Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os Lusíadas: reflexões do poeta

No description
by

Marta Cardoso

on 28 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os Lusíadas: reflexões do poeta

Canto X Os Lusíadas: Canto X Reflexões do poeta Conclusão Plano da mitologia: Reflexões do poeta 145 No mais, Musa, no mais; que a lira tenho
Destemperada e a voz enrouquecida;
E não do canto, mas de ver que venho
Cantar a gente surda e endurecida.
O favor com que mais se acende o engenho,
Não no dá a Pátria, não, que está metida
No gosto da cobiça e da rudeza
Duma austera, apagada e vil tristeza.

146 E não sei por que influxo de destino
Não tem um ledo orgulho e geral gosto,
Que os ânimos levanta de contino
A ter pera trabalhos ledo o rosto.
Por isso vós, ó Rei, que por divino
Conselho estais no régio sólio posto,
Olhai que sois (e vede as outras gentes)
Senhor só de vassalos excelentes!
148 Por vos servir, a tudo aparelhados;
De vós tão longe, sempre obedientes
A quaisquer vossos ásperos mandados,
Sem dar resposta, prontos e contentes.
Só com saber que são de vós olhados
Demónios infernais, negros e ardentes,
Cometerão convosco, e não duvido
Que vencedor vos façam, não vencido.
Contraste: exaltação nacional e críticas negativas
Carácter atual do conteúdo das reflexões sobre o país e o povo português
reflexões do poeta Banquete para os navegadores;
Profecia sobre o futuro dos Portugueses no Oriente;
Explicações de Tétis sobre a Máquina do Mundo; Plano da viagem: Viagem de regresso a Portugal;
Chegada a Lisboa. 149 Favorecei-os logo, e alegrai-os
Com a presença e leda humanidade;
De rigorosas leis desalivai-os,
Que assi se abre o caminho à santidade;
Os mais exp’rimentados levantai-os,
Se com a experiência têm bondade,
Pera vosso conselho, pois que sabem
O como, o quando e onde as cousas cabem.
151 Os cavaleiros tende em muita estima,
Pois com seu sangue intrépido e fervente
Estendem não somente a Lei de cima,
Mas ainda vosso Império preminente;
Pois aqueles que a tão remoto clima
Vos vão servir com passo diligente,
Dous inimigos vencem: uns, os vivos,
E (o que é mais) os trabalhos excessivos.

152 Fazei, Senhor, que nunca os admirados
Alemães, Galos, Ítalos e Ingleses
Possam dizer que são pera mandados,
Mais que pera manda, os Portugueses.
Tomai conselho só de exp'rimentados,
Que viram largos anos, largos meses,
Que, posto que em cientes muito cabe,
Mais em particular o experto sabe. Marta Cardoso, nº 19, 12º4º
Full transcript