Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ALDO ROSSI

No description
by

Ricardo Guerra

on 4 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ALDO ROSSI

ALDO ROSSI
• Aldo Rossi, 1931-97, nasceu em Milão, Itália;
• Formou-se na Escola Politécnica de Milão em 1959;
• Trabalho na revista de arquitetura Casabella-continuità com Ernesto Nathan Rogers;
• Iniciou como proferssor sendo assistente de Ludovico Quaroni no curso de Urbanismo em Arezzo

em 1963;
• Conheceu grandes arquitetos e teóricos como Ludovico Quaroni, Carlo Aymonino ou Fabio Reinhart;
• Assumiu a direção da Casabella-continuità em 1964;
• Se transferiu, a convite, para a Faculdade de Arquitetura de Milão em 1965;
• Escreveu para a revista Il Contemporâneo;
• Tornou-se um dos grandes teoricos sobre arquitetura da segunda metade do século XX pelos seus escritos;
• Escreveu L’Architettura della Città (A arquitetura da cidade) em 1966, referência até hoje;
• Um dos fundadores do movimento italiano neo-racionalista La Tendenza;
• Além de arauiteto, urbanista, escritor, Aldo Rossi também era designer de objetos;
• Ensinou desde os anos 60 universidades italianas como Veneza (1963), Milão e Palermo (1970), Zurique (1972), nos EUA (Harvard, Yale e Cornell) (1980);
• É publicado pela MIT Press "Autobiografia Cientifica" em 1981;
• Recebeu o Prêmio Pritzker em 1990 pelo conjunto de sua obra;
• Se baseava em formas puras e simples de influência classica;
• Desenvolvia seus projetos por croquis em perspectiva;
• Defendia o valor de monumentos e as malhas originais existentes nas cidades;
• Despresava a perda de identidade das pessoas pelo Estilo Internacional;
• Diferenciava Tipo, objeto que faz referência a outras construções sem imitalas, de Modelo, objeto destinado a ser reprodizido por imitação, como o Estilo Internacional;
• Apos a juventude tornou suas obras mais rebuscadas e ornamentadas.
EQUIPE:
ANA GABRIELLA
ANA LAURA
BÁRBARA AMARAL
CLÉLIA MARIANO
JOÃO RICARDO
ALDO ROSSI
Exposição teórica sobre a vida e a obra de um importante arquiteto do período Pós-moderno
BIOGRAFIA
CONCEITOS
PRINCIPAIS OBRAS
PRINCIPAIS OBRAS
PRINCIPAIS OBRAS
PRINCIPAIS OBRAS
PRINCIPAIS OBRAS
• Gallaratese, em Milão (1969-73)
• Cemitério de São Cataldo, Módena (1971-85)
• Escola Fagnano Olona (1972-76)
• Teatro del Mondo, Veneza (1979-80)
• Edficio Residencial de Friedrichstadt, Berlim (1981-88)
• Centro Direcional, Perugia (1982-88)
•Restauro do Teatro Carlo Felice, Gênova (1983-89)
• Museu Bonnefanten, Maastricht (1990-95)
• Edificio Quartier Schützenstrasse, Berlim (1994-98)
PRINCIPAIS OBRAS
OBRIGADO!
PRINCIPAIS OBRAS
Gallaratese, em Milão (1969-73)

• Foi seu projeto mais importante;
• Bloco linear assente em pórticos contínuos, rigidamente rasgado por janelas quadradas, em solução de absoluta repetitividade e simplicidade.
Teatro Del Mondo (1979-80)

• Encomendado para a Bienal de Veneza de 1980;
• Funcionava como galeria flutuante, que navegava no rio e ancorava para recepção dos espectadores;
• Sua forma dialoga com a cidade e busca retratar certo historicismo, abordando os antigos teatros flutuantes do século XVI e XVII;
• O passado também é retratado em fachadas alinhadas compostas de citações da antiga arquitetura italiana;
• As arquibancadas são desenvolvidas ao lado de galerias aéreas;
• Aberturas laterais que possibilita a visão das cidade pelo qual o teatro navega.
Edficio Residencial de Friedrichstadt, Berlim (1981-88)


Centro Direcional, Perugia (1982-88)

Restauro do Teatro Carlo Felice, Gênova (1983-89)

•É a casa de ópera de Génova, usado para apresentações de ópera, balé, música orquestral, e recitais.
Arquiteto - Carlo Barabino
A acústica foram considerados entre os melhores da época.
1941, um projetil deixou um grande buraco destruindo o teto da auditório; em 1943, bombas destruirão todos os bastidores, acessórios e cenário de madeira, porem não alcançou o auditório principal.
1944 ocorreu um ataque aereo causando a destruição da frente do teatro deixando praticamente apenas as paredes exteriores e os corredores atrás das camadas de caixas de pé.
O primeiro design by Paolo Antonio Chessa (1951) foi rejeitado; o segundo por Carlo Scarpa foi aprovado em 1977, mas levados a um impasse por sua morte prematura.
Aldo Rossi, em última análise forneceu o projeto de hoje, em que partes da fachada original foram recriados, mas o interior é totalmente moderno.
Edificio Quartier Schützenstrasse, Berlim (1994-98)
Escola Fagnano Olona (1972-76)

• Localizado na Lombardia, Itália.
• Tipologia histórica ligando a escola com o significado da paisagem industrial circundante.
• Conceito central deste projeto é fazer com que uma pequena cidade
• A biblioteca é um cilindro coberto por um telhado cônico no meio de um pátio, assume um monumento abstrato. As janelas deste volume são quadrados.
Cemitério de São Cataldo, Módena (1971-85)

• Traduções do passado;
• Casca com aberturas;
• Cubo ossuário;
• Arquitetura metafísica (conhecimento da essência das coisas).

“a questão do fragmento na arquitetura é muito importante, pois pode ser que somente as ruínas expressem um fato completamente… Estou pensando numa unidade, ou num sistema, feito unicamente através de fragmentos reagrupados.”
PRINCIPAIS OBRAS
PRINCIPAIS OBRAS
Museu Bonnefanten, Maastricht (1990-95)

Conhecido por sua mistura da arte de diferentes períodos.
coleção permanente: Bonnefantenmuseum
Aldo utiliza do espaço e da luz
"Um poeta que por acaso é um arquiteto”, é como foi denominado no Pritzker 1990.
Não bastasse a concretização do projeto arquitetônico, ele foi autor de textos que contribuíram para o meio acadêmico, além de ser artista e designer de pinturas e móveis.
"Arquitetura é uma profissão na qual o talento amadurece lentamente. É uma disciplina que requer muitos anos de observação cuidadosa, de testes de princípios, de sentir o espaço, e, de experimentar os vários modos necessários para temperar e dar carinho. Prodígios em arquitetura são extremamente raros"
A Arquitetura das Cidades (1966) e Autobiografia Científica (1981), dois livros incrivelmente influentes e fundamentais para o entendimento do pensamento arquitetônico pós-moderno.
Rossi foi capaz de seguir as lições da arquitetura clássica sem copiá-las; seus edifícios carregam ecos do passado no seu uso de formas, que têm uma qualidade universal assombrosa. Seu trabalho é ao mesmo tempo ousado e ordinário, original sem ser romântico, agradavelmente simples na aparência, mas, extremamente complexo em conteúdo e significado. Em um período de diversos estilos e influências, Aldo Rossi tem evitado o fashion e o popular para criar uma arquitetura singular.
fonte: http://www.pritzkerprize.com/
Uma das características marcantes de sua produção está nas suas colagens e desenhos, feitos à mão, que exploram a representação como investigação e desconstrução da visualidade arquitetônica.

Rossi coloria seus desenhos cuidadosamente com uma paleta escolhida e simbólica, cobrindo-os com inúmeras anotações à mão livre.
Full transcript