Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Performance, Happening e Instalação

No description
by

Manuel Petiz da Rocha

on 3 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Performance, Happening e Instalação

Performance, Happening e Instalação
Trabalho reazlizado por:
Christopher Roberts nº 16 12º B
João Costa nº 23 11º B
Manuel Petiz da Rocha nº 18 12º B
Rita Souto nº 19 11º B

Performance Arte
Este tipo de arte surge na década de 1960, com a explosão das vanguardas e com o Modernismo. É uma manifestação artística que pode englobar teatro, música, poesia, vídeo, etc. Este tipo de arte pertence á segunda metade do séc. XX porém é do início do século que retém influências (Dadaísmo, Futurismo e da Bauhaus). Difere do “happening” no sentido de ser mais cuidadosamente trabalhada e estudada e não requer da assistência de espetadores. Geralmente, a performance segue uma rotina definida que pode no futuro ser concretizada noutros momentos/locais.
Introdução á "Performance
No contexto das artes, “performance” junta vários tipos de arte, desde a dança, canto, teatro, magia, etc. Quem executa a “performance” chama-se “performer”. Na segunda metade do séc. XX surge o género nos EUA designado “Performance Art”.
Origem da Palavra e Significado
A palavra tem as suas origens no francês antigo: “performance”, “parformer”, ou seja, “accomplir” (fazer, cumprir, conseguir, concluir). Também se origina no latim, formado pelo prefixo “per” mais “formaré” (dar forma a). No seu sentido global significa iniciar, fazer uma tarefa.
Tipos de "Performance"
Quase todo o tipo de arte se pode transformar em "performance", tais como:
Musicais;
Concerto;
Recital;
Teatro;
Ópera;
Ballet;
Dança Moderna;
Circo
Origens da Performance Arte
Uma das primeiras apresentações da performance arte foi feita pelo grupo Fluxus, com obras de Joseph Beuys e Wolf Vostell. Uma das obras mais icónicas de Beuys foi uma na qual passou horas sozinho na Galeria Schmela, com o rosto coberto de mel e folhas de ouro, carregando nos braços uma lebre morta. Ocasionalmente a performance arte tinha ligação direta com a body art.
Casos Extremos da Peformance Arte
Existem artistas na performance arte que a tomam como uma forma de provocação e tornam a performance num ato masoquista. Como foi o caso de Chris Burden, conhecido pela sua provocação masoquista perante o público. Rastejando sobre cacos de vidro, levar tiros e crucificado num automóvel.
Estudos da Performance
Hoje em dia, alunos de Teatro, Canto, Filosofia, Ciências Sociais ou Dança têm a chamada disciplina de “Estudos da Performance”. Envolvendo desde o estudo das formas mais complexas da arte, até a arte incluída na vida quotidiano, normalmente estudados na antropologia e na sociologia.
Artistas mais importantes da performance em cada década
1960 – Yves Klein.
1970 – Chris Burden.
1980 – Linda Montano.
1990 – Gyorgy Galantai.
2000 – Marina Abramovic.
Introdução ao Happening
O happening é uma forma de expressão das artes visuais que apresenta caraterísticas da arte cénica. É quase sempre planeada e envolve espontaneidade e improvisação, sendo que nunca se repete da mesma maneira a cada nova apresentação.
Origens do happening
O termo “happening” é criado por Allan Kaprow nos anos 50, num piquenique de arte na fazenda de George Segal para designar as obras de artes que estavam a “acontecer”. Ele designa o termo como uma forma de arte que combina artes visuais com um teatro “sui generis”, sem texto nem representação.
Diferenças entre o Happening e Performance
Enquanto que na performance não há a participação do público no decorrer da obra, no happening o artista interage com o público. A estrutura do happening não começo, meio, nem fim, á base de improvisação, no meio de espaços públicos, ou seja, dispensa convenções artísticas. Deste modo, os “atores” têm que agir como se não fossem profissionais, mas sim pessoas comuns.
Caraterísticas e Influências do Happening
O happening faz-se no “momento” e nunca pode ser reproduzido da mesma maneira. Inspira-se na rotina quotidiana, assim sendo destruindo as barreiras entre a arte e a vida. Kaprow chama-lhe uma “nova arte concreta”, substituindo a antiga arte concreta abstrata, também dizendo que o happening é um desdobramento da “assemblage” e da arte ambiental, mas ultrapassando-as por incluir movimento. O trabalho experimental de John Cage e o “action painting” de Jackson Pollock foram fundamentais para a concecção do happening.
Happening e a Pop Art
Na pop art, artistas como Kaprow e Jim Dine tinham como intuito “tirar a arte das telas e trazê-las para a vida”. Artistas da Pop Art contribuíram para essa ideia, tal Roy Lichenstein e Robert Rauschenberg que, por exemplo, alugou trinta tartarugas para soltá-las num palco escuro, com lanternas presas nos cascos. Enquanto que as tartarugas emitiam luzes em direções aleatórias, o artista andava entre elas. No final, sobre pernas-de-pau, Rauschenberg deitou água num balde de gelo seco preso á sua cintura, levantando nuvens de vapor ao seu redor.
Introdução á Instalação
A instalação pertence ás manifestações artísticas contemporâneas. Consiste na composição de elementos organizados num ambiente ou espaço. Pode “existir” só na hora da exposição ou pode ser desmontada e construída novamente noutro local.
Temos uma artista portuguesa conhecida pela arte da instalação, Joana Vasconcelos.
Origens e Popularização da Instalação
A instalação ganhou destaque na década de 1970, mas as suas raízes podem ser identificadas em artistas como Marcel Duchamp e o seu uso do “ready made” e os objetos de arte “Merz” de Kurt Schwitters. Também se encontram raízes na origem da instalação na arte conceitual
Caraterísticas da Instalação
A arte da instalação pode ser temporária ou permanente. Obras de instalação são construídas em museus, galerias, bem como espaços públicos ou privados. Esta arte incorpora vários materiais do quotidiano e naturais e também por materiais modernos como vídeo, som, realidade virtual e internet. Muitas instalações são construídas exclusivamente para um sítio, para realçar o meio envolvente. Como é o caso do Museu Americano de História Natural ou a Disneyland.
Gesamtkunstwerk
Richard Wagner teve o ato consciente de abordar artisticamente para que se conseguisse ter uma experiência total, concebeu, uma “Gesamtkunstwerk”, ou seja, uma obra de arte total, uma síntese de todas as artes que se inspirou no antigo teatro grego., na inclusão de pintura, escrita, música, etc. Comandou todos os sentidos do público também através da arquitetura, ambiente e até mesmo o público foi usado como “objeto”, ficando assim num estado de total imersão artística. Tendo a instalação, principalmente a instalação interativa tomado influências de Wagner.
Instalação Interativa
Instalação Interativa é uma sub-categoria da arte da instalação. Normalmente a instalação interativa faz com que o público interaja com a obra de arte. Instalações feitas na internet, tal como o “Telegarden”. As instalações interativas começaram a aparecer nos finais da década de 1980, baseado em instalações digitais e eletrónicas, com artistas como Jeffrey Shaw e Edmond Couchot. Tornou-se um género de arte na década de 90 e os artistas interessavam-se em usar o público para participar na instalação.
Full transcript