Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

EPIDEMIOLOGIA: Indicadores de Saúde

No description
by

Fabiano Soares

on 18 March 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of EPIDEMIOLOGIA: Indicadores de Saúde

INDICADORES DE SAÚDE: Morbimortalidade
A Epidemiologia estuda os vários
processos
de saúde-doença que ocorrem nas populações, analisando
frequências
,
distribuições
e
fatores
determinantes destes fenômenos;
Indicadores de Saúde
A prevalência
P
varia proporcionalmente com o produto da incidência
I
pela duração
D
.
Dinâmica Incidência x Prevalência
MORBIDADE é entendida como o
número de casos
de doença ou de outros agravos à saúde em uma determinada população. A partir dessa medida, é possível conhecer os agravos mais frequentes e o risco de adoecimento de um grupo da população.
Morbidade
Quantificação de Variáveis Populacionais
Mensurar o estado de saúde e bem-estar de uma população é uma tarefa
COMPLEXA
, porém
NECESSÁRIA
. Pra isso usamos
Indicadores
;
Traduz a ideia de
intensidade
com que ocorre a
morbidade
por alguma doença na população.
Incidência
Em uma população aberta temos...
Indica proporção de casos
conhecidos
de uma dada doença ou agravo à saúde numa população em um determinado momento;
Prevalência
Subconjuntos de Morbimortalidade
Os estudos epidemiológicos se valem da
estatística
, da
clínica médica
e das
ciências sociais
para produzir seus conceitos, métodos e indicadores próprios;
Uma das prerrogativas de qualquer estudo epidemiológico é a sua capacidade de
quantificar/medir
a ocorrência de uma doença ou um agravo à saúde.
Conhecer o agravo
Descrever
as principais doenças e agravos à saúde que atingem uma determinada comunidade.
Idade
Conhecer as faixas etárias mais
atingidas
pelos agravos.
Riscos
Identificar
fatores
ou
comportamentos
de risco associados a esses agravos.
Controle
Identificar possíveis
mecanismos
de controle que possam ser
efetivos
para cada caso.
Grupos
Conhecer os grupos mais
suscetíveis
a esses agravos.
Indicadores
são instrumentos de
medida
utilizados para descrever e analisar uma situação existente,
avaliar
o cumprimento dos objetivos, além de prever
tendências
futuras;
O
conceito de saúde
utilizado para elaborar um indicador define o que se quer medir. Por exemplo:
Assistência curativa
- nosso indicador será número de médicos por habitante.
Condições de vida
- terá que abarcar itens como renda, educação, lazer, acesso a serviços de saúde, etc.
Seleção e Avaliação
VALIDADE
- adequado para medir o fenômeno;
REPRODUTIBILIDADE
- concordância entre medidas coletadas;
REPRESENTATIVIDADE
- cobertura populacional durante a coleta dos dados;
ÉTICO
- obediência a preceitos que respeitem a fonte dos dados.
Além de.....
Simplicidade, facilidade de obtenção e custo compatível.
Abordamos esse número de casos através da
Incidência
e da
Prevalência
de agravos à saúde.
Sua variação mede a
probabilidade
(risco) do surgimento de
casos novos
de uma doença ou agravo à saúde numa população
delimitada
, durante um período
determinado
de tempo.
Em estudos
analíticos
, permite estudar fatores de risco
associados
a um agravo determinado.
CI =
Casos novos de um agravo em um determinado período de tempo
População exposta ao risco estudado nesse mesmo período
x 10n
Exemplo:
No ano de 2006, em Recife, foram registrados
43
casos novos de leucemia numa população de
1,2 milhão
de habitantes. Assim, durante o ano de 2006, a
Incidência
de leucemia em Recife correspondeu à probabilidade do surgimento de quantos casos novos em cada 100.000 habitantes?
CI=
43 casos novos
1.200.000
x 100.000
=
3,6/100.000
Obs.: quando aplicado a surtos epidêmicos se chama de
Coeficiente
ou
Taxa de Ataque
e é mostrado como valor percentual.
Ex.: 50 estudantes de
Nutrição
foram a um jantar comemorativo da formatura. No dia seguinte 30 foram diagnosticados com gastroenterite, talvez a salada de maionese...
CA = 30/50 x 100 = 60% dos estudantes.
Sua variação mede a força da
permanência
destes casos na população, através do acúmulo destes casos (volume) num momento específico;
Muito utilizado para estudos epidemiológicos
descritivos
e diagnósticos de saúde de uma população, como instrumento de gestão e planejamento da saúde.
CP =
Casos existentes em um dado momento
População exposta ao risco nesse mesmo momento
x 10n
Exemplo:
No município de Açu, durante o ano de 2006, foram registrados
20
casos novos de diabetes e constatados
5
óbitos de diabéticos. O número de casos conhecidos era 80. A população estimada da cidade era de 50.000 habitantes. Vejamos a Prevalência para duas datas: 01/01/2006 e 31/12/2006.
CP=
80
50.000
x 100.000
= 160/100.000
01/01/2006
31/12/2006
CP=
50.000
(80+20-5)
x 100.000
= 190/100.000
P = I x D
I = P/D
D = P/I
Além disso, temos:
Patogenicidade
= Doentes/Infectados
Virulência
= Graves/Doentes
Letalidade
= Óbitos/Doentes
Mortalidade
= Óbitos/População
População
Expostos
Infectados
Doentes
Graves
Óbitos
Prof. Fabiano Soares
Full transcript