Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Mapa Conceitual

No description
by

martin kuznietz

on 13 March 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Mapa Conceitual

Pra sabermos mais sobre a filosofia
Com a filosofia conseguimos identificar o motivo pelo qual as coisas mudam, porque não é o suficiente ter um conhecimento técnico e/ou especializado, mas é essencial ter o que chamamos de conhecimento global para que assim possamos compreender melhor o mundo no qual estamos inseridos.
A filosofia nos faz sair da escuridão do comodismo e ir encontrar a luz da sabedoria das soluções. Ela nos faz entender o que é tido como inútil e perceber com clareza o que é útil. A filosofia serve para entendermos com clareza os conceitos usados no dia a dia, na ciência, nas artes, na religião, etc.
Funções de um mito
O mito possui três funções principais:

O mito surge a partir da necessidade de explicação sobre a origem e a forma das coisas, suas funções e finalidade, os poderes do divino sobre a natureza e os homens. Ele vem em forma de narrativa, criada por um narrador que possua credibilidade diante da sociedade, poder de liderança e domínio da linguagem convincente, e que, acima de tudo, "jogue para a boca do mito" o que gostaria de impor, mas adequando a estrutura do mito de uma forma que tranquilize os ânimos e responda às necessidades do coletivo.

É o narrador quem constrói o esquema do mito, porém ele só nasce e se consolida a partir da aceitação coletiva, ou seja, o mito só existe quando ele cai no senso-comum. É ele quem dá a vida ao mito.
FIM

O nascimento da Filosofia se deu através da compreensão do mundo a partir de fundamentos baseados na racionalidade, na lógica, e não em mitos.
A Filosofia grega surgiu a partir da poesia, da religião e das condições sociopolíticas pelo seu "pai", Tales de Mileto, no final do século VII e inicio do século VI a.C.
Os primeiros filósofos tinham em mente, questões cosmológicas, iniciando assim, a separação da filosofia e o pensamento mítico.
Os primeiros filósofos se concentravam em achar o princípio de tudo que é o fundamento do ser.
Pensamento Mítico x Experiência Filosófica

O Nascimento da Filosofia
“A filosofia é diferente da ciência e da matemática. Diferentemente da ciência, não se baseia em experimentos ou na observação, mas apenas no pensamento. E diferentemente da matemática, não possui métodos formais de prova. A filosofia é feita simplesmente por meio do questionamento, da apresentação de ideias e da busca de argumentos possíveis contra elas, e da pergunta sobre como os nossos conceitos realmente funcionam”. (Thomas Nagel)
Porque o mito é criado
1. Explicar



o presente é explicado por alguma ação que aconteceu no passado, cujos efeitos não foram apagados pelo tempo, como por exemplo, uma constelação existe porque, há muitos anos, crianças fugitivas e famintas morreram na floresta, mas uma deusa levou-as para o céu e transformou-as em estrelas.
2. Organizar

– o mito organiza as relações sociais, de modo a legitimar e determinar um sistema complexo de permissões e proibições. O mito de Édipo existe em várias sociedades e tem a função de garantir a proibição do incesto, por exemplo. O “castigo” destinado a quem não obedece às regras funciona como “intimidação” e garante a manutenção do mito.
3. Compensar
– o mito conta algo que aconteceu e não é mais possível de acontecer, mas que serve tanto para compensar os humanos por alguma perda, como para garantir-lhes que esse erro foi corrigido no presente, oferecendo uma visão estabilizada da Natureza e do meio que a cerca
Mito e filosofia são duas coisas distintas, mas o que acontece, na maioria das vezes, de serem confundidas ou a filosofia ser considerada um mito.
A relação existente entre o mito e a filosofia e de oposicão, contrariedade, pois procuram buscar soluções de formas diferentes, opostas.
André Boni n°5, Martin n°26, Rafael Maia n°29
Antes da Filosofia

Antes do surgimento da filosofia, os mitos eram o principal tipo de pensamento que ocupava a mente das pessoas. Esse modo de pensamento, que predomina nas sociedades tribais e civilizaçoes antigas, era usado para explicar fenômenos da natureza, pregar valores morais e dar sentido a vida das pessoas.
Ao contrario da lenda, o mito não se trata de pura fantasia, mas uma forma de explicar a realidade. Quando pensamos na verdade, geralmente nos referimos à ciência, ao método científico e à coisas que podem ser provadas por meio do raciocínio lógico o do uso da razão, mas o mito não deixa de ser uma metáfora para explicar a verdade. Antes do surgimento da ciência e da filosofia, os mitos eram a forma como as pessoas buscavam compreender o mundo à sua volta, e buscar a verdade.
O mito hoje
Mas será que o pensamento racional e reflexivo determinou o fim da consciência mítica?
Augusto Comte responde que sim, afirmando que o mito é uma maneira ultrapassada de explicar a realidade, e que ele deve ser substituído por maneiras lógicas e científicas de interpretação. Contudo, isso fa surgir o mito do cientificismo, a crença cega na ciência. O que deve ser levado em conta é o fato de a ciência não ser o único modo de explicar o mundo, e deve ser usada junto à conciência mítica e à filosofia.
fontes:
Livro: Filosofia 2º Série EM
Colégia Dante Alighieri
Sites:
http://filosofia.uol.com.br/filosofia/ideologia-sabedoria/51/mito-e-filosofia-licoes-preliminares-sobre-as-origens-e-334049-1.asp
http://brasilescola.uol.com.br/filosofia/mito-filosofia.htmhttps://www.algosobre.com.br/filosofia/mito-e-filosofia.html
Full transcript