Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

A UTILIZAÇÃO DA FIBRA DO COCO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

No description
by

Isabela Kimberly

on 19 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A UTILIZAÇÃO DA FIBRA DO COCO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

O Brasil é um grande consumidor de coco, porém apenas uma parte dele é aproveitada. O resultado é o descarte de milhares de toneladas mensais, a maioria abandonada na natureza, representando um grande desperdício de recursos naturais, além da poluição ambiental (WEI et al., 2009). A utilização das fibras apresenta, então, benefícios ecológicos, sociais e econômicos.
PROPRIEDADES :
Grande elasticidade (maior que nas outras fibras vegetais).

Resistência à umidade e às condições climáticas.

Resistência à água do mar.

Resistência a seco : fibra técnica 8 a 20 km, fio 8 a 12 km.

Resistência a úmido: 93% da resistência seca.

Densidade muito reduzida, porque a fibra tem grande espaço oco.

Tingibilidade: muito boa, contudo só com cores que permitam boa cobertura.
O coco é um fruto proveniente do coqueiro, tem nome científico Cocos nuciferas L.; e pertence à família das palmáceas, da classe das
monocotiledôneas, sendo constituída por raiz, caule, folha e fruto. O fruto do coqueiro
por camadas denominadas pericarpo, epicarpo, mesocarpo, endocarpo, tegumentos e
albúmen (FAGURY, 2005).
A UTILIZAÇÃO DA FIBRA DO COCO NA CONSTRUÇÃO CIVIL
NATUREZA
TECNOLOGIA
CLASSIFICAÇÃO:
As fibras de coco são constituídas de lignina, celulose e hemicelulose. As fibras ainda contêm pequenas porcentagens de extrativos, proteínas, amido, materiais inorgânicos,pectinas, carboidratos simples, terpenos, alcalóides,saponinas, polifenólicos, gomas, resinas, gorduras e graxas, entre outro. Esses materiais podem ser extraídos com solventes orgânicos ou mesmo com água, dependendo da suas polaridades e solubilidades (MONTE, 2009; KUMAR et al., 2011; COELHO, 2007)
COMPOSIÇÃO:
OBTENÇÃO DAS FIBRAS:
A casca formada por fibas é desmanchada em vários pedaços.
Os pedaços ficam várias semanas em água salobra, onde são macerados.
As fibras são depois batidas e trituradas para poderem ser separadas.
APRESENTAÇÃO:
Cores: Marrom-claro a escuro, marrom-avermelhado
APLICAÇÕES E ESPECIFICAÇÕES:
A fibra de coco verde tem um excelente potencial para uso na construção civil quando usada em pranchas pré-moldadas, por suas características de resistência e durabilidade, ou na utilização do fibro-cimento.

A fibra também se é utilizada em eco-materiais para revestimentos, pinturas, e tubulações entre outros, e em reforços de estruturas.
OUTRAS APLICAÇÕES E ESPECIFICAÇÕES:
TELAS E MANTAS BIODEGRADÁVEIS: Tem por objetivo proporcionar a rápida recuperação do solo.

ISOLAMENTO ACÚSTICO: Manta Anti-ruido. Fonte: D´arte flores (2007) A fibra de coco pertence à família das fibras duras e tem como principais componentes a celulose e o lenho que fazem com que ela tenha índices elevados de dureza e rigidez, transformando-a em um material quase perfeito para o isolamento acústico e térmico.

TIJOLOS FIBRA DE COCO VERDE Segundo o INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) o tijolo não utiliza argila, é mais resistente, oferece maior proteção térmica e não precisa ser cozido, o que evita cortes de árvores para alimentar os fornos.
IMAGENS:
PATOLOGIA E MANUTENÇÃO:
Alertam que pode ocorrer a fragilização da fibra em virtude da elevada alcalinidade da água presente nos poros da matriz de cimento Portland.
Sendo assim, é sugerido :
• Emprego de matrizes de baixa alcalinidade (cimento com escória de auto forno, por
exemplo);
• Redução da alcalinidade por carbonatação acelerada da matriz;
• Proteção das fibras com polímeros ou agentes bloqueadores da decomposição;
• Impregnar as fibras com agentes repelentes à água;
• Impermeabilização da matriz;
• Emprego de compósitos em locais permanentemente secos.
Full transcript