Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Crise Ucrânia/Russia

No description
by

Silvia Beltrane Cintra

on 15 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Crise Ucrânia/Russia

22/02/2014
25/05/2014
Referências de pesquisa
A queda do MH17
Putin, por sua vez, expandia suas relações com a China, ganhando um apoio moral de outros países dos Brics (Brasil, Índia, China e África do Sul) e também retomando antigas e fazendo novas amizades na América Latina.

Mas a tragédia do MH17 interrompeu tudo isto.

O governo dos Estados Unidos e vários aliados dos americanos acusaram a Rússia de instigação e cumplicidade. Muitos meios da imprensa ocidental tratam a Rússia como um Estado pária. Como a maioria das vítimas era da Holanda, as relações entre a Rússia e a Europa devem ser as mais prejudicadas.
A questão do gás
Movimento Separatista - "Nova Russia"

O presidente Vítor Yanukovich adia a assinatura do acordo com a União Européia, devido ao comprometimento econômico com a Rússia, fez pacto com a mesma por um pacote de ajuda de US$ 15 bilhões de Moscou e pela redução do preço do gás russo.
A revolta contra essa medida se transformou em protestos espalhados por todo o país contra a corrupção na administração de Yanukovich, desencadeando um conflito geopolítico, já que os Estados Unidos e seus aliados pediram que Yanukovich optasse por um acordo com a Europa apoiado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).
28/11/2013
Presa desde 2011, a líder oposicionista Yulia Tymoshenko foi libertada da prisão no mesmo dia 22, sua soltura foi determinada pelo Parlamento ucraniano, com base em uma decisão da Corte Europeia de Direitos Humanos.
Tymoshenko, antiga inimiga do presidente Viktor Yanukovich, foi derrotada por ele, por pequena margem, na eleição presidencial de fevereiro de 2010.
Ela foi presa em 2011, condenada a 7 anos por abuso de poder ligado a um acordo de gás feito com a Rússia.
Seu julgamento foi denunciado como político pela União Europeia.
Fato importante
Com eleição extraordinária, a Ucrânia elegeu para presidente O magnata Petro Poroshenko, "rei do chocolate", venceu em 1º turno. Ele apoia as ações militares contra o movimento separatista pró-Rússia e aderiu à UE.
Desde abril, separatistas ocupam prédios públicos em Lugansk, Donetsk e Slaviansk, no leste do país, fronteira com a Rússia, onde vivem cerca de 7 milhões de pessoas, quase 15% da população da Ucrânia, que falam russo e se alinham ao governo Putin. As áreas se autoproclamaram "repúblicas populares independentes" em maio.
Crise Ucrânia/Rússia
O presidente Viktor Yanukovich é destituído pelo parlamento ucraniano, na ocasião Yanukovich já se encontrava refugiado no interior do país, após um acordo assinado com a oposição, muitos classificaram a manobra como golpe. A votação que levou à destituição contou com a presença do representante da União Européia Jan Tombinski.
http://prezi.com/cwua3jbtkjxa/ucrania/
http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2014/07/17/entenda-o-conflito-envolvendo-ucrania-e-russia.htm
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/07/140723_queda_mh17_danos_putin_fn.shtml?print=1
http://www.publico.pt/mundo/noticia/depois-do-sim-separatistas-aguardam-veredicto-de-putin-1635546#/0
http://noticias.uol.com.br/internacional/listas/10-links-para-entender-a-crise-na-ucrania-e-suas-possiveis-consequencias.htm
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/02/lider-opositora-yulia-tymoshenko-e-libertada-da-prisao-na-ucrania.html
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/05/comissao-eleitoral-confirma-vitoria-de-petro-poroshenko-na-ucrania.html
http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20140526/como-petro-poroshenko-virou-rei-chocolate-novo-presidente-ucrania/157956.shtml

Em 17 de março um referendo no estado da Criméia, decidiu pela anexação do território a Rússia, a Criméia foi o primeiro grupo separatista a conseguir se desanexar da Ucrânia após o início dos conflitos separatistas, é importante salientar que o referendo não foi reconhecido nem pela Ucrânia e nem pela UE. A Criméia foi cedida pela URSS à Ucrânia em 1954, é autônoma desde 1991.
O avião foi derrubado em uma área do leste da Ucrânia controlada por rebeldes ligados à Rússia.

Até a tragédia, a forma como o presidente Russo vinha lidando com a crise estava até sendo vista com "bons olhos", os russos se juntaram à Alemanha e França em um esforço diplomático para promover um acordo político dentro da Ucrânia que levasse em conta os interesses da Rússia.

A União Europeia pedia mais sanções contra o governo russo e vários países tentavam proteger suas importantes relações econômicas com o país. As tentativas do governo de Barack Obama de unir os europeus em torno de uma pauta de sanções pareciam ineficazes.

http://cbn.globoradio.globo.com/programas/jornal-da-cbn/2014/07/18/POSICIONAMENTO-MUITO-RAPIDO-DOS-EUA-EM-FAVOR-DA-VERSAO-UCRANIANA-PREOCUPA.htm
Full transcript