Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Aspectos Bioquímicos e Nutricionais da Intolerância ao Glúte

No description
by

Lucas Noronha

on 26 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Aspectos Bioquímicos e Nutricionais da Intolerância ao Glúte

Intolerância e Alergia Alimentar

Glúten

É uma proteína formada pela combinação de gliadina mais glutenina e água.

É uma substancia elástica e aderente, insolúvel em água.

Tipos de alimentos que contém...

Intolerância ao Glúten e Doença Celíaca

A Intolerância é de caráter não imunológico, podendo ser o resultado de diversos mecanismos etiológicos e fisiopatológicos.

Doença celíaca é uma intolerância permanente ao glúten a qual, envolve o sistema imunológico

Aspectos Bioquímicos

• Glúten, proteína formada por prolaminas e glutenina.

• Contém um alto teor de aminoácidos Prolinas e Glutamina.

• Constitui 90% das proteínas do endosperma do grão do trigo.

• Tem uma elevada afinidade para os peptídeos com polaridade negativa.

Considerações Finais
Por ser uma doença cujo tratamento é fundamentalmente dietético, a terapia durante a transição alimentar deve ser bem conduzida pelo nutricionista para melhor adesão do paciente à dieta.


Aspectos Bioquímicos e Nutricionais da Intolerância ao Glúten

Intolerância e Alergia Alimentar

O que é Glúten?

Intolerância ao Glúten e Doença Celíaca

Aspectos Nutricionais

Má absorção intestinal na infância

Atrofia grave nas vilosidades intestinais

Em crianças mais velhas e adolescentes:
- atraso no desenvolvimento estato-ponderal e pubertário,
- raquitismo, diarreia, anemia recorrente
- desempenho escolar deficiente

Em alguns casos raros de DC pode haver apresentação
clínica de hemocromatose hereditária

Manifestações Clínicas e Diagnóstico

A forma clássica: primeiros anos de vida.

As formas não clássicas: ausência de sintomas digestivos

A forma latente: biopsia jejunal normal, consumindo glúten; diferencia-se das outras formas.

A doença celíaca assintomática: familiares de primeiro grau de pacientes celíacos.
Tratamento
Terapia nutricional e dietética, cuja base é restrição de glúten, entende-se todo alimento processado ou não, que contenham as prolaminas envolvidas na DC.
É
OBRIGATÓRIO
por lei federal
(Lei nº 10.674, de 16/05/2003)
que todos os alimentos industrializados
informem em seus rótulos
a presença ou não de glúten
para resguardar o direito à saúde dos
portadores de doença celíaca.

Os pacientes devem ser aconselhados a ingerir uma dieta rica em fibras suplementada com grãos inteiros de arroz, milho, batatas e uma ampla variedade de vegetais, pois a DIG é pobre em fibras.
Fisiopatologia
Inflamação da mucosa e da submucosa do intestino delgado.
Glutamina
Ác. Glutâmico
Transglutaminase
Aumento da reatividade das moléculas de HLA
Ativação de linfócitos T e B
Comprometimento da absorção dos nutrientes
Full transcript