas, inclusive de Wundt e Titchener, criticados na obra.
James: não existe uência psicológica e sou um incapaz.
Outras menções
Popularização da Psicologia;
The varieties of religious experience;
Talks to teachers: marcou o início da psicologia educacional e divulgou as idéias de ames sobre a aplicação da psicologia na sala de aula em situações de aprendizagem.
Nunca fez muitos experimentos, s possibilitou que a psicologia se tornasse mais conhecida e aplicada.
Princípios da psicologia
Créditos de James: escrita acessível, contraposição a hegemonia de Wundt/Titchener e visão alternativa por meio da análise funcional.
"A psicologia não tem como meta a descoberta dos elementos da experiência, mas o estudo da adaptação dos seres humano ao seu meio ambiente. A função da nossa consciência é guiar-nos aos fins necessários para a sobrevivência. (Shultz & Shultz, 2006, p.161)"
"Destaque a aspectos não racionais
da natureza humana".
O objeto de estudo: a nova visão de consciência
"A psicologia é a ciência da vida mental, abrangendo tanto os seus fenômenos (experiência imediata) como as suas condições (aparato cerebral)".
Crítica a Wundt: a descoberta de elementos mínimos da consciência por meio da análise introspectiva não demonstra que eles existam independentemente de um observador treinado. Os psicólogos realizam leituras da experiência com base na sua posição sistemática e com o seu ponto de vista.
Os observadores de Wundt e Titchener como sommeliers de mentes: experiências diferentes e não compartilháveis.
A falácia dos psicólogos
"Ninguém jamais experimentou uma sensação simples por si próprio. A consciência, desde o dia do nosso nascimento, gera uma imensa multiplicidade de objetos e relações e o que denominamos sensações simples é resultado da atenção discriminativa, levada a um grau muito alto" (James, 1890)
A vida mental consiste em uma unidade, em uma eriência total que se modifica. A consciência é um fluxo constante e qualquer tentativa de dividi-la em fases temporariamente distintas pode distorcê-la. Para expressar essa ideia, James cunhou a expressão fluxo de consciência.
A aplicação do fluxo de consciência
na literatura
Mrs. Dalloway
Abriu as cortinas, olhou para fora. Ó, que supresa! - na sala da casa ao lado a senhora idosa olhava diretamente para ela! Estava se preparando para dormir. E o céu. Vai ser um céu solene, havia imaginado, um céu sombrio, que vai esconder seu rosto na beleza. Mas lá estava ele - pálido, cinzento, sulcado velozmente por vastas nuvens afiladas. Era uma novidade aquilo. Deve ter começado a ventar. Ela estava prestes a se recolher, a senhora na sala oposta. Era fascinante observar, movendo-se de um lado para o outro, aquela velha senhora, atravessando a sala, aproximando-se da janela. Será que podia vê-la? Era fascinante com toda aquela gente rindo e gritando no salão, contemplar aquela senhora que, com toda a tranquilidade, se preparava para dormir sozinha. Agora fechou a cortina. Começou a soar o relógio. O rapaz havia se matado; mas ela não sentia piedade; com o relógio marcando a hora, uma, duas, três, não sentia piedade, com tudo isso acontecendo. Pronto! A velha apagara a luz! Agora a casa toda estava às escuras, com tudo isso acontecendo, repetiu, e ocorreram-lhe as palavras, não temas mais o calor do sol. Precisava voltar para seus convidados. Mas que extraordinária essa noite! De algum modo ela sentia muito parecida com ele - o rapaz que se matara. Ficou contente por ele ter feito isso; desistido de tudo enquanto eles continuavam a viver. O relógio estava soando. Os círculos plúmbeos dissolveram-se no ar. Mas ela precisa voltar. Precisa se recompor. Precisa ver Sally e Peter. E então deixou a saleta.
Logo,...
A consciência é cumulativa e não recorrente
A consciência teria uma base biológica, senão não teria sobrevivido ao tempo.
Sua função é adaptar os seres humanos ao meio ambiente, por meio da capacidade de escolhas.
Os métodos da Psicologia
Aceite da introspecção contanto que passível de comparação com diferentes observadores.
Recomendava o método experimental, embora não o tivesse utilizado em larga escala.
Propunha sempre o método comparativo:
"A averiguação do funcionamento psicológico de populações distintas, como de animais, crianças e pessoas não-alfabetizadas ou indivíduos emocionalmente desequilibrados, permitiria descobrir variações significativas na vida mental". (Shultz & Shultz, 2006, p. 165).
O pragmatismo como influência
James enfatizava a importância do pragmatismo na psicologia, cuja doutrina baseia-se na comprovação da validade de uma idéia ou de um conceito mediante a análise das consequências práticas. A conhecida expressão do ponto de vista pragmático afirma que "se funcionar, é verdadeiro".
A teoria das emoções
Estabelecido: a experiência mental antecede a expressão ou ação corporal.
Segundo James: a reação física antecede o surgimento das emoções.
O hábito
Atitudes repetitivas que envolvem o sistema nervoso e servem para aumentar a plasticidade da matéria neural. Como consequência, os hábitos facilitam a execução das subsequentes repetições e exigem menor atenção consciente.
A desigualdade entre homens e mulheres
Mary Whiton Calkins
Desenvolveu a técnica de associação de pares usada no estudo da memória;
Foi a primeira mulher a tornar-se presidente da APA
Ocupou a 12ª colocação entre os 50 psicólogos mais importantes dos EUA em 1906
O preconceito de Harvard e a negação em se formar em Radcliffe
Graduaçaõ honorária pela Columbia University.
A hipótese da variabilidade
Helen Bradford Thompson Wooley
Formou-se na University of Chicago, fez pós-graduação com bolsas de estudos em Paris e Berlim e depois tornou-se diretora do laboratório de psicologia da Mo Holyoke College em Massachussets.
Sua tese foi o primeiro teste experimental do conceito darwiniano da inferioridade biológica da mulher em relação ao homem. Sem diferenças significativas: o problema era ambiental
A recepção pública dos resultados.
Pesquisas sobre o efeito do trabalho infantil que mudaram a legislação.
Foi presidente da associação nacional de orientação vocacional.
Leta Stetter Hollingworth
Formou-se com louvor na University of Nebraska;
Teve dificuldade em iniciar uma carreira na universidade pois mulheres casadas não podiam lecionar nas escolas públicas.
Desmentiu a hipótese da variabilidade e outras noções de inferioridade feminina e que o ciclo menstrual não estava relacionado com os desempenhos definientes das habilidades motoras e perceptuais ou das capacidades intelectuais.
Desafio o conceito de instinto inato da maternidade: as aspirações das mulheres devem ir além da maternidade e do lar.
"Ninguém conhece a melhor dona de casa americana. Dona de casa famosa não existe e nem pode existir.
A fundação do funcionalismo
Ninguém queria fundar formalmente o funcionalismo. Havia vários funcionalismos.
Quem então fundou?
Uma fundação por contraposição.
"The postulates of a structural psuchology" ou os postulados da psicologia estrutural.
Uma disciplina nasce com a sistematização de seus principais pontos e a atribuição de um nome.
A escola de Chicago
John Dewey
Infância comum com demonstração de capacidade intelectual quando entra na University of Vermont;
Pós-graduação na Johns Hopkins University
Fama de ser um professor ruim na University of Chicago.
Falando com as boinas;
O salto na concepção de arco-reflexo.
O exemplo da criança e do fogo.
Hipótese tradicional: qualquer unidade de comportamento extingue a resposta a um estímulo, como quando a criança afasta a mão do fogo.
Hipótese de Dewey: Inicialmente a chama atrai a criança, mas, logo em seguida, ao sentir seus efeitos, repele o fogo. A resposta altera a percepção da criança sobre o estímulo (a chama). Portanto a percepção e o movimento (o estimulo e a resposta) devem ser visto como uma unidade e não como uma composição de sensações e respostas individuais.
James Rowland Angell
Nasceu em uma família de acadêmicos;
Estudou com Dewey e fez seu mestrado em Harvard, todavia, não concluiu seu doutorado na Alemanha.
Aceitou trabalhar em Chicago após o casamento.
Moldou o movimento funcionalista, transformando-o em uma escola de pensamento utilitária.
Foi o 15º presidente da APA.
Os três principais temas do movimento funcionalista
É a psicologia da operação mental. A tarefa do funcionalismo é descobrir o modus operandi do processo mental, as suas realizações e as condições sob as quais ele ocorre.
A psicologia funcional é a psicologia das utilidades fundamentais da consciência. É necessário descobrir qual era a função, não apenas da consciência como também dos processos mentais mais específicos como o julgamento e a verdade.
É a psicologia das relações psicofísicas e dedica-se ao estudo de todas as relações entre o organismo e seu ambiente.
Harvey A. Carr
Fez a especialização em matemática mas decidiu tornar-se psicólogo por admiração ao professor;
Mudou-se para Chicago pois no Coloado não havia laboratório de psicologia.
Foi assistente de laboratório de John B. Watson.
Sucedeu Angell como chefe de departamento.
Deu um formato final ao funcionalismo.
O livro básico: Psychology (1925)
Carr definiu a atividade mental como objeto de estudo da psicologia: os processos mentais como a memória, a percepção, o sentimento, a imaginação, o julgamento e a vontade.
A função da atividade mental é a aquisição, fixação, retenção, organização e avaliação das experiências e a sua utilização para determinar a ação de uma pessoa. Carr chamou a forma específica de ação na qual aparece a atividade mental de comportamento de adaptação ou ajuste.
Aceitava a introspecção e o método experimental.
O funcionalismo da Columbia University
Robert Woodworth
, James Mckeen Cattel e L. Thorndike;
A palestra de Stanley Hall e a leitura de Principles of Psychology de William James mudaram a vida de Woodworth.
Do estímulo-resposta para a dinâmica do organismo vivo.
A Psicologia Dinâmica: Sistema de Psicologia que se dedica aos fatores causais e às motivações que influenciam os sentimentos e o comportamento.
As críticas ao funcionalismo
Ruckmick: o termo função não é bem definido, sendo inconsistente e ambíguo.
A falta de ênfase nas estruturas: o funcionalismo é errado porque não é estruturalismo.
Ciência Pura X Ciência Aplicada: qual seria o destino da psicologia?
Contribuições
Incorporação da pesquisa sobre comportamento animal.
Complemento metodológico
Grupos diversos: bebês, crianças e adultos com dificuldade mental
Busca por soluções práticas a problemas.
Questão 8
Historicamente, as mulheres sofreram discriminações constantes na busca pela educação superior e pela oportunidade de mostrar sua igualdade intelectual frente aos homens. Na Psicologia não foi diferente, muitas mulheres batalharam para obter o título de psicólogas e de PhD, principalmente no final do século XIX e início do século XX, quando a hipótese da variabilidade e a ideia de desigualdade funcional das mulheres ainda perdurava. Tendo em vista esse contexto, avalie as afirmativas abaixo:
I. Leta Stetter Hollingworth foi uma psicóloga americana que desafiou o conceito de instinto inato da maternidade, questionando a noção de que a mulher atingia a plena satisfação somente sendo mãe;
II. Helen Bradford Thompson Wooley foi responsável por realizar o primeiro teste experimental do conceito darwiniano da inferioridade biológica da mulher em relação ao homem, e obteve como resultado que as diferenças eram insignificantes ou mesmo inexistentes.
III. Mary Whiton Calkins foi a primeira mulher a ser presidente da APA e desenvolveu a técnica de associação de pares para o estudo da memória.
Alternativas corretas são
a) I, somente
b) II, somente
c) II e III, somente
d) I e II, somente
e) I, II e III
Psicologia aplicada: a herança do funcionalismo
A Psicologia prática
A cultura americana era voltada ao prático
A aplicação da psicologia emergia simultaneamente à fundação do funcionalismo;
O avanço da Psicologia Americana
Em 1880, não existiam laboratórios nos Estados Unidos, enquanto em 1900, existiam 41 e eram mais bem equipados que os alemães;
Em 1880, não existiam publicações americanas especializadas em psicologia, enquanto em 1895, existiam três;
Em 1880, os estadunidenses tinham de ir para a Alemanha estudar psicologia; em 1900, a maioria optava pelos programas de pós locais;
De 1892-1904, foram concedidos mais de 100 títulos de PhD em psicologia, número superior ao de outras ciências.
Em 1910 50% dos artigos de psicologia foram escritos em alemão e somente 30% em inglês. Em 1933, 52% dos artigos eram em inglês.
A publicação britânica Who is Who in science, de 1913, afirmava que os Estados Unidos dominavam o campo da psicologia e contavam com os principais psicólogos do mundo (84), número maior que o de alemães, ingleses, e franceses somados.
O efeito
boom
"Meu curso básico de psicologia (...) conta com 360 alunos. O que este país fará com todos esses psicólogos?" (
apud
Brown, 1992, p. 65)."
"Muitos novos doutores principalmente desprovidos de fonte de renda independente, eram forçados a buscar o sustento financeiro fora das universidades" (Shultz & Shultz, 2006, p. 186.
Os psicólogos deveriam provar à direção das universidades e ao poder legislativo estadual que o novo campo da psicologia era dotado de valor financeiro
"A solução era clara: valorizar a psicologia, aplicando-a. Mas aplicá-la quê? Felizmente a resposta logo ficou evidente. As matrículas nas escolas públicas aumentavam significativamente e, entre 1870 e 1915 passaram de 7 para 20 milhões. Os gastos do governo com as escolas públicas durante esse período aumentaram de 63 para 605 milhões de dólares. A educação tornou-se um grande negócio chamando a atenção dos psicólogos" Shultz & Shultz, 2006, p. 187.
Outras áreas de interesse:
Comércio e indústria;
Centros de testes psicológicos
Sistema Judiciário
Clínicas de Saúde mental
5 psicólogos
Granville Stanley Hall;
James McKeen Cattel;
Lightner Witmer;
Walter Dill Scott;
Hugo Münsterberg;
Granville S. Hall
Ambicioso desde a infância;
Do seminário à psicologia: a inspiração na obra de Wundt;
Criou o primeiro laboratório de psicologia dos EUA
Criou a primeira revista especializada, a American Journal of Psychology;
Primeiro presidente da APA;
Comentários devastadores nos trabalhos dos alunos;
Incentivou mulheres, japoneses e negros a cursarem pós-graduação, embora nos caso das mulheres não concordasse com a co-educação
Elogios profissionais, críticas à personalidade
Evolução e teoria da recapitulação do desenvolvimento
Aplicar a Psicologia ao funcionamento da criança no mundo real: a criança se torna o laboratório;
O movimento do estudo infantil;
Uso de questionários em crianças: sucesso à época, abandono posterior pela falta de qualidade;
A teoria da recapitulação: o desenvolvimento psicológico da criança é uma repetição da história da raça humana;
A polêmica sobre os estudos a respeito do sexo.
Os estudos sobre a velhice na velhice.
James McKeen Cattel
A filosofia, o uso de drogas e o interesse pela psicologia.
As diferenças individuais e sua entrada como assistente de laboratório de Wundt.
O encontro com Galton e os estudos estatísticos.
Defendia a esterilização dos delinguentes e dos "defeituosos" e o inventivo ao casamento entre pessoas inteligentes e saudáveis.
Declínio da produção em virtude da editoração e organização das revistas.
Pessoa difícil...
Demissão por ser contra o envio de soldados a 1ª Guerra Mundial
O movimento dos testes mentais
"A psicologia não será capaz de atingir a certeza e a exatidão das ciências físicas, a menos que se baseie nos fundamentos da experiência e da medição. Um passo nessa direção pode ser dado, aplicando-se uma série de testes e mensurações mentais a um grande número de pessoas"

Cattel, 1890
Alfred Binet
Testes mentais (Cattel) X Testes de Inteligência (Binet)
Sensório-motor ou funções cognitivas?
A aplicação de testes nas filhas.
Comissão na França para estudar a capacidade de aprendizagem das crianças que apresentavam dificuldades na escola.
Desenvolvimento de um teste de inteligência.
Idade mental: idade em que crianças de habilidade normal podem realizar certas tarefas.
Lewis M. Terman
Quociente de inteligência
: número que representa a inteligência de uma pessoa obtido com a multiplicação da idade mental por 100 e, em seguida, dividindo-se o resultado pela idade cronológica.
A primeira Guerra Mundial e os Testes em Grupo
As idéias extraídas da Medicina e da Engenharia
A contribuição das mulheres ao movimento dos testes
Como determinar as melhores tarefas para os recrutas? A necessidade de classificação.
A inteligência como critério classificador.
Grupo de Robert Yerkes: 40 psicólogos que aplicaram um teste de multipla escolha para dividir o exército em Alfa e Beta. Sendo esses últimos aqueles que não falavam inglês e para os quais as demonstrações se faziam por mímica ou demonstração.
Aplicação tardia (3 meses antes do fim da guerra e inútil ao exército). Todavia, houve uma valorização dos testes via publicidade.
O sucesso da aplicação dos testes grupais e a epidemia de testagem psicológica.
Thomas Edison e a bancarrota dos testes psicológicos: "Em se tratando de pessoas que frequentaram a universidade, acho-as supreendentemente ignorantes. Parece que não sabem nada".
Pacientes e pontes de conhecimento: o uso de terminologias de outras áreas para legitimar a ciência psicológica.
A inteligência das diferentes raças
O uso indiscriminado dos testes em pessoas de outras nacionalidades e raças. O caso de Goddard em Ellis Island.
Uma crítica Sonora: Horace Mann Bond. Os negros do norte eram superiores aos brancos dos estados do sul. O problema não era genético mas ambiental.
A posição da APA atualmente.
Inferiorizadas pelos acadêmicos, muitas mulheres partiam para o campo aplicado da psicologia.
Florence L. Goodnough e o teste do desenho da figura humana.
Maude A. Merrill James revisou o teste de inteligência Stanford-Binet
Thelma Gwinn Thurstone e a bateria de testes das habis mentais primárias.
Psyche Cattel, filha de James Cattel, e a escala de inteligência infantil de Cattel.
Anne Anastasi: prodígio com mais de 150 produções científicas.
Lightner Witmer
Filho de um próspero farmacêutico que acreditava na importância da educação.
Briguento,anti-social e convencido;
Fundou a psicologia clínica em 1896 com a primeira clínica de psicologia do mundo.
Não adotava a psicoterapia ou técnicas contemporâneas: seu interesse era a análise e avaliação do comportamento de crianças em idade escolar.
O aluno com dificuldade de soletrar
As clínicas de avaliação infantil
Equipes interdisciplinares nas clínicas.
Witmer "pedia aos médicos que examinassem as crianças para determinarem se a desnutrição ou as deficiênicas visual e auditiva consistiam em fatores contribuintes para as dificuldades dos pacientes. Depois desse exame, os psicólogos testavam-nos e os entrevistavam e os assistentes sociais preparavam o histórico a respeito da formação familiar de cada um (Shultz & Shultz, 2009, 208).
Relatos dos ex-pacientes; sistematização de técnicas e a influência de Sigmund Freud.
A guerra e o tratamento dos traumas.
Walter Dill Scott
Ex-aluno de Wundt;
Foco na propaganda, no mercado e no ambiente de trabalho;
Foi a primeira pessoa a aplicar a psicologia a seleção de pessoal, administração e publicidade, o autor do primeiro livro na área;
Foi o primeiro a obter o título de professor de psicologia aplicada.
Foi o fundador da primeira empresa de consultoria em Psicologia
Primeiro psicólogo a receber do exército uma medalha de honra por serviços prestados.
A publicidade, a sugestionabilidade humana e a seleção de pessoal
Pressuposto: o consumidor pode ser facilmente influenciável porque, muita vezes, não age racionalmente.
Scott não apenas media a inteligência geral na seleção de pessoal, como também se interessava em saber como a pessoa empregava sua inteligência.
O movimento da Psicologia Industrial-Organizacional
Crescimento da área da psicologia para seleção de líderes nas empresas e de pessoal para o exército.
Estudos de Hawthorne e as Questões Organizacionais: "ultrapassaram o limite da seleção e da colocação de pesoal, abordando problemas mais complexos das relações humanas, como a motivação e a moral".
Lillian Moller Gilberth
Promoveu, em conjunto com seu marido, Frank Gilberth, a análise do tempo-movimento como uma técnica para melhorar o desempenho no trabalho.
Teve dificuldades em publicar seus livros por conta de ser mulher: os empresários não comprariam livros escritos por mulheres.
Mesmo assim seguiu uma longa carreira de sucesso.
Anna Berliner
Única mulher orientanda de Wundt
Postura impositiva para convencê-lo.
Estudou a publicidade nos jornais japoneses e realizou uma pesquisa de mercado na Alemanha.
Hugo Münsterberg
Auge e queda: de convidado da casa branca a uma das pessoas mais odiadas nos Estados Unidos;
Passou 10 anos em Harvard até publicar seu primeiro livro: American Traits (Traços Americanos) 1902.
Nunca fugia de polêmicas.
Defesa da Alemanhã em plena Primeira Guerra Mundial.
Ostracismo e morte
A Psicologia Forense e a testemunha ocular
Estudou a relação entre psicologia e leis;
Escreveu artigos em revistas abordando temas como a prevenção do crime, o uso de hipnose no interrogatório dos suspeitos, a aplicação de testes mentais para detectar os culpados e a honestidade questionável da testemunha ocular.
A Falibilidade da percepção humana no testeminho de um crime e na subseqüente reconstituição da cena
Também contribuiu para a Psicoterapia e para a Psicologia industrial
A Psicologia Aplicada: Mania Nacional nos EUA
As pessoas passaram a crer que o psicólogo era capaz de resolver tudo, desde a crise no casamento até a insatisfação profissional além de vender qualquer item, desde o automóvel até o creme dental.
Na depressão, 1930, os psicólogos passaram a ser criticados por não cumprirem com suas promessas.
Apenas a partir da 2ª Guerra e com a psicologia aplicada que os psicólogos provaram seu valor.
Transferência de poder dentro da APA: comando dos psicólogos aplicados.
Full transcript