Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A Vida Quotidiana no séc. XIII - os concelhos

História
by

Gonçalo Duarte

on 28 February 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A Vida Quotidiana no séc. XIII - os concelhos

Concelhos A carta de foral Entrevista À medida que se iam conquistando terras aos Mouros, os nossos primeiros reis precisavam de as defender, povoar e fazer cultivar, sobretudo no Centro e Sul.

Para tal, em muitos casos, o rei ou grandes senhores criaram concelhos, para atrair povoadores, a troco de direitos e regalias, e para desenvolver as actividades económicas.

Assim nasceram os concelhos. O que era uma “assembleia de homens-bons”? O que era uma carta de foral? Estes locais eram formados
por uma população mais desenvolvida (a vila) e por localidades rurais à sua volta (o termo). A assembleia de homens-bons administrava o concelho e tratava de assuntos de interesse geral.

Era formada pelos homens mais ricos e respeitados do concelho.

Elegia entre si os juízes que aplicavam a justiça no concelho.

Elegia os mordomos que cobravam os impostos. Era um documento escrito onde ficavam registados os direitos e os deveres dos moradores do concelho para com o senhor (dono ) da terra.

Sem carta de foral uma
povoação não podia ser concelho. A vida quotidiana
no séc. XIII

- Os concelhos - e do clero da nobreza A maioria dos concelhos foram criados por reis Mas os grandes senhores... também criaram concelhos dentro
dos seus senhorios. Carta de foral de Vila Real Direitos e obrigações dos
moradores do concelho Os habitantes do concelho chamavam-se vizinhos.

Os habitantes dos concelhos tinham mais direitos e mais autonomia que os habitantes dos senhorios.

Eram homens livres, não dependendo de um senhor nobre.

Regalias dos vizinhos:

- eram donos de algumas terras
- só pagavam os impostos exigidos no foral
- tinham uma ”assembleia de homens-bons” O alcaide Era o representante do rei e chefe militar.

Fiscalizava o que estava escrito no foral.

Habitava no castelo.

Era, geralmente, um cavaleiro nobre. Na maioria dos concelhos existia um alcaide: Principais simbolos do poder do concelho Os habitantes dos concelhos tinham orgulho na sua liberdade, face ao poder dos senhores. Havia dois tipos de concelhos: Concelhos rurais Concelhos urbanos Povoações com carta de foral mais ligada às atividades artesanais e comerciais. Povoaçoes com uma carta de foral mais ligada às atividades agrícolas. Domus Municipalis de Bragança, onde se reunia a assembleia de "homens-bons" do concelho O Pelourinho Pelourinho


Carta de Foral


Domus Municipalis O principal símbolo da independência do concelho era o pelourinho. Localizado no centro da povoação, era aí onde se castigavam, para vergonha publica, os que não cumpriam a lei. O Domus Municipalis E finalmente...
uma entrevista de um jornalista do nosso tempo a 3 habitantes de um concelho no Séc. XIII... Obrigado pela vossa atenção! Ana Carolina Andrade - nº 3
Gonçalo Duarte - nº 9
Maria Lima de Oliveira - nº 17
Tomás Guerra- nº 25 Colégio de N.S. do Rosário
Turma 5º B
Fev/2013 Silêncio que se
vai ver um video...

:)
Full transcript