Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

As áreas urbanas - dinâmicas internas

No description
by

Rafael Rocha

on 28 January 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of As áreas urbanas - dinâmicas internas

As áreas urbanas - dinâmicas internas
Trabalho realizado por:
-João Ferreira, Nº15
-Rita Nolasco, Nº21
-Rita Carvalho, Nº22
-Viktoriya Kos, Nº24

A organização interna das cidades
–através de áreas funcionais
–especialização num conjunto de atividades que aí se desenvolvem
– acessibilidade
– variação da renda locativa

- área com maior acessibilidade
- principais eixos de transportes e relevância nos transportes públicos;
- área mais atrativa para a instalação de atividades do setor terciário.

forte competição pelo espaço
elevados preços do solo e especulação fundiária procura de solo superior à oferta.
O centro
À medida que a distância do centro aumenta, o preço do solo diminui, ocupando o espaço por atividades ligadas à indústria e à residência.
Fatores de alteração espacial na ocupação do solo urbano:
Congestionamento e degradação dos centros antigos;
Modernização das infraestruturas em áreas não centrais;
Valorização do solo junto dos acessos à rede de autoestradas;
Valorização paisagística e turística em áreas não centrais.

Organização interna do espaço urbano:
Áreas terciárias – atividades ligadas ao comércio e serviços;
Áreas industriais – atividades ligadas à industria.
Áreas residenciais – vocacionadas para a habitação;
Novos processos de organização das cidades
Policentrismo
Existência de enclaves
Coexistência de espaços funcionalmente distintos
Fragmentação social

bbhkjbkjb
Área central das Áreas Terciárias
Dimensão
Dinamismo
Elevada terciarização (aumento das atividades económicos ligadas ao setor terciário)

CBD (Central Business District) – “centro” ou “baixa”
Área central das cidades caracterizada por:
elevado grau de acessibilidade - melhoria dos uso de transportes;
concentração de atividades terciárias;
reduzido número de alojamentos;

elevado volume de empregos oferecidos;
forte atração sobre a população, mas que não fixa residência;
intensivo tráfego de veículos e peões;
diversidade de funções;
localização para o comércio de luxo, casas de espetáculos, lazer.
Considerando o centro financeiro da cidade
– adoção da construção em altura
– edifícios ocupados, essencialmente, por população mais idosa e de baixos recursos
a elevada procura + competição

aumento do preço do solo + escassez
alvo de programas de revitalização.
Áreas centrais
O movimento efectuado pela população (subúrbios - centro das cidades)
+ busca diversos bens e serviços e diversidade de postos de trabalho.
+ elevada intensidade de tráfego durante o dia e nos dias úteis da semana.

- distribuição de determinadas funções urbanas em áreas mais ou menos homogéneas.
Diferenciação funcional
Zonamento horizontal
Zonamento vertical
Elevada competição pelo espaço
Construção em altura
Rua de Santa Catarina, Porto
Rua Augusta, Lisboa

Toural, Guimarães

Tem-se assistido à descentralização de algumas atividades terciárias devido a:
Concentração de atividades;
Crescente falta de espaços para a expansão das atividades;
Excessivos valores dos preços dos solos;
Congestionamento do tráfego urbano;
Dificuldades de estacionamento;
Aumento da acessibilidade para outras áreas periféricas;
Planos de preservação do valor histórico e arquitetónico dos edifícios;
Desadequação entre edifícios existentes e exigências modernas das empresas.

Recentes modificações na localização das atividades terciárias.
Novas áreas
vantagens
desvantagens
boas vias de comunicação
grandes parques de estacionamento
fornecimento de elevada variedade de produtos
encerramento de muitas superfícies de comércio tradicional
CBD perde papel de liderança no abastecimento da população
Área Industrial
Séc. XVIII - o desenvolvimento da atividade industrial - cidade como o lugar preferido ou de eleição para a instalação de população
Fatores que condicionam a localização industrial no interior do perímetro humano:
desenvolvimento dos transportes;
capital disponível, os terminais de vias de comunicação;
consumidores em número crescente;
diversificados serviços de apoio (bancos, seguros, escritórios)

No entanto
Ocorre uma deslocação áreas urbanas - áreas afastadas da cidade
Elevado preço do solo;

Crescente intensidade de trânsito, congestionamento e dificuldades de estacionamento;
Elevada poluição sonora e atmosférica;
Alterações no processo de produção;
Necessidade de vastos espaços.
A função Industrial tem vindo a aumentar na periferia e a diminuir no centro das cidades através da Função Terciária

Maior disponibilidade de espaço nas áreas periféricas
Baixos custos de terreno
Mão-de-obra mais barata
Despovoamento do CBD
Fatores:
Ocupação dos centros pelas atividades terciárias;
Elevada poluição sonora e atmosférica;
Dificuldades de estacionamento;
Degradação da habitação;
Desenvolvimento transportes urbanos e suburbanos;
Menor preço das habitações na periferia;
Maior capacidade de aquisição de veículos privados.

Estratégias para revitalizar as áreas centrais antigas, garantindo a sua atratividade:
criação de ruas e praças destinadas à circulação de peões (pedonais), para facilitar a circulação e a fruição do espaço
implementação de projetos que potenciem e a afluência de turistas no centro das cidades
desenvolvimento de transportes e estacionamento mais eficiente
renovação do edifícios e atração de novas atividades
implementação de programas e estratégias de revitalização do comércio, restauração, lazer…
As Áreas Residenciais
custo do solo - características sociais da população habitante
segregação especial
Bairo de lata, Lisboa
Moradia unifamiliar, Porto
Residencia plurifamiliar, Lisboa
Ocupam áreas planeadas, com boa acessibilidade, espaços verdes, vista panorâmica, locais prestigiados.
Pouca concentração de atividades económicas - serviços de proximidade e comércio de luxo.
Predominam vivendas unifamiliares, equipamentos e serviços.
Classes favorecidas
Classe média
Os bairros de menor qualidade arquitectónica - ocupam a maior parte do espaço urbano.
localizam-se na periferia, preço do solo mais reduzido, apartamentos mais espaçosos e melhor equipados a baixo custo.
Mais recentemente, a classe média tem vindo a trocar apartamentos por moradias nas áreas suburbanas devido a mobilidade e a melhoria das acessibilidades que permitem uma mais fácil deslocação.
Classe Baixa
edifícios idênticos, apartamentos pequenos, construção de má qualidade.
bairros com grandes carências de equipamentos e de actividades terciárias.
melhoria das condições de habitação, mas não se combate a pobreza e a exclusão social.

exemplos:
bairros clandestinos
bairros de lata
habitações de custo controlado
bairros de habitação social
Full transcript