Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

MADEIRA

No description
by

Jaqueline Borges

on 5 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of MADEIRA

MADEIRA
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

RODRIGUES, Romana Margarida Silva Costa de Oliveira. Construções Antigas De Madeira: Experiência De Obra E Reforço Estrutural. 2004;

ASSOCIAÇÃO. BRASILEIRA DE. NORMAS TÉCNICAS. NBR 7190. Projeto de estruturas de madeira. 1997;

SZÜCS, Carlos Alberto. TEREZO, Rodrigo Figueiredo. VALLE, Ângela do. MORAES, Poliana Dias. In: Trabalho Estruturas de Madeira, Universidade Federal De Santa Catarina. 2008;

CALIL JUNIOR, Carlito. LOHR, Francisco Antonio Rocco. DIAS, Antonio Alves. Dimensionamento de Elementos Estruturais de Madeira;

CARVALHO A. “Madeiras Portuguesas”, Instituto Florestal, Lisboa, 1996 CÉSAR, SANDRO FÁBIO. Módulo da 1ª unidade da disciplina ENG – 300 Construções em Madeira, EPUFBA;

http://paginas.fe.up.pt/~jmfaria/Publicacoes1_75/Congressos%20Internacionaiscomactas/72.PDF;

http://www.publicdomainpictures.net/view-Image.php?image=8161&picture=estrutura-de-madeira&jazyk=PT;

http://paulooliveira.wordpress.com/2012/03/12/materiaismadeirados-e-lenhosos-i/;

http://www.civil.uminho.pt/masonry/publications/2004_rodrigues.pdf>;

http://www.cdcc.usp.br/ciencia/artigos/art_27/madeira.html;

http://www.mundialacabamentos.com.br/sistema/modules/news/article.php?storyid=290.;

http://restauromoleiro.blogspot.com.br/2010_12_01_archive.html;

http://www.civil.uminho.pt/masonry/publications/2004_rodrigues.pdfhttp://www.fca.unesp.br/Home/Extensao/GrupoTimbo/manualUsodaMadeira.pdf.

DEFORMIDADES
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Disciplina: Materiais de construção 1
Docente: Antônio Freitas
Discentes: Alberto Araújo
Edenise Oliveira
Emanuele Alves
Jaqueline Borges
Laila Mota
Lurian Sodré
Pedro Samuel
Roberth Carvalho
Tâmara Passos
Weslei Salviano
Yasmim Uchôa






ENSAIOS DO CORPO DE PROVA
DEFORMIDADES, PRAGAS, TRATAMENTOS E PRESERVAÇÃO DA MADEIRA
PATOLOGIAS
TRATAMENTOS
As patologias de origem físico químicas podem ser solucionadas do seguinte
modo: Quando as peças forem danificadas por umidade, devem ser substituídas. Quando o dano é causado pelo fogo, retira-se a camada formada na combustão e
aplicam-se produtos ignífugos. Quando a madeira for danificada por fotodegradação deve ter sua camada superficial lixada. Após essa medida, aplicar protetores químicos geralmente compostos por resinas, ceras repelentes à água ou pigmentos de proteção solar;


As patologias de origem biológica causadas por fungos xilófagos apresentam
variabilidade, no entanto, a redução da fonte de umidade é fundamental para evitar o desenvolvimento de qualquer tipo de fungo. São apresentados a seguir dois exemplos: Quando há bolores superficiais é necessária a lavagem da superfície e posterior aplicação de protetor químico. Quando há patologias causadas por xilófagos marinhos faz-se necessária a substituição da madeira e posterior tratamento químico. É importante a determinação a priori do agente específico da degradação. As patologias de origem biológica causados por insetos xilófagos apresentam diferentes soluções, sendo importante especificar o tipo de inseto. Faz-se necessário eliminar a camada externa e aplicar, posteriormente, produto químico, fazendo o produto penetrar na peça. Após o tratamento em profundidade realiza-se otratamento superficial. Outros métodos empregados são a aplicação de inseticida em forma de fumo, por esterilização a elevadas temperaturas.
PRESERVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE
A casca protege a árvore contra agentes externos e é dividida em duas partes:
Camada externa , composta de células mortas e camadas internas, formadas por tecidos vivos moles úmidos;
O lenho é a parte resistente do tronco, apresenta as seguintes partes: alburno e cerne.

HIST´ÓRICO
PROPRIEDADES DA MADEIRA
FÍSICAS
Entre as características físicas da madeira, cujo conhecimento é importante para sua utilização como material de construção, destacam-se:

VANTAGENS
USO NA CONSTRUÇÃO CIVIL
DEFINIÇÃO
Material produzido a partir do tecido formado pelas plantas lenhosas com funções de sustentação mecânica. Sendo um material naturalmente resistente e relativamente leve, é frequentemente utilizado para fins estruturais e de sustentação de construções. É um material orgânico, sólido, de composição complexa, onde predominam as fibras de celulose e hemicelulose unidas por lenhina. Caracteriza-se por absorver facilmente água (higroscopia) e por apresentar propriedades físicas diferentes consoante a orientação espacial (ortotropia).
A árvore cresce inicialmente no sentido vertical. Em cada ano há um novo crescimento vertical e a formação de camadas sucessivas vai se sobrepondo ao redor das camadas mais antigas. Num corte transversal do tronco, essas camadas aparecem como anéis de crescimento;
Cada anel de crescimento é formado por duas camadas. A madeira formada no período de primavera-verão tem coloração mais clara, com células dotadas de paredes mais finas. Nessa fase, dá-se o crescimento rápido da madeira. A madeira formada no período de outono-inverno tem coloração escura, células pequenas e crescimento lento;
É possível avaliar a idade da árvore contando os anéis de crescimento.

FISIOLOGIA DA MADEIRA
O alburno é formado de madeira jovem, mais permeável, menos denso, e mais sujeito ao ataque de fungos apodrecedores e insetos e com menor resistência mecânica;

O cerne é formado das modificações do alburno, onde ocorre a madeira mais densa mais resistente que a do alburno;

A medula é parte central que resulta do crescimento vertical, onde ocorre madeira de menor resistência;

Os raios medulares ligam as diferentes camadas entre si e também transportam e armazenam a seiva;

Entre a casca e o lenho existe uma camada delgada, visível com o auxílio de lentes, aparentemente fluida, denominada câmbio. Ela é a parte viva da árvore. Todo o aumento de diâmetro da árvore vem dela, por adição de novas camadas e não do desenvolvimento das mais antigas.


Higroscopicidade;
Flexibilidade;
Durabilidade;
Anisotropia.

QUÍMICAS
MECÂNICAS
A composição química da madeira é constituída principalmente por dois tipos de compostos:
componentes estruturais;
componentes não estruturais.
Nos componentes estruturais incluem-se a celulose, as hemiceluloses e a lenhina, que são macromoléculas responsáveis pelas propriedades mecânicas da madeira. A composição química da madeira oscila percentualmente entre 40 a 50 de celulose, 20 a 30 de hemiceluloses e 20 a 35 de lenhina. Quanto aos componentes não estruturais são constituídos por substâncias com massa molecular baixa ou média, do tipo orgânico ou inorgânico, vulgarmente denominados por extractivos e cinzas. Quimicamente a madeira pode conter extractivos numa percentagem que varia entre 0 e 10.
Resistência à compressão;
Resistência à tração;
Resistência à flexão;
Dureza.
ANISOTROPIA
Degradação por agentes físico-químicos: Expansão e contração; fotodegradação; umidade; produtos químicos; ação do fogo.
Degradação devido ao desempenho estrutural: empenos, as rachaduras, as fendas, o rompimento de fibras internas e o cisalhamento onde há ligações.
Degradação biológica: Algas; fungos Xilófagos; insetos Xilófagos.
A madeira como um material de construção sempre foi utilizado pelo homem desde épocas pré-históricas;

Na Floresta, representa fonte renovável;

Apesar do longo período de utilização , só na segunda metade do século XX foram estabelecidas teorias técnicas aplicadas ás estruturas de madeira .

servem para determinar as propriedades das madeiras a fim de utiliza-las, principalmente, em estruturas.
TIPOS:
Umidade;
Densidade;
Compressão paralela às fibras;
Tração paralela às fibras;
Compressão normal às fibrasm;
Tração normal às fibras;
Cisalhamento;
Fendilhamento;
Flexão;
Dureza;
Resistência ao impacto na flexão;
Embutimento.

MADEIRA PLÁSTICA
sim, é possível usar a floresta sem destruir a natureza! Produzir de forma sustentável, gerando emprego, renda e cuidando do meio ambiente.


DESVANTAGENS
Ao projeta e especificar o tipo de madeira a ser utilizada é importante que sejam consideradas as características das peças a serem detalhadas, evitando excesso de cortes e emendas;

Adiquirir madeira somente de empresas que possam comprovar a origem da mesma;

Utilizar sempre as peças de acordo com o projeto;

Verificar a possibilidade de reúso das peças;

Evitar gerar resíduos, reciclar e reutilizar.


Produto natural;
Renovável;
Excelente isolante;
Fácil de trabalhar;
Durabilidade;
Segurança;
Reutilizável;
Textura;
Etc.
Variabilidade;
Vulnerabilidade;
Combustível;
Dimensões;
Etc.

Os italianos capricharam. Em um dos maiores estandes montados no Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca (Rio+20), eles usaram produtos de fácil reuso e reciclagem. No interior do estande, a Itália usou papelão, cordas e caixas de madeira. As centenas de caixas, usadas para o transporte de verduras, formavam paredes.
TIPOS
Acácia;
Cedro;
Cumaru;
Freijó;
Ipê;
Jatobá;
Massaranduba;
Mogno africano;
Mogno brasileiro;
Pau-marfim;
Peroba;
Pinheiro;
Pinus;
Entre outros.
Full transcript