Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O TRABALHO DO PEDAGOGO E A HORA ATIVIDADE: QUAIS AS POSSIBIL

No description
by

Carmem Munchen

on 5 February 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O TRABALHO DO PEDAGOGO E A HORA ATIVIDADE: QUAIS AS POSSIBIL

Professora PDE
Carmem Andreia Munchen Froehlich
Orientação: Profº. Ms Claudinei Batista

A Instrução 02/2004, fixou em 20% (vinte por cento) da carga horária total dos educadores, momento reservado à Hora Atividade. Com a aprovação da Lei 11.738/2008, chamada de Lei do Piso Salarial Profissional Nacional, iniciou-se um processo de lutas e negociações, entre a representatividade dos professores (APP Sindicato) e a SEED para a instituição da garantia de 33% (trinta e três por cento) do total da carga horária do professor, destinados à planejamento, estudos e avaliações, ou seja, a hora atividade propriamente dita.
Concomitante ao processo gradual de aumento deste “tempo” ao colegiado de professores pela Secretaria de Estado da Educação, é necessário que ocorra uma transformação deste espaço destinado à reflexão dos professores sobre sua própria prática educativa. Neste sentido, o papel do pedagogo vem unir-se aos professores com o objetivo de propor, avaliar, planejar, re-avaliar, re-planejar, ações e estratégias para a superação das dificuldades encontradas em sala de aula, garantindo que a aprendizagem de fato aconteça.
JUSTIFICATIVA
Instrução 02/2004 – SUED/SEED, que no seu ítem 5 estabelece que “cabe à equipe pedagógica coordenar atividades coletivas e acompanhar as atividades individuais a serem desenvolvidas, durante a hora atividade”
O TRABALHO DO PEDAGOGO E A HORA ATIVIDADE: QUAIS AS POSSIBILIDADES DA CONSTRUÇÃO DE UMA PRÁTICA TRANSFORMADORA?
OBJETIVO GERAL
Analisar a hora atividade enquanto espaço privilegiado do trabalho docente na escola, na construção de uma proposta pedagógica transformadora.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
- Conhecer a legislação pertinente que garante a Hora Atividade;
- Estruturar possibilidades de utilização da hora atividade, enquanto espaço de reflexão individual e coletiva a respeito da práxis educativa dentro do âmbito escolar
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Hora-atividade – Em 2008, conquistamos a Lei Nacional do Piso, que estabeleceu os 33,3% de hora-atividade. Também neste caso entre direito e sua concretização havia um abismo, que nossos embates vão atravessando. Isto porque, em seguida a esta conquista, cinco governadores ingressaram com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal contra a Lei. O reconhecimento da constitucionalidade só veio em 2011, quando, em todo o país, intensificou-se a luta para fazer valer a Lei. Nossa luta fez com que o governo, em 2012, elevasse o percentual de hora-atividade de 20% para 25%. Agora, em julho, depois de uma intensa mobilização, que incluiu indicativo de grave, chegamos a 30%, com a expectativa de que na distribuição de aulas do ano que vem estejam completados os 33%. Temos de continuar na cobrança ao governo, não apenas a garantida da totalidade há hora-atividade legal, mas também que seja alcançado nosso horizonte histórico, de 50% da jornada para atividades extraclasse. (Jornal da APP, 2013, p. 3 e 4).
Concomitante à este compromisso com a educação, é necessário compreender a Hora Atividade enquanto conquista da classe trabalhadora, corroborando com Zamoner (2004, p 44):
"A hora-atividade oportuniza ao professor a condição necessária para o estudo, a discussão, a pesquisa e a publicação em educação. Esta condição é fundamental para que a construção do conhecimento em educação tenha, como ponto de partida, a realidade da sala de aula da Educação Básica."

Na Instrução 02/2004, acima mencionada, quanto ao trabalho do pedagogo durante a hora atividade, também discorre em seu ítem 1, 2 e 3 sobre a hora atividade na perspectiva do docente:
1. A hora-atividade é o tempo reservado ao Professor em exercício de docência, para estudos, avaliação e planejamento.
2. A organização da hora-atividade deverá favorecer o trabalho coletivo dos professores, priorizando-se:
- o coletivo de professores que atuam na mesma área do conhecimento e/ou módulos, tendo em vista a implementação do procdsso de elaboração das diretrizes curriculares para a rede pública estadual de Eduçação Básica;
- o coletivo de professores que atuam na(s) mesma(s) turma(s), série(s), etapa(s) do ciclo o ano(s) dos diferentes níveis e modalidades de ensino;

- a formação de grupos de professores para o planejamento e para o desenvolvimento de ações necessárias ao enfrentamento de problemáticas específicas diagnosticadas no interior do estabelecimento;
- a correção de atividades discentes, estudos e reflexões a respeito de atividades que envolvam a elaboração e implementação de projetos e ações que visem a melhoria da qualidade de ensino, propostos por professores, direção, equipe pedagógica e/ou NRE/SEED, bem como o atendimento de alunos, pais e (outros assuntos de interesse da) comunidade escolar.
3. A organização da hora-atividade deverá garantir, também, carga horária que permita ao professor a realização de atividades pedagógicas individuais inerentes ao exercício da docência.

Em se tratando de qualidade na educação convém citar que:
"Há hoje, na sociedade brasileira, um consenso de que a educação é o único instrumento capaz de garantir ao nosso país o seu espaço na nova ordem mundial e de propiciar oportunidades e melhores condições de vida a milhões de brasileiros, ainda vítimas da exclusão social e política (Souza, 1998, p.34)."

Tomando por base este princípio, a classe trabalhadora em educação, deve considerar seu fatídico papel diante do cenário educacional atual. Não bastasse o número de aulas diárias em escolas muitas vezes distintas e distantes, salários aviltantes, precária formação inicial e “uma clientela escolar marcada pelo clima geral de miséria intelectual”, entende-se que somente pelo viés educacional é que poderemos construir uma sociedade melhor. (ALVES, 2006, p.247-248).
É justamente neste cenário que reforçamos o valor da hora atividade, enquanto momento indispensável para que superemos apenas a reprodução do que já existe. Portanto, é de extrema necessidade que os profissionais da educação assumam seus papéis, buscando a reorganização do trabalho didático pedagógico. Com isso, não pretendemos neste trabalho de pesquisa, atribuirmos somente ao professor esta árdua tarefa, porém, ressaltamos que a união da classe trabalhadora em educação, especialmente professores, equipe pedagógica e gestores educacionais é essencial na luta pelas transformações necessárias das instituições sociais, dentre elas, a escola.
ESTRATÉGIAS DE AÇÃO
1º Semestre 2014:
- Aulas PDE Unioeste Cascavel;
- Orientações ;
- Produção e pesquisa de campo;
- Elaboração do Projeto de Implementação.



2º Semestre 2014:
- Aulas PDE Unioeste Cascavel;
- Orientações;
- Elaboração do Material Didático;
- Formatação GTR.

1º Semestre 2015:
- Orientações;
- Tutoria do GTR;
- Implementação do Projeto (Grupo de estudos + Hora atividade concentrada).

2º Semestre 2015:
- Orientações;
- Produção do Artigo Final.

Muito obrigada pela atenção!

E...
Calma...
Uma inscrição de cada vez!!!
Full transcript