Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Suporte Avançado de Vida no Trauma

No description
by

Rider Cedro

on 20 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Suporte Avançado de Vida no Trauma

Suporte Avançado de Vida no Trauma
Hematomas
Intracranianos
Hematomas Intracranianos
Caso 3
Caso 2
Caso 1
Rider Cedro
Criação:
1980
Colégio Americano de Cirurgiões

1986:
América Latina

Atualmente:

Disseminado em mais de 60 países
9ª/8ª Edição
Alta Mortalidade
Sequelas permanentes
Anos de vida perdidos
Alto custo financeiro
"Trauma, a doença do século.”
ATLS®
Exame Segmentar
Exame Neurológico Completo
História Clínica “AMPLA”
Exames Laboratoriais
Exames de Imagem

Re
avaliação contínua
SBAIT - Projeto Trauma 2005-2025
PHTLS
ACLS
PALS
ATCN
BLS
Tratamento Definitivo
Sequência de Atendimento
Avaliação Primária (ABCDE)

Avaliação Secundária
Avaliação Secundária
Exame Segmentar
Exame Neurológico Completo
História Clínica “AMPLA”
Exames Laboratoriais
Exames de Imagem
Reavaliação contínua
ATLS® 9ª Ed. 2012
ATLS® 9ª Ed. 2012
Maria Gabriela, 22 anos, gestante (5 meses), relata ter caído de uma altura de 2m com a explosão.
A:
Vias Aéreas Pérvias
B:
Levemente Dispneica; Ausculta Normal;
C:
Hemodinamicamente estável; FC = 82 bpm;
D:
Glasgow 15 (6+5+4); Pupilas isocóricas e fotorreagentes; Sem sinais focais;
E:
Escoriações em flanco Direito. Queimaduras de 1º e 2º grau em MMII
Medidas Auxiliares
Colar Cervical
Posicionamento em DLE
Retirada da Prancha Rígida
O2 por Máscara Não Reinalante
2 Acessos Venosos Calibrosos
Controle da Hipotermia
Monitorização / Oximetria

Avaliação Primária
Avaliação Secundária
Exame Segmentar:
Sem Alterações
Exame Neurológico Completo:
Sem Alterações
História Clínica “AMPLA”
A
LERGIAS
: Nega
M
EDICAÇÕES
: Ácido Fólico; Sulfato Ferroso
P
ASSADO MÉDICO /
P
RENHEZ
: Gestante
L
ÍQUIDOS E ALIMENTOS
: Torta há 2 horas
A
MBIENTE
: Presença de fumaça e chamas
Qual o próximo passo?
A)
Alta Hospitalar
B)
Laparotomia Exploradora
C)
Transferência para UTI
D)
Reavaliação Periódica (ABCDE)
O famoso bandido Eduardo Varginha, 6 meses após ter forjado sua morte, foi flagrado pela polícia. Durante uma troca de tiros, foi vítima de ferimento por arma de fogo.
A:
Vias Aéreas Pérvias / Colar cervical
B:
Dispneico, MV abolido e macicez em 1/3 inferior de Htx Dir;
C:
Hemodinamicamente Estável; FC = 90 bpm;
D:
Glasgow 15 (6+5+4); Pupilas isocórica/fotorreagentes; Sem sinais focais;
E:
Orifício de entrada de projétil em face anterior do Tórax;
Qual o principal diagnóstico suspeito durante o ABCDE?
A)
Pneumotórax Simples
B)
Pneumotórax Hipertensivo
C)
Hemotórax
D)
Tamponamento Cardíaco
E) Hérnia Diafragmática
Após drenagem torácica, houve saída de 150 ml de sangue. Qual a onduta a seguir?
A)
Nova Drenagem Torácica
B)
Reavaliação do ABCDE
C)
Toracotomia
D)
Ventilação Mecânica

Após 30 minutos, a paciente começa a apresentar confusa. Ao tocá-la, percebe pele pálida e fria.

Monitor mostra:
Qual a classe de choque e conduta inicial?
122
80
40
53
A) Classe I - Cristaloides
B) Classe II - Transfusão (TsF)
C) Classe III - Cristaloides + TsF
D) Classe IV - Coloides
Choque:
Hipoperfusão Tecidual
Classe I
Perda Sanguínea:

Até 750 ml (15%)
Quadro
FC Normal
Ansioso
PA Normal
Conduta:
Cristaloides
Reposição Inicial (1-2L)

Classe II
Perda Sanguínea:

Até 750ml-1,5L (15-30%)
Quadro
FC 100-120 bpm
Ansioso
PA Normal
Conduta:
Cristaloides

Classe III
Perda Sanguínea:

Até 1,5-2L (30-40%)
Quadro
FC 120-140 bpm
Ansioso / Confuso
HIPOTENSÃO
Conduta:

Cristaloides + Transfusão

Classe IV
Perda Sanguínea:

Até > 2L (>40%)
Quadro
FC > 140 bpm
Letárgico / Inconciente
Oligúria
HIPOTENSÃO
Conduta:

Cristaloides + Transfusão
*Drogas Vasoativas (Nora)

Acidose Metabólica
Hipotermia
Coagulopatia
Medidas Gerais
2 Acessos Venosos Calibrosos
O2 em alto fluxo
Sondagem Vesical (Débito Ur)
Monitorização
Aquecimento Externo
Correção de Dist. de Coagulação

Tratamento
Reposição Volêmica Inicial (1-2L)
Conter Hemorragias
Paciente de 20 anos, vítima de trauma craniano após salto em águas rasas.
A:
Vias Aéreas Pérvias / Colar cervical
B:
Eupneico; Ausculta sem alterações; SatO2 80%;
C:
Hemodinamicamente Estável; FC = 62 bpm;
D:
Glasgow 7 (RM4/RV1/RO2); Pupilas iso/foto; Perda da motricidade dos membros inferiores;
E:
Sangramento leve em vias aéreas superiores e conduto auditivo;
Qual a conduta imediata?
Manejo Temporário
Perviedade:
Jaw-Thrust / Cânula de Guedel
Ventilação:
Bolsa-Válvula-Máscara (AMBU)
Oxigenação:
O2 em Alto Fluxo
Manutenção de Vias Aéreas - Paciente Inconsciente
Manejo Definitivo
Perviedade:
Intubação Orotraqueal
Ventilação:
AMBU / Ventilação Mecânica
Oxigenação:
Suporte de O2 do Ventilador

Avaliação Secundária
Exame Segmentar
Exame Neurológico Completo
História Clínica “AMPLA”
Exames Laboratoriais
Exames de Imagem
Manejo do TCE Grave

Controle Hemodinâmico
Controle Ventilatório
Suporte Nutricional
Controle da Glicemia
Controle da Coagulação
Controle da Pressão Intracraniana
Profilaxias
Trombose Venosa Profunda
Úlcera de Estresse
Convulsões


A) Epidural
B) Subdural
A) Epidural
B) Subdural
A) Epidural
B) Subdural
A) Epidural
B) Subdural
Paciente evolui com elevação dos níveis pressóricos e bradicardia. Ao exame, pupilas anisocóricas. Monitor mostrou PIC = 30 mmHg.
Qual medida inicial
NÃO
está indicada para a complicação?
A)
Manitol
B)
Solução Salina Hipertônica
C)
Glicocorticóides
D)
Hiperventilação Controlada
OBRIGADO
CONTADO: RIDERCEDRO@HOTMAIL.COM
Manejo Inicial
Manejo Definitivo
Após uma explosão de gás no polo petroquímico, a equipe de urgência é acionada para fazer o resgate das vítimas.
Preparo da Equipe
Isolamento do local
Triagem de Risco
Regulação/Transporte


Atendimento em Desastres
Dr. Lucas Carvalho, responsável pela equipe de reação a desastres, informou à imprensa que haviam 37 pessoas no local aguardando transporte para o centro de trauma.
Atendimento em Desastres
No hospital, a equipe de pronto atendimento se prepara para a chegada dos pacientes:
1)
Tratar a maior ameaça primeiro.

2)
A ausência de diagnóstico definitivo não deve retardar o tratamento imediato.

3)
A ausência de uma anamnese detalhada não é essencial para começar o tratamento de lesões agudas.
Princípios
TS/Rh
Hemograma
Coagulog
Gasometria
Lactato
B-HCG
Toxicol.
Medidas Auxiliares
Sondagem Vesical*
Sondagem Nasogástrica*
Exames Laboratoriais
Exames de Imagem
Rx Tórax, Pelve, Cervical
TC de Crânio
FAST
Via Aérea Difícil
ALSO
Avaliação Inicial
Avaliação Inicial
Pneumotórax
Hérnia Diafragmática
Tamponamento Cardíaco
Atendimento em Desastres
Atendimento em Desastres
Full transcript