Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Estrutura Física e Organizacional do Centro Cirúrgico

No description
by

Hannah Karina

on 7 March 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Estrutura Física e Organizacional do Centro Cirúrgico

Estrutura Física e Organizacional do Centro Cirúrgico
Centro Cirúrgico
Unidade de Centro Cirúrgico / Unidade Cirúrgica

Centro Cirúrgico, Recuperação Pós-Anestésica e Centro de Material e Esterilização

ANVISA: conjunto de elementos à atividade cirúrgica, à recuperação anestésica e ao pós-operatório imediato

SOBECC: conjunto de área e instalações que permite efetuar procedimentos anestásico-cirúrgicos nas melhores condições de segurança para o paciente e conforto para a equipe que o assiste
Composição da Estrutura Física do CC
Prof. Hannah Karina Ramos Santos
hannahkarina@hotmail.com
98117-6117 (vivo)
Classificação
das Áreas:
Áreas
Não Restritas
: circulação livre (elevadores, corredores externos, vestiários, local de transferência de macas)

Áreas
Semirrestritas
: pessoal e equipamento, sem interferir assepsia, uniforme privativo (secretaria, farmácia-satélite, sala de conforto, copa)

Áreas
Restritas
: limites definidos, assepsia, uniforme privativo, máscara em boca e nariz (corredor interno, lavabo, sala cirúrgica)
RDC 50/2002 - Regulamento técnico de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde

RDC 307/2002 - Altera 50
Localização
Fácil acesso
Unidades: consumidoras/assistenciais e fornecedoras
CME

Planejamento:
Filosofia do hospital
Nível de assistência
Características peculiares: especialidades, leitos, média/dia de cirurgia, público ou privado, escola ou não, emergência
Vestiários para profissionais
Sala de recepção e transferência de paciente
Secretaria
Corredores
Área de escovação

Acabamento
Limpeza terminal constante: material resistente

Crítica e semicrítica: material sem ranhuras

Tintas verdes: sem cheiro, atóxicas, área crítica

Restrita e semirestrita: sem tubulação aparente, se não embutida > com proteção

Junção rodapé e piso: sem ressaltos, acesso a dispositivos de limpeza

Acabamento e rejunte: material com índice de absorção de água em até 4%

Cores (psicológico): cores frias e tons pastéis

Bioengenharia
: Iluminação, ventilação, temperatura, umidade, sistema elétrico e sistema de segurança
Salas de cirurgia ou Sala de Operações
Sala de apoio às cirurgias especializadas
Sala de guarda e preparo de anestésicos
Área de indução anestésica
Sala de utilidades
Depósito de materiais e equipamentos
Sala para guarda de torpedos ou de aparelhos de anestesia
Sala ou laboratório de anatomia patológica
Rouparia
Sala para depósito de material de limpeza (DML)
Área para prescrição médica
Sala de conforto
Sala de espera para acompanhante ou familiar
Sala de recuperação pós-anestésica
Rota de fuga para emergências
Configuração Física e Considerações
Full transcript