Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

DEP 4

No description
by

CAMILA OSUGI

on 4 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of DEP 4

Linguagem Arquitetônica
A Planta baixa é, genericamente, uma vista ortográfica
seccional do tipo corte, feita em cada pavimento através de
um plano projetante secante horizontal imaginário,
posicionado de maneira a seccionar o maior número possível de
elementos, normalmente em uma altura entre as vergas das
portas e os peitoris das janelas (média 1.50m).
Elimina-se a parte de cima, o restante é a vista superior de um observador imaginário.

Esta representação é acompanhada de todas as informações necessárias a correta construção da edificação.
Denominação e Quantidade
Apenas um piso é necessário uma planta baixa
cuja a nomeclatura é de “PLANTA BAIXA”.
São utilizadas as denominações “PISO” e “PAVIMENTO”.

Não
podendo ser empregada a terminologia “
ANDAR
”.
A denominação do número é dada:
Nos subsolos 1, 2, 3, etc no sentido de quem desce;
Nos pavimentos 1 (ou pav. térreo), 2, 3, etc, no sentido de quem sobe.
Escala
Escala para impressão (representação) das plantas baixas é a de 1:50.
Em edificações cuja as dimensões podem ser muito grande costuma-se utilizar as escalas de 1:75 e 1:100.

Escalas menores do que estas, em projetos executivos, não devem ser utilizadas, sendo preferível a representação (impressão) da planta baixa por partes, através de pranchas articuladas
Escala de Elementos Textuais
ESCALA DOS ELEMENTOS TEXTUAIS
Principal requisito: a legibilidade.
2mm (espaço restrito), 3mm (escrita normal) e 5mm (títulos)

Escala
ESPESSURAS DAS LINHAS EM DIFERENTES ESCALAS
Observe que assim como textos e as cotas, as espessuras das linhas também devem ser configuradas de forma distinta para diferentes escalas de impressão.

Lembre-se quanto menor a escala, menores são as espessuras das linhas. Confira a tabela abaixo
Espessuras (em milímetros) de linhas para as escalas de 1:50, 1:75 e 1:100.
Elementos de uma Planta Baixa
Podem ser divididos em:
Elementos Construtivos:
Paredes e elementos estruturais; aberturas (portas, janelas, portões, etc.);
Pisos e seus componentes (degraus, rampas, escadas, etc.);
Equipamentos de construção (aparelhos sanitários, armários, lareiras, etc.);
Aparelhos elétricos de porte (fogões, geladeiras, máquinas de lavar, etc.) e elementos de importância não visíveis (dutos de ventilação, reservatórios, etc.).
Informações:
Nome dos compartimentos, áreas úteis dos compartimentos, níveis, posições dos planos de corte vertical, cotas das aberturas, cotas gerais, níveis e outras informações.
Paredes
As paredes, em alvenaria, são seccionadas pelo
plano de corte que gera a planta baixa.
Sua representação se dá por linhas paralelas de espessura grossa.

Podem ser preenchidas ou não por textura sólida (cor), e/ou com ou sem representação do revestimento das alvenarias
(reboco ou outros).
Representação das Paredes de Alvenaria
Veja a variações na representação e no tom
da cor (tom de cinza figura abaixo).

Não utilizar cores, pois podem estar associadas aos diferentes tipos (estados) de paredes em um projeto de reforma e/ou
ampliação (por exemplo: paredes a demolir, paredes a conservar, paredes a construir).
É recomendável diminuir a espessura das linhas conforme o tom de cinza utilizado: quanto mais escuro, mais fina devem ser as linhas de contorno. A cor preta somente deve ser utilizada para escalas pequenas (1/100 ou menor)
Paredes baixas (menor do que 1.50m de altura) não são
cortadas pelo plano e por conseqüência são representadas em
vista, com linhas de espessura média, conforme exemplo
abaixo.
Desníveis
Os desníveis devem ser representados com linhas finas, mas mais espessas ou escuras do que as que representam os pisos. Recomenda-se o uso de linhas na espessura de 0.20 mm a 0.25 mm para desníveis, soleiras, rampas e degraus, e de 0.10 mm a 0.15 mm para linhas de transição de pisos.
Vários pavimentos, é necessário apenas uma planta baixa para cada pavimento.

Vários pavimentos iguais, apenas uma planta baixa chamada de “PLANTA BAIXA DO PAVIMENTO TIPO”.
O título da planta inclui por exemplo:
Elementos em Projeção
Os elementos da construção acima do plano de corte
da planta baixa, e não visíveis, são representados em projeção através de linhas tracejadas ou de linha traço dois pontos.
Esquadrias
Esquadrias são portas e janelas que podem ser representadas de forma simplificada, ou mais detalhada.
Espessuras de Linha
Equipamentos fixos
Louças sanitárias, balcões de banheiros, cozinhas, pias, tanques e outros podem ser representados utilizando-se tanto gabaritos como linhas. Desde que obedecam suas dimensoes.

As linhas de contorno, da grande maioria dos equipamentos fixos, são de espessura média (entre 0,30 e 0,40 mm) e seus detalhes são representados por linhas finas (entre 0,05mm e 0,2mm)
Textos
Os textos devem ser em formato de números e texto técnico,
evitando-se fontes “artísticas” e “rebuscadas”
.
A tipologia indicada é a “letra de arquiteto”.
Os textos devem ser dispostos sempre no sentido de leitura, ou seja, de baixo para cima e da esquerda para direita.
A altura dos textos deve variar e deve seguir uma hierarquia de informação, compatível com a escala, ser legível.
Cuidado
A seguinte tabela apresenta uma sugestão de alturas
mínimas e máximas de textos para os principais elementos
de uma planta baixa a ser impressa na escala 1/50
Apesar do modelo (elementos da edificação) poder ser impresso em diferentes escalas, os textos a ele relacionado não podem sofrer o mesmo fator de escalonamento, pois deve ser mantida a sua legibilidade e proporcionalidade em qualquer escala de impressão.
Demais pavimentos
Planta baixa do 1º pavimento (ou pavimento térreo),
Planta baixa do 2º segundo subsolo
Planta baixa da cobertura
Planta baixa da sobre loja e assim por diante.
Consultar norma NBR 140 ou NBR 12721
São assim representados: beirais das coberturas,
vãos de aberturas e esquadrias (incluindo iluminação zenital), elementos da estrutura (vigas),
chaminés, alçapões, mezaninos, caixa d’água, escadas, etc.
O desenho CAD possui blocos que permite o uso de elementos repetitivos nos desenhos por exemplo: as louças sanitárias, equipamentos de serviço e outros, podem ser desenhados uma única vez, e formarem uma biblioteca de desenhos.
Pisos
Pisos frios e/ou especiais sao representados com linhas finas
(0.05 mm a 0.10 mm)
na cor preta.

No autocad, usa-se tom de cinza aumentando gradualmente espessura das linhas proporcionalmente a diminuição do nível de cinza (linhas mais espessas para tons de cinzas mais claros).
Cotas
Cotagem de Esquadrias
Níveis
Para a representação gráfica em Planta Baixa, os pisos são classificados em dois tipos: COMUNS e os IMPERMEÁVEIS (representados apenas em áreas dotadas de equipamentos hidráulicos).

Em representação de pisos também deve ser observado à densidade das hachuras, ou seja, o distanciamento entre suas linhas em relação ao tamanho do compartimento onde os mesmos são aplicados.

Deve-se evitar a utilização de hachuras muito densas em compartimentos de grandes dimensões e de hachuras pouco densas em compartimentos pequenos.
As cotas ou dimensionamentos seguem as determinações da NBR 10126 (Cotagem em desenho técnico)
NBR 6492 (Representação de projetos de arquitetura).

As cotas são formadas pelos seguintes elementos:
Cota é: É a denominação dada a toda e qualquer medida expressa em plantas arquitetônicas.

É a linha onde marcam os pontos que limitam um ambiente ou uma parede, especificando nesta o seu valor, normalmente expresso em metros.

O projeto que apresenta todas as cotas necessárias à sua execução é chamado de um projeto cotado
Cota de Nível
Nível de referência - cota 0
Casa construída em diferentes níveis:
– banheiro difere da sala (mais baixo)
– Varanda mais alta que piso externo

Sinal de + ou – em função da localização do NR.
Deve-se colocar a indicação em todos os Ambientes

Distribuição das linhas de cotas:
é usual no desenho arquitetônico cotas em série, posicionadas tanto pelo lado externo da planta baixa, quanto, quando necessário, internamente ou cruzando a mesma. As cotas devem ser acumuladas de forma a também representarem as medidas externas da edificação.
Unidade de cotagem:
na representação de projetos de arquitetura os elementos usualmente são cotados em metros ou em centímetros. Deve-se escolher uma dessas unidades, e adotá-la em todo o projeto. A NBR 6492/94 permite que um desenho seja cotado em metros e que as dimensões que forem menores que a unidade (1 metro) sejam cotadas em centímetros.
Na cotagem de esquadrias são representadas três diferentes dimensões, sempre na mesma ordem:
largura da esquadria, altura da esquadria e altura do peitoril
(distância da parte inferior da esquadria até o piso interno da edificação). Além das dimensões das esquadrias é usual que sejam informados códigos para as mesmas, utilizados para identificá-las na planilha e nos desenhos de detalhes de esquadrias, que freqüentemente acompanham os projetos.
...Ou seja
A dimensões são representadas apenas em uma abertura de cada tipo na planta.

Por exemplo, se em toda a planta houver apenas 2 tipos de porta e 3 tipos de janela, usa-se os códigos P1, P2, J1, J2 e J3, colocando-se as dimensões de cada abertura somente em uma abertura de cada tipo.
Os códigos são inseridos em um círculos de diâmetro 8 mm. No caso das janelas, a indicação do peitoril (parapeito) pode ser feita abaixo dessa linha ou paralelamente à representação da abertura.

O desenho da Planta Baixa deve ser contemplado de COTAS, ou seja: das DIMENSÕES de todos os ambientes, bem como de toda a edificação projetada. O Sistema de Cotas deve seguir rigorosamente, as determinações da ABNT. Selecionamos as principais:

a) as linhas de cota devem estar sempre fora do desenho, salvo em casos de
impossibilidade;
b) as linhas de chamada devem parar de 2 a 3 mm do ponto dimensionado;
c) as cifras (números) devem ter 3 mm de altura, e o espaço entre elas e a linha de
cota deve ser de 3 mm;
d) quando a dimensão a cotar não permitir a cota na sua espessura, colocar a cota ao
lado, indicando seu local exato com uma linha;
e) as linhas de cota no mesmo alinhamento devem ser completas;
f) evitar a duplicação de cotas.
g) nos cortes somente marcas as cotas verticais;
h) todas as dimensões totais devem ser identificadas;
i) Identificar pelo menos três linhas de cota,:
- subdivisão de paredes e esquadrias,
- cotas das peças e paredes
- cotas totais externas.

Na planta baixa utiliza-se o símbolo abaixo para informar a altura de determinados pontos do projeto.

Devem ser indicados todos os diferentes níveis presentes na planta baixa. Evita-se a repetição desnecessária de níveis, identificando-os sempre que for visualizada uma diferença de nível, não sendo necessário informar a cota de nível de todos os compartimentos, mas sim os lugares aonde há mudança nas alturas dos pisos.
Os níveis devem ser sempre indicados em METROS e acompanhados do sinal negativo caso localizarem abaixo do nível de referência (00) – (opcionalmente pode ser usado o sinal positivo para o caso de níveis localizados acima do nível
de referência). Sempre são indicados com referência ao nível ZERO do projeto
Aula 4
Sequência de montagem de planta baixa
1º - (com traço fino – traço de construção – USAR LAPISEIRA 0,3 COM GRAFITE HB ou F)
1.1 Marcar o contorno externo do projeto;

1.2 Desenhar a espessura das paredes externas;

1.3 Desenhar as principais divisões internas;

2º(com traço médio –USAR LAPISEIRA 0,5 COM GRAFITE HB):

2.1. Desenhar as aberturas – portas e janelas;

2.2. Desenhar os equipamentos sanitários e equipamentos elétricos de porte;

2.3. Desenhar a projeção da cobertura em linha fina contínua;

2.4. Apagar o excesso dos traços.

3ª ETAPA (reforçar todos os traços)
1. Desenhar as linhas tracejadas ou traço dois pontos – projeção da cobertura,
reservatórios, iluminação zenital (traço médio);
2. Denominar os ambientes (traço médio);
3. Indicar a área de cada ambiente e a especificação do tipo de piso (traço médio);
4. Cotar aberturas, códigos e quadro de esquadrias – portas, janelas, portões (traçomédio);
5. Colocar a indicação de níveis (traço médio);
6. Cotar o projeto (linhas finas);
7. Desenhar hachura no piso das “áreas molhadas” – com equipamentos hidráulicos (traço fino);
8. Indicar a posição dos cortes; a entrada principal; o norte (traço médio/grosso);
9. Acentuar a espessura dos traços da parede (traço grosso);
10. Denominar o tipo de desenho (planta baixa, planta de cobertura, implantação...),
bem como colocar a escala (1/50; 1/100...).

Observações
Representar a PLANTA BAIXA, completando-a com todas as informações (gráficas e escritas) :

•Escala, preferencialmente: 1:50
•Espessura das paredes 15 cm
•Projeção dos beirais em todas as laterais da casa, onde houver.
•Indicar todas as áreas de todos os compartimentos
•Indicar todos os pisos de área molhada: banheiro, cozinha e varanda etc
•Colocar todos os níveis – considerar o box do banheiro com rebaixo de 3 cm.

OBS: COLOCAR INDICAÇÃO DE NÍVEIS APENAS ONDE HÁ DIFERENÇAS, E NÃO EM TODOS OS COMPARTIMENTOS.

•Considerar bonecas de portas sempre que possível de 10cm
•De preferência as janelas devem ser centralizadas nos vãos
•Fazer , sempre, o quadro de aberturas

Observação 2
Escala:
É a relação que indica a proporção entre cada medida no desenho e sua dimensão real no objeto.
Ex: um prédio de 100 metros de comprimento (10.000 cm) para ser desenhado na escala 1:100 precisa de 1 metro (100 cm) de espaço disponível na folha para ser desenhado. Na escala de 1:50 precisará do dobro.
Escala numérica:

- redução: 1:25, 1:100

- ampliação: 2:1, 5:1
Escalas recomendadas:

- 1:1, 1:2, 1:5 e 1:10 - detalhamentos em geral;
- 1:20, 1:25 - ampliações de banheiros, cozinhas e outros compartimentos;
- 1:50 - mais indicada para plantas, cortes, fachadas de projetos arquitetônicos;
- 1:75 - menos indicada, porém utilizada para plantas, cortes, fachadas de projetos arquitetônicos;
- 1:100 - indicada para plantas, cortes, fachadas de projetos arquitetônicos muito extensos, plantas de situação e projetos paisagísticos;
- 1:200, 1:250 - plantas, cortes, fachadas de projetos arquitetônicos muito extensos, plantas de situação, localização, topografia, paisagismo e desenho urbano;
- 1:500, 1:1000 - plantas de localização, topografia, paisagismo e urbanismo;
- 1:2000, 1:5000 - levantamentos aerofotogramétricos, projetos urbanísticos e zoneamento.
Desenhar na escala - folha A4
com carimbo
E = d
D
PLANTA BAIXA
No desenho técnico ou se tem instrumentos de desenho para curvas ou se desenha reto
No Autocad
Desenhar planta baixa

- unidade de residencial multifamiliar;

- 35 a 50 metros quadrados;

- quarto, sala estar/jantar, banheiro e cozinha.

- 2 por andar, 3 pavimentos,
elevador e escada.

- 2 vagas de garagem por apt
Terreno
Full transcript