Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Alguns caminhos para a construção do roteiro

Aula 1 - Argumento e Roteiro: O roteiro passo a passo.
by

Ducca Rios

on 3 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Alguns caminhos para a construção do roteiro

O que?
o ROTEIRO, nesta fase ficará pronto o roteiro final completo, com diálogos, tempo dramático e o manejo das cenas.

O documento é entregue ao diretor, que fará suas observações (muitos roteiristas não gostam disso) e discutirá sugestões de possíveis mudanças.
Por Ducca Rios
Alguns caminhos
para a construção
do roteiro...

- O conflito essencial
- Quem?
(Re)Virando alguns pontos...
Dramaturgia

-

Uma das mais antigas expressões da capacidade artística do ser humano. Arte de representar emoções por meio de personagens vivenciados por atores. Existe desde que o homem descobriu ser capaz de "imaginar".
Não existem leis em dramaturgia

-

Existem "formas" e não "fórmulas" e como nas artes plásticas e na música, por exemplo, estas podem ser constantemente desconstruídas e reformuladas.
O

dramaturgo é antes de tudo um "inventor"

-

Métodos existem, caminhos já percorridos por outros roteiristas e escritores, mas as possibilidades da dramaturgia são infinitas.
Tudo parte da idéia...
...mas, como se chegar
à idéia?
- Pesquisa.
- Observação do
cotidiano.
- Experiência pessoal.
- Roubando a idéia dos
outros
Não roube e não
seja roubado!
REGISTRE O
SEU PROJETO!
Parabéns! Você chegou então a uma
grande idéia!
- Legal, mas ela é para que tipo
de produto audiovisual?
- Ficção, documentário ou doc
drama?
- Filme, telefime, animação, série
de TV, novela, web série?
- Curta, média ou longa?
Na verdade, você pode planejar isso desde o início, demonstrando uma metodologia mais cartesiana e científica, ou deixar para descobrir enquanto está fazendo.
...Mas, atente para o CUSTO da história que você está criando. Ela é realizável com quanto?

Lembre-se:

UMA DAS DIFERENÇAS DE CRIAR UMA HISTÓRIA PARA CINEMA OU VÍDEO E ESCREVER UM LIVRO É QUE, NO LIVRO, O AUTOR PODE PÔR O QUE QUISER, SEM CUSTO, E NO MEIO AUDIOVISUAL, NÃO!
- Encomenda.
O ROTEIRO EM TRÊS ATOS:
Um jeito hollywoodiano de ser...
PRIMEIRO ATO: apresentação do ambiente, dos personagens e do conflito principal. Corresponde aproximadamente a 50% do segundo ato.
SEGUNDO ATO: Etapa mais longa (e mais complicada) do roteiro, quando acontecem os desencontros, as dúvidas e a "provação final".
TERCEIRO ATO: A trama chega ao seu desenrolar, podendo haver ainda uma emoção inesperada. Parte, em geral, um pouco menor que o primeiro ato.
Ponto de virada (Plot Point)
Ponto de virada (Plot Point)
Os pontos de virada são as passagens entre os atos no roteiro hollywoodiano clássico. Pode ser um acidente, um acontecimento insperado, a chegada de alguém etc.
A TRAJETÓRIA DO
Leia, leia, leia... Escreva, escreva, escreva...
...e quando acabar, repita!
- Como?
- O quanto?
HERÓI!!!
1 - Mundo comum: O herói é apresentado
em seu cotidiano.
2 - O chamado à aventura: Um,a situação
incomum, inesperada acontece.
3 - A recusa do chamado: O herói não quer se
envolver na situação nova que se apresenta.
4 - Encontro com o mentor: Encontro com
alguém em geral mais experiente que força o
herói a tomar a decisão.
5 - A travessia do umbral: O herói aceita o
desafio, ou pelas circuntâncias é
obrigado, e sai do mundo comum.
Primeiro
ato
6 - Testes, aliados e inimigos: Fase mais
longa, correspondente ao segundo ato
da história.
Segundo
ato
Plot Point
7 - Aproximação do objetivo: O herói se
aproxima do seu "goal" e a história fica
mais tensa.
8 - Provação máxima: Clímax da trama!
Terceiro
ato
9 - Conquista da Recompensa: "Após a
tempestade vem a bonança"
Plot Point
10 - Caminho de volta
11 - Depuração: Quando o vilão retorna ou alguma
subtrama ainda tem que ser resolvida.
12 - Retorno transformado: O herói volta ao mundo
comum, mas já não é mais o mesmo.
A PROPOSTA DE
DOC COMPARATO:
1. A idéia
2. O Conflito
3. Os personagens
4. Ação Dramática (Construção dramática)
5. Tempo Dramático
6. Unidade Dramática
Mas, antes, um pormenor...
Um bom roteiro é, antes de sua estrutura narrativa, compreendido
pela interação de três elementos:
Logos
Pathos
Ethos
A palavra, o discurso
O drama que ativa
a ação
Ética, moral, significado
último da história.
A idéia
O conflito
Personagens
Ação dramática
Tempo dramático
Unidade dramática
A primeira grande pergunta que você irá responder.
Criatividade e originalidade
Encadeamento de idéias, reciclagem de conhecimentos prévios, releituras, pesquisa do novo.
SER CRIATIVO É SE ARRISCAR!
Quadro de idéias de
Lewis Herman:
- Idéia selecionada
- Idéia verbalizada
- Idéia lida (for free)
- Idéia transformada (Twist)
- Idéia proposta
- Idéia procurada
Memória, vivência pessoal.
A partir de uma história contada, um caso real, uma piada feita por alguém etc.
Ou "idéia grátis", que pode ser encontrada ao se ler um jornal, num livro (sem que o livro seja a própria idéia), num folheto etc.
Idéia que nasce de outra idéia, de outra obra artística e que é adaptada, relida, ganhando nova identidade.
A que é proposta por outra pessoa, como um produtor, uma empresa, um colaborador.
A pesquisa é o que impulsiona.
Um desequilíbrio, uma oposição de idéias, oposição de personagens, uma contradição histórica, uma dúvida pessoal etc.
Ao longo da trama, dependendo se é um filme em longa metragem, uma novela ou uma série televisiva, podem (ou devem) surgir novos conflitos, sub tramas secundárias.
A definição da
storyline
"Uma story line deve ser breve, concisa e eficaz. Não deve ultrapassar cinco linhas e por meio dela devemos ficar com a noção do que vamos contar" (COMPARATO, p.30, 2009).
A story line é a condensação
do conflito.
- Crie toda a história individual de cada personagem antes de engendrar a trama. Qual o tempo de duração de cada cena?
Agora se irá pensar em QUEM irá participar da história.
- É uma etapa que pode vir antes de tudo. A idéia e o conflito podem surgir a partir dos personagens, mas também é comum se deixar a criação dos que irão viver a trama para esse terceiro momento.
AQUI É ONDE SE INICIA A ELABORAÇÃO DO ARGUMENTO
OU SINOPSE!
ALGUMAS DICAS:
- Crie toda a história individual de cada personagem principal antes de engendrar a trama.
- Descreva em detalhes físicos e psicológicos cada personagem, principal e secundário.
- Tente desenhá-los ou trabalhar com um ilustrador/diretor de arte para reproduzir o que você imaginou.
- Ao escrever o argumento ou sinopse, tente "pensar como eles", "sentir como eles".
- Depois de criar os personagens, exercite falar em voz alta, como se fossem eles (para mim, pelo menos, ajuda muito...)
A essa altura você já sabe O QUE? ONDE? QUANDO? E QUEM? Agora o desafio é definir de que maneira será contada a história.
ESTRUTURA
Escaleta (ou escaletta em italiano):
Nesta fase você já
completou o argumento e
agora terá que estruturar a
história em sequências,
episódios, capítulos etc.
Depende se é filme, série, novela...
observação:
Na fase de estruturação, não existem ainda os diálogos. Trata-se de uma aproximação maior entre o argumento e o roteiro, onde o escritor se limita a descrever as sequências, ou episódios ou capítulos.
Cena 1 – O explorador Antonio se aproxima da entrada da caverna. Ele foi atraído pelo rastro de fumaça que subia alguns metros.

Cena 2 – Antonio chega a entrada da caverna e encontra o naufrago Fernando, o tutor do curso. Fernando explica para Antonio como foi parar ali e deixa claro que a aventura de Antonio começará assim que ele entrar na caverna, sem poder retornar.

Cena 3 – Antonio entra na caverna e se depara com o primeiro desafio.
Qual o tempo de duração de cada cena?
É definido a partir de cada tipo de ação e assim dá sentido à função dramática.
O BOM TEMPO DRAMÁTICO É FUNDAMENTAL PARA O ANDAMENTO DA NARRATIVA. É O QUE SE CHAMA TAMBÉM DE "TIMMING".
Aqui você já definiu os diálogos e ao completar esta etapa você terá o PRIMEIRO ROTEIRO, ainda sem unidade dramática.
O conflito essencial é também chamado de Conflito matriz.
Edgard Navarro, roteirista, diretor baiano, autor da obra "O Homem que Não Dormia", melhor filme brasileiro de 2012 segundo a crítica da Folha de São Paulo, inicia sempre pelos personagens.
A escritora americana Kit Reed também começa pelos personagens. Diz ela:
"Começo pela personagem, porque creio que as personagens se movem juntas para construir o argumento".
A estrutura é a "fragmentação" do argumento em diversas partes: atos, sequências, cenas e pontos de virada.
Cada uma das partes da história acontece em um m0mento do tempo e do espaço, sendo a ação concretizada em um TEMPO DRAMÁTICO específico.
Guerra
de papel
Aqui se escreve uma, duas,
três ou mais versões do roteiro, até que esteja realmente pronto, ganhando
a UNIDADE DRAMÁTICA
Tipos de roteiro:
Screenplay:
Televisionplay, teleplay ou TV script:
Roteiro para cinema
Roteiro para TV
Principais produtos audiovisuais:
Script:
Roteiro para teatro ou cinema
Game script:
Roteiro para games
- Peças teatrais
- Filme longa Ficção ou doc. (acima de 70')
- Filme média Ficção ou doc. (acima de 15' até 70')
- Filme curta Ficção ou doc. (Até 15')
- Filme de Animação (longas, médias e curtas)
- Telefilme (44', 52' mas varia muito...)
- Série live action (13, 26 ou 52 episódios)
- Série em animação (13, 26 ou 52 episódios)
- Minissérie (normalmente 5 episódios)
- Novela (120 a 180 capítulos diários)
- webfilme (em geral curto)
- websérie (comum em episódios de 1' a 3')
- Filme publicitário (15" e 30" em geral)
- Games
- Aplicativos
Classificação geral dos roteiros:
- Aventura
- Comédia
- Crime
- Melodrama
- Drama
- Outros
}
Screenwriters
Guide
APESAR DE SER INTERESSANTE BASEAR-SE
EM PARÂMETROS PREESTABELECIDOS, NÃO
SE DEVE DEIXAR LIMITAR POR ELES
Híbridos:
É possível se criar um filme de aventura que tenha muitos elementos de comédia?
...E um melodrama de ação?
Quem sabe uma comédia romântica?
...Ou um filme de crime, que na verdade é terror?
NA VERDADE AS CLASSIFICAÇÕES EXISTEM COMO GUIAS PARA A CRIAÇÃO
OU O CONSUMO DE OBRAS AUDIOVISUAIS, MAS NO FIM, TUDO É POSSÍVEL...
EXERCÍCIO 1:
Assista ao vídeo e escreva
o roteiro do que viu
GARI: 28 anos, viciado em crack, mas interessado em vencer na vida.
MERGULHADOR: 45 anos, separado da mulher, tem um filho pequeno com autismo.
CAMELÔ: 17 anos, estudou até o ano passado, mas largou para ajudar a sustentar a avó. Não vê os pais desde criança.
TRAVESTI: 35 anos, faz turismo na faculdade, acredita em Deus e que irá alcançar a felicidade.
EXERCÍCIO 2:
Construa uma história em equipe com as seguintes personagens...
Toda cena, assim como a maior parte dos roteiros, também se divide em três partes:

A) PREPARAÇÃO

B) EXECUÇÃO

C) FINALIZAÇÃO

BANDIDO EM FUGA ENTRA EM UMA SALA E SE VÊ FRENTE A FRENTE COM UM POLICIAL...
... ELE LUTA COM O POLICIAL E O ATINGE COM UM GOLPE NA CABEÇA UTILIZANDO UM CANO DE FERRO, DEIXANDO-O DESMAIADO...
... O BANDIDO ESCAPA QUEBRANDO O VIDRO DE UMA JANELA ENQUANTO OUTRO POLICIAL ENTRA NA SALA, VÊ O COLEGA CAÍDO E PARA A PERSEGUIÇÃO PARA CUIDAR DO FERIDO.
Full transcript