Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ANÁLISE DE VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA DE UMA MICROCERVEJA

No description
by

on 9 January 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ANÁLISE DE VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA DE UMA MICROCERVEJA

ANÁLISE DE VIABILIDADE TÉCNICO-ECONÔMICA DE UMA MICROCERVEJARIA
TEIGOR CAPRIOLI MACHADO
ORIENTADOR:
Denis Rasquin Rabenschlag

INTRODUÇÃO
Bebida alcoólica fermentada
Crescimento do segmento em 15%
200 microcervejarias no Brasil
37 microcervejarias no Rio Grande do Sul
OBJETIVO GERAL
Realizar uma análise de viabilidade técnico-econômica da implantação de uma microcervejaria.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Levantar o mercado de cervejas artesanais
Estruturar o processo produtivo de uma microcervejaria
Fazer a análise econômico-financeira
JUSTIFICATIVA
Aumento do consumo
Aumento do padrão econômico da população
Poucos trabalhos sobre o assunto
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
HISTÓRIA DA CERVEJA
MATÉRIA PRIMA
TIPOS DE CERVEJAS
PROCESSO PRODUTIVO
Os sumérios inventaram um líquido fermentado a partir do pão, denomidado cerveja
No Egito a cerveja obteve aprimoramentos técnicos
Em 1516 os alemães criaram a lei da puraze, lei do Reinheitsgebot
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA
ESTUDO DE MERCADO
ANÁLISE TÉCNICA
ANÁLISE DE FLUXO DE CAIXA
ANÁLISE ECONÔMICA
ANÁLISE DE RISCO E INCERTEZA
Produto e suas correlações
Mercado consumidor e comportamento de compra
Identificação do consumidor
Concorrência e preço
Localização
BIBLIOGRAFIA: Kotler (2007), Churchill (2010), Holanda (1987)
Engenharia do projeto
Investimentos
BIBLIOGRAFIA: Souza e Clemente (2009), Holanda (1987)
Receitas
Custos e despesas
Capital de giro
Efeitos da depreciação e do Imposto de Renda
Impostos e contribuições
Efeitos das fontes de financiamento
BIBLIOGRAFIA: Casarotto (2010), Souza e Clemente (2009), Calôba e Motta (2011)
Valor Anual Uniforme e Equivalente (VAUE)
Valor Presente Líquido (VPL)
Taxa Interna de Retorno (TIR)
Taxa Mínima de Atratividade (TMA)
Pay Back Time
Ponto de equilíbrio
BIBLIOGRAFIA: Casarotto (2010), Souza e Clemente (2009), Calôba e Motta (2011)
BIBLIOGRAFIA: Casarotto (2010)
Análise sob condições de incerteza
Regras de decisão para matrizes de decisão
METODOLOGIA
CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA
Pesquisa exploratória
Pesquisa descritiva
ETAPAS DA PESQUISA
Viabilidade preliminar
Estudo de mercado
Pesquisa bibliográfica
PLANO DE COLETA E TRATAMENTO DE DADOS
Coleta de dados exploratória
Comparação de análise das informações
PLANO DE ANÁLISE ECONÔMICA
Custos de produção
Indicadores econômicos
Riscos e incertezas
ANÁLISE TÉCNICO-ECONÔMICA
ESTUDO DE MERCADO
IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO
Cerveja artesanal de exclusivo sabor e certa sofisticação
Pale Ale e Weiss
CONSUMO HISTÓRICO
Brasil é o terceiro maior produtor mundial de cerveja
Brasil está entre os 20 maiores consumidores de cerveja no mundo
IDENTIFICAÇÃO DO CONSUMIDOR
Homem, de 19 a 50 anos, com renda superior a 7 salários mínimos e ensino superior incompleto (Fonte: UCS, 2012)
Maioria do consumo é esporádico, em bares, casas especializadas ou na própria residência
Público diferente do consumidor da bebida tradicional e que valoriza o sabor (Jorge Gitzler)
POPULAÇÃO CONSUMIDORA
Em 2007, 61% da população brasileira consumiu cerveja ou chopp (SENAD)
Em 2013 os brasileiros gastaram R$ 6,1 bilhões em bebidas fermentadas, sendo que a classe B foi quem mais consumiu com R$ 2,61 bilhões e a região Sul consumiu R$ 1,15 bilhões e também teve o maior gasto por habitante, R$ 49,01 (IBGE, 2013)
CAPACIDADE DE PRODUÇÃO
Por lei a capacidade máxima é de 200 mil litros/mês, para uma microcervejaira
Projeção de consumo no Estado de 288 mil litros/mês
Média de 7.800 litros/mês de cerveja produzida para cada microcervejaria do Estado
Produção inicial variável de 5.000 a 15.000 litros/mês
POLITICA ECONÔMICA DO GOVERNO
Em 2013, o governo do Estado reduziu o ICMS cobrado sobre microcervejarias, de 25% para 12%
CONCORRÊNCIA
O Estado possuía 37 microcervejarias cadastradas na AGM, em 2012
Pesquisa realizada pelo autor aponta 41 microcervejarias em 2013
Por meio da pesquisa obteve que a maioria produz pilsen e/ou weiss e que mais de 70% das microcervejarias estão localizadas na região metropolitana
Preço
O preço foi obtido pela comparação com outras microcervejarias, por meio de sites especializados
O preço médio obtido foi de R$ 12,67 para 600ml
O preço médio direto fabrica é em torno de R$ 7,6 a R$ 8,87 para 600ml, ou R$ 12,67 a R$14,78 para 1 litro
Lista de preços de cervejas produzidas no Rio Grande do Sul
Fonte: Dados compilados dos sites Costi Bebidas e Republica das Bebidas
LOCALIZAÇÃO
Fatores de escolha da localização: População, distância dos insumos, concorrentes, poder aquisitivos, entre outros
Escolha por Santa Maria
ANÁLISE TÉCNICA
ENGENHARIA DO PROJETO
É a base para a estimativa de produção e o que é necessário para possibilita-la. Dividindo-se em:
Processo produtivo
Máquinas e equipamentos
Móveis
Layout
Localização do empreendimento
INVESTIMENTOS
INVESTIMENTOS
Ativos fixos
Plano de financiamento:
Por meio do BNDES, que financia até 90% do projeto de implantação com prazo de até 240 meses
O financiamento só não cobre a abertura e legalização da empresa
A parte financiável é de R$ 455.057,93, ficando R$ 53.641,99 a cargo do empreendedor
ANÁLISE ECONÔMICA
ANÁLISE DE RISCO E INCERTEZA
ANÁLISE DE RISCO E INCERTEZA
DEPRECIAÇÃO
Utilizada para abater do Imposto de Renda
Depreciação foi aplicada em máquinas e equipamentos, veículos, móveis
Depreciação das máquinas e equipamentos e móveis tem duranção de 10 anos
Depreciação dos veículos tem duração de 5 anos
CUSTOS E DESPESAS
Custos variáveis, que variam conforme o tipo e tamanho da produção
Custos fixos, que independe do tamanho da produção
PREVISÃO DE DEMANDA
aumento do mercado de cervejas artesanais de 0,5% a 2% em 10 anos (ABRABE)
Com a previsão de aumento do mercado, fez-se uma projeção de aumentos gradativos de capacidade de produção para cada projeto, drante 10 anos
PREÇOS E RECEITAS
Para seguir os estudos dos próximos tópicos foram utilizados três projetos de produção inicial distintos
Projeto de Produção A -> 5.000 litros/mês
Projeto de Produção B -> 10.000 litros/mês
Projeto de Produção C -> 15.000 litros/mês
Preço obtido pelo estudo de mercado foi de R$ 12,67 a R$ 14,78 para 1 litro de cerveja
Para ser mais competitivo e ganhar mercado foi definido um preço inicial de R$ 11,50 para 1 litro de cerveja
Aumentos gradativos foram previstos para 10 anos
IMPOSTOS SOBRE MICROCERVEJARIAS
Para bebidas frias pode-se optar por uma tributação diferente, Regime Especial de Tributação de Bebidas Frias (REFRI)
FLUXO DE CAIXA
ANÁLISE POR ÍNDICES
PONTO DE EQUILÍBRIO
Um dos fatores mais importântes de um estudo de viabilidade
Divisão em Demonstração de Resultado e Fluxo de Caixa
Índices abordados:
Valor Presente Líquido
Taxa Interna de Retorno
Pay Back Time
Ale, alta fermentação a temperatura ambiente (18 a 22ºC)
Lager, baixa fermentação a temperatura mais baixas (9 a 15ºC)
Ale tem um sabor e aroma mais frutado
Lager tem um sabor e aroma mais amargo e lupado ou adocicado e malteado
Os sabores geralmente abrangem vários estilos (Ales ou Lagers), e podem confudir um estilo com outro
Água de rede pública geralmente é boa, so sendo necessário remover o cloro
Estima-se que são utilizados de 4 a 5 litros de água para cada litro produzido de cerveja
O malte de cevada é importante na conversão do amido da cevada em açucares que formam o mosto
O lúpulo é um conservante natural e inicialmente era utilizado com esse fim, hoje em dia ele é utilizado para conferir amargor e aroma a cerveja
A levedura (fermento) é utilizada na fermentação devido a sua caracteristica de converter os açucares em álcool
MUITO OBRIGADO PELA ATENÇÃO
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Sugestões de trabalhos futuros são:
Tratamento e destino de resíduos
Aprofundamente da análise de riscos e incertezas
A implantação de uma microcervejaria pode ser dificultada pela alta tributação e o alto investimento inicial
Estudo mostrou a viabilidade de implantação de uma microcervejaria em Santa Maria
Dos três projetos de produção inicial somente o A não foi viável
É possivel adaptar o projeto conforme for necessário, visto que o estudo realizado foi idealizado pelo autor e pode ser adaptado
Existem alguns itens que mais influenciaram os custos, como a compra de máquinas e equipamentos, matéria prima, garrafa descartáveis e a mão-de-obra
Essencial para se obter o quanto deve ser vendido para pelo menos não obter prejuízo no mês ou no ano
Foi estipulado dois pontos de equilíbrio diferentes, um baseado no primeiro mês de produção e o segundo baseado em anos de produção, ambas foram calculados para os três projetos de produção previstos
Ponto de equilíbrio ano a ano para Projeto A
Ponto de equilíbrio ano a ano para Projeto B
Ponto de equilíbrio ano a ano para Projeto C
Auxilia na decisão de qual é o melhor projeto
Utilização de alguns índices convertidos em percentuais para fazer uma análise prévia
Despesas pré-operacionais
Capital de giro
Full transcript