Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

AVALIAÇÃO NA ESCOLA

Este prezi é baseado no módulo 6 do curso de formação de professores do MEC - desenvolvido para capacitar os professores do município de P.Verde/Se
by

Jorge Schalgter Leal

on 28 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of AVALIAÇÃO NA ESCOLA

AVALIAÇÃO
Milena Flament
Prova? já!
INOVAÇÃO

- concretização da ideia
- grupo
- mudança de percepção
Empresas e personalidades criativas
O que é
CRIATIVIDADE?
BLOQUEIOS À CRIATIVIDADE
PRINCÍPIOS
DA
INOVAÇÃO

Realizar uma pesquisa
para determinar todas as variáveis envolvidas no problema
Criar um relatório dos problemas
Realizar Brainstormings com equipes de seis a doze participantes
Discutir hipóteses e construir modelos para que se excluam as falhas
Considerar o
feedback dos
usuários
APPLE
GOOGLE
Na Grécia antiga, o conceito estava relacionado com a noção de divindade e “iluminação espiritual”, considerada uma qualidade atribuída aos deuses e herois.
Na Europa medieval, o termo era confundido com a
loucura
, o paganismo e a rebeldia.

Na passagem do século XIX para o XX, a criatividade começou a ser relacionada com o conceito de
inteligência
.

Apesar de todas as crenças pré-estabelecidas, a maioria dos autores afirmam justamente o contrário, ou seja, a
criatividade é inata e pode ser cultivada e aprendida
.
CRIATIVIDADE
CRIATIVIDADE NÃO É UM TALENTO
O motivo pelo qual as pessoas ainda acreditam que a criatividade é um “talento” é porque pessoas criativas se destacam dentre os demais por
pensarem de maneira diferente
, buscando novos caminhos para lidar com situações inesperadas que
não
podem ser resolvidas por meios convencionais
Em termos empresariais, segundo Caulkins (2001), a criatividade está relacionada a
novas formas de solução de problemas
, envolvendo a combinação de ideias de
diferentes áreas de conhecimento
.
Teresa M. Amabile, afirma que, ao contrário de abordagens tradicionais,
qualquer pessoa com capacidades normais é capaz de produzir trabalhos criativos
e que
o ambiente de trabalho pode influenciar tanto no nível quanto na frequência de comportamento criativo
.
Para Kneller (1978), a criatividade deriva de rearranjar o que sabemos, a fim de encontrar o que desconhecemos.
Segundo Duailibi & Simonsen (1990), a criatividade é uma técnica de resolver problemas, isto é, o intuito da criatividade é a capacidade de encontrar soluções para um objeto-problema.
Noller apud Gil da Costa (2000) tentou definir de criatividade de forma simbólica usando três fatores:
conhecimento + imaginação + avaliação =
criatividade.
Autoritarismo
:
atitudes inibidoras
da empresa com relação à expressão de sentimentos, emoções, ideias e pensamentos. O controle excessivo dos métodos e procedimentos de trabalho e a imposição de regras e restrições para atividades e resolução de problemas, acabam por criar a
sensação de que não há espaço para a originalidade
.
Imediatismo:
considerado uma das maiores barreiras à criatividade,
a falta de tempo
para se dedicar à solução do problema é geralmente relacionada à
cultura da pressa
. As pessoas não dispõem tempo suficiente para a pesquisa e o amadurecimento da ideia.
Intolerância para com o novo:
estamos geralmente impedidos de perceber um problema de maneira mais clara devido a nossa inabilidade de
ver o problema sob outro ponto de vista
. Estamos habituados a ignorar que um objeto pode ter outros usos e aplicações além de sua função usual, pois
nossa mente está treinada para aceitar apenas aquilo que nos foi ensinado
.
Manutenção do status
: esta barreira está ligada ao lugar comum, ou seja, à zona de conforto. É difícil para a maioria das
pessoas aceitarem algo novo
.
“Sempre foi feito assim, para que mudar?”
Rotina e acomodação
: as pessoas deixam de criar ideias novas por que é muito mais fácil e prático usar o que já foi pensado antes. É um
bloqueio cultural
, imposto pelo grupo ou pela sociedade.
“em time que está ganhando não se mexe”
Medo do ridículo
: as pessoas tem receio de correr riscos, a cometer erros, a parecer tolo ou ridículo expondo uma ideia incomum. Este bloqueio emocional, geralmente é incentivado pela
falta de apoio da equipe, falta de cooperação e confiança
.
Cabe à empresa e seus gestores:
- Propiciarem um ambiente organizacional com condições para que seus colaboradores possam expressar e discutir suas ideias sem medo;
- Encorajar seus funcionários a proporem novas soluções;
- Recompensá-los por suas iniciativas.

É um
processo longo, lento e difícil
, pois envolve questões culturais, intelectuais e emocionais, porém o resultado é surpreendentemente
enriquecedor
, tanto para a empresa como para seus colaboradores.
AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO
Professor, investigue se o aluno realmente estava prestando atenção na explicação durante a aula na qual teriam sido ensinados o conteúdo e os procedimentos que levariam ao seu domínio. A Avaliação possibilita evidenciar os domínios e lacunas dos alunos, mas não suas causas. Não avalie para classificar!
As várias formas de AVALIAR
A avaliação da aprendizagem deve assumir caráter educativo, viabilizando especialmente ao estudante a condição de analisar seu percurso e ao professor e à escola identificar dificuldades e potencialidades individuais e coletivas.
A avaliação externa da escola é responsabilidade do Estado. No EM, ela está contemplada no SAEB com resultados de Português e de Matemática, com foco em leitura e resolução de problemas que, juntamente com as taxas de aprovação, são utilizados no cálculo do IDEB.
Para que avaliamos jovens que têm o direito constitucional de frequentar o EM? Qual seria a relação da avaliação com a função social da escola básica? Qual seria a vinculação da avaliação com o que aprende e o que se ensina no EM?
Numa sociedade como a brasileira, permeada por valores privados, de sucesso individual, de mercado, de lucro e de competividade, os instrumentos de medição de aprendizagem reforçam uma cultura de avaliação que visa a mais "premiar e punir".
A prática da avaliação, como recurso para compreensão do fenômeno educacional, deve estar salientada na perspectiva de um ensino integral voltado para a construção da autonomia, da cidadania, da solidariedade, da identificar nacional e da responsabilidade social.
O que a escola faz é
o que faz a escola!
A avaliação escolar deve estabelecer alguma relação com o objetivo de sucesso de todos os alunos!
TIPOS DE
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
A avaliação que os professores desenvolvem no dia a dia das salas de aula, tendo como foco o que seus alunos já aprenderam em relação às várias disciplinas e aos valores trabalhados na escola.
AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL
Toma a escola como
objeto de avaliação e vislumbra em seu projeto político-pedagógico.
Volta-se para a proposta curricular e das atividades pedagógicas e didáticas organizadas para contribuir com o aprendizado de seus alunos. Deve ser desenvolvida com a participação de alunos, docentes e gestão.
AVALIAÇÃO EXTERNA
ENEM - SAEB
Temos uma avaliação sobre resultados provenientes de provas padronizadas.
Elas permitem que as equipes escolares possam comparar consigo mesma e com relação a outras escolas do Estado, da região ou do Brasil conforme os dados aos quais tenha acesso, cujas matrizes devem servir como referência para nós.
A avaliação da
aprendizagem
INICIAL
Quando é conduzida antes do
início do ano letivo ou de um novo tópico de ensino - avaliação diagnóstica.
INTERMEDIÁRIO
Quando é desencadeada durante o desenvolvimento do programa curricular.
FINAL
Ocorre ao final do ano letivo com função somativa. Seus resultados permitem julgar o aprendizado supondo-se que tenham sido estabelecidos nos patamares.
AVALIAÇÃO
"É o processo de identificação, coleta e análise de informações (quantitativa ou qualitativa)...
...para emitir juízos de valor com base em critérios e referências preestabelecidas para determinar o valor e o mérito do objeto em questão a fim de tomar decisões que ajudem a aperfeiçoar o ensino".
Mujika
Como funciona a avaliação...
... na sua escola?
Somativa?
Diagnóstica?
Tradicional?
Moderna?....
Não tem
como avaliar dignamente
pois falta tudo!
Apenas trabalhos!
Avaliar como
se o aluno não teve conteúdo
satisfatório?!
Há casos em que o aluno não realiza nada do que foi solicitado. Há outros em que realiza parcial ou totalmente. Um aluno que não realizou nada deve demandar um tipo de atenção diferenciada.
A intenção de querer que todos aprendam deriva de um posição política e coerente com a característica da escola.
O fato de um aluno escrever uma vez uma palavra errada não necessariamente indica que não saiba escrevê-la...Evite confundir os resultados de uma avaliação e a explicação das causas deles.
PROFESSOR/ALUNO
ANTES
SEM ACOMPANHAMENTO
DEPOIS
COM ACOMPANHAMENTO
COMO AVALIAR A FIM DE IGUALAR RESULTADOS, OU PELO MENOS REDUZIR DIFERENÇAS ENTRE OS ALUNOS EM RELAÇÃO A CONTEÚDO E COMPETÊNCIAS?
1 - NÃO DEIXAR NENHUM ALUNO PARA TRÁS
Boas escolas não fazem vestibulinho nem selecionam os alunos por desempenho acadêmico. Elas mantêm o hábito de estar sempre atentas aos estudantes – novos ou antigos– que apresentam dificuldades nas aulas. Em matemática, a criança precisa aprender todo o conteúdo de uma etapa para ir para a fase (série) seguinte.
fonte:G1
2 - INCENTIVAR OS JÁ AVANÇADOS!
O professor não só ajuda os alunos com maior dificuldade a acompanhar a turma, mas incentiva os estudantes com maior facilidade a continuar avançando em seu próprio ritmo. Em Matemática, o que dá resultado é um trabalho constante de cobrança para que os estudantes façam exercícios, incluindo lições de casa várias vezes por semana, com pesquisa e apresentação de trabalhos.
3- ESTABELECER LAÇO COM OS PAIS
O envolvimento dos pais é um dos fatores citados por professores e bons gestores como causa direta dos bons resultados.
4 - RECURSOS E PROGRAMAS DO GOVERNO
Com injeção de recursos financeiros, a escola pode incrementar o material didático, melhorar a infraestrutura e atrair mais investimento a partir dos resultados concretos em exame, por exemplo.
5 - FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES
Incentivo à reciclagem e à formação continuada dos professores de todas as áreas, incluindo matemática, também é um fator que ajudou as escolas públicas.."A direção conta que a escola se apoia na dedicação dos profissionais, no trabalho consistente em todos os níveis de ensino, na participação dos pais no cotidiano escolar e no aproveitamento de todas as oportunidades".
Para se formar, tem de avaliar?
Para pensar! Prova tem de
ser bem fácil....?
....política
LEMBRE!
E MAIS SOBRE
A AVALIAÇÃO
COTIDIANA..
FIQUE POR DENTRO....
NOVA ESCOLA
PROVA OBJETIVA
FUNÇÃO:
Avaliar o que o aluno aprendeu sobre o conteúdo.
VANTAGEM
:
Simples de preparar e de responder!
ATENÇÃO
:
Elabore questões que foquem somente o que foi trabalhado em sala de aula.
PLANEJAMENTO
: Elabore as instruções sobre a forma de responder.
ANÁLISE
: Defina o valor de cada questão e multiplique-o pelo número de respostas corretas.
RESULTADO
: Analise as questões que todos acertaram e retome as que a maioria da turma errou.
PROVA DISSERTATIVA
FUNÇÃO
: Verificar a capacidade de analisar o problema central, formular ideias e redigi-las.
VANTAGEM
: O aluno tem liberdade de expor o pensamento e se expressar.
ATENÇÃO
: Defina o número de questões pensando no tempo que o aluno terá para resolver.
PLANEJAMENTO
: Elabore poucas questões.
ANÁLISE
: Estipule o valor de cada pergunta e atribua peso à clareza das ideias, à capacidade de argumentar e à conclusão.
RESULTADO
: Após a análise, discuta coletivamente algumas questões respondidas de diferentes modos
pelos alunos.
SEMINÁRIO
FUNÇÃO
: Possibilitar a transmissão verbal das informações pesquisadas.
VANTAGEM
: Contribui para a aprendizagem do ouvinte e do expositor; exige pesquisa e organização.
ATENÇÃO
: Apresentar um conteúdo estudado não significa memorizá-lo.
PLANEJAMENTO
: Ajude na delimitação do tema, forneça bibiliografia e fontes de pesquisa.
ANÁLISE
: Atribua pesos à abertura, desenvolvimento e material, estimule a classe à emitir opinião.
RESULTADO
: Se a apresentação foi ruim, planeje atividade específica.
TRABALHO EM GRUPO
FUNÇÃO
: Construir conhecimento de forma colaborativa.
ATENÇÃO
: ˜Não deve substituir o momento individual da aprendizagem.
VANTAGEM
: A interação é um fator de aprendizagem
PLANEJAMENTO
: Proponha uma série de atividades reacionadas ao conteúdo.
ANÁLISE
: Acompanhe os grupos, intervenha e dê mais atenção ao grupo que não consegue produzir.
RESULTADO
: Observe se houve participação de todos e colaboração entre os colegas.
RELATÓRIO INDIVIDUAL
FUNÇÃO
: Averiguar o que o aluno aprendeu.
VANTAGEM
: É possível avaliar o real nível de apreensão de conteúdo depois da atividade.
ATENÇÃO
: É importante escrever um relatório devolutivo para o aluno.
PLANEJAMENTO
: Defina o tema e oriente a turma sobre a estrutura apropriada.
ANÁLISE
: Estabeleça pesos para cada item que for avaliado.
RESULTADO
: Só se aprende a escrever, escrevendo. Quem tem dificuldade, indique bons livros.
PORTFÓLIO
FUNÇÃO
: Avaliar de forma contínua o aluno/ a turma.
VANTAGEM
: Mostra de forma clara a todos a impressão do professor e a produção do aluno.
ATENÇÃO
: Incluir data, descrição, reflexão do aluno e comentário do professor.
PLANEJAMENTO
: Escolha o tipo de portfólio que queira fazer, como a documentação do trabalho ou do processo de aprendizagem.
ANÁLISE
: Faça em conjunto com os alunos, para que eles tomem consciência de suas aprendizagens.
RESULTADO
: Reveja o percurso de ensino e aprendizagem e se baseie nele para determinar os temas a serem abordados novamente com cada aluno/turma.
1
em cada 4 alunos matriculados no EM não consegue sucesso mesmo com a incorporação da taxa de aprovação ao cálculo do IDEB.
Nos últimos anos, a taxa de abandono tem se reduzido. Contudo, a permanência na escola até o fim do ano não tem sido garantia de diminuição sensível das taxas de reprovação.
AVALIAÇÃO EXTERNA
POR QUE PARTICIPAR?!
PROVA BRASIL
SAEB
ENEM
IDEB
PONTOS POSITIVOS
PONTOS
NEGATIVOS
+ MONITORAR O FUNCIONAMENTO DA REDE DE ENSINO;
+ FORNECER SUBSÍDUOS AO GESTOR NA FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA O FUTURO.
+ ESCOLAS TENDEM A ENSINAR (LEITURA E RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS) NO FORMATO DO EXAME.
+ ORGANIZAR "SIMULADOS" - ELES NÃO PRODUZEM O AUMENTO DE PROEFICIÊNCIA ESPERADO;
+ NÃO É DE DOMÍNIO DA MAIORIA DOS PROFESSORES
POR FIM....
Não se trata de ignorar ou abandonar as avaliações externas.
Descartá-las nos impediria de ter acesso a informações que são relevantes e pertinentes aos desafios educacionais e que podem favorecer o seu equacionamento. Há de se dialogar entre a externa e a prova interna.
Enfim,
como deve
pautar a
AVALIAÇÃO?!
FORMATIVA
DEMOCRÁTICA
GLOBAL
A avaliação educativa não pode visar o controle e restringir-se a fiscalizar!
Tem de ser comprometida com a necessidade de interesse público, de responsabilidade coletiva.
Deve ser pontual e temporal para evitar análise fragmantada.
INTEGRATIVA
Para promover a integração e articulação institucional.
PROCESSUAL E QUALITATIVA
Centrada numa visão de processo, de ação e de relações sociais com potencialidade educativa, sem abdicar de dados e indicadores.
FLEXÍVEL
Porque a avaliação opera em realidade viva,plural, contraditória e em permanente mudança.
E sobre a famigerada COLA? nenhuma dica?!
Eis algumas dicas....
QUAL A MELHOR PROVA ANTICOLA?
Depende do tipo de prova: múltipla escolha ou dissertativa?
* Preparar provas diferentes para a mesma sala;
* Pemitir a consulta durante algumas avaliações;
* Realizar teste para ser respondido em grupo para troca de conhecimento;
* Autorizar a garotada a produzir um resumo dos conteúdos, como se fosse uma cola.
fonte:novaescola
Por Jorge Schalgter Leal
By Jorge Schalgter Leal
Formado em Letras Port/Inglês pela UFS
Pós-graduação em Língua
Inglesa pelo Instituto Pró-Saber -
Estudou na Florida International University (EUA)
Membro da International
Exchange Alumni do Dep. de Estado dos EUA.
E-mail: cnnpv@yahoo.com.br
Facebook: Jorge Schalgter Leal
CEPJO - Poço Verde/Se
Cada um
elabora
a sua!
FIQUE ATENTO!
Full transcript