Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

História do examinando

No description
by

Saulo Bagatini

on 10 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of História do examinando

História
do Examinando

A história e o exame do paciente oferecem subsídios ao processo de psidiagnóstico.
Estado mental: Há pacientes que não são testáveis, dado ao grau de compromentimento das funções cognitivas ou do ego.
A plena realização da avaliação psicológica necessita comunicação intacta, capacidade de seguir instruções e colaboração do examinando.
Sem essas condições, dificilmente um paciente será encaminhado a um psicólogo, exceto se este trabalha no contexto hospitalar.
A história do examinando: Pode compreender-se a história pessoal, clínica ou da doença atual usada para avaliar o estado mental do paciente.
História clínica
Ao longo da experiência, o psicólogo se dará conta de que as várias percspectivas são áreas de informações integradas que deverão ser usadas em conjunto.
A importância da avaliação em ênfases especiais, em fáixas etárias diversas.
Por influência do modelo médico a histórica clínica e muitas vezes chamada de história da doença.
Qual a pretenção da História clínica?
Ao se levantar a história clínica , frequentemente já se tem conhecimento das queixas.
Na maioria das vezes o próprio paciente
não consegue determinar o início dos seus problemas.
Importância de se registrar as queixas.
As queixas, motivos e a não-admissão de sintomas expressados pelo paciente , fornecem um ponto de partida para o profissional.
Após a determinação do início da histó-
ria clínica é necessário ainda um levantamento da sintomatologia e das condições de vida do paciente
O que é Anamnese?
Anamnese

Contexto familiar
História pré-natal e
perinatal
Reforço
Fator que torna provável o aumento de frequência de uma resposta. Pode ser positivo ou negativo.
Positivo
Qualquer estímulo que, quando acrescentado à situação, aumenta a probabilidade de ocorrência da resposta.
Negativo
Qualquer estímulo que, quando retirado da situação, aumenta a probabilidade de ocorrência da resposta.
Tipo de reforços:
Contínuo
Intermitente
É contínuo quando reforçamos um comportamento toda vez que ele ocorre. Este tipo de reforço provoca, geralmente, comportamentos pouco resistentes a extinção.
É intermitente quando um comportamento é reforçado de forma descontínua. Este tipo de reforço provoca um comportamento mais estável e resistente à extinção.
Avaliação Dinâmica
Como salientam Mackinnon
e yudofsky (1988) "existem várias áreas de superposição". O primeiro contato com o paciente permite descrever, avaliar e integrar diversos aspectos, de comportamentais até sintomas emergentes.
* Segundo o dicionário aurélio:
Retórica
. Figura que finge recordar uma coisa esquecida/ Liturgia. Oração após a elevação que comemora a lembrança de cristo/ Medicina. Conjunto de informações recolhidas pelo médico a respeito de um doente./Restabelecimento da memória

*Anamnese da psicologia.


* Deve trazer informações objetivas e
gerais como:
-Nome
-Data de nascimento
-Endereço
-Telefone para contato
- Ocupação
* Genetograma
* Informações inter e transgera-
cionais.
* Descrição do contexto familiar
*Descrição de como transcorreu a gestação (ou processo de adoção)



* Como e quando ocorreu o parto
* Reação dos pais em relação ao bebê
Primeira infância
(até os 3 anos)
* Hábitos alimentares e de sono.
* Comportamentos socias, motores
e de linguagem.
* Comportamentos e normas nos
jogos e na higiene.
Infância intermediária
( 3 à 11 anos)
* Como se deu a experiência de separação?
* Como se estruturaram as relações socias
no grupo de iguais.
* Regras, castigos e recompensas e quem
são seus responsáveis
* Desempenho escolar
* Sinais de distúrbios psicológicos,
como pesadelos, fobias, provoca-
ção de incêndios
Pré-puberdade, Puber-
dade e Adolescência.
* Relações sociais
* Histórico escolar
* Área sexual
* Problemas específicos emocionais,
físicos ou sociais.
Idade Adulta
* História e situação ocupacacional
* Relações socias
* Áreas sexuais
* História conjugal
* Atitudes frente às mudanças.
Fontes subsidiárias
* Entrevista com um famíliar ou pessoa do
convívio.
* Exames anteriores de outros profissionais
e produções espontâneas do próprio paciente
* Fontes de informação da escola.
* Gravação de vídeos, fotografias, desenhos,
cadernos escolares.
Caso clínico de ava-
liação psicológica envolvendo diagnó-
tico mental infantil.
O processo de avaliar ou diagnosticar
o examinando vem das queixas dos in-
divíduos, dos conflitos identificados e
a partir daí faz-se necessário pesquisar
as causas para interrelacionar conteúdos
e integrar informações que embasaram o
entendimento dinâmico no fluxo da histó-
ria do paciente.
Caso clínico: "
Não quero
brincar
"- A avaliação psi-
cológica e diagnóstica em
saúde mental. O papel que
a avaliação psicológica po-
de desempenhar na com-
preensão do funcionamento
mental infantil.
Integração com o passado:
Contexto
Social
Temporal
Afetivo
Perspectiva histórica
Lembrar que:
Entrevista clínica
Sessão
psicanalítica
Queixa
Identifica o conflito
Pesquisa causas
Inter-relacionar
contéudo
Adolescentes:
Esquema multiaxal
(wilson Jr.)
Crise
da
adolescência
Classes
I
Enfrentamento
II
Confrontação
III
Psicodinâmica
IV
Vulnerabilidade
V
Crises anteriores
* Vulnerabilidade
* Sintomas
* Questões
psicodinâmicas
* Mau funcioma-
mento de uma
ou mais áreas
Crianças
Abordagem
dinâmica
Precisão Cronológica
* Informações da mãe
responsável
* Entrevista lúdica
Full transcript