Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Museu Imperial

No description
by

Lucia Valente

on 21 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Museu Imperial

1300
1500
1900
450 a.C.
1700
Origens do museu
Grécia Antiga
Idade Média
Século XVI
Gabinetes de curiosidades, coleções de estudiosos
Século XVII
Século XVIII
Revolução Francesa

Divulgação das coleções,
acesso ao público,
traçam-se os contornos da concepção moderna de museu
Século XIX
Queda dos museus enciclopédicos e das teorias evolucionistas que os sustentavam
Museu Imperial
Proposta:
preservar
a memória
do Império
O primeiro museu histórico do Brasil
Gustavo Barroso
Culto à saudade
Reverência à tradição romântica

(aspectos rejeitados pelos republicanos positivistas)
Criado em 1940
Estado Novo
Petrópolis, RJ
Cria o curso de
museologia
em 1932
Alcindo Sodré
discursa na
inauguração do Museu Imperial
(antigo Museu Histórico de Petrópolis)
Getúlio Vargas
Decreto-lei 2.090/1940
Recolher, ordenar e expor objetos de valor histórico ou artístico, dos reinados de D. Pedro I e D. Pedro II
Finalidade do Museu Imperial
Mouseioun
Templo das nove musas
Filhas de Zeus e Mnemosine (divindade da memória)
Não se destinava a reunir e apresentar coleções
e sim à contemplação,
estudos científicos,
literários e artísticos
Termo pouco usado, local pouco utilizado
Século XV
A expansão marítima
revela à Europa um novo mundo.
Enriquecimento de coleções principescas
O
colecionismo
torna-se moda na Europa
“revolução do olhar”
Renascimento
grande quantidade de espécies variadas
objetos e seres exóticos,
arranjos não sistematizados
Coleções especializadas,
estudo prático e utilitário
Surgimento e consolidação
dos
grandes museus nacionais
Características semelhantes
:
proteção do patrimônio e dos acervos “recuperados pela nação”;
legítima intenção de instruir o espírito nacional;
missão pedagógica (formar o cidadão pelo engrandecimento do passado);
participar da construção da nacionalidade;
fazem parte da construção dos Estados Nacionais;
discurso cientificista e historicista hegemônico.

A formação dos museus no Brasil
preservação do patrimônio e do acervo das elites
culto ao Império e à nobreza
formular, através da cultura material, uma representação nacional e
legitimar a história oficial
O Museu Histórico Nacional
voltava-se para
Difere dos museus de história natural criados a partir das viagens exploratórias coloniais
discursos históricos
políticas de cultura e de memória,
concepção e monopólio da produção de imagens, identidades e representações
1753
Britânico
Londres
1783
Belvedere
Viena
1810
Altes
Museum
Berlim
1819
Prado
Madri
1852
Hermitage
São
Petersburgo
1808
Real dos
Países Baixos
Amsterdã
1793
Louvre
Paris
1818 Museu Real (atual Museu Nacional), criado por D. João VI para abrigar sua coleção particular de história natural
1864 Exército
1868 Marinha
1876 Paranaense
1866 Emilio Goeldi
1894 Paulista
1894 Instituto Histórico e Geográfico da Bahia
1922 Museu Histórico Nacional
D. Pedro II e Getúlio Vargas
Saguão de entrada
Mármore belga e de Carrara
Sala de visitas da Imperatriz Dona Tereza Cristina
Sofás e cadeiras jacarandá
Estofados em tapeçaria Aubusson com a inicial "T"
Dunquerques/aparadores marchetaria
Sala de música
Instrumentos musicais:
harpa, cítara (salteiro),
pianoforte, violino e espineta
Sala do Senado
Óleo sobre tela de Pedro Américo
Traje, coroa em ouro, diamantes e pérolas e cetro em ouro e brilhantes
Gabinete de D. Pedro II
Sobre a mesa telefone inglês
Óculo de alcance - telescópio
Sala do Trono
Sala dos diplomatas
Escultura em mármore branco, console em jacarandá, relógio em bronze francês, armas do Império
Sala Princesa Isabel
Óleo sobre tela, retrata o juramento
Vitor Meireles
Museu Imperial recebe prêmio da Unesco por documentação sobre a Guerra do Paraguai
Sala de jantar
Quarto de dormir de Suas Majestades
Móveis de jacarandá,
lustre para doze lâmpadas
colcha de cetim chinês
Óleo sobre tela
de Delfim da Câmara
BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Getúlio Vargas: o
estadista, a nação e a democracia. Textos para Discussão da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, n. 191, 2009.

DIAS, Carla da Costa; SOUZA LIMA, Antônio Carlos
de. O Museu Nacional e a construção do patrimônio histórico nacional. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 34, 2012, p. 199-221.

JULIÃO, Letícia. Apontamentos sobre a História do
Museu in: Cadernos de Diretrizes Museológicas 1. Brasília: MinC/IPHAN/DEMU, Belo Horizonte, 2006.

RAMOS, Jorge Abelardo. História da Nação Latino-
americana. Florianópolis, Insular, 2011.

SANTOS, Myrian Sepúlveda dos. Museu Imperial: A
construção do Império pela República. in: ABREU, Regina e CHAGAS, Mário (Orgs.) Memória e Patrimônio: ensaios contemporâneos, Rio de Janeiro, DP&A, 2008.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Nacionalidade e Patrimônio: o
segundo reinado brasileiro e seu modelo tropical exótico. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 34, 2012, p. 337-359.
Projeto pedagógico e educacional voltado para o nacional
Conciliação de interesses dos diferentes grupos sociais em disputa na vida social.
Populismo enquanto forma de Estado
Frentes de atuação do Estado Novo
Campanhas de nacionalização e estatização da vida social
O Museu Imperial apresenta uma recomposição cenográfica como elemento fundamental na narrativa
para reavivar, ressaltar e glorificar o passado.
Museus como espaços de aprendizado e de valorização do nacional, de sua história, heróis e imortais.
Referências
FIM
REFLEXÕES A PARTIR
DO MUSEU IMPERIAL
Full transcript