Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Processo de Trabalho em Saúde - Ferramentas Analisadoras

No description
by

Pedro Alves

on 14 January 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Processo de Trabalho em Saúde - Ferramentas Analisadoras

Trabalho inútil
Mito de Sísifo - Albert Camus
O Trabalho em ato e o consumo de produtos feitos em trabalhos anteriores

Dois conceitos fundamentais em Merhy:
Trabalho vivo em ato: feito em ato de cuidado ao outro
Trabalho morto: trabalho feito antes que só chega através do seu produto

Dimensões fundamentais para a análise do Processo de Trabalho:
O próprio trabalho;
O objeto de trabalho;
O instrumental de trabalho.



Trabalho e Saúde
Ferramenta - é um utensílio, dispositivo, ou mecanismo físico ou intelectual utilizado por trabalhadores das mais diversas áreas para realizar alguma tarefa.

Relações intra e interinstitucionais

Micropolítica de organização dos serviços e do processo de trabalho em saúde;

Analisar os precessos decisórios nos serviços e na gestão de saúde

Ferramentas Analisadoras
Trabalho
Processo de Trabalho em Saúde

Ferramentas Analisadoras
Atividade de construção coletiva


Barreiras pré-existentes:

Categorias profissionais,
Posições hierárquicas na equipe,
Histórico profissional,
Grau de compromisso com o trabalho.

Fluxograma Analisador - limites
Composição Técnica do Trabalho - CTT


Rede de Petição e Compromissos - acordos, compromissos, pactuações firmados;

Mapas Analíticos - conflitos, atos inusitados e atos inúteis

Redes de Apoio Social

Intinerários Terapêuticos

Linha de Cuidado - percurso do usuário na RAS
Ferramentas Analisadoras
Tecnologia em saúde:
“Conjunto de saberes e instrumentos que expressa, nos processos de produção dos serviços de saúde, a rede de relações sociais em que seus agentes articulam sua prática em uma totalidade social”;

É constituída não apenas pelo saber, mas também pelos seus desdobramentos materiais e não-materiais.

Ricardo Bruno Mendes Gonçalves (1994)
Trabalho e Tecnologias de Cuidado
Tecnologias Duras:
máquinas,
instrumentos;




Trabalho e Tecnologias de Cuidado
Consiste na representação gráfica do processo de trabalho, buscando perceber os caminhos percorridos pelo usuário, quando busca inserção no serviço procurando assistência (FRANCO, 2003).


Fluxograma Analisador
Fluxograma Analisador
Revelar a estrutura do processo de trabalho instituído;

Identificar os instrumentos/ferramentas de trabalho utilizados;

Identificar os nós críticos do processo de trabalho;

Contribuir para o planejamento e reorganização do processo de trabalho;

Analisar o modelo assistencial praticado por uma unidade ou equipe de saúde;

Dispersar processo de auto-análise e auto-gestão na equipe de saúde;

Fluxograma Analisador - funções
Quem são e o que ocorre com os usuários que procuram o serviço?

Qual perfil dos usuários que buscam o serviço?
De onde vem esses usuários?
Como eles chegam a esse serviço? (encaminhados por quem?, demanda espontânea?, grupos prioritários?)
Que demanda de Saúde apresentam?
O que e para que buscam o Serviço?

Entrada
Pedro Alves de Araújo Filho
Odontólogo SMS Fortaleza
Mestrando em Saúde Coletiva - UECE
Egresso da Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade
Preceptor de Núcleo Odontologia Ênfase Saúde da Família – RIS-ESP/CE Fortaleza

Ação humana

Ato de interação com a natureza – que modifica a natureza, transformando a si próprio

Atividade em que através de instrumentos, se organiza a relação com a natureza

Atividade desempenhada pelo homem, que exige um esforço (físico e/ou mental) para alcançar
determinado fim, um ofício (Albornoz, 1995)

Autonomia de Sísifo



“Para o proceder típico da práxis necessita-se conhecer a lei, a norma, o padrão, o conhecimento instituído, mas exige-se capacidade de reflexão e de agir prudente, criando-se novos procedimentos em ato.” (CAMPOS, 2011)

Trabalho e Tecnologias de Cuidado
Tecnologias Leves: as tecnologias
das relações.
Tecnologias Leve-duras: saberes prévios estruturados e protocolos;
Racionalidade Tecnológica Merhy (1997)
Tecnologias
Leves
Relacional
Instrumentalidade
Tecnologias
Leve-duras
Tecnologias
Duras
Trabalho Vivo
Trabalho Morto
Descrever como os usuários saem do serviço

Como usuário sai do serviço? (Abandono? Encaminhado para outro serviço?; Por alta?; etc.)
Por que motivo o usuário sai do serviço?
Como se dá o acompanhamento da equipe nesse processo de Saída do usuário?

Saída
Recepção
Mecanismos e critérios para dizer SIM ou NÃO

Quem elabora e decide sobre as opções disponíveis para o Cuidado ao usuário? (Se dá de forma individual e/ou coletiva?; Quem participa desse processo?)
Em que momentos acontecem discussão e decisão sobre o Cuidado ao usuário?
Que critérios e elementos são utilizados nessa discussão/decisão sobre as opções disponíveis para o Cuidado ao usuário?
Como é realizada a discussão/decisão de oferta ao usuário? (É utilizada alguma estratégia?).

Decisão
Quais condições são viabilizadas para que o trabalhador reflita sobre ato de fazer, de produzir e reproduzir o cuidado?

Se é possível pensar acerca de seu processo de trabalho, como tem se dado esse processo? A partir de quais intencionalidades? E a favor de que e de quem?

Intervenção tecnológica e assistencial

Que ações o serviço/equipe oferece ao Cuidado do usuário?
Como se caracterizam as estratégias de Cuidado oferecidas pela equipe/serviço?
Quem é responsável por esse Cuidado?
Como se dá o acompanhamento da equipe nesse processo de Cuidado do usuário? (Existe um acompanhamento?; Quem o faz?; Que estratégias utiliza?”)

Cardápio de Ofertas

Descrever as formas e mecanismos para organizar o acesso

Por onde o usuário é recepcionado no serviço?
Quem recepciona o usuário?
Como ele é recepcionado no serviço? (Há estratégia de Acolhimento; Como ela se dá?; Se já for usuário do serviço?; Se estiver buscando o serviço pela primeira vez?)

Os 7 Cegos indianos e o elefante
Homem absurdo
Adaptado de Merhy (1997)
Franco; Merhy - O uso de ferramentas analisadoras para o apoio ao planejamento dos serviços de saúde: O caso do Serviço Social do Hospital das Clínicas da UNICAMP (Campinas-SP).
Quem são e o que ocorre com os usuários que procuram o serviço?

Qual perfil dos usuários que buscam o serviço?
De onde vem esses usuários?
Como eles chegam a esse serviço? (encaminhados por quem?, demanda espontânea?, grupos prioritários?)
Que demanda de Saúde apresentam?
O que e para que buscam o Serviço?

Entrada
FRANCO, T. B.; MAGALHÃES JÚNIOR, H. M. Integralidade na assistência à saúde: a organização das linhas do cuidado. In: O Trabalho em Saúde: olhando e experienciando o SUS no cotidiano. 2. ed. HUCITEC: São Paulo, 2004. Disponível em: http://www.ufpe.br/medicina/images/formularios/texto_isc_i_linha_de_cuidado_obrigatorio.pdf

FRANCO, T. B.; MERHY, E. E. O uso de ferramentas analisadoras para o apoio ao planejamento dos serviços de saúde: o caso do serviço social do Hospital das Clínicas da UNICAMP (Campina-SP). São Paulo, 1999. Disponível em: file:///C:/Users/Pedro/Desktop/FRANCO%20E%20MERHY%20ferramentas-analisadoras-fluxograma-rede-peticao.pdf

MERHY, E. E. Em busca do tempo perdido: a micropolítica do trabalho vivo em ato, em saúde. IN: MERHY, E. E.; ONOCKO, R. (ORG). Agir em Saúde um desafio para o público. HUCITEC: São Paulo, 1997. Disponível em: http://www.uff.br/saudecoletiva/professores/merhy/capitulos-03.pdf

MERHY, Emerson Elias; FRANCO, Túlio Batista. Por uma composição técnica do trabalho em saúde centrada no campo relacional e nas tecnologias leves. Apontando mudanças para os modelos tecno-assistenciais. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 27, n. 65, p. 316-323, set./dez. 2003.

REIS, Valéria Maria; DAVID, Helena Maria Scherlowski Leal. O fluxograma analisador nos estudos sobre o processo de trabalho em saúde: uma revisão crítica. Rev. APS, Juiz de Fora, v. 13, n. 1, p. 118-125, jan./mar, 2010.

Referências
Refere-se à conscientização do existir e não do simples viver [...] estar no mundo e com o mundo, numa relação comunicativa entre o sujeito e o mundo objetivo, interferindo na realidade, transformando-a e transformando a si mesmo. (DINIZ, 2005, p. 150)
Racionalidade da Práxis
Fluxograma Analisador
OLIVEIRA (2012) - “Esse caso é de NASF?”: compreendendo práticas de saúde mental
na Atenção Primária em Fortaleza-CE.
VASCONCELOS (2014) - Família e atenção à saúde mental: sentidos, práticas e itinerários terapêuticos
Full transcript