Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Modal Dutoviário

Técnico em Administração.
by

Isabella ♡

on 22 July 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Modal Dutoviário

Modal Dutoviário
design by Dóri Sirály for Prezi
• Primeiros materiais utilizados para constituição dos tubos: bambus (chineses), cerâmica (egípcios e astecas) e chumbo (gregos e romanos).

• Bastante antigo na área dos equipamentos urbanos, em especial na adução e distribuição de água à população e na captação e deposição de esgotos domiciliares.
• Primeira utilização industrial foi na coleta de petróleo dos poços produtivos para os centros de produção.

• Em 1865, na Pensilvânia (EUA), foi construída a 1ª dutovia para transporte de oleoduto, com 2 polegadas de diâmetro e 8km, de ferro fundido.



O modal dutoviário é considerado o mais consistente e frequente de todos os modais. Por outro lado, é o modal que apresenta menor velocidade, menor capacidade e menor disponibilidade, afinal, está presente em poucas regiões.

De modo geral, quem detém e operam o transporte dutoviário em cada país são as grandes empresas petrolíferas e petroquímicas. O que faz com que estas estruturas tenham um único usuário.

A malha brasileira atingiu 22 mil km após a recente inauguração do gasoduto Rio de Janeiro- Belo Horizonte- Gasbel II. Mesmo como o aumento da malha, os sistemas dutoviários não atingem 5% da utilização do transporte de produções.
Origem
Os dutos foram desenvolvidos pela estatal Gas del Estado, que mais tarde foi privatizada e dividida em duas empresas, a TGN e a TGS.

Segundo dados de 2010, a Argentina possui uma malha dutoviária de 38.000 km, sendo 50% maior que a malha brasileira.
Dutos na Argentina
Grau de utilização
Os dutos são os que apresentam maior custo fixo e o menor custo variável entre todos os modais. O alto custo fixo resulta do direito de acesso, da construção, da necessidade de controle das estações e da capacidade de bombeamento. A área que precisa ser desapropriada para a construção, chamada de faixa de servidão, é um dos responsáveis pelo elevado custo fixo. Como os dutos não necessitam de mão de obra intensiva, o custo operacional variável é baixo após a construção.
Custo
• Um dos mais importantes modais de transporte, pois nos Estados Unidos ele representa quase 17% da matriz de transportes.

• Porém, no Brasil, tem pequena participação na logística do transporte.

• No total, o Brasil tem 19 mil km de sistema dutoviário, enquando os Estados Unidos lidera o ranking dos países com mais dutos, com quase 800 mil km.
Dutos nos EUA

• Em 1930, teve início o transporte de derivados de petróleo
entre a refinaria de Bayway (NY) e Pittsburgh.

• A participação de dutovias no Brasil iniciou-se na década de 50,
evoluiu gradativamente nos anos 60, tendo apresentado
importante incremento na década de 70 e início de 80.

• A década de 70 se caracteriza por importantes obras: a construção
do Oleoduto São Sebastião/Paulínia com 24 polegadas de
diâmetro e 226 km de extensão, Angra dos Reis / Caxias (125km),
entre outros.

• Nas 2 últimas décadas ganhou o reforço de seu emprego no
transporte de granéis sólidos, como o minério de ferro e o carvão mineral em mistura com a água, de modo a formar uma pasta
fluida, nos chamados minerodutos e carbodutos.

• Permite que grandes quantidades de produtos sejam deslocados de maneira segura, diminuindo o tráfego de cargas perigosas por caminhões, trens ou por navios e, consequentemente, diminuindo os riscos de acidentes ambientais;

• Podem dispensar armazenamento;

• Diminuem custos de transportes;

• Menor possibilidade de perdas ou roubos;

• Melhoria da qualidade do ar nas grandes cidades;

• Baixos custos operacionais;

Vantagens
Desvantagens
• Acidentes ambientais;

• Os dutos não são tão flexíveis (quanto à rota de distribuição) e são limitados quanto às mercadorias que podem transportar: somente produtos na forma de gás, líquido ou mistura semifluida.

• Em 2005 no Brasil havia 5.281 km de dutos de derivados de petróleo, enquanto nos EUA 146.426 km já estavam construídos.

• No que diz respeito ao custo, no Brasil estão acima daqueles praticados nos nos EUA.
Infraestrutura
Esses Dutos são tubulações especialmente
desenvolvidas e construídas de acordo com normas internacionais de segurança.

O Transporte Dutoviário pode ser dividido em:
Oleodutos, Minerodutos e Gasodutos

E seus tipos são: subterraneos, aparentes e
submarinos.

Dentre os materiais constituintes dos dutos, o aço é largamente utilizado em oleodutos, gasodutos, minerodutos, emissários e adutoras, pois sua resistência às intempéries e às altas pressões permite construir tubulações de milhares de quilômetros.

As tubulações feitas de concreto armado são também conhecidas como manilhas e geralmente são empregadas em redes de coleta de esgoto, emissários e adutoras em cidades.
Os tubos de PVC e PEAD são, sem dúvida, os mais empregados para a coleta, distribuição e condução de água potável e esgotos em instalações residenciais, prediais e industriais.


O processo de construção e montagem de dutos consiste na ligação de vários tubos de comprimento e diâmetro variável. Após a confecção do duto, este é enterrado a cerca de 1 metro de profundidade. Para a construção de dutos, as indústrias contratam empresas especializadas

As fases da construção e montagem de dutos consistem em atividades de aerolevantamento, pré-comunicação, cadastramento físico e jurídico, projeto básico, estudo de impacto ambiental, obtenção das licenças prévia, de instalação e operação e nas atividades de construção e montagem propriamente ditas.

Full transcript