Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Workshop de Práticas Ágeis

No description
by

Ana Marcia Debiasi Duarte

on 7 August 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Workshop de Práticas Ágeis

Workshop de Práticas Ágeis
Ciclo de vida Projeto
Ana Marcia Debiasi Duarte

Especialista em Qualidade de Serviços pela Université de Tours - França
Mestranda em Ciência da Computação - Univali - Itajaí SC
Graduada em Ciência da Computação - FURB - Blumenau SC


Atua como consultora nas áreas de melhoria de processos de software. Trabalha com implantação de processos de software: engenharia e qualidade de software e gerência de projetos.
Implementadora dos modelos CMMI e MPS.BR no desenvolvimento de software e serviços, Certics e ISO 29110.
Experiência no ensino de graduação e pós graduação nas áreas de engenharia, qualidade e aquisição de software e gerenciamento de projetos de software de software.
O que vamos ver

Por que usar método ágeis
Quais são e para que servem
A adoção dos métodos ágeis na empresa
Como adaptar os métodos ágeis em projetos de construção de produtos e em processos de manutenção (evolução ou correção) de produtos
Os papéis dos profissionais na adoção das práticas ágeis
Como combinar práticas tradicionais juntamente com práticas ágeis quando necessário
Estimativas em processos ágeis
O tratamento dos testes nos processos com características ágeis
Alternativas de ferramentas para automatizar o processo
As práticas ágeis como cultura nas empresas
Execução de atividades práticas em todos os passos apresentados.
Visão e
planejamento
Construção incremental e solução pronta para uso
Entrega do release para o cliente
Do que estamos falando...
Elimine Desperdícios
Inclua a Qualidade no Processo
Crie Conhecimento
Adie Decisões e Comprometimentos (*)
Entregue o quanto antes
Respeite as Pessoas e "Empower" a equipe (*)
Otimize o "To do"


Visualize o workflow (quadro)
Limite o trabalho que está em progresso
Princípios lean
?
?
?
?
?
?
?
?
?
XP (Extreme Programming)
AM (Agile Modeling)
UP (Unified Process)
PMBoK
AD (Agile Data)
Kanban
Construction Iteration
(Iteração de Construção)
Garantir que a solução está pronta
Garantir que os stakeholders estão prontos para receber a aplicação
Colocar a solução em produção
Transition
(Transição)
Produzir solução com potencial de uso
Realizar as modificações necessárias indicadas pelo stakeholder
Mover-se para um release entregável
Manter ou melhorar a qualidade
Provar a arquitetura logo
Formar time inicial
Identificar a visão do projeto
Acordo dos stakeholders sobre a visão
Alinhamento com a direção da empresa
Identificar (ainda inicial) estratégias técnicas, requisitos e plano de release
Construir ambiente de trabalho
Garantir recursos
Identificar riscos
Cumprir a missão do projeto
Aumentar as habilidades dos membros da equipe
Melhorar a infra-estrutura existente
Melhorar o processo da equipe e do ambiente
Identificar riscos
Quais são e para quer servem os
Métodos Ágeis
Primeiro:
Segundo:
é um cojunto de tarefas e atividades relacionadas que produzem um determinado produto ou serviço para um ou mais clientes de uma empresa. Pode ser visualizado com um fluxograma.
Cultura
é um padrão integrado de conhecimento, crença ou
comportamento humano
que depende da capacidade de pensamento simbólico e de aprendizado social de um determinado grupo de pessoas. É também um
conjunto de atitudes
, valores, objetivos e práticas compartilhadas que caracterizam esse grupo de pessoas.
Processo
processo é o “como”
cultura é o “porquê”
O que mais importa é a
cultura
, já que sem o “porquê” é muito mais difícil seguir e manter o respectivo “
como
”.
Seguir “receitas de bolo” sem pensar, discutir, argumentar, ouvir e escutar é receita certa para uma implementação mecanizada das metodologias e consequente fracasso.
Como fazer ???
Identificar os problemas

Priorizar o que é mais importante resolver

Definir o que implantar

Mão na massa!

Evolução de Produto
Projetos

Construção de um produto completo
Identificar stakeholders
Selecionar equipe inicial
Identificar requisitos iniciais
Identificar a arquitetura inicial
etc etc etc
Identificar as evoluções
Priorizar
Especificar
Montar pacotes ou ciclos
etc etc etc
Não conhecemos o projeto
Temos que definir tecnologia e arquitetura
Temos que montar uma equipe...
Conhecemos o projeto
A tecnologia e arquitetura já estão definidas
A equipe é a mesma
Temos só que definir o que fazer ...

O produto é um só (do ponto de vista técnico) mas sofre evoluções
Gestão
do
produto
Controle de tarefas
Controle do trabalho que precisa ser feito
Identificar as tarefas
Especificar (se necessário)
Priorizar
Colocar em produção (no quadro)
etc etc etc
Inception
(Iniciação ou Elaboração)
Só quero controlar tarefas
Atualizações rápidas
O foco é na tarefa
Gerenciar o portfólio
Identificar todas as oportunidades
Avaliar cada uma
Selecionar os que atendem as definições estratégicas
Gerenciar a execução
Identificar todas as necessidades do projeto
Estimar o tamanho
Priorizar de acordo com o valor para os interessados (visão do cliente, da estratégia da empresa e técnica)
Separar em releases no projeto (fazer um plano de releases)

Elaborar critérios para selecionar projetos
* O que se leva em consideração quando se escolhe projetos em sua empresa? *
Ex.:
valor $ faturado
manutenção de clientes
atendimento a legislação
Indicar o peso de cada um.
Na prática:
o product backlog muda a qualquer instante
Tarefas identificadas e estimadas (horas)
Burndown Construído
Tarefas Prontas (testadas)
Sprint finalizada
Review e Retrospectiva feitas
Identifique as histórias que fazem parte do projeto
Estime o tamanho das histórias
Priorize as histórias
Faça um plano de entregas levando em conta as sprints (ciclos)
Na ferramenta
Product Owner - PO
Gerente de Produto
Analista de Negócios
...
Gerente de Projetos
Lider Técnico
...
Desenvolvedor
Testador
Programador
Designer
Arquiteto
Scrum Master
...
Construir
Na ferramenta
O PO deve apresentar todas as histórias para o time
Identificar todas as tarefas para construir a história
Estimar as tarefas em horas
Montar o taskboard
Montar o burndown
Não deve mudar depois que a sprint começar a rodar
Aqui é o Scrum
Product Owner
Cliente
Patrocinadores
...
Gerente de confirguração
Líder técnico
...
Equipe de suporte
...
anamarciadd@gmail.com.br
(49) 9914-8864
Estimativa Ágil
Processo lean em 4 fases
Características
Desejadas
Estimativa
de Tamanho
Estimativa
de Duração
Prazo
Tamanho ...... Prazo
Velocidade
É medida de trabalho feito
Calculada no final de cada iteração
Não precisa ser estimada
Velocidade individual não é uma ferramenta
Pontos de História
Pontos de História são relativos
Erros de estimativas são corrigidos (velocidade)

Um dia de trabalho tem 8h
Um dia ideal é considerado para estimar
Neste contexto:
A história sendo estimada é sua única responsabilidade
Tudo que é necessário vai estar em sua mão quando você começar
Não vai haver interrupções
Todos os envolvidos devem participar das estimativas
Não está definido quem vai fazer o trabalho
Aumenta-se a chance de pontos importantes serem lembrados na estimativas
Na Hora de Estimar
Quanto mais longe, mais incerteza há
Não existe estimativa 100% correta
Buffers são importantes
Erros de estimativa são corrigidos com a velocidade
Papéis
Full transcript