Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Reformas religiosas (Séc XVI)

No description
by

Kieran Bragança

on 30 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Reformas religiosas (Séc XVI)

Reformas religiosas (Séc XVI)
Contexto anterior às reformas
Lutero e o movimento reformista
- em 1517, Martinho Lutero (1483 - 1546), teólogo, escreveu sua obra composta de 95 teses que estabeleciam duras críticas ao comportamento do clero e exigindo uma reforma ética e da doutrina católica.

- dentre suas teorias, as que mais se propagaram foram:
justificação pela fé;
sacerdócio universal;
autoridade da palavra revelada;
fim do celibato;
iconoclastia;
livre interpretação da bíblia;
missas ministradas na língua nativa da região;
desapego material da Igreja;
Repercussões das ideias de Lutero
- as medidas de Lutero desencadearam movimentos reformistas em várias regiões da Europa, dentre eles pode-se citar:
-
O Calvinismo
:
João Calvino (1509 - 1564) - França e Suíça;
teoria da predestinação: "o homem já nasce destinado ao céu ou ao inferno e
nada que ele fizer na Terra mudará isso";
Acumular riquezas por meio do trabalho é o sinal da salvação;
o calvinismo acabou assumindo uma concepção burguesa;
segundo o historiador Max Weber, o calvinismo está diretamente ligado ao desenvolvimento do capitalismo.
o calvinismo acabou dando origem a diversas outras vertentes protestantes: puritanos (Inglaterra), Huguenotes (França), Presbiterianos (Holanda);
-
Os Anabatistas
:
ala radical do protestantismo, que acreditava que o batismo só tinha real validade após a conversão consciente do indivíduo, ou seja, na fase adulta.
Exemplos: Batistas, Pentecostais e Amishes)
- fortalecimento da monarquia:
influência política da Igreja e monopólio do comércio de artigos religiosos;
desejo do rei de aumentar seu poder e reduzir o da Igreja;

- posse das terras eclesiásticas:
nobreza capitalista almejava as posses da Igreja e para isso, apoiavam o rei;

- a difusão das ideias protestantes tiveram grande importância;

- o pedido de divórcio feito por Henrique VII pelo fato da rainha Catarina de Aragão não lhe dar um herdeiro homem, foi negado pelo Papa Clemente VII;

- Ato de Supremacia - 1534:
o rei passou a ser o chefe supremo da nova igreja nacional, a Anglicana;
não houve modificações na doutrina e nos cultos católicos;
- Henrique VIII (1491 - 1547) - Inglaterra;
A reforma anglicana
A reforma católica
- Concílio de Trento (1545): Reorganização da Igreja Católica e criação de medidas para conter a expansão protestante e expandir o catolicismo;

- diretrizes da reforma: punir, moralizar e expandir;
- Punir:
Tribunal do Santo Ofício (Inquisição): propagação do sectarismo religioso, ou seja, da intolerância ao convívio de diversas doutrinas religiosas diferentes;
organização do Index: obras consideradas proibidas pela Igreja. Livros, quadros, pesquisas, etc.

- Moralizar:
fim das indulgências e da venda de cargos eclesiásticos;
preparação do clero (cursos seminaristas);
manutenção da infalibilidade papal;

- Expandir:
formação de ordens religiosas disseminadoras da fé católica (Ex: Companhia de Jesus - Jesuítas);
processo de expansão através de parcerias com países católicos colonizadores. (Ex: países ibéricos).
- incessante busca do clero católico por riqueza e luxo;
- venda de cargos eclesiásticos (principalmente à burguesia);
- despreparo do corpo sacerdotal (clero sem formação teológica);
- desrespeito ao celibato (filhos, orgias, prima nocte, etc.);
- burguesia x Igreja Católica: proibição da usura e do livre estabelecimento de mercadorias;
- o poder papal ameaçava o crescente poder dos reis absolutistas;
impostos aos fiéis e enriquecimento de Roma;
- Comercialização da fé:
venda de indulgências
simonia: venda de "relíquias sagradas"
- influências renascentistas como a do racionalismo e do antropocentrismo;
- aparecimento de ordens religiosas que se afastaram dos "maus hábitos" da Igreja.
Indulgências
- prática comum na Idade Média;

- manutenção da riqueza = + indulgências;

- perdão dos pecados passados passa a ser também dos pecados futuros;

- em 1506, para a construção da Basílica de São Pedro, as contribuições dos fiéis eram recompensadas com as chamadas
cartas de indulgência plena
, que concediam salvação eterna;

- em 1517, o Papa Leão X concede o direito de indulgência aos mortos.
JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ
Somente a fé leva à salvação. Lutero criticava as indulgências, o uso de dinheiro dos fiéis para obras religiosas e também a venda de relíquias consideradas sagradas.
SACERDÓCIO UNIVERSAL
Todos os cristãos são iguais, logo, essa afirmação negava a santidade do clero, que era a base do poder e dos privilégios da Igreja Católica.
AUTORIDADE DA PALAVRA REVELADA
Cada fiel tinha razão e bom senso para interpretar as palavras da Bíblia.
Contrarreforma,
Full transcript