Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PNSIPN: COMUNICAÇÃO EFETIVA E TERAPÊUTICA

Política Nacional de Saúde Integral da População Negra no ponto do cuidado
by

Isabel Cruz

on 1 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PNSIPN: COMUNICAÇÃO EFETIVA E TERAPÊUTICA

Dê início ao encontro clínico
• Dê início ao encontro clínico com o cumprimento. Sempre que possível, sorria.
Crie o momento de receptividade
• Crie o momento de receptividade às “3 Cutucadas” e à consideração sobre as práticas de saúde afrobrasileiras no cuidado de saúde.
Meu nome é...
Seu nome é...
Apresente-se e sempre trate @ cliente pelo nome (nome social, se for o caso). As pessoas mais velhas, trate por senhor ou senhora.
Olhe nos olhos
• Olhe nos olhos de forma atenciosa durante a conversação
Explique o que faz
• Explique o que faz ou irá fazer, como por exemplo, a coleta do quesito raça/cor (pergunta sensível).
O entendimento d@ paciente
Por meio do "ADERE", colete informação sobre o problema de saúde e experiências prévias ou paralelas com seu enfrentamento:
- sistema tradicional de saúde e cura, por ex.
PNSIPN: COMO COMUNICAR
DE FORMA EFETIVA E TERAPÊUTICA?

PNSIPN no ponto do cuidado
• Utilize a técnica “Mostre-me” ou “Ensine de Volta” para validar o entendimento d@ paciente e/ou familiar sobre o problema de saúde, tratamento (incluindo as práticas afro-brasileiras de cuidado, se pertinente) e encaminhamentos.
Ensino à(o) paciente
• Finalize o encontro clínico. Sintetize as informações (incluindo encaminhamentos e retornos) e solicite por perguntas. Despeça-se com o cumprimento
Finalize o encontro clínico
Formule o plano de cuidado em comum acordo com @ cliente, considerando suas práticas afro-brasileiras de saúde & cura
PREPARE & PREPARE-SE
1- Prontuário d@ paciente
2- O ambiente do encontro clínico: conforto, privacidade e redução de interrupções
3- Auto-exame das suas próprias questões pessoais, suas presunções, seus valores e viéses (étnico-racial, cultural, religioso, etc) quanto ao encontro clínico com @ paciente.
ABERTURA PARA O ENCONTRO CLÍNICO
Garantia de um ambiente onde se é bem-vind@:
apresente-se e explique sua função,
indique antecipadamente o tempo disponível e outras limitações,
acomode @ paciente confortavelmente e com privacidade,
identifique barreiras de comunicação (problemas visuais, auditivos, etc) e as corrija, se necessário.
Utilize linguagem simples (sem jargão profissional) independente da escolaridade d@ paciente.
COMUNIQUE INTERESSE EM OBTER INFORMAÇÃO
Investigue a razão d@ paciente para o encontro clínico (perguntas abertas, escuta ativa, contato ocular, validação do entendimento e sumarização)
Determine a queixa principal
Complete os dados

A PERSPECTIVA
D@
PACIENTE
Dialogue para identificar:
a ideia sobre a doença ou problema
as expectativas quanto ao encontro clínico
as crenças de saúde e expectativas futuras
o papel da família, comunidade, religião ou espiritualidade, crenças e valores sobre a doença & tratamento
as preocupações e medos d@ paciente sobre a doença & tratamento (verbal e não-verbal)
as frustrações, desafios, progresso, incerteza quanto a doença, tratamento e o SUS
COMUNIQUE SEMPRE
Prepare @ paciente, inclusive solicitando seu consentimento.
Comente os achados do exame ou procedimento enquanto ele é realizado
Escute sobre dados não informados anteriormente sobre o problema ou preocupação
TOMADA DE
DECISÃO COMPARTLHADA
Negocie o plano terapêutico:
encorage a decisão compartilhada atéa extensão da vontade d@ paciente
antecipe problemas e delineie opções
identifique o entendimento d@ paciente, suas preocupações e, principalmente, suas preferências (inclusive práticas de cura afro-brasileiras)
Chegue a uma solução aceitável (baseada em evidência científica) & MÚTUA.
Verifique a motivação e também a habilidade d@ paciente cumprir o plano
Apresente a lista de recursos comunitários (inclusive instituições de cultura negra) e apoios institucionais ao plano terapêutico
COMPARTILHE INFORMAÇÃO
Use o "Mostre-me" ou "ensine de volta" ou "explique com suas palavras seu problema e tratamento" como forma de abordagem em ensino de saúde significativo e avaliação do real entendimento d@ paciente
Use linguagem simples, direta, sem jargões ou infantilismos.
Use material didático adequado e culturalmente pertinente (diagramas, modelos, impressos, etc)
Encorage perguntas
ENCERRAMENTO DO ENCONTRO CLÍNICO
Sinalize gentilmente o fim do encontro clínico
- pergunte sobre quaisquer outros problemas ou preocupações
- crie oportunidade d@ paciente encerrar o encontro
- sintetize o exame e o plano de tratamento (incluindo encaminhamntos & retornos)
- explicite expectativas futuras e/ou não realistas
- assegure um plano para um resultado inesperado e seguimento
- AGRADEÇA à/ao paciente por compartilhar suas informações pessoais e confiar na sua expertise para cuidar del@.
- Despeça-se com cumprimento e acompanhamento.
O racismo institucional torna @ paciente "invisível" para @s profissionais de saúde e "tranca" a relação terapêutica. Qual a chave para a mudança?
A
Avaliação
da necessidade de tratamento com @ paciente;
D
Diálogo
sobre potenciais estratégias ou opções de tratamento (incluindo práticas tradicionais)
E
Explicitação
de quaisquer dúvidas ou preocupações que o paciente possa ter sobre o tratamento; assim como o alfabetismo funcional em saúde, a compreensão sobre o propósito do tratamento e as barreiras e facilitadores à adesão
R
Recomendação
sobre o tratamento de forma negociada (tomada de decisão compartilhada), revisando o plano terapêutico com o paciente;
E
Empoderamento
do paciente por meio da negociação de seu compromisso com o plano terapêutico e do aprendizado efetivo (demonstração) sobre o autocuidado.
Full transcript