Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

História da Filosofia

No description
by

João Barros

on 3 August 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of História da Filosofia

As categorias do ser para Aristóteles

essência (ex: homem)
quantidade (ex: dois metros de altura)
qualidade (ex: branco)
relação (ex: dobro ou metade)
lugar (ex: em casa)
tempo (ex: ontem)
posição (ex: sentado)
posse (ex: tem armas)
ação (ex: corta)
passividade (ex: está cortado)
Conceitos-chave
John Locke
David Hume
Conceitos-chave
Racionalismo de Descartes

ideias inatas
ego cogito
Conceitos-chave

categorias
história universal
Ciência moderna / sociedade burguesa
Centralidade do sujeito
relação Deus-homem substituído por homem-natureza
valores
liberdade
independência de elementos externos
igualdade
razão igual para todos
individualismo
economia / política (leis naturais)
Escolas técnicas
Inglaterra
fábricas
Alemanha
política científica institucional

Progresso / ciência / atividade produtiva / interesses
Introdução ao pensamento científico
Prof. João Barros - UNILA

Conceitos-chave
ciência
razão
sensibilidade

O realismo de Aristóteles (séc. IV a.C.)
Palavras-chave
método analítico
categorias
Questões
1 - Qual a diferença entre as definições de
episteme
em Platão e Aristóteles?
2 - O que são as categorias para Aristóteles?
3 - No mundo de hoje, dominado por uma cultura massificada, ainda há lugar para um
pathos
e a formação de uma consciência crítica?
O Racionalismo de Descartes (séc. XVII)
Meditações metafísicas
(1641)

dualismo mente - corpo
idealismo (idéias inatas)
modelo geométrico
concepção mecanicista de mundo

1ª Meditação
Objetivo: estabelecer algo firme e constante nas ciências

O ceticismo da dúvida metódica
Ideias inatas
2ª Meditação

• sou um animal racional (Aristóteles)? NÃO
res cogita

res extensa
• verdade vs sentidos
• exemplo da cera
dúvida sobre os sentidos

ego cogito
: “penso, logo existo”
1ª ideia clara e distinta

6ª Meditação
Deus: causa da ideia de perfeição em mim
ego cogito
dualismo
Questões
1 - Por que Descartes é considerado o pai da Filosofia moderna com a expressão "
ego cogito, ego sum
"?
2 - A intuição é racional ou sensível para Descartes?
3 - O que é a visão mecanicista de mundo?
Empirismo inglês (séc. XVII)

Ensaio Sobre o Entendimento Humano
(1690)

conhecimento está limitado aos sentidos
a mente humana é uma tábula rasa; uma página em branco
ideias adquiridas
razão: atividade de associação
Investigação sobre o Entendimento Humano (1748)

Conhecimento pela percepção: impressões x ideias
Problema da indução: princípio da causalidade não pode ser conhecido
a priori
Principio do hábito
Conexões entre as ideias obedecem 3 princípios:

semelhança contigüidade causa e efeito

Conhecimento - hábito

hátito - crença - juízos
opções epistemológicas

Problema da indução no conhecimento é uma atividade humana
não corresponde à essência do objeto
não exite um conhecimento racional do mundo
experiência
causalidade
Questões
1 - Como os Empiristas explicam a origem das ideias?
2 - Qual a relação entre hábito e conhecimento para Hume? Qual a consequência disso?
3 - Qual a diferença da intuição para os Empiristas ingleses e Descartes?
Empirismo inglês

experiência
associação de ideias
Qual o princípio do conhecimento?

razão - leis
a priori
do pensamento - desenvolvimento necessário
pathos
: início da Filosofia
críticas de Aristóteles a Platão
categorias
Lógica
as causas do ser
movimento
A crítica de Kant
Disputa teórica
Questões
1 - Sobre as categorias, qual a diferença entre os argumentos de Kant e Aristóteles?
2 - Qual a relação entre razão, história e raça em Kant?
A influência de Hume sobre Kant

"Hume me despertou do sonho dogmático"

Hume: a noção de causa e efeito surge da repetição da experiência. É o hábito de observar que cria no sujeito a noção de causa e efeito.

Kant: o conceito de causa é um conceito
a priori
(independente da experiência) concebido pela razão.

Distinção entre noumeno e fenômeno
O idealismo de Platão (séc. V a.C.)
episteme
x
doxa
método dialético
doutrina das ideias
alma e reminicência
níveis de conhecimento
Conceitos-chave
mundo das ideias
episteme
método dialético
Questões
1 - Defina e relacione ideia e reminiscência para Platão.
2 - Qual a diferença entre
episteme
e
doxa
para Platão?
3 - Qual o valor da contradição no método dialético?
4 - Quais a diferença básica entre o dualismo de Platão e Descartes?
A República
Mito da caverna
Níveis do conhecimento
movimento
Modernidade (séc. XVI-XIX)

centralidade do sujeito

Correntes filosóficas
Racionalismo
Empirismo
Iluminismo

"Penso, logo existo"
Descartes
modelo geométrico
mundo mecanicista
Perguntas

1 - Quais os valores da sociedade burguesa?
2 - Qual a relação entre ciência e utilidade e qual o papel da natureza nessa relação?
3 - Podemos identificar influências sócio-econômicas na produção científica atual? Cite um exemplo.
Rev. Industrial
Caractarísticas principais
Conhecimento - sensações
não existem ideias inatas

Autores
David Hume
Jonh Locke
Crítica de Platão aos pré-socráticos e aos sofistas
Pré-socráticos
Tales: tudo é ser e o não ser não existe.
Platão: não há uma única forma.
Heráclito: tudo é devir (movimento).
Platão: o devir não é a totalidade do real.
Sofistas
Protágoras: o homem é a medida de todas as coisas
Górgias: a verdade não existe

O devir incessante impossibilita o conhecimento. Seríamos como animais que apenas reagem às sensações.
Teeteto
a alma unifica as sensações
conhecer é identificar a essência do objeto
cohecimento não é crença justificada racionalmente

Método dialético
método filosófico-científico para desenvolver o conhecimento por meio de perguntas e respostas
duas etapas: 1) inferior e 2) superior
processo de depuração da linguagem e do pensamento
superação das contradições
método que busca a essência/forma/ideia do objeto
necessário o conhecimento matemático
técnica perfeita da alma
Níveis de conhecimento
episteme
(intuição intelectual): formas / ideias
dianoia
(raciocínio): objetos matemáticos
doxa
(sentidos): coisas sensíveis, hábitos aceitos na vida prática
eikasía
(imaginação): poesia, pintura, escultura
Reminiscência
Mito de Er
desejo por conhecer
conhecimento - atividade da alma
alma tem a mesma natureza das ideias
verdade =
aletheia

Interpretação de Heidegger sobre o Mito da caverna
aletheia
= desvelamento
verdade = evidência
verdade = depende da razão humana
Platão: inventor da razão ocidental
Ideia

pensamento verdadeiro sobre alguma coisa
entidade real/ontológica; forma que só pode ser alcançada pelo pensamento
paradigma epistemológico imitado pelos objetos sensíveis
causa eficiente dos objetos e de nosso desejo por conhecer
causa final: finalidade de todas as atividades humanas
Partes da alma
(modelo médico)
racional: conhecimento
colérica: proteção
apetitiva/concupiscente: conservação

Consequência ética
areté
- parte racional
domínio da razão:
sophrosine
vida virtuosa: cada parte da alma realiza sua função sob a conduta da razão
parte colérica: coragem e prudência
parte apetitiva: temperança
parte racional: justiça
Consequência política
Questão fundamental do livro: o que é a justiça (
diké
)? Como formar uma cidade justa?

Mito do anel de Giges
Glauco: basta parecer justo

Cidade ideal
3 classes sociais
econômica
militar
legislativa
A cidade deve se encarregar da educação de todas as crianças
Críticas a Platão
de ordem ontológica
ideias não são imanentes às coisas (falta realidade ao mundo sensível)
participação prolonga-se ao infinito
as ideias não explicam por que as coisas vem a ser
de ordem epistemológica
diversos paradigmas do mesmo ser (ex.: homem)
mesma coisa paradigma e imagem (ex.: gênero)
mundo sensível é irracional (atividades humanas sem sentido)
mundo das ideias é um duplo verbal do mundo sensível
Lógica
Estabelece regras gerais para o pensamento.

três princípios
princípio da identidade (A é A)
princípio de não-contradição (A não pode ser não-A)
princípio do terceiro excluído (A é x ou não x)

O método analítico não admite a contradição
As causas do ser

causa material
causa formal (ou qüididade)
causa eficiente
causa final

O movimento
Todo ser move-se para realizar sua essência
ato (
enérgeia
)
potência (
dýnamis
)
Conciliam o movimento com a identidade
Origem da Filosofia

pathos
saída do senso comum
esforço por conhecer e aversão aos conhecimentos prontos e acabados
formação de um conhecimento crítico
Crítica e Iluminismo (
Aufklärung
)

"O Iluminismo é a saída do homem da sua menoridade da qual ele próprio é culpado"
Kant

Determinação do conceito de
uma raça humana (Alemanha, 1785)

raça - cor da pele
só a pele é uma característica hereditária
raça e não índoles - imperativo categórico
Transição
do Feudalismo ao capitalismo

substituição da terra pelo dinheiro
formação dos Estados nacionais
colonização e escravidão
Cruzadas: divisão do trabalho cidade/campo, crescimento do cormércio e formação das grandes cidades
peste negra (séc. XIV): valorização da mão de obra
Substituição
da terra pelo dinheiro

abundância de metais vindos das colônias
fechamento das terras (séc. XVI)
industrialização - aumento do preço da lã
mão de obra para a indústria
Absolutismo e burguesia: mercado nacional regulado
Desenvolvimento
da indústria moderna

condições: capital acumulado e trabalhadores livres e sem propriedade
Sistemas
sistema doméstico
manufatura
sistema fabril
Modos de produção

sistema de relações de produção
sistema de direito
sistema de instituições
formas de pensamento (ex.: ciência)
Visão de mundo

Galileu
universo infinito
leis universais
matéria ontologicamente igual
Descartes
visão mecanicista de mundo
Bacon

(Ing./séc. XVII)

"saber é poder"
conhecimento a serviço do homem
ciência aplicada à indústria (princípio da utilidade)


Ideias claras e distintas

ideias inatas
ego cogito
Deus
ideias matemáticas
mundo exterior

Concepção mecanicista de mundo

principais características da matéria
extensão (comprimento, largura, espessura)
a essência da matéria é matemática (geométrica)
movimento: trajetória, direção e posição (não inclui tempo)
movimento é entrechoque de corpos
não há finalidade
não há vazio
universo infinito e carente de centro
Método analítico
(ênfase na dúvida e no modelo matemático)

regra da evidência
: só aceitar como evidente (claro e distinto) aquilo do qual não posso duvidar
regra da análise
: dividir as dificuldades em parcelas
regra da síntese
: ordenar os pensamentos começando dos mais simples para os mais complexos
regra do desmembramento
: enumerar e revisar exaustivamente
Conceitos norteadores do debate

método analítico
ideias claras e distintas
dualismo mente-corpo
concepção mecanicista de mundo
Tipos de ideias

ideias simples (solidez, extensão, movimento)
ideias complexas (comparação entre objetos/ideias)

Qualidades dos objetos

primárias (solidez, extensão, movimento)
secundárias (cores, sons, sabores)
Tábua de juízos
Tábua de categorías e juízos
Kant: Ética universalista

Imperativo Categórico

•Fórmula de la Ley de la Naturaleza

“Obra como si la máxima de tu acción debiera tornarse, por tu voluntad, ley universal de la naturaleza”.

lei moral: válida para todos os povos
Raça, cor da pele e localização geográfica
Ideia de uma história universal de um
ponto de vista cosmopolita

(Alemanha, 1784)

história - curso regular
progresso
desenvolvimento das disposições originárias
razão e liberdade: bem estar
constituição civil x liberdade selvagem
história universal começa com a constituição da sociedade civil
história universal / história grega
Conceitos norteadores para o debate

disputa Racionalismo x Empirismo
episteme
(ciência): razão e sensibilidade
intuição
categorias
história universal
Crítica da Razão Pura (1781)

Estética transcendental
espaço e tempo: formas puras da sensibilidade
Analítica transcendental
categorias: formas puras do entendimento
12 categorias universais

Giro copernicano/ sujeito formador de conhecimento
Real são os fenômenos transformados em objetos
Estética transcendental

sensibilidade
faculdade das intuições
nossa capacidade de sermos afetados pelos objetos
dados diversos, múltiplos e dispersos
formas puras da sensibilidade
espaço
tempo
Analítica transcendental

entendimento: faculdade ativa que recebe informações da senbilidade e unifica essas informações usando as categorias, produzindo conceitos
categorias: conceitos
a priori
que determinam a forma de pensar as experiências
Full transcript