Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Insucesso Escolar

No description
by

Joana Elias

on 4 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Insucesso Escolar

Causas do Insucesso Escolar
Medidas Contra o Insucesso Escolar
Baixo Rendimento Escolar
Tem várias consequências para o indivíduo: condenado aos piores postos de trabalho e ao desemprego.

Deve ser considerado um processo no qual intervêm
variáveis sociais
,
individuais
e
institucionais
.
Três Momentos Chave
1)
Ocorre durante o ciclo de educação obrigatória, quando o rendimento do aluno é inferior à média ou quando este tem de repetir o ano escolar;

2)
Manifesta-se no abandono da escola antes de terminar a educação obrigatória;

3)
Revela-se na dificuldade de integração na vida produtiva dos jovens que não possuem as competências requiridas.
Estratégias a Adotar Para Reduzir o Insucesso Escolar
1.
A deteção e a ação precoces são mais eficazes.
2.
É preciso formar uma frente sustentada de apoio.
3.
Uma coordenaçao eficiente dos esforços pressupõe uma definição clara de responsabilidades.
4.
É necessario coordenar as abordagens e avaliar as politicas.
5.
É essencial a participação ativa de professores e diretores dos centros escolares.
6.
Considerar as necessidades individuais dos alunos é um elemento-chave.
7.
Os custos das iniciativas para prevenir ou ultrapassar o insucesso escolar devem ser vistos como um «seguro» contra custos maiores.

É, então, importante sublinhar a importância de trabalhar na prevenção precoce, tendo em conta as necessidades indivduais de cada aluno, ou seja, implementando intervenções concretas junto de crianças do 1º ciclo (na escola).
O conceito de
insucesso escolar
é mais abrangente do que apenas os
indicadores visíveis do fracasso escolar
dos alunos, caracterizados por
reprovações
,
abandonos
,
repetências
,
atrasos
,
dificuldades de aprendizagem
,
retenções
,
insucessos nos exames
, etc..
A expressão assume diversas configurações, consoante o
sistema educativo em análise
e as respetivas
práticas de avaliação e certificação
dos alunos.
As
situações de repetição
e
abandono prematuro do sistema educativo
são exemplos que traduzem a inadaptação dos alunos às normas da instituição escolar (Sil, 2004) e, em geral, às do sistema educativo vigente em cada país.
No Reino Unido e na Irlanda a expressão «
insucesso escolar»
não existe ou não é usada.

Inglaterra, País de Gales, Noruega, Suécia, Dinamarca e Islândia são países onde não há lugar para retenções, sendo automática a progressão do aluno no ensino primário.

Em países como Portugal, Espanha, Itália, França, Grécia, Luxemburgo, Bélgica e Alemanha, o sistema educativo não se baseia numa progressão automática.
Quanto aos Países da OCDE...
Em Portugal...
Medidas Adotadas pelo Ministério da Educação
Elaboração de:
Planos de Recuperação;
Planos de Desenvolvimento;
Planos de Acompanhamento.
O insucesso caracteriza-se por uma taxa de retenção e uma taxa de abandono escolar.

A taxa de retenção é mais elevada nas mudanças de ciclo.
«(…) o abandono escolar, ou seja, a saída da escola antes de ter concluído o atual ensino básico, tem muito mais a ver com a idade do que com o ano de escolaridade que se frequenta e é geralmente precedido de histórias de insucesso repetido e concretiza-se pela forte atratividade exercida por uma atividade profissional ainda acessível aos jovens desqualificados» (PNAPAE,2004,p.52).
3 Possibilidades:
Ficar retida no mesmo ano;
Passar para o ano seguinte com um plano de acompanhamento;
Ser encaminhada para um percurso alternativo
Uma intervenção precoce é preferível a uma retenção, pois:
a longo prazo beneficia a criança;
pode evitar que os apoios educativos especiais se prolonguem por demasiado tempo.
Aspetos Positivos Verificados:

A frequência do ensino pré-escolar traduz-se num QI mais elevado;
Criação de turmas mais pequenas nos anos iniciais.
Insucesso Escolar
Explicações Psicológicas: Desenvolvimento Histórico
Século XX

Psicologia diferencial:
Estuda as diferenças individuais (William Stern ( Alemanha) e Francis Galton(Inglaterra));

1900-
Stern salientou que a Psicologia não se deveria dedicar só à investigação das leis gerais do psiquismo, mas também às da individualidade.

Francis Galton
Tentou pesquisar a genialidade herdada de algumas famílias famosas na Grã-Bertanha;
Pioneiro da pseudociência que era baseada na teoria da degeneração evolutiva.
Problemas psicológicos das crianças com deficiências mentais a uma suposta regressão para um período anterior no desenvolvimento da humanidade

Nos finais do século XIX, Alfred Binet e Théodore Simon receberam do governo francês a tarefa de criar um
método rápido e eficaz para separar as crianças «normais» das que «precisavam de ajuda».

Neste primeiro teste de inteligência, pedia -se às crianças para manipularem objetos que não lhe fossem familiares, tais como blocos ou figuras, para resolverem puzzles e fazerem corresponder as diferentes partes de objetos que eram do seu conhecimento.

Terman (1912, 1916) alargou e melhorou –o;
Criou o teste
Stanford-Binet
, adaptado a idades diferentes.
Através de pesquisas realizadas com crianças na Califórnia, foi definido um valor médio de inteligência por idade e criada a base para o
Quociente de Inteligência
(Q. I.).
A partir deste método tornou -se possível calcular a inteligência da população em geral.

Terman (1917)-
«É quase certo que as crianças com melhor desempenho escolar, integradas em salas de aula, obtenham bons resultados nos testes e que esse facto se deva especialmente à herança que receberam quando nasceram.»

Explicação do insucesso escolar segundo o QI:
< 90, grandes dificuldades na escola primária;
Entre 90 e 100, tem inteligência suficiente para o ensino primário mas terão dificuldades no secundário;
Entre os 100 e 120, conseguem completar o secundário;
>120, conseguem ir para a universidade;

Batalha do QI
Muitos psicólogos, nos anos 60 e 80 rejeitaram os testes de inteligência, argumentando…

1.
Não há nada que prove que a inteligência ou um traço de personalidade constituam uma capacidade intelectual distribuída na população;
2.
Não há qualquer relação entre o diagnóstico e o tratamento;
3.
Afirmar que uma criança tem um Q. I. de 65 conduz ao rótulo de «atrasado mental», que determinará negativamente a sua vida, causando expectativas frustradas e inclusivamente a sua rejeição na escola e no mundo laboral;
4.
Um conjunto diverso de fatores situacionais influencia os resultados do teste;
5.
Os testes são baseados numa imagem preconcebida das características ideais do ser humano.


A inteligência é um
produto da hereditariedade
em interação com o meio e o tempo, no sentido em que as influências do meio ocorrem durante os primeiros anos de vida (Sprinthall, 1993);

Na atualidade os psicólogos estudam o insucesso escolar, baseando-se em teorias e investigações que relacionam o individuo e o meio:

Auto-conceito académico
Relação aluno-pais
Afetos
Componentes de motivação

Relações Entre o Desempenho da Criança e o Meio Escolar
Sexo e Raça do Aluno
Estatuto Social
Relação com os Colegas e Professor
Problemas associados ao insucesso escolar:

O insucesso nos primeiros anos escolares leva, muitas vezes, a comportamentos delinquentes e violentos na adolescência e vida adulta;
Multiplicidade de causas:
Ambiente familiar;
Interação com o meio ambiente;
Características da própria criança;

Razões Sociais
Meio
Família
Estatuto sócio-cultural
A Escola...
É considerada um pequeno sistema social;

As Crianças aprendem regras, convenções sociais, atitudes e modos de estabelecer relações com os outros;

Depois da família, a escola é a instituição que irá introduzir a criança no mundo social.

O Handicap Sócio-Cultural
Paradigma da eficácia escolar;
Teoria do
Handicap

(anos 60 e 70)
Maior ou menor bagagem cultural do aluno;
Relação entre o nível socioeconómico do país e o desempenho do aluno na escola (Hollingshead, 1975; Brooks-Gun e Duncan, 1997);
Meio desfavorecido apontado como causa do insucesso do aluno.
Determinantes Sociais que Permitem Explicar a Causa da Emergência de Problemas Psicossociais:


1.
Nas famílias desfavorecidas, os pais tendem a ser mais autoritários.

2.
Os alunos oriundos destas famílias raramente são motivados pelos pais para prosseguirem os estudos.

3.
A linguagem que estes alunos são obrigados a utilizar na escola é diferente da linguagem que é utilizada no meio familiar.

4.
Os valores culturais destas famílias são frequentemente diferentes dos que a escola propõe.
A negligência da parte dos pais é uma das quatro formas que assume o abuso das crianças, incluindo tambem o abuso fisico, sexual e emocional.

Consideram-se 3 tipos de negligência:
1.
Negligência física;
2.
Negligência educacional;
3.
Negligencia emocional.
• As crianças vítimas de negligência podem sofrer de problemas relacionados com:
a saúde física;
crescimento limitado;
aumento de complicações provenientes de outras condições de saúde, como a diabetes e as alergias.

• A demissão dos pais da educação dos filhos é atualmente uma das causas mais vezes referidas para explicar o insucesso escolar.
A Teoria do Handicap Sóciocultural tem o enorme mérito de romper com as explicações de carácter genético do insucesso escolar; não obstante, continua a atribuir ao aluno e à família a responsabilidade primordial deste insucesso.
O Sistema Escolar
A Escola
Práticas Educativas dos Professores
Estrutura do Ensino
Sil
Branquinho e Sanche
Huberman
Medley
"Plano Nacional de Prevenção do Abandono Escolar"
1. Generalizar
a pré-escolaridade.
2.

Adequar o ritmo escolar
às necessidades das crianças e dos jovens.
3.
Tornar os
horários flexíveis
, segundo as características da vida comunitária.
4.

Reduzir as ruturas
entre os vários ciclos.
5.

Facilitar as aprendizagens básicas
, como as da linguagem e as da Matemática.
6. Utilizar novos equipamentos e métodos pedagógicos
.
7.
Recorrer a
novos sistemas de avaliação
adequados aos novos objetivos da Educação.
8.

Sublinhar a aquisição de competências
, implicar o aluno na sua avaliação e respeitar o seu ritmo e estilo de aprendizagem.
9.

Disponibilizar apoio
ao jovem, no campo da orientação.
10.

Melhorar a articulação com o ambiente
em que a escola está inserida.
11.

Aumentar a autonomia
da escola.
Discentes:
Francisco Isidoro
Joana Elias
Solange Pinto
Vanessa Silva
Full transcript