Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

CIÊNCIA DO TREINAMENTO ESPORTIVO -Respostas Fisiológicas ao Treinamento Aeróbico

No description
by

Fabiano Soares

on 3 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CIÊNCIA DO TREINAMENTO ESPORTIVO -Respostas Fisiológicas ao Treinamento Aeróbico

VO2Máx
Resposta Fisiológica ao Treinamento Aeróbico
ESPECIFICIDADE DO TREINAMENTO
DETERMINANDO A INTENSIDADE DO TREINAMENTO
Três pontos principais devem ser abordados durante o planejamento do treinamento aeróbico:
Determinar a contribuição dos sistemas energéticos para a produção de energia durante uma determinada atividade;
O sistema cardiorrespiratório é de suma importância no desenvolvimento da capacidade oxidativa. Mas, será estudado a parte;
Com treinamenrtos partir de 50% do VO2máx. já é possível esperar progressos na capacidades oxidativa dos atletas;
Porém atletas de elite normalmente se exercítam próximo dos 80%-85%, até 90% do VO2máx. durante a temporada de treinamento;
O volume máximo de O2 que pode ser captado, extraído, fixado, transportado e, finalmente utilizado, até o tecimo muscular recrutrado na atividade física realizada.
Pode ser expresso de forma absoluta (l/min), ou de forma relativa (ml/kg/min).
A expressão relativa do VO2 é usada como forma de classificar atletas.
· É usado em estudos epidemiológicos para comparação de capacidade física entre povos e atletas.
LIMIAR DE LACTATO
Existe uma intensidade de esforço até onde os processos de produção e remoção de ácido láctico estão equilibrados não existindo acúmulo;
Qualquer incremento acima deste ponto acarreta um acúmulo de Lactato, devido a produção ser superior a remoção.
Portanto, as práticas de treinamento para produção de energia aeróbica devem ser elaboradas a fim de aprimorar essas duas medidas.
os músculos envolvidos;
o sistema cardiorrespiratório;
a função neuromuscular.
Em geral, a maioria das atividades de endurance usam maciçamente o Ciclo de Krebs, Sistema de Transporte de Elétrons e a Beta-oxidação;
Entretanto, provas como 400m na natação, 800m na corrida ou o meio-campo no futebol exigem uma participação maior da Glicólise Anaeróbica;
O treinador deverá incorporar ao treinamento atividades que reflitam de maneira proporcional a contribuição das vias energéticas para a prova em questão.
O recrutamento das fibras do Tipo I, e até certo ponto as fibras do Tipo IIa, serão preponderantemente recrutadas durante a atividade aeróbica, sofrendo as principais adaptações;
A especificidade se reflete inclusive no tipo de atividade realizada:
Um estudo envolvendo remadores, ciclistas e esquiadores mostrou que o VO2 obtido nas suas provas era mais alto que o obtido em esteira (em média de 3%-5%);
Isso mostra que o treinamento aprimora os músculos específicos e os padrões de recrutamento neuromuscular, que não podem ser transferidos completamente para o desempenho em esteira;
Mudanças Bioquímicas
O treinamento aeróbico leva ao aumento nas reservas musculares de Glicogênio e triglicerídeos.

Além disso, leva ao aumento na concentração das enzimas envolvidas no metabolismo destas reservas.
Aumento na Utilização do O2
AUMENTO NO NÚMERO E NO TAMANHO DAS MITOCÔNDRIAS
Quanto maior a mitocôndria e quanto maior o número delas, maior será a capacidade de oxidar as reservas energéticas para produzir ATP.
AUMENTO NAS RESERVAS DE MIOGLOBINA
Responsável pelo suprimento de O2 no citoplasma muscular, ela se liga ao O2 fornecido pela circulaçlão capilar transportando-o para o interior da célula.
O treinamento aeróbico aumenta a sua concentração e, portanto, a habilidade de entregar O2 para a mitocôndria.
AUMENTO NO USO DE AGL
O aumento na capacidade oxidativa junto com o aumento das reservas energéticas, proporciona um aumento considerável na utilização de grandes quantidades de Lipídeos como combustível, em qualquer nível de intensidade.
Isso é chamado de Poupança de Glicogênio.
REDUÇÃO DO USO DOS SISTEMAS ANAERÓBICOS
Devido ao aumento da capacidade muscular de obter energia pela via oxidativa, ocorrerá uma redução da necessidade de utilização das vias anaeróbicas.
Isso permite ao atleta treinar em intensidades mais altas sem ultrapassar seu Limiar de Lactato
Medidas alternativas aos testes ergoexpirométricos serão os já citados Limiar de Lactato, FC do Limiar e até a Escala de Percepção de Esforço.

O método de %FC Simples é a forma mais direta de controle da Intensidade de treino, permanecendo entre 60% a 90% da FCmáx (correspondente a 50%-85% do VO2máx.).

Um outro método seria o de reserva da FC, que consiste em na diferença entre a FC de repouso e a FCmáx.
EX: FC repouso de um atleta seja 65bpm e sua FCmáx. seja 200bpm, sua FCres. seria 135bpm. Em seguida aplicar o % desejado para encontrar a FC alvo.
FCalvo =(200-65)x0,85+65=180bpm
Outro método, já mencionado, seria a utilização do Limiar de Lactato;

Neste caso, dependendo do atleta, da fase de treinamento e da qualidade que se deseja aprimorar, a Intensidade de treino ficará logo abaixo ou logo acima deste Limiar (+/- 5%).
DETERMINANDO FREQUÊNCIA E DURAÇÃO DO TREINAMENTO
Em geral, quanto mais frequente e prolongado for o programa de treinamento de endurance, maiores serão os benefícios para a aptidão;

A frequência ideal ficaria entre 3x a 5x por semana;

Porém, alguns esportes necessitam de 5x a 7x por semana para aprimorar as habilidades técnicas
DIRETRIZES GERAIS PARA INTENSIDADE, FREQUÊNCIA E DURAÇÃO DO TREINAMENTO DE ENDURANCE
Intensidade Método % simples - 85% a 90% da FCmáx.
Método de FCres. - 80% a 85% da FCres.
Método do LImiar - FC imediatamente abaixo, ao nível de, ou logo acima da FC do Limiar
Frequência 4 a 6 dias por semana
Sessões por dia 1 (talvez 2)
Duração mínima 8 semanas
Duração por sessão Trabalhos rápidos de 25 minutos, completados com 5 minutos de trabalho lento (até > 60min)
MÉTODOS DE TREINAMENTO
DURAÇÃO MODERADA INTENSIDADE ALTA
CURTA DURAÇÃO ALTÍSSIMA INTENSIDADE
Longa Duração Intensidade Moderada
FARTLEK (JOGO DE VELOCIDADE)
TREINAMENTO CRUZADO
Consiste em 30' a 2h de exercício contínuo (corrida, ciclismo, natação) realizado em distâncias longas.

Este é o método mais utilizado nos programas contemporâneos de treinamento de endurance e recebe o nome de LDL (longa duração, lento).

A intensidade neste método ficaria entre 75% a 85% da FCmáx ou 60% a 70% do VO2máx.

A maioria dos atletas treinando nestas intensidades ficam abaixo do seu Limiar de Lactato, logo, em um ritmo abaixo do ritmo de competição.
Também chamado de treinamento ritmado, onde a intensidade fica muito próxima do Limiar de Lactato (85% a 90% da FCmáx).

São de natureza ainda contínua (entre 30 a 60 min).

Caso a intensidade suba para qualquer valor acima no Limiar, a duração deverá ser reduzida proporcionalmente, chegando até 4' a 10'.

Pode ter estrutura intervalada, sendo que a duração do intervalo de trabalho vai ser maior que a de repouso e o grau de recuperação entre as repetições será menor.
Aumentar a tolerância ao Limiar de lactato
Para atletas que atingiram um platô em relação a aprimoramentos do VO2máx. este método pode ser eficaz para melhoria do VO2 no Limiar ou economia de energia
Este método é uma adaptação do treinamento intervalado e recebe a denominação de piques (tiros) intervalados.
Ex: tiros de 50 metros seguidos de intervalos de trote de 60 metros até 1200-2000 metros ao todo.
O fato do atleta não conseguir manter velocidades máximas nos tiros subsequentes, aliado ao longas distâncias percorridas por treino (acima de 4km), torna este treino apropriado a melhoria das vias oxidativas.
Ciclistas e corredores, frequentemente, acrascentam colinas neste tipo de treinamento.
Considerado o precursor do treinamento intervalado. Consiste em alternar velocidades sem prescisão e todo o exercício é realizado continuamente.

Nadadores, corredores e ciclistas usam muito este método, porém apenas uma vez por semana.

Representa uma boa forma de aprimorar as vias metabólicas oxidativas e também as anaeróbicas.
Aquecimento 5' a 10'
1,2 a 2 km com velocidade rápida
Caminhar rapidamente por 5'
Realizar corrida livre, entremeada por tiros de 60-70 metros até a fadiga
Correr livremente, entremeando 3-4 passadas rápidas ocasionalmente
Subir uma elevação de 150-175 metros com velocidade contínua
Correr rápido por um minuto
Encerrar o treino dando de 1 a 5 voltas na pista de atletismo, dependendo da prova na competição.
O conceito de treinamento alternativo não é novo. Atletas e preparadores já compreendem que o desempenho pode ser mantido e uma recuperação após uma lesão pode ser acelerada se uma modalidade alternativa for adotada.

Usado mais amplamente nas últimas décadas, com a popularização do triatlon.

O conceito básico é que existe um nível de transferência do condicionamento adquirido em uma modalidade para outra.
EQUILÍBRIO
T. Específico
Performance
T. Alternativo
Saturação
FEELING TREINADOR
· É aceito internacionalmente como o melhor parâmetro fisiológico para avaliar, em conjunto a capacidade funcional do sistema cardirespiratório;
· É um parâmetro fisiológico e metabólico para avaliar a capacidade metabólica oxidativa (aeróbia) durante trabalhos musculares acima do metabolismo basal;
· É um parâmetro ergométrico utilizado para avaliação da capacidade de trabalho do homem, em diferentes atividades ocupacionais (Medicina do Trabalho);
· É um parâmetro fisiológico para prescrever atividades físicas sob forma de condicionamento físico normal (sedentários, obesos e idosos) ou sob forma de treinamento físico (preparação física de atletas) ou ainda sob forma de atividades ocupacionais no ambiente de trabalho;
Full transcript