Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

A Sociedade Industrial na Europa do séc. XIX

No description
by

Bea Silva

on 28 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A Sociedade Industrial na Europa do séc. XIX

A Sociedade Industrial na Europa do séc. XIX População, Urbanismo e Emigração A Explosão Demográfica No século XIX, registou-se um intenso e rápido crecimento populacional, e por isso ouve influência na população europeia, perante os dados relativos à população no resto do mundo.
Neste século ouve também uma supremacia europeia relativamente ao aspeto demográfico, principalmente nos países indústrializados, pois são nestes países que se sente o novo regime demográfico.


O acentuado crescimento populacional deve-se, fundamentalmente, a:
Auxencia de pestes, guerras e fomes;
Melhoramento dos cuidados médicos, ou seja uso de vacinas e prática de desinfeção;
Abundância de bens alimentares, devido a estes serem produzidos em larga escala pela agricultura mecanizada, fornecida pela revolução dos meios de transporte;
Investimento social e afetivo nas crianças, pelo centro da família burguesa;
Progressos na higiene, com o uso do sabão e do vestuário de algodão, pela construção de redes de esgotos e do abastecimento da água potável. A Consentração Urbana e o Urbanismo O intenso crescimento das cidades revelou um conjunto de novos problemas urbanos, tais como:
Falta de espaços nos nucleos urbanos centrais e a degradação das condições de habitabilidade: superlatoção citadina, aumento do lixo, subida dos preços das casas, das rendas e principalmente dos terrenos;
O abastecimento de bens alimentares;
O abastecimento de água e combustiveis;
A ausência de redes de esgotos e saneamentos;
O agravamento de fenómenos como a miséria, a delinquência, a prostituição, a mendicidade, etc. O Urbanismo O Urbanismo surgiu, pela necessidade de organizar racionalmente os espaços, os recursos, os transportes e as fontes de energia, marcando assim o séc. XIX. O Urbanismo Acima de tudo com o Urbanismo pretendeu-se, resolver-se os dois grandes problemas do crescimento desordenado das cidades.
Então para se resolver estes problemas, criou-se um espaço para a Burguesia que se afirmava, pois esta entregava a cidade àqueles que a criaram, fazendo assim com que criasse condições politicas, governando assim a cidade consoante os seus interesses.
Proporcionou-se melhores condições de vida para os proletários cujo os filhos trabalhavam para aumentar o rendimento doméstico, e com isto resolve-se assim o segundo grande problema. A Emigração para o Novo Mundo O inicio da emigração, ocorre entre os vários países europeus.
Na Europa quando a população emigrava:
De leste para oeste, fugiam da miséria;
Da Eslovénia, Sérvia e Grécia para o Império Austro-Húngaro, fugiam das guerras;
Da Catalunha e País Basco para a França, emigravam por razões politicas;
Da Italia para a Aústralia, Alemanha, França e também para o Brasil, emigravam para procurar novos espaços onde pudessem ultrapassar as dificeís condições económicas. A Emigração para o Novo Mundo Posteriormente, os principaís destinos da emigração europeia, passaram a ser os Estados Unidos, o Canadá e a Argentina. Os principais destinos da população anglo-saxónica eram a Austrália, Nova Zelândia e a Índia. A partir de 1880 a emigração anglo-saxónica diminuiu progressivamente, sendo substituída pela francesa, pela russa, pela polaca e pela austríaca.
Os portugueses emigravam sobretudo para o Brasil, os espanhóis para a Argentina e outros países de criação espanhola que se localizavam na América do Sul.
A emigração foi muito intensa que acabou por ter alguns obstáculos legais em vários países - os emigrantes passaram a justificar a pose de certo capital ou algum ofício especializado. A Emigração para o Mundo Novo No final do séc. XIX verifica-se um crescimento da Emigração europeia com destino às colonias, principalmente às africanas.
Este novo fenómeno resulta de:
Apelos dos governos europeus;
Propaganda dos governos, em relação aos territórios coloniais e também dos países recentes;
A atração ou fascínio que o desenvolvimento económico desses países exerce nos europeus. Explosão Demográfica Urbanismo Emigração para o Mundo Novo A Emigração para o Mundo Novo A Emigração para o Mundo Novo Trabalho Realizado por:
Beatriz Filipa Silva Rodrigo nº3/8ºC
Carolina Pinto Ferreira nº5/8ºC
Professora:
Eva Ferreira
Full transcript