Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TCC Endomarketing - Breno César

Administração de Marketing I - Turma 5NA - Equipe Alana Larissa, Juliana Andrade, Maria da Conceição e Nathalia Barbosa - Nassau JP
by

BRENO MELO

on 12 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TCC Endomarketing - Breno César

Orientador: Profº Israel Silva de Macêdo
Endomarketing

Primeiros Passos

Por que Endomarketing?
Conceito

¨Endo” vem do grego e quer dizer
“ação interior ou movimento para dentro”.

Endomarketing quer dizer
“marketing para dentro”.

É toda e qualquer ação de marketing voltada para a satisfação e aliança do público interno com o intuito de melhor atender aos clientes externos.
É o processo usado para determinar que produtos ou serviços poderão interessar aos consumidores, assim como a estratégia que será utilizada nas vendas, comunicações e no desenvolvimento do negócio.

Historicamente falando, é difícil identificar com exatidão o surgimento do marketing. O que se sabe é que sua história está ligada à história da humanidade e sua evolução.
MARKETING, A ORIGEM DE TUDO
Do Marketing o Endomarketing extrai seus fundamentos, mas desenvolve seus próprios conceitos a partir da peculiaridade do público a que se destina.

O fato de se destinar unicamente ao público interno das organizações termina por diferenciar substancialmente o Endomarketing do Marketing. As pessoas nas organizações possuem necessidades muito específicas e são atingidas pela comunicação de maneira direcionada, mais explícita do que normalmente acontece com o consumidor comum.
Endomarketing

As armas empregadas pelas empresas estão cada vez mais “poderosas”, vencendo quem consegue utilizar as melhores estratégias e ferramentas disponíveis.

O Endomarketing é a ferramenta essencial da gestão estratégica de pessoas: é ele que faz
“o time entrar em campo”,
consciente das regras, dos papéis individuais e coletivos, e dos objetivos do jogo.



GERAL

Demonstrar as possibilidades de aplicação do Endomarketing nas empresas

ESPECÍFICOS

Compreender a influência do marketing como fator estratégico;

Verificar os reflexos positivos pela aplicação dos instrumentos de endomarketing;

Reconhecer o poder do relacionamento como fonte de satisfação;

Demonstrar atuais perspectivas do endomarketing;

Analisar a aplicabilidade do endomarketing através de casos registrados na literatura.
Marketing de relacionamento
é o processo de garantir satisfação contínua e reforço aos indivíduos ou organizações que são clientes atuais ou que já foram clientes.

Terry Vavra


MARKETING MIX

“Mix de marketing é o conjunto de quatro ferramentas que a empresa utiliza na criação de valor para o cliente: produto, preço, promoção e ponto de distribuição”.
Dias

MARKETING DE RELACIONAMENTO
Muitos dos profissionais de recursos humanos insistem em confundir
Endomarketing com Comunicação Interna,
limitando sua atuação aos house organs, murais e refeitórios. Essa concepção já não serve mais às organizações e ao contexto atual dos negócios.
E uma revitalização do Endomarketing começa a ser modelada nas grandes corporações. Elas estão descobrindo, por seus próprios meios, que essa matéria do Marketing precisa ser tratada com maior atenção, considerando seu

imenso potencial de geração de resultado.



A comunicação que se busca com o Endomarketing e seus instrumentos
transcende a comunicação tradicional
de apenas transmitir algo. O que se busca agora é entendimento, alinhamento. Todos devem entender o que fazer e por que e como seus resultados se relacionam aos dos outros e aos objetivos gerais da empresa.

Endomarketing surgiu para ocupar lugar de destaque em empresas de todos os setores e de todos os portes, deixando os bastidores da comunicação interna para protagonizar a gestão do desempenho humano em sua acepção literal.

Breno César

A ideia de explorar esse tema no Trabalho de Conclusão de Curso surgiu da importância de se conhecer essa estratégia empresarial de um modo mais
claro, suave.
Justificativa

O estudo da comunicação interna como uma ferramenta estratégica para proporcionar a mudança cultural, se faz necessária para tornar efetiva uma mudança organizacional, o que resultará fatalmente na melhoria do atendimento em qualquer empresa.
Busca da fidelização pela satisfação
Nenhuma empresa pode satisfazer todas as necessidades de todos os consumidores. Portanto, é preciso concentrar-se em determinados clientes e fazer todo o possível para conservá-los, elaborar políticas de preços, linhas de produtos e níveis de serviços voltados para o crescimento da fidelidade.

"O retorno do cliente depende do nível de satisfação de suas necessidades. Esse retorno fica prejudicado caso haja um problema desde que seja o menor possível".
Philip Kotler

O composto de marketing, ou marketing mix, sofre uma pequena adaptação para atender as exigências do endomarketing.

Intitulado por Alexandre lnkotte como Endomarketing mix, os 4 Ps transformam-se em 4 Cs.

O

Produto

transforma- se em

Companhia

ou

empresa,

o

Preço

em

Custos,

a

Praça

são os

Coordenadores

de

endomarketing e finalmente a

Promoção,

que correlaciona-se à

Comunicação.
COMPARANDO VARIÁVEIS:
4Ps & 4Cs DO ENDOMARKETING

Um novo tipo de consumidor surgiu, mais exigente e informado, não admite ser mal atendido, adquirir um produto com defeito e não poder trocá-lo de forma ágil e eficaz, ou não ter uma assistência técnica adequada, mesmo que esteja encantado ou seduzido pela propaganda que o fez optar por determinada marca.

Assim, os momentos de interação do cliente com a empresa, chamado por Carlzon (1994) de
“Hora da Verdade”,
passaram a ter ainda maior relevância para a satisfação e fidelização do consumidor. Não adianta, então, investir no marketing externo e esquecer das pessoas que cumprem um papel fundamental nesse processo: os funcionários.
Para o
Endomarketing,
o colaborador é seu
target
e denominado de público interno. Conquistar o público interno, vender um produto ou uma ideia ao funcionário, incentivar uma empresa internamente e os que nela trabalham são alguns dos propósitos do Endomarketing.
Todo processo de iniciação e implantação do marketing na empresa é crucial para compreender o papel do Endomarketing, pois dentre suas principais funções está a de tornar integrados todos os departamentos dentro da empresa.

Para

Bekin (1995)
,
o objetivo de toda empresa é desenvolver um produto/serviço de acordo com a necessidade e expectativa do consumidor, além de satisfazer aos seus desejos. A qualidade é um fator preponderante neste processo e para que o objetivo seja alcançado é fundamental a integração de todos os departamentos envolvidos.

Portanto, o papel do Endormarketing é justamente ser o elo que alinha a comunicação entre os que trabalham por um único objetivo.
Notamos que o Endomarketing deve ser uma estratégia de gestão de qualquer empresa, independente de porte ou segmento.
Discussão:
O estudo nos permitiu concluir também a necessidade que se tem de perceber a importância do seu público interno para obter melhores níveis de qualidade, maiores índices de produtividade e melhoria do atendimento ao público. A manutenção da política de bom relacionamento empresa-funcionário é também a garantia da satisfação direta ou indireta do cliente externo.
Apresentou a utilidade dos instrumentos estratégicos oriundos do Endomarketing e que uma vez aplicados apropriadamente constituem aspectos positivos na estrutura organizacional como um todo, passando desde a mudança da cultura organizacional até chegar em estratégias para implantação do projeto de Endomarketing.


Cerqueira (1994)
aponta uma ordem estratégica de implantação dos projetos de Endomarketing, uma relação de dependência que deve ser seguida à risca, sob pena de a baixa maturidade das pessoas romper a credibilidade de todo o sistema.
Como aplicar o Endomarketing?
O estabelecimento prévio de uma nova
base de valores

dentro da organização;
Projetos de
segurança cultural
(regras, normas), que geram reflexão e crescimento de atitudes;
E por fim, a criação de
canais de comunicação alternativos,
de baixo para cima, para evitar que as chefias de base não fiquem isoladas por possível represamento decisório superior.
Portando, torna-se necessário executar
três dependências estratégicas
citadas por Cerqueira, que são:
Metodologia

A pesquisa se desenvolveu através do levantamento bibliográfico, buscando-se compreender o problema a partir de referências teóricas publicadas nos livros e documentos de diversos autores de renome que orientaram a base geral desse estudo.
Comunicação Interna X Endomarketing
A
Motivação

Como Resultado do Endomarketing

Não há organização excelente quando seus colaboradores estão desmotivados. Por sinal, a excelência somente é alcançada se obedecido também tal critério.

Esta é uma constatação de caráter notório, cujo fantasma aterroriza não somente os administradores das áreas de Marketing ou da qualidade, mas os empresários de forma geral, qualquer que seja o seu segmento de atuação.
No ambiente organizacional,
a motivação
representa um processo que implica a vontade de efetuar um trabalho, ou atingir um objetivo. Dessa maneira, os atos motivacionais determinam, ao mesmo tempo, a direção e a intensidade dos comportamentos.

A simples retirada de
fontes de insatisfação
não induzirá o funcionário à motivação, fatores extremamente eficazes para motivar pessoas incluem
"envolver funcionários na elaboração de padrões de trabalho, no estabelecimento de metas de trabalho, avaliar seus resultados de forma correta e reconhecê-los de forma apropriada”
.

(Kondo, 1994, p.73
)

HIPÓTESE

Diante deste estudo, levanta-se uma seguinte questão: qual a importância do cliente interno para uma organização?

É legítimo que o colaborador pode ser o
responsável pelo sucesso de uma organização,
a partir do empenho no seu modo de trabalho e injeção de ideias inovadoras. Cabe então aos gestores lembrar-se cada vez mais da importância deste cliente interno, afinal será ele o responsável ou intermediador das vendas de seus produtos.

Justificativa

O estudo da comunicação interna como uma ferramenta estratégica para proporcionar a mudança cultural, se faz necessária para tornar efetiva uma mudança organizacional. O Endomarketing ainda auxilia no processo de satisfação, otimiza a integração corporativa e motiva seu público interno.

Processo de decisão do comprador
ENDOMARKETING
Obrigado!

REFERÊNCIAS

ARMSTRONG, G; KOTLER, P.
Princípios de Marketing.
12. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall,2004, p.04.

ARRUDA, Maria Cecília Coutinho de. et al.
Gestão de Marketing.
São Paulo: saraiva, 2005.

BARNES, James G.
Segredos da Gestão pelo Relacionamento com os Clientes CRM.
Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002, 60p.

BARRETO, A.V.P;HONORATO,C.T.
Manual de sobrevivência na selva
acadêmica. 3. ed. Rio de Janeiro:Objeto Direto,1999.



BEKIN, Saul Faingaus.
Conversando sobre Endomarketing.
São Paulo: Markron Books, 1995.

BOONE. Louis E., KURTZ, David L.
Marketing Contemporâneo
— 8. cd. Rio dc Janeiro: LTC, 1995.

BOTTARI, Gisele –
Pesquisa de Satisfação dos Clientes –
Monografia UFGRS, Escola de Administração – Porto Alegre – 1999, 17p.

CARLZON, J.
A hora da verdade.
10. ed. Rio de Janeiro, COP, 1994. 120 p.

CASTRO, Alfredo Pires de.
Automotivação: Como Despertar esta Energia e transmiti-la às Pessoas.
Rio de Janeiro: Campus, 1995.

CERQUEIRA, Wilson.
Endomarketing: Educação e Cultura para a qualidade.
1. ed. 4. reimpr. Rio de Janeiro: Qualitymark editora, 2005.

COBRA, Marcos.
Administração de Marketing.
2. ed. São Paulo: Atlas, 1992.

CHIAVENATO, Idalberto.
Comportamento Organizacional:
a dinâmica do sucesso das organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

CHURCHILL JR, G.A; PETER, J.P.
Marketing:
criando valor para os clientes. TRAD. Cecília Camargo Bartalotti e Cid Knipel Moreira. 2. Ed. São Paulo: Saraiva 2000.

DIAS, S. R.
Gestão de marketing.
São Paulo: Saraiva, 2003.

(DIAS, C.
Pesquisa qualitativa:
características gerais e referências. 2014. Disponível em < http://www.geocities.com/claudiaad/qualitativa.pdf>. Acesso em 15 dez. 2014.

DRUCKER, Peter Ferdinand.
O melhor de Peter Drucker:
a sociedade. São Paulo: Nobel, 2001.

ETZEL, Michael J.; WALKER, Bruce J.; STANTON, Wiliam J.
Marketing. Tradução de:
Arão Sapiro. 11. ed. São Paulo: Makron Books, 2001. 12 p. ISBN 85-346-1185-8.

FERREL, O.C.; HARTILINE, M.D.
Estratégia de Marketing.
São Paulo: Thomson, 2005.

GUIMARÃES, M.C.;BRISOLA,M.V.O
ECR como ferramenta contemporânea de marketing: da era da produção à era do valor ao cliente.
Revista de administração e contabilidade. Minas Gerais, ano II, n 04, set 2002.

GORDON, Ian.
Marketing de Relacionamento:
estratégias, técnicas e tecnologias para conquistar clientes e mantê-los para sempre. São Paulo: Futura, 1998).

GORDON, Ian.
Marketing de Relacionamento.
4. Ed. São Paulo: Futura, 2001
.


INKOTTE, Alexandre Luz.
Endomarketing:
elementos para a construção de um marco teórico. 2000. 131f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

KONDO, E. et al.
Motivação Humana:
um fator chave para o gerenciamento. Editado por Yoshio Kondo; tradução de Dario Ikuo Miyake; revisão técnica de Afonso Carlos Correa Freury. São Paulo: Editora Gente, 1994.

KOTLER, Philip; FOX, Karen F. A.
Marketing Estratégico para Instituições Educacionais.
Atlas, 1ª edição 1998. 58p. ISBN 8522411166.

KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary.
Princípios de Marketing.
7. ed. Rio deJaneiro: Prentice-Hall do Brasil, 1998.

KOTLER, P.
Marketing para o século XXI:
como criar, conquistar e dominar mercados. São Paulo: Futura, 1999.

KOTLER, Philip –
Administração de Marketing
– 10ª Edição, 7ª reimpressão – Tradução Bazán Tecnologia e Lingüística; revisão técnica Arão Sapiro. São Paulo: Prentice Hall, 2000, 58p.

KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary.
Introdução ao Marketing.
LTC, 4ª edição, 2000. 58p.

KOTLER, Philip.
Marketing em Ação.
Campus, 1ª edição, 2002. 699; 700 p. ISBN 8535209786.

LAMB, Charles W.
Princípios de Marketing.
São Paulo: Pioneira ThomsonLearning, 2004.

LAS CASAS, Alexandre Luzzi.
Marketing: conceitos, exercícios, casos.
5. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

LAS CASAS, Alexandre Luzzi.
Administração de marketing:
conceitos, planejamento e aplicações à realidade brasileira. São Paulo. Atlas, 2008.

SILVA, Luís Carlos Carvalho da.
Análise da relação existente entre as ações de Endomarketing e a imagem de corporativa:
um estudo de caso no Banco de Brasil em João Pessoa- Paraíba. João Pessoa: 1999. Dissertação( Mestrado em Administração - Universidade Federal da Paraíba


MUSSAK, Eugenio.
Metacompetência: uma nova visão do trabalho e da realização pessoal.
São Paulo: Gente, 2006.

MCKENNA, Regis.
Marketing de relacionamento:
estratégias bem sucedidas para era do cliente. 21Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. 45p., Il. )

Mc CARTHY, E. Jerome.
Marketing essencial:
uma abordagem gerencial e global. São Paulo: Atlas, 1997.

PATARO, F.M.
Marketing na economia.
Revista eletrônica de administração. Net, São Paulo, ago.2002, a.I, n.3. Disponível em <http://www.revista.inf.br/adm03>. Acesso em 02 de Janeiro de 2014.

RAPP, Stan, COLLINS Thomas.
The new maximarketing—
New York: Mc Graw-Hill, 1996.

REICHHELD, FREDERICK F. -
Principios da lealdade –
Editora Campus. Rio de Janeiro: Janeiro 2000, 06p.

TACHIZAWA, TAKESHY.
Gestão com pessoas:
uma abordagem aplicada às estratégias de negócios, Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001.

TIDD, J.; BESANT, J.; PAVITT, K. Managing innovation. Chichester: John Willey & Sons Ltd., 2005.)

TRIVIÑOS, A. N. S.
Introdução à pesquisa em ciências sociais:
a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1992.

VAVRA, Terry G.
Marketing de relacionamento (aftermarketing).
São Paulo: Atlas, 1993.)

VIANA, F.
Manual didático de pesquisa.
2 ed. São Paulo: Didática Paulista, 1997.

Full transcript