Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Resistências e Conflitos na Primeira República

No description
by

Anna Castro

on 18 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Resistências e Conflitos na Primeira República

Introdução
Resistências e Conflitos na Primeira República
O período da República Velha(1889-1930) foi marcado pelas mais variadas formas de resistências à exclusão social. A nova elite governante baseava suas ações na liberal-democracia e no positivismo.(Conhecimento científico).
Durante a República Velha, o governo federal fez uso das forças armadas, não só para reprimir levantes liderados por militares ou chefes políticos regionais, mas também para combater movimentos populares sertanejos.
Movimentos sociais
Origem rural
Movimentos messiânicos - Movimentos sociais nos quais milhares de sertanejos fundaram comunidades comandadas por um líder religioso.
Revolta de Canudos (1893-1897)
Ocorreu na Bahia e teve como líder Antônio Conselheiro.
A população vivia em um sistema comunitário, ou seja, tudo era compartilhado.
Buscavam paz e justiça em meio à fome e a seca do sertão.
Representava uma alternativa de sociedade para os sertanejos que desejavam fugir dos grandes coronéis, pois seguiam suas próprias leis.
A religiosidade foi a forma encontrada pelos sertanejos para traduzir sua revolta e sua vontade de construir uma ordem social diferente.
O fim de Canudos
Com o fracasso das tropas dos coronéis locais e do governo estadual, o governo federal entrou na luta pela destruição de Canudos.
Canudos foi completamente destruído em 5 de outubro de 1897 por um exército de 7 mil homens; mais de 5 mil casas foram incendiadas pelo exército.
Guerra do Contestado (1912-1916)
Ocorreu na fronteira entre Paraná e Santa Catarina onde havia grande número de sertanejos sem-terra e famintos em péssimas condições de trabalho.
Eram liderados por um "monge" chamado João Maria e após sua morte foram liderados por outro "monge" conhecido como José Maria (Miguel Lucena Boaventura).
Mais de 20 mil sertanejos formaram povoados que compunham a "Monarquia Celeste".
Os sertanejos foram violentamente perseguidos e em novembro de 1916, o monge José Maria foi morto em combate e "santificado" pelos moradores da região.
Cangaço (1870 - 1940)
Ocorreu no Nordeste do Brasil
Nomes importantes: Antônio Silvino e Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, o "Rei do Cangaço".
Motivos: Miséria, fome, secas e injustiças dos coronéis
Os cangaceiros praticavam crimes, assaltavam fazendas e matavam pessoas
Depois que o "bando de Lampião", em 1938, foi massacrado o cangaço praticamente desapareceu do Nordeste.
Revolta da Vacina (1902-1906)
Presidente da época: Rodrigo Alves
Rio de Janeiro sofria com a pobreza, lixo amontoado nas ruas
Doenças: febre amarela, peste bubônica e varíola
Foi decretada vacinação obtigatória
Por falta de esclarecimento a sociedade se rebelou
Vacina
Tenentismo (1920-1930)
Origem urbana
Movimento socia de caráter político-militar
Os tenentes na sua maioria jovens queriam acabar com a corrupção
Promoveram revoltas como forte de copacabana, revolta paulista, comuna de manaus e coluna prestes
Liderada por Luis Carlos
O movimento perdeu forças no governo de Getúlio Vargas
Chibata (1910-1912)
Protesto feito pelos marinheiros para a abolição das chibatadas
Comandado por João Cândido e Francisco Dias
Tomaram o navio e propuseram um acordo ao governo
Depois de muitas reuniões políticas foi aprovada a abolição das torturas e chibatadas
Comparando o passado com o presente
Questão fundiária:
Antigamente
População concentrada no campo e a principal atividade era o café
Concentração de terras nas mãos dos coronéis
Comandavam o povo com o voto de cabresto
Atualmente o Brasil está passando por um agravamento acelerado da questão fundiária com os movimentos sociais que coordenam as ações dos trabalhadores rurais. O MST(Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem-Terra é o maios deles.
Banditismo
O banditismo social era caracterizado pelos cangaceiros e pode ser entendido como uma consequência da marginalização de segmentos populacionais causada pela concentração fundiária.
Atualmente, um dos sintomas é a dificuldade das pessoas para compreender os fenômenos ligados às tensões sociais. Como exemplos temos as manifestações e os rolezinhos que são classificados como "jovens baderneiros" e ponto final. Entender o contexto em que tais manifestações ocorrem, bem como seus desdobramentos políticos, exige mais do que reduzir a questão a um ponto de vista.
Antigamente/Atualmente
Antigamente/Atualmente
Ações do Estado Republicano
Separação entre o Estado e a Igreja
Fim do voto censitário
Nomeação de governadores
Política do Encilhamento: foi uma ampla emissão de papel-moeda que visava fortalecer a classe média e incentivar uma diversificação econômica. Acontece que apenas uma pequena parte foi aplicada em setores produtivos enquanto que o restante foi utilizado em especulações financeiras que conduziram o país a uma inflação.
No começo do século XX, o Rio de Janeiro era a capital do país e vivia um período de transformações. A nova imagem do Rio era planejada por Pereira Passos, prefeito da cidade. O prefeito se inspirou em Paris para fazer as reformas urbanísticas no Rio, construindo praças, ampliando ruas e criando estruturas de saneamento básico. Entre as principais heranças da gestão Passos estão o Theatro Municipal, o Museu Nacional de Belas Artes e a Biblioteca Nacional. Para que esse projeto acontecesse ocorreu o desalojamento de várias pessoas menos favorecidas.
Campanha de vacinação
Teatro Municipal
Analisando as fontes da época
Bibliografia
http://maryaneche.blogspot.com.br/
http://cpdoc.fgv.br/dicionario-primeira-republica
http://www.suapesquisa.com/o_que_e/positivismo.htm
http://caminhosdosaberhistorico.blogspot.com.br/2011/11/entendendo-republica-velha-19891930.html
http://portalarquitetonico.com.br/a-reforma-urbana-de-pereira-passos-no-rio-de-janeiro/
http://educacao.globo.com/artigo/reforma-urbanistica-de-pereira-passos-o-rio-com-cara-de-paris.html
http://livroseideias.wordpress.com/2014/01/20/banditismo-social/
http://www.brasilescola.com/historiab/rebelioes-na-republica-velha.htm
http://maniadehistoria.wordpress.com/lampiao-heroi-ou-bandido/
http://historiademestre.blogspot.in/2010/04/prezados-alunos.html?m=1
http://www.slideshare.net/darlancampos/11-brasil-aula-sobre-repblica-velha-parte-03
Conclusão
Podemos concluir deste trabalho que o período da República Velha além de ter sido marcado por várias revoltas, é caracterizado também por várias mudanças incentivadss pelo governo, ou seja, o governo investiu em inovações porém só em partes específicas causando maior revolta na população e desigualdade social.
Full transcript