Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ORGANOLOGIA VEGETAL (CAULE)

No description
by

Juliana Mursini Caridi

on 10 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ORGANOLOGIA VEGETAL (CAULE)

Organologia vegetal Caule Cerne: região mais central, escura e mais dura do tronco, formado por vãos lenhosos antigos. Corresponde ao xilema fora de atividade.
Alburno: região mais externa do tronco, mais clara que o cerne, constituída de vasos lenhosos ainda em atividade (xilema funcional). A cada ano acrescenta-se um anel de crescimento ao tronco. Na primavera (conhecido como lenho primaveril) o anel cresce mais rapidamente e vai clareando com o alongamento das fibras; No inverno (lenho tardio) apresenta crescimento mais vagaroso e de fibras menores e de tom mais escuro. 5- Caules modificados: Caule com parênquima aerífero;
Ex: Vitória-régia. 4- Caules aquáticos: 3- Caules
subterrâneos: 2- Caules aéreos rastejantes Uma árvore com 12 anéis claros e 12 anéis escuros tem 12 anos. O caule de algumas árvores revela a idade da planta. Em cada estação o câmbio (meristema secundário) cresce formando anéis, esse crescimento depende das condições climáticas que informam o clima de centenas de anos atrás em árvores velhas. Anéis anuais: Ramos pontiagudos com
função de defesa;
Ex: laranjeira. Espinhos : gengibre Estipe: Haste: O xilema ou lenho (região de absorção) conduz a seiva mineral ou bruta das raízes para as células que realizam a fotossíntese (folhas);
O floema ou líber (região de produção) conduz a seiva elaborada ou orgânica das folhas para todas as células vivas da planta (regiões de consumo) CONDUÇÃO DE SEIVA Ramos longos, achatados que se assemelha a folhas;
Ex: cacto. Cladódios: Parece uma mola que serve de fixação da planta;
Ex: videira (uva). Gavinhas: Estolho: Colmo: caule bem desenvolvido, rígido, de grande dimensão, ramifica-se no ápice.
Ex: pinheiro, cedro; Tronco: 1. Caules aéreos eretos: Regiões do caule: nós (região do caule onde originam as folhas), entrenós (região localizada entre os nós), gemas (brotos), gemas laterais (dão origem a folhas, flores e frutos);
Tipos de caule: presença da porção central denominada prato;
Ex: cebola, alho. Bulbos: Caules que acumulam reservas, como o amido;
Ex: batatinha. Tubérculos: Caule Órgão que origina e suporta as folhas;
Transporta a seiva mineral e orgânica; Emitem ramos aéreos;
Ex: bananeiras. Rizomas:
Full transcript